O QUE É O HAGSPLOITATION

hagsploitation

Também chamado de Psycho-biddy, o Hagsploitation é mais um subgênero de filmes que combina elementos dos gêneros de terror, suspense e com uma característica em comum: uma mulher mais velha antigamente glamorosa que se tornou mentalmente desequilibrada e aterroriza aqueles ao seu redor. 

O marco zero foi com a obra prima "O Que Terá Acontecido a Baby Jane?", dirigido por Robert Aldrich e lançado em 1962 e durou pouco mais de uma década.  E como todo subgênero, novos elementos vão sendo inclusos ou suprimidos com os anos, e até outros gêneros como comédia ou musical adotaram o Hagsploitation em algum filme. 

O maior nome deste subgênero foi Bette Davis, que participou de vários filmes importantes do período, provavelmente pelo sucesso do filme de Aldrich.

E o porque do sucesso?

O Hagsploitation é a sombra de "O Que Terá Acontecido a Baby Jane?", já que a grande sacada do filme é mostrar uma ou mais atrizes em decadência, o que a (s) leva (m) a relações conflituosas e rancorosas. E o cinema anterior, principalmente dos anos 30 a 50 não mostrava este momento da vida de atrizes, até que Crepúsculo dos deuses, de Billy Wilder, joga os holofotes para a decadente Norman Desmond.

E o que tornou "O Que Terá Acontecido a Baby Jane?" um filme mais curioso ainda é o fato de que as duas atrizes principais também vivenciavam a decadência de suas carreiras além de se odiarem. O nível das picuinhas chegava a ser infantis, como quando Bette Davis mandou colocar uma máquina Coca-Cola no set para provocar deliberadamente Joan Crawford, que era viúva do presidente da Pepsi, Alfred Steele.


Os estúdios, na época, se aproveitaram dessa rivalidade e se esforçaram para disseminar boatos e verdade sobre ambas na imprensa para alimentar ainda mais o ódio mútuo. O filme foi um sucesso de bilheteria e foi aclamado pela crítica, recebendo cinco indicações para o Oscar, incluindo melhor atriz para Bette Davis, o que deixou Joan Crawford mais furiosa ainda, por ser esnobada nas indicações daquele ano. 

Hag = Bruxa

Os filmes exploitation fizeram sucesso em diversos momentos. Basta lembrar-se da Blaxploitation ou da Nunsploitation. No caso da Hagsploitation, começou com uma dupla que se odeia, mas ele pode muito bem ser sobre uma única personagem insuportável, até mesmo, pela tradução literal, que se refere à uma pessoa que age como uma bruxa (não no sentido literal, evidentemente). E naturalmente, é velha e feia. 


E a verdade é que a  Hagsploitation nasceu da decadência real de atrizes que outrora eram belas e tinham grandes papéis à disposição. Inclusive, algumas delas disseram posteriormente que só aceitaram serem rebaixadas pelo dinheiro. Cegas pelo glamour que outrora desfrutaram, não entediam que saber envelhecer era primordial para dar continuidade às suas carreiras.

Mas a Hagsploitation não só não depreciou as atrizes como alavancou suas carreiras dormentes. Mas como todo subgênero, o auge passou, e fomos apenas pontuados com ótimos filmes aqui e ali, na história do cinema, como Mamãezinha querida, de 1981 (que inclusive conta a história de Joan Crawford) ou Louca obsessão, de 1990. Mesmo Hereditário, de 2018, flerta com o Hagsploitation.

Abaixo, 10 dicas de filmes essenciais:


Jane Hudson (Bette Davis) é uma estrela infantil idosa, que cuida de Blanche (Joan Crawford), sua irmã em uma cadeira de rodas, também um ex-atriz mirim. Vivendo juntas em uma mansão na velha Hollywood, Blanch planeja se vingar de Jane pelo acidente de carro que a deixou paralítica anos atrás. Mas Jane está desesperada voltar à fama, e tenta esconder a existência de Blanche de médicos, visitantes e vizinhos enquanto ela pensa em uma maneira de se livrar de sua irmã.


