O TERCEIRO HOMEM (1949) - FILM REVIEW

o-terceiro-homem-1949-film-review

As listas são sempre subjetivas, mas é um senso comum colocar "O terceiro homem" como melhor filme Inglês. Mesmo sendo uma colocação relativa, ela mostra a importância do filme para o cinema. 

A história se passa após a 2ª Guerra Mundial. Holly Martins (Joseph Cotten), escritor americano de 6ª categoria, chega em Viena. Ele estava em crise e sem dinheiro, mas seu velho amigo de escola Harry Lime (Orson Welles) lhe prometera um trabalho. Holly tenta encontrar Harry e então fica sabendo que ele foi atropelado e teve morte instantânea. Intrigado, o escritor decide fazer sua própria investigação sobre o misterioso passado do amigo e descobrir o que de fato aconteceu.

O produtor David O. Selznick inicialmente queria que Noel Coward interpretasse o personagem Harry Lime. Orson Welles apenas foi contratado por insistência do diretor Carol Reed. Reed queria também que James Stewart interpretasse o personagem Holly Martins, mas Joseph Cotten acabou escalado por estar sob contrato na época das filmagens. O. Selznick também tentou escalar Robert Mitchum no papel de Holly, mas a prisão do ator por porte de maconha tornou isso impossível.

Quando acertou sua participação, Welles tinha que escolher entre duas opções:  ou ele receberia um alto salário por sua atuação ou uma porcentagem dos lucros da bilheteria. Welles escolheu receber um salário, mas ao perceber que o filme iria se tornar um grande sucesso tentou, sem sucesso, mudar seu pagamento para a porcentagem nos lucros.

Orson Welles inicialmente recusou-se a fazer as sequências do esgoto porque estava convencido de que o ar nocivo lhe causaria alguma doença. Carol Reed afirmou que não havia nada com que se preocupar, pois o cheiro era resultado de desinfetante, não de excremento. De acordo com Reed, o apreensivo Welles não acreditou nele. Seus close-ups foram filmados no London Film Studios, enquanto um dublê foi usado para planos amplos. Diz-se que a filmagem resultante é cerca de 85% de Viena e 15% de Londres. Welles trabalhou apenas uma semana.

O Departamento de Polícia de Viena tem uma unidade especial que é designada exclusivamente para patrulhar o intrincado sistema de esgoto da cidade, já que sua rede de túneis interligados tem ótimos esconderijos para criminosos que fogem da lei com objetos de roubos, drogas, etc. Os atores que interpretam os policiais no filme eram, na verdade, membros daquela unidade, quando estavam de folga. 

James Bond

Graham Greene baseou o personagem Harry Lime no agente duplo britânico Kim Philby, que era superior de Greene no Serviço Secreto de Inteligência Britânico. Além de jornalista, escritor, ele foi recrutado pelo MI6 durante um curto período de 2 anos, o que influenciou a natureza de suas obras vindouras.

O futuro diretor John Glen estava trabalhando no departamento de edição do Shepperton Studios quando o filme começou a ser produzido. Seu tipo físico era semelhante ao de Joseph Cotten e por isto foi contratado para fornecer o som de seus passos na dublagem de som pós-produção.  

Glen se tornaria um dos diretores que mais realizaram filmes de James Bond. São eles: 007 - Somente Para Seus Olhos, 007 Contra Octopussy, 007 - Na Mira dos Assassinos, 007 Marcado para a Morte e 007 - Permissão para Matar. 

Coincidentemente, o ator Bernard Lee, que faz o Sgt. Paine interpretou “M” em 11 filmes do personagem desde "O Satânico Dr. No (1962)" até "007 Contra o Foguete da Morte (1979)". Lee faleceu em janeiro de 1981 e justamente o primeiro filme sem ele, foi realizado por Glen. Bernard estava doente, com câncer no estômago, não podendo enfrentar as imposições feitas pelo trabalho. "Somente para seus olhos" foi filmado justamente neste momento e lançado em 1981, meses após sua morte.  Como um sinal de respeito, o roteiro foi alterado para dizer que "M" estava de licença, em vez de reformular o papel com outro ator.

