MIRAMAX - A HISTÓRIA

miramax-historia

Uma das mais importantes e premiadas produtoras da história do cinema terminou seus dias com um dos maiores escândalos da indústria cinematográfica. Mas sua trajetória de sucesso iniciou com um slasher chamado "Chamas da morte".

Na época, Harvey Weinstein estava querendo fazer sua inserção no mundo cinematográfico e influenciado por sucessos como O Massacre da Serra Elétrica (1974) e Halloween: A Noite do Terror (1978) e Sexta-Feira 13 (1980), ele buscou uma ideia original, encontrando na lenda do Cropsy que ele mesmo escutou na época em que acampava no interior do estado de Nova York. Weinstein levou a ideia ao também produtor Michael Cohl, que adorou.

O ponto de partida da história é um acidente provocado por alguns garotos, que, sem querer, queimam da cabeça aos pés o zelador da colônia de férias onde eles estavam. E passados 5 anos, o tal zelador, chamado Cropsy, persegue Todd, um dos garotos que o queimaram (e que agora trabalha como zelador de outra colônia de férias), matando, antes disso, vários jovens que se encontram sob a responsabilidade dele.


O criador e a criatura.

Seria natural falar de Harvey Weinstein como o grande criador da Miramax, se ele não fosse o monstro na história. Criador e criatura. Dr. Jekyll e Mr. Hyde. Um gângster, um estuprador, manipulador e claro, produtor de sucesso de uma perspectiva dos anos 90 e predador sexual e presidiário, da perspectiva atual.

Ele fundou, com o irmão mais novo Bob Weinstein,  Miramax Films e posteriormente a The Weinstein Company. Ele chamou sua empresa em homenagem aos seus pais, Miriam e Max, marcando a história do cinema como a mais poderosa e premiada distribuidora de filmes independentes do cinema em seu tempo. Para ter uma ideia, em 2012, ele foi listado como uma das "100 pessoas mais influentes do mundo" da revista Time.


Confesso que até hoje, não me desce o Oscar de Shakespeare Apaixonado, infinitamente inferior aos concorrentes, como Resgate do Soldado Ryan e Além da linha vermelha ou ainda Gwyneth Paltrow vencendo qualquer pessoa (entre elas Fernanda Montenegro, Meryl Streep e Cate Blanchett). Weinstein fez o lobby necessário para que isto acontecesse. 

Para ter uma ideia do poder de influência do cara, no Oscar de melhor filme figuraram Pulp Fiction: Tempo de Violência (1994), O Paciente Inglês (1996), Gênio Indomável (1997), Shakespeare Apaixonado (1998), Regras da Vida (1999), Chocolate (2000), O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel (2001), Chicago (2002), Gangues de Nova York (2002), O Senhor dos Anéis: As Duas Torres (2002), O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei (2003), Mestre dos Mares: O Lado Mais Distante do Mundo (2003), O Aviador (2004), O Leitor (2008), Bastardos Inglórios (2009), O Vencedor (2010), O Discurso do Rei (2010), O Lado Bom da Vida (2012), Django Livre (2012), Lion: Uma Jornada para Casa (2016). sendo que O Paciente Inglês (1996), Shakespeare Apaixonado (1998), Chicago (2002), O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei (2003) e O Discurso do Rei (2010) saíram vitoriosos. E destes 5, nada menos que 4 são questionáveis. 


Voltando...

A Miramax buscou inovar conceitos, adquirir filmes de cineastas promissores (como um certo Quentin Tarantino) e focar as obras para premiações. O próprio filme "Chamas da morte", foi um slasher com bastante identidade, saindo por vezes, da mesmice que o subgênero adquiriu. Este foi inclusive, uma das duas únicas obras que Harvey também roteirizou.

A Miramax adquiriu e ou produziu muitos outros filmes que tiveram um bom desempenho financeiro. A empresa se tornou uma das líderes do boom do cinema independente na década de 1990. Mais acima, citei os Óscares de melhor filme, mas sobraram vários outros para filmes distribuídos pela empresa. Vários não, muitos.