Em Alguém Morreu no Meu Lugar, Bette Davis interpreta gêmeas idênticas: a viúva Margaret é possuidora de uma fortuna gigantesca, em virtude do casamento com homem que roubou de Edith, a outra irmã, há muitos anos atrás. Edith, divorciada e sem dinheiro, resolve vingar o fato matando Margaret e vivendo em seu lugar. O problema é que, além de ter que procurar se portar como Margaret, começa a despertar suspeitas em um amante secreto dela, que chega inesperadamente para visitá-la.


Charlotte Hollis é uma mulher que vive "presa" em casa por sofrer um trauma no passado. Quando o governo decide derrubar sua casa para construção de uma estrada ela entra em confronto com as autoridades. Com a chegada da prima Miriam, Charlotte se sente mais segura, até descobrir as falsas intenções dela.


Há vinte anos Lucy Harbin despedaçou seu esposo e sua amante com uma machadinha. Depois de duas décadas de confinamento psiquiátrico, seus médicos a declararam preparada para voltar ao mundo. Entretanto, o difícil reencontro com sua filha, que presenciou os crimes, e certas marcas do seu doloroso encerramento, geram suspeitas de que Lucy pode estar se preparando para o retorno a seus velhos costumes decapitadores.


O garoto Joey, de dez anos de idade (William Dix), está voltando para a casa dos pais ricos e ausentes e para os cuidados da babá, depois de passar dois anos em uma instituição para pessoas com doenças mentais. Joey tinha ido parar nesse lugar sob a suspeita de ter afogado sua irmã mais nova na banheira, enquanto ela tomava banho. Lá, infernizava a vida dos funcionários com brincadeiras de humor negro. De volta à sua casa, vai insistir na sua antiga tese: foi a babá que matou sua irmã, e a babá agora quer matá-lo. Mas ninguém o leva a sério.


A psicótica sra. Trefoile, uma mãe louca que aterroriza e aprisiona a noiva de seu falecido filho Pat  para se vingar da morte trágica do seu filho, com a ajuda de seu jardineiro. Uma tirânica fanática religiosa, a sra. Trefoile fica obcecada pelo espírito do filho que morreu há vários anos em um acidente de carro. Quando a ex-namorada de seu filho faz uma inesperada visita, a sra. Trefoile sequestra a bela jovem, confinando-a no sótão como refém para “limpar” sua alma para que ela possa se reunir com seu filho no céu. Presa e torturada, Pat precisa lutar por sua vida e fugir.


Uma viúva rica, extremamente manipuladora e hostil usa como pretexto seu aniversário de casamento para se reunir com seus três filhos. Um deles é casado com seis filhos, o outro está noivo e o terceiro tem determinadas "manias" que fazem dele um pervertido. Quando não pode impôr sua vontade da forma convencional, ela sempre encontra uma maneira de chantageá-los. Este aniversário não deve ser diferente, pois os filhos tomaram resoluções que não lhe agradam, sendo que ela pretende fazê-los "repensar" suas posições de qualquer maneira.


Claire, uma mulher excêntrica, leva sua empregada para uma casa deserta com a intenção de matá-la, para roubar suas economias. Após acabar com sua mais recente vítima, ela procura outra. Mas a amiga da empregada, Alice, suspeita do caso e resolve investigar os hábitos da estranha mulher.


Adelle e Helen têm uma coisa em comum: os filhos de cada uma são assassinos e foram para a prisão. Juntas, elas se mudam para Hollywood na tentativa de esquecer o passado e abrem uma escola de dança para crianças. Tudo parece bem e elas se ajustam à nova vida. Mas de repente começa a surgir a uma série de mortes.


Velhinha aparentemente bondosa convida crianças de um orfanato para a ceia de Natal com intenções não muito caridosas. A história de David Osborn, na qual o filme se baseia, é uma variação sobre o clássico infantil de João e Maria.



Tecnologia do Blogger.