RANKING 2020: TOP 25 EDIÇÕES LANÇADAS EM HOME VÍDEO

top-25-blurays-2020

Podemos dizer que 2020 foi um dos anos que marcaram a humanidade. Não só pelas habituais tragédias, corrupções, atentados, mas vivemos quase um ano em isolamento devido a um mal invisível, que se infiltrou na vida de quase 170 mil brasileiros, levando-os a morte.

Mudanças de hábitos vieram com o isolamento e uma delas foi o fortalecimento do e-commerce de forma nunca vista. Números acusam vendas 5 vezes maiores que uma Black Friday. E para nós, colecionadores, um fato bom ocorreu: as distribuidoras ganharam um fôlego nunca antes visto. O mercado de home vídeo estava morrendo. Um grande exemplo foi o Valmir, CEO da Obras primas do cinema. Ele estava fazendo de tudo para segurar a equipe pós-crise de 2008, quando empresas como a dele e a Versátil Home Vídeo levaram um calote histórico da Saraiva e Livraria Cultura. Era fechar ou fechar. 

Mas no meio da pandemia, O Valmir se viu na condição de contratar funcionários por conta da demanda de pedidos. A Versátil começou a anunciar blurays e mais blurays todos os meses. Lojas se uniram para lançar filmes. Casos como a FAMDVD e a The Originals ganharam destaque.  Filmes que em 2019 foram lançados apenas em DVD, ganharam blurays por pedidos dos fãs e colecionadores. 

2020 foi um ano de união. A Pandemia fez os donos abraçarem e serem abraçados pelos colecionadores. Amizades foram feitas. Parcerias consolidadas. E o que verão hoje é um exemplo disto. Nunca antes, num top 10 edições do ano, os DVDs ficaram de fora. Edições maravilhosas da Versátil e da Obras primas ficaram de fora, simplesmente porque não encontraram seu lugar. E como é um post especial, também resolvi fazer algo inédito: colocar a lista em ordem, comentando filme a filme. E esta ordem está na qualidade do material apresentado aliado ao filme. Não está relacionado somente com a importância do filme. Por exemplo: A edição mais incrível do ano foi da FAMDVD, o Cinemagia. Mas é um documentário ótimo, numa edição perfeita. Já "Um lobisomem americano em Londres" era o sonho de muitos colecionadores e veio numa edição genial, mas não tão cheia de detalhes como Cinemagia. Mesmo assim, mereceu o primeiro lugar. 

Já filmes sensacionais como 12 homens e uma sentença ou Sete Samurais, vieram em edições "menores", se compararmos com as demais.Por isto ficaram mais para baixo, mesmo sendo filmes superiores a Um lobisomem americano em Londres ou Cinemagia. E ainda outro detalhe. O top 10 terá mais do que 10 edições, e acreditem: até bluray ficou de fora. Que ano incrível, neste sentido. Espero que continue assim em 2021, com o e-commerce fortalecido. Vida longa à mídia  física.

E o objetivo do post é reconhecimento. Mesmo que alguma edição tenha tido algum problema na concepção, é de conhecimento de todos que as empresas se prontificaram a resolvê-los. Menos, claro, um certo caso "Parasita", que é melhor nem comentar. 

E um adendo:

Para quem não sabe, havia no início de 2020 apenas duas replicadoras de filmes no Brasil. Uma delas fechou, restando apenas a RIMO. Isto provocou um transtorno sem precedentes no mercado brasileiro, já que os pedidos das distribuidoras se acumularam. Com isto, alguns dos filmes abaixo não estarão nas mãos dos compradores em 2020, mesmo sendo lançamentos deste ano. 

Como o problema ocorreu quase no final do ano, eu resolvi manter as edições com as datas originais para 2020 na lista, afinal, é uma publicação que dá muito trabalho para ser feita e o importante é reafirmar o grande ano para o home vídeo que foi este 2020, ainda que dias sombrios nos aguardem, já que a Disney comprou quase todo mundo e anunciou que não irá lançar mídia física no nosso país mais, além da trinca Sony/Paramount/Universal também encerrarem suas atividades de mídia física.