Ela fez aliados poderosos, como em 1992, quando acordou a distribuição de home vídeo. Esta dança das cadeiras é comum no cinema, com os direitos indo e vindo conforme o tempo de contrato. Um ano depois, a futura compradora do mundo, adquiriu a Miramax. Isto fez com que ela dominasse o seguimento de filmes independentes (para quem não sabe, a empresa que compra tudo e todos se chama Disney e fica o recado para ela: estou á venda!!!).

E assim como de costume, os compradores vão dominando o mercado e os velhos donos vão para a fila do INSS. Bob e Harvey Weinstein continuaram a operar a Miramax até deixarem a empresa em 30 de setembro de 2005. Durante sua gestão, os irmãos Weinstein administraram a Miramax independentemente de outras subsidiárias da Disney e, como resultado, tinham mais autonomia do que as outras empresas. 


A Buena Vista Home Entertainment (da Disney) lançou várias produções da Miramax em VHS, DVD e Blu-ray em alguns países e as demais produções foram passadas para os licenciados regionais da Miramax International. A Disney ficou 17 anos á frente da Miramax, que incluia os direitos dos filmes anteriores a 1993.

Neste rolo, eis que surge “um certo” Hobbit. Em 1997, a Miramax se juntou a Peter Jackson para produzir os filmes  O Senhor dos Anéis. A Disney achou o custo muito alto, exigindo que fosse produzido um único filme. Jackson e Saul Zaentz rejeitaram o pedido da Disney e procuraram outro financiador. Assim, a Miramax vendeu os direitos de O Senhor dos Anéis e O Hobbit para a New Line Cinema em agosto de 1998 por cerca de 12 milhões, o que levou O Senhor dos Anéis a ser produzido como uma trilogia. Mas a Miramax manteve uma participação de 5% no bruto dos filmes e depois deu 2,5% para os Weinsteins.


Muitos problemas de direitos vieram pelo caminho, com diversas insatisfações, até que em 2005 a Disney e os Weinsteins anunciaram que não renovariam sua relação contratual quando seus acordos existentes expirassem no final de setembro de 2005. Os Weinsteins fundaram uma nova produtora de filmes chamada The Weinstein Company , e assumiu o selo Dimension Films. 

O nome Miramax permaneceu com o estúdio de cinema de propriedade da Disney. A produção na Miramax foi assumida por Daniel Battsek, que havia chefiado a Buena Vista International no Reino Unido. Em 3 de outubro de 2009, a Disney anunciou que a equipe da Miramax seria reduzida em 70%, e o número de lançamentos seria reduzido para poucos filmes por ano.  Em 30 de outubro de 2009, a Disney anunciou a renúncia de Daniel Battsek como presidente da Miramax Films. A empresa fundiu suas operações com a The Walt Disney Studios em 28 de janeiro de 2010.


Era o filme de uma era e o início de uma nova.

No final daquele ano, a Disney vendeu a Miramax para a Filmyard Holdings. A venda incluiu 700 títulos de filmes, livros, projetos de desenvolvimento e o nome "Miramax". Mike Lang, o ex -executivo de desenvolvimento de negócios da News Corporation que foi selecionado como CEO da Miramax, indicou que a empresa se concentraria em seu catálogo, embora continuasse produzindo conteúdo original. 

Em 11 de fevereiro de 2011, a Miramax firmou um contrato de lançamentos de home vídeo com a Lions Gate Entertainment e o StudioCanal para distribuir mais de 550 títulos do catálogo da Miramax em DVD e Blu-ray. A Lionsgate nos Estados Unidos, enquanto o StudioCanal ficou da distribuição europeia. Dias depois, eles fecharam um acordo com a Echo Bridge Home Entertainment para distribuir uma lista de catálogos com 251 títulos da empresa em DVD / Blu-ray. De 2012 a 2017, a Warner Home Vídeo assumiu a distribuição do catálogo Miramax em home vídeo no Japão..


A Miramax também negociou catálogo para streaming com a Netflix, Amazon, Google e Hulu. E em setembro de 2011, a Miramax anunciou que centenas de seus títulos de filmes estavam disponíveis digitalmente em territórios da América Latina, incluindo Brasil, México e Argentina, sob um contrato de vários anos com a Netflix. A Miramax em 28 de setembro assinou um acordo de seus filmes para os assinantes do Hulu no Japão. Em 16 de novembro de 2011, a Miramax anunciou um acordo de licenciamento digital com a Netflix no Reino Unido e Irlanda.