Ele era famoso por apreciar uma bebida, mas nunca deixou que isso afetasse seu trabalho. Durante as filmagens de O 3º Homem (1949), Lee desapareceu e o diretor mandou a equipe vasculhar os bares locais para encontrá-lo. Sua história de bebidas está associada às suas perdas. Sua esposa Gladys morreu em um incêndio e a maior parte de seu dinheiro foi roubada em um assalto. Acabou sucumbindo a uma depressão  e começou a beber continuamente. 

Por acaso, ele conheceu Richard Burton em um pub logo depois. Depois de ouvir sobre seus problemas, Burton fez um cheque de 6 mil dólares e deu a ele, que conseguiu dar a volta por cima com o dinheiro e até casou-se novamente. Richard se compadeceu do problema de Lee porque ele mesmo enfrentava uma batalha contínua contra o alcoolismo. Burton faleceu aos 58 anos, apenas 3 anos depois de Lee.

"O terceiro homem" ainda tem Geoffrey Keen, que foi o Ministro da defesa em 6 filmes da série James Bond. E o ator que substituiu Lee como "M" em 007 - contra Octopussy, em 1983, foi Robert Brown, que também está nesta obra ímpar do cinema Noir. E não parou aí. Guy Hamilton, diretor de quatro filmes do personagem 007, é o diretor assistente do filme de Carol Reed. Ele também faz uma ponta, como uma figura sinistra vista correndo. 

Mas voltando...

Durante as filmagens, a cena final foi objeto de uma disputa entre Graham Greene, que queria o final feliz do romance, e Carol Reed e David O. Selznick, que teimosamente se recusaram a terminar o filme pelo que sentiam ser uma nota artificialmente feliz. Greene escreveu mais tarde: "Uma das poucas grandes disputas entre Carol Reed e eu dizia respeito ao final, e ele provou estar triunfantemente certo."

Uma grande controvérsia, que poderia ser chamada de fake news dos anos 50, diz respeito a Orson Welles. Foi dito que ele escreveu todos os diálogos de Harry Lime e até mesmo de que assumiu a direção de suas próprias cenas. 

Todos os envolvidos, incluindo o próprio Welles, sempre insistiram que o filme tivesse sido dirigido apenas por Carol Reed. Welles afirmou que não escreveu nada. Suas únicas contribuições foram os resmungos de Lime sobre seus problemas de estômago e o famoso discurso do "relógio de cuco" no final da cena da roda gigante.

"Não seja tão sombrio. Afinal, não é tão ruim. Como dizem, na Itália por 30 anos sob os Borgias eles tiveram guerra, terror, assassinato e derramamento de sangue, mas eles produziram Michelangelo, Leonardo da Vinci e o Renascimento. Na Suíça eles tinham amor fraternal, eles tiveram 500 anos de democracia e paz, e o que isso produziu? O relógio cuco." 

Obra prima.




Classicline lançou a obra prima "O terceiro homem" em BLU RAY, que pode ser adquirido no site da empresa ou nas lojas parceiras. Abaixo, veja detalhes da edição. E para comprar, só clicar no link acima. 
 
➤Informações do filme e da edição:


Elenco: Orson Welles, Joseph Cotten, Alida Valli
Direção: Carol Reed
Produtor: Alexander Korda, Carol Reed, David O. Selznick
Roteiro: Graham Greene
Fotografia: Robert Krasker
Ano de produção: 1949
Pais de Produção: Reino Unido
Formato de tela: Widescreen
Cor: P&B
Duração Aprox.: 104 min.
Idioma: Inglês (DTS-HD MA), Espanhol (DTS-HD), Francês (DTS-HD)
Legendas: Português, Francês, Espanhol

Extras: 

O Terceiro Homem no Rádio (00:28:45:00)
Entrevista com Joseph Cotten (00:47:15:00)
Entrevista com Graham Greene (00:08:05:00)
Entrevista com Cornelia Mayer (00:04:44:00)
Abertura Alternativa (00:01:18:00)
Galeria de Fotos (00:02:24:00)
Trailers (00:04:32:00)
Tour Viena (00:48:00:00)




Tecnologia do Blogger.