Foi um ano de grandes edições especiais. Grandes blurays. Filmes magníficos. Clássicos muito pedidos. Mas dentre todos da lista, o maior hype foi com a cima da edição do "Lobisomem americano em Londres". Não que ele seja o melhor filme da lista. Mas com ele, a Obras primas criou um padrão até então visto somente no exterior.

A edição é um primor. Dos extras aos cardas, livro, pôsteres até detalhes como o menu. Resultado: todas as edições "padrão Obras primas" ganharam os primeiros lugares. 


A partir da primeira edição citada acima, não há muito que comentar das edições a seguir. São todas "nível internacional". Mérito da equipe do CEO da Obras Primas, Valmir Fernandes e do reflexo positivo de suas escolhas. Assim como a Versátil, a Obras primas também escuta o consumidor e busca atendê-los. 

Dito isto, "O Pianista" é um verdadeiro presente de Natal. Na minha opinião, a mais bela edição de toda lista. Além de tudo, é um dos melhores filmes que já assisti e meu preferido da Obras primas de todos os tempos. Só está em segundo porque ele fechou o ano destas edições primorosas e Lobisomem americano em Londres abriu.


Colecionadores são compulsivos. Querem tudo, se possível. Eu por exemplo, sou destes que compra "pastas de dentes", "fios dental" e "shampoos" em farmácias só porque são com temas de cinema. Já cheguei a "perseguir" um band aid do Star Wars. Dito isto, quando a edição do Halloween foi anunciada, o Valmir incrementou a edição com uma máscara para proteção contra o Coronavírus. Foi uma ideia genial, que agregou mais ainda a uma edição que não precisava de mais nada.

E para finalizar, ele escutou os pedidos dos fãs e atualizou a edição, que antes teria apenas o primeiro filme em Bluray.


Confesso que depois de anunciarem King Kong, eu fiquei de farol baixo. Não pela perfeita edição, mas porque era um filme longe de ser minha prioridade. Eu amo a versão de 2005 e é minha preferida. Quando o bluray chegou, eu tinha visto um review na véspera sobre a qualidade da edição, mostrando que o Kong do Valmir é o bluray de maior qualidade que existe. 

Ok. Fui assistir assim que chegou. A edição é de cair o queixo. A beleza das cores, nitidez da imagem aliadas a  beleza da fotografia, me mostraram um filme que eu ainda não havia visto. Cinema é uma caixinha de surpresas... 


O clássico de Robert Wiene, O Gabinete do Dr. Caligari entrou na lista da mesma forma que entraria outros no mesmo formato. Um primor de edição. Cards, Pôster e muitos extras para deixar os colecionadores de cabelos em pé. Haja grana.  

A grande diferença é que a obra expressionista dos anos 20 dialoga com a categoria de filmes lançados pela distribuidora anteriormente em DVD, que inclusive já anunciou que vai dar mais atenção à época. Será que veremos um “Aurora” ou ”A última gargalhada” em BD? Oremos...


Cinemagia é um documentário muito particular. Fala da paixão pelo cinema, mostrando os tempos das locadoras em São Paulo, mas que podem ser comparadas à qualquer cidade. Tive a honra de entrevistar várias pessoas do documentário. 

Esta obra foi lançada em uma edição belíssima pela Versátil, porém em DVD. Mas o Fábio Martins da FAMDVD resolveu transformar aquele DVD no primeiro gift set brasileiro. Repare na imagem o cuidado da edição. Foi disputada “no tapa” na pré-venda, num domingão destes qualquer. Das 1000 edições numeradas, venderam 500 quase que imediatamente. O site mal comportou o volume de pedidos. Imperdível.