Esta dança das cadeiras, que parece interminável, complica demais quando uma empresa quer lançar alguma obra específica em mídia física, pois é uma dificuldade incrível para achar com quem está a batata quente, ou seja, os direitos do filme no momento. E muitas vezes, enquanto a negociação acontece, os direitos mudam de mão, levando a negociação para a estaca zero. 

Em 17 de julho de 2015, a Miramax foi colocada à venda. Harvey e Bob Weinstein ficaram interessados em readquirir a empresa, que se perdeu totalmente do seu propósito. Mas em 2016 a beIN Media Group (rede global independente de esporte e entretenimento, fundada em 1 de janeiro de 2014, com sede em Doha, no Catar), adquiriu a Miramax. 


2017: o ano em que o mundo entendeu quem era Harvey Weinstein

Em 5 de outubro de 2017 o New York Times publica uma história detalhando décadas de alegações de assédio sexual contra Harvey Weinstein. As atrizes Rose McGowan e Ashley Judd estão entre as mulheres que se apresentam. Entre as acusações, está o de que obrigou as mulheres a massagear e vê-lo nu. Ele também prometeu ajudar a progredir em suas carreiras em troca de favores sexuais. 

Em 10 de outubro de 2017, alegações de mais 13 mulheres são publicadas na revista New Yorker, incluindo três acusações de estupro. No dia 14 de outubro de 2017 a organização por trás do Oscar votou para expulsar Weinstein. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas afirmou: "O que está em questão aqui é um problema profundamente perturbador que não tem lugar em nossa sociedade."


Em 17 de outubro, após inúmeras denúncias, Weinstein se demite do conselho de administração da empresa que leva seu nome, segundo vários relatórios. Weinstein ainda possui 22% das ações de sua empresa. 13 dias depois o Producers Guild of America bane Weinstein para o resto da vida. 

Weinstein usou investigadores particulares para encobrir alegações de abuso sexual, inclusive tentando pagar propinas volumosas á algumas atrizes. Em 28 de novembro de 2017, a primeira ação civil do Reino Unido contra Harvey Weinstein é apresentada no Tribunal Superior. Em 20 de março de 2018, a ex-empresa de Weinstein pede falência. No 11 de março de 2020 Weinstein é condenado a 23 anos de prisão por estupro e agressão sexual.

Eu sabia o suficiente para fazer mais do que fazia", ​​disse o diretor ao New York Times.
Quentin Tarantino 


Harvey é um predador que merecia fuzilamento. Alguns casos são absurdos, como os de  Mira Sorvino e Ashley Judd, que negaram dormir com ele. Harvey então passou informações falsas a  Peter Jackson afim de que ele não as escalasse para Senhor dos anéis.

Você encontrará 15 pessoas digam que sou um gênio e 15 pessoas que digam que sou um idiota.
Harvey Weinstein

Bom, acho que no final das contas, são menos de 15 que nomeiam ele um gênio. E milhões que sabem que ele é um completo idiota.



One Movies/Dark Flix lançou mais ótimo filme de horror dos anos 80, que pode ser adquirido no link acima, que será redirecionado para o site da empresa.

CHAMAS DA MORTE - DVD + Luva + Poster + Livreto
(The burning)

Edição Comemorativa aos 40 anos da primeira locadora de vídeo aberta no Brasil. 

Produzido e coescrito por Harvey Weinstein no início de sua carreira vitoriosa como produtor em Hollywood, “The Burning” é um dos filmes de maníacos mais importantes de todos os tempos, imortalizando um personagem que jamais seria reencarnado, tornando-o ainda mais cult. A trilha sonora ficou a cargo de Rick Wakeman, da banda Yes e também é um clássico do rock progressivo.

Veja abaixo detalhes da linda edição.


Informações técnicas da edição:

Duração: 91 minutos
Sistema de cor: Colorido
Formato de Tela: 1.85:1
Áudio: Original em Inglês 5.1 Dolby Digital Surround
Dublado em Português
Legendas: Português
Classificação: 16 anos (Violência, Mutilação, Uso de Armas, Tortura)







Tecnologia do Blogger.