MADAME BOVARY NO CINEMA / TV

madame-bovary-no-cinema-tv

Madame Bovary é um romance que foi escrito por Gustave Flaubert e que resultou num escândalo ao ser publicado em 1857. O livro "Romance Dos Romances ", Madame Bovary é considerado pioneiro dentre os romances realistas; não somente, o livro tornou-se famoso por sua originalidade, o qual posteriormente levou a cunhagem do termo de psicologia bovarismo, em referência as características psicológicas da protagonista da obra. Quando o livro foi lançado, houve na França um grande interesse pelo romance, pois levou seu autor a julgamento.

Flaubert foi levado aos tribunais, onde utilizou a famosa frase "Emma Bovary c'est moi" (Emma Bovary sou eu) para se defender das acusações. Acusado de ofensa à moral e à religião, num processo contra o autor e também contra Laurent Pichat, diretor da revista Revue de Paris, em que a história foi publicada pela primeira vez, em episódios e com alguns pequenos cortes.

Diretor: Albert Ray

Uma adaptação de Madame Bovary transportada para Rye, New York em 1930. Todos os personagens foram renomeados. Mas a história mantida. Fato comum nas primeiras adaptações para o cinema de um livro .

Diretor: Jean Renoir

França, século XIX. Emma Bovary, filha de um camponês, casa-se com um médico da região, visando ascender socialmente. Ávida leitora de romances sentimentais, ela se frustra com a mediocridade do marido e com a monotonia da vida conjugal e da sociedade interiorana. Como fuga dessa realidade, passa a ter vários amantes.

Diretor: Gerhard Lamprecht

Esta adaptação alemã traz Pola Negri como Emma Bovary, a noiva infeliz do burguês Charles Bovary (Aribert Wascher). Entediado com as atitudes intolerantes do marido e estilo de vida provincial, Emma sonha com uma grande riqueza e um romance "perfeito". Quando ela tem a chance de escapar de seu tédio, é com o belo Roudolphe Boulanger (Ferdinand Marian). Infelizmente, os sonhos de felicidade duradoura de Madame Bovary estão condenados desde o início, não tanto pelo destino, mas por seus próprios demônios interiores.

Diretor: Carlos Schlieper

Uma mulher sensível que começa a levar uma vida fora das convenções da época. Sua vida dupla vai convergir para um trágico destino.

Diretor: Vincente Minnelli

Adaptação do clássico romance de Gustave Flaubert, que conta a história de uma jovem insatisfeita no casamento com um médico e acaba encontrando alguma graça na vida realizando suas fantasias com dois amantes.

Diretor: Claude Barma

Numa noite chuvosa, a entediada Emma, ​​esposa de um médico chamado Charles Bovary,pensa sobre o convite do Marquês d'Andervilliers.  A partir deste ponto segue a famosa história adaptada inúmeras vezes.

Diretor: Rex Tucker

Entediada por seu marido obtuso e pela vida no país, Emma encontra um espírito romântico como ela própria. Madame Bovary é ao mesmo tempo um retrato impiedoso da corrupção gradual de uma mulher e um estudo selvagemente irônica de superficialidade humana e estupidez.

Minissérie em 3 episódios.

Diretor: Hans-Dieter Schwarze

Mais uma versão da clássica história de Emma, a esposa insatisfeita que resolve seguir seu instinto, e acaba encontrando um desfecho trágico. E esta é mais uma minissérie feita para a tv.

Diretor: Hans Schott-Schöbinger

Emma Bovary está entediada com seu marido, que é médico e vive ocupado. Ela começa a se afeiçoar a vários pretendentes ricos, bem como é tentada de viver além dos meios do marido.

Diretor:  Pierre Cardinal

3ª adaptação para tv da fatídica história de Emma, a esposa insatisfeita num casamento medíocre, que se envolve com homens, num cenário aristocrata, terminando seus dias de forma trágica.

Diretor: Rodney Bennett

Preso em uma pequena fazenda francesa com seu pai, Emma (Francesca Annis) sonha em se casar em seu caminho  social e levar uma vida de esplendor e de conto de fadas. Encantado com os grandes romances que encontra, Madame Bovary embarca em um caminho de traição e casos ilícitos. É um caminho traiçoeiro que acabará por não levar a seus sonhos mas, para sua ruína ...

Diretor: Daniele D'Anza

Na França do século XIX, Emma casa-se com o inocente doutor Charles Bovary. Após isso, para escapar do tédio do seu casamento, passa a se encontrar com outros homens. Madame Bovary é considerada uma das adúlteras mais famosas da literatura mundial.

Diretor: Aleksandr Sokurov

Inspirado em Madame Bovary, de Flaubert, o filme de Sokurov recorda os acontecimentos mais importantes do declínio e queda de Emma, ​​incluindo casos com um aristocrata e um estudante. Sokurov explora o assunto em detalhes requintados, capturando não só o calor da paixão, mas também os momentos de silêncio antes e depois e a sensualidade inocente do corpo.

Diretor: Claude Chabrol

França, século XIX. Emma (Isabelle Huppert) é uma jovem camponesa que aspira coisas melhores na vida. Ela então se casa com um rico médico, Charles Bovary (Jean-François Balmer), que conheceu quando ele foi cuidar de seu pai quando este quebrou a perna, apenas para obter ascensão social. Charles, além de ser mais velho, é bem metódico. À medida que cresce a intimidade de suas vidas um crescente desapego distancia Emma do marido, pois as conversas dele eram planas como o chão e isto a entedia. Sentindo um claro desprezo por seu marido, Emma passa a ter amantes e fazer grandes gastos.

Diretor: Manoel de Oliveira

Ema (Leonor Silveira) é uma jovem de beleza estonteante. Ainda nova, ela se casa com Carlo (Luís Miguel Cintra), amigo de seu pai, sem o amar. Os dois se mudam para o Valley de Abraham, onde firmam um casamento estável mas, sem amor. Carlo a ama profundamente e decide dormir em um quarto separado para evitar acorda-la durante a noite, quando precisa voltar tarde. Infeliz em seu casamento, ela decide arrumar um amante.

Diretor: Ketan Mehta

Mulher frustrada no casamento com o marido que não corresponde a suas expectativas, começa com uma relação extra-conjugal. Maya se envolve e se apaixona, até perceber que necessita muito mais do que necessidades corpóreas, e possivelmente é isso que a leva à morte. Dois investigadores aparecem para tentar descobrir quem ou o que realmente matou a moça.

Diretor: Tim Fywell

Interior da França, 1ª metade do século XIX. Emma Rouault (Frances O'Connor) estava em um convento quando seu pai a visita e comunica que a mãe dela tinha morrido. Logo ela comete propositadamente pequenas falhas, o suficiente para sair do convento, e passa a viver na propriedade de seu pai. Emma precisa administrar a fazenda quando seu pai cai de uma árvore e fratura o fêmur. Paralelamente ela aceita se casar com o médico que cuidou dele, Charles Bovary (Hugh Bonneville), e assim se torna a Madame Bovary. Emma se entedia com sua pacata vida e ocupa a mente com fantasias eróticas retiradas dos romances que lê. O inevitável acontece e ela quebra o juramento de fidelidade com Rodolphe e depois com Leon (Hugh Dancy). Para pagar seu estilo de vida ela começa a dilapidar o patrimônio de Charles.

Diretor: Sophie Barthes

Na França do século XIX, Emma Bovary (Mia Wasikowska) é a jovem e bela esposa de um tradicional médico de uma pacata cidade. Ela dá início a uma relação extraconjugal para tentar se promover na sociedade e melhorar seu status social. Porém, suas atitudes levam-na ao oposto deu seus objetivos. Adaptação de obra homônima de Gustave Flaubert.


Tecnologia do Blogger.