Em termos de cuidado com os detalhes, Cinemagia é o primeiro da lista. Mas neste caso especificamente, levei em conta ser um documentário muito querido dos colecionadores e cinéfilos, principalmente de São Paulo, mas que dificilmente seria procurado internacionalmente, como foi o caso de "Um lobisomem americano em Londres" ou mesmo "King Kong" que tem o master da mais alta qualidade do mundo inteiro. 

Alguém vai notar a que a Versátil apareceu só no sétimo lugar. Como pode uma empresa tão ímpar, aparecer em sétimo? A resposta é fácil: anunciaram muita coisa com antecedência (no início do ano de 2021, tem 4 filmes do John Ford numa edição espetacular, Eles vivem, e muitos outros).

Mas os primeiros filmes que lançaram vieram em edições menos vistosas. Valorizando o filme, não o conjunto. E não entendam como crítica. São obras primas indiscutíveis, sendo alguns, sonho de consumo, como Enigma do outro mundo, Sete Samurais, 12 homens e uma sentença. É só dar uma olhada na edição do filme “Eles vivem" para entender. E dificilmente ela não terá o primeiro lugar ano que vem. 

Mas e porque "A hora do lobisomem"? Bom, a edição está nível internacional, inclusive a arte da capa é autoral, encomendada de um artista. Edição primorosa. Lembrando que a ordem tem a ver com as edições como um todo. Até mesmo o material de divulgação.


Quem conhece a história da produção de Guerra e Paz, dirigida por Sergei Bondarchuk, pode defini-la como "corajosa". O épico precisou de muita perseverança do diretor para concluí-la. Podemos afirmar que "coragem" também define a CPC Umes em lançar esta obra prima em Bluray, numa edição luxuosa, de um filme soviético. 
Como sabemos, o cinema mais consumido pelo público em geral é o americano. Cinema soviético era pouco difundido até a empresa chegar e mudar esta história. E eles se lançaram no BD com grandes obras como Vá e Veja, Solaris e Stalker. Mas este box em digipack, com 2 blurays é o sonho de todo colecionador. Bonequinho aplaudindo de pé e com orgulho.


A Versátil demonstrou que não sabe brincar e anunciou um conjunto de obras primas num pack com 4 filmes do mestre Brian de Palma. E ainda com Cards e Pôster? Inacreditável. Fernando Brito, o maior curador brasileiro (e entenda-se  entende de cinema, sabe escolher e ainda por cima é simpático) arrebentou no box. 

Eu, particularmente, vou guardar cada edição destas deste post separadamente, e esta é uma das que tenho mais carinho.


Fechando o top 10, um dos 10 maiores filmes de horror de todos os tempos. E merecia uma edição a altura. Ela é bem ao estilo das que se seguirão, com cards, pôster e ainda tem um filme nos extras, com Marlon Brando, de aperitivo.

Nesta disputa Versátil x Obras Primas, com a CPC “correndo por fora”, quem ganha? Todos.

Agora vamos às outras 15 edições que mereciam estar no top 10, mas não "couberam".
Detalhe: 11 das 15 são da Versátil.

E outro detalhe: as edições estão em ordem aleatória, não levando em conta o filme, a data de lançamento ou mesmo a edição física, como foi o caso dos 10 primeiros.


Bem no início do ano, pré-pandemia, a CPC Umes nos brindou com o Stalker, uma das obras primas do diretor soviético Andrei Tarkovski e inclusive, meu preferido. E com ele, alguns dos filmes mais importantes do cinema soviético ganharam suas versões em alta definição no nosso país: Stalker, Solaris, Vá e Veja, Guerra e Paz (que entrou no TOP 10 acima) e o filme a seguir, Andrei Rublev.


A CPC deu mais um indício que veio para o mercado brasileiro pensando realmente no público apaixonado por cinema. Não que ela não esteja pensando em lucro, mas os lançamentos são, muitas vezes, extremamente bem vistos por públicos específicos. É uma demonstração de amor e respeito com nós, colecionadores, sem igual.

E neste ano, ainda ficou de fora o Solaris, por ser relançamento. Mas tivemos este Andrei Tarkovski essencial para entrar na nossa lista com louvor.


Quem diria. Um filme da One movies/Dark Flix entrou com honras na lista. A edição é magnífica, com cards, pôster e mídia prensada na Rimo. Para quem não sabe, há muitos anos surgiu uma empresa chamada Vinyx. E com ela muitos belos lançamentos vieram, mas também muitos problemas de travamento. Com o tempo, a Vinyx ia mudando de nome e lançando filmes com os mesmos problemas. 

Um dos sócios da empresa saiu e criou os selos One Movies e Dark Flix, que inclusive virou streaming. Por isto o material gráfico é muito parecido com a Vinyx. Mas os lançamentos da One são outro nível. E neste 2020 eles também entraram no mercado de BD. E vem mais coisa boa por ai...


Edição padrão: capa com luva, cards e pôster. Estojo comum, que faz a edição cair para este grupo de edições recomendadas. Detalhe: dois dos filmes mais importantes da história do cinema: Cidade dos sonhos e Homem elefante. Só de extras, sobre “Cidade dos Sonhos” são 219 min., e sobre “Uma História Real” e “O Homem Elefante” 155 min.

E não se esqueça: a ordem aqui leva em conta edições como um todo, não é uma ordem de indicações dos filmes. Todas as edições são em BD, estão maravilhosas, e valem a pena serem adquiridas, cada uma delas. 


Parece heresia. O melhor filme que já assisti, que aliás, tenho Laser disc, VHS, DVD e BD da Criterion, ocupa esta posição. Mas como eu disse várias vezes, levei em conta a beleza da edição no critério de desempate, porque foi um ano atípico. Em qualquer ano anterior, ele estaria no topo.

A edição vem no estojo padrão, com o filme e um DVD com muitos extras. São eles: A Arte dos Samurais (55 min.), Minha vida no cinema: Akira Kurosawa (115 min.), Trailers e teasers, (12 min.), Kurosawa: o Caminho (49 min.), Um faroeste diluviano (20 min.)


Um dos maiores filmes Noir de todos os tempos também ganhou a atenção da Versátil. A Edição Definitiva Limitada traz esse clássico em três inéditas versões restauradas: versão reconstruída em 1998 segundo o desejo de Welles (Blu-ray), versão da estreia no cinema de 1958 e versão de pré-estreia (DVD) e um DVD só de extras, que inclui Uma História Imortal (1968), raro filme do genial diretor, além de três horas de vídeos extras. Edição padrão com pôster e 2 cards para colecionadores.


Clássico dos anos 80, Ruas de fogo é um grande resgate feito pela Versátil. O diretor Walter Hill teve pouco reconhecimento em Bluray pelas empresas brasileiras e ter um Ruas de fogo é primordial. 

Edição Definitiva Limitada, que traz o filme em inédita versão restaurada em alta definição em um disco Blu-ray e outro disco DVD com quase quatro horas de vídeos extras, incluindo especiais e documentários, além de um pôster e dois cards exclusivos para colecionadores.

Quando anunciaram Paris Texas, mal pude acreditar. A Versátil anunciou em 2020 vários dos filmes da minha vida. Daqueles que vejo, revejo e vejo novamente, sempre. Sete Samurais, 12 homens e uma sentença, Matar ou Morrer, Eles vivem, Enigma do outro mundo, Carrie, Boogie Nights e Noite dos mortos vivos. São preferências pessoais, claro, mas fica o registro de como eles acertaram em cheio no meu coração cinéfilo.

Edição "simples", padrão que ela deverá seguir depois do boom do e-commerce. E que francamente, tá bom demais. Sou destes que ama filmes. Curiosamente, o desempate este ano levou encontra justamente os outros aspectos.

E as edições sempre dando muita atenção aos extras. Nesta contem Making of (43 min.), Entrevista de Wim Wenders (29 min.), Cenas excluídas comentadas pelo diretor (24 min.) Especiais e entrevistas (66 min.).


A "Zumbimania" deu um tempo. Mas para os clássicos, sempre é tempo de revê-los. A Versátil, numa tacada só, anunciou uma nova edição do Despertar dos mortos, como nova capa (já vi muitos colecionadores comprando só por causa disto). e a Noite dos mortos vivos com o remake, dirigido por Tom Savini.

Edição "padrão", com um DVD com quatro horas de vídeos extras sobre os dois filmes, incluindo documentários e entrevistas. Esta Edição Definitiva Limitada traz ainda dois pôsteres de brinde para os colecionadores.


O que dizer de 12 homens e uma sentença? Um filme perfeito de Sidney Lumet e o mais brilhante filme de advogados e tribunais da história do cinema. 

Edição padrão com inédita versão restaurada em alta definição em um disco Blu-ray e outro disco DVD com mais de quatro horas de vídeos extras legendados, incluindo especiais e documentários, além de um pôster e 2 cards exclusivos para colecionadores!!! E nos extras ainda há uma versão feita para a TV. Mais que essencial.


Um dos diretores que tenho predileção é John Carpenter. E a Versátil conseguiu reunir em um único box três obras primas do diretor. Na edição, com luva especial, vem com 2 discos Blu-ray, que reúne três clássicos de terror em inéditas versões restauradas além de mais de quatro horas de extras, incluindo documentários sobre “O Enigma do Outro Mundo” (161 min.), especiais sobre “A Bruma Assassina” e “Christine – O Carro Assassino” (93 min.). A edição vem ainda com 4 cards. 


Outra edição padrão Versátil de um filme muito requisitado dos anos 90, o cult-movie de  Roland Emmerich  em uma Edição Definitiva Limitada, que traz esse clássico de ficção científica em um disco Blu-ray, com 2 versões, a estendida do diretor (esta com comentários em áudio do diretor e do roteirista/produtor Dean Devlin) e a versão de cinema.

Além deste, há um DVD com duas horas de vídeos extras, incluindo documentários e especiais, além de um pôster e dois cards exclusivos para colecionadores.


Outro box padrão Versátil, a obra prima de Stanley Kubrick vem numa edição definitiva limitada, que traz, numa caixa em luva reforçada, inédita versão restaurada em alta definição em um disco Blu-ray e outro disco DVD com quatro horas de vídeos extras legendados, incluindo especiais e documentários, além de um pôster e 2 cards, exclusivos para colecionadores.

Agora imaginem só. Dr. Fantástico, inédito em Blu-ray, numa edição linda, não ficou entre os primeiros lugares. Que ano de 2020 foi este? E que ano da Versátil hein? 


A Classicline vem fazendo um ótimo trabalho há anos, abastecendo o mercado de home vídeo com clássicos e disponibilizando em suas edições as tão pedidas dublagens clássicas. E como vivemos um ano atípico, 2020 eles resolveram dar sua contribuição com um surpreendente box em Bluray com 3 filmes do diretor Christopher Nolan. Mas logo nesta edição, que seria naturalmente visada por muitos, alguns problemas foram detectados por consumidores. como falta de sincronia na legenda em alguns momentos. Reclamações feitas e recall programado. 

Só que entre uma coisa e outra, haters fizeram ataques em massa, parecendo um grupo de terroristas virtuais buscando justiça. Parece piada ou mesmo exagero. Se compararmos com alguns casos como os da Versátil, por exemplo, veremos que são dois pesos e duas medidas: duas edições (Fellini e Carpenter), vieram com o box fosco, sem o alto relevo característico. Não vi haters. O maravilhoso box da Mosca anunciado, não será mais lançado, num cancelamento único em sua história. Não vi haters. Atrasos e mais atrasos em edições. Não vi haters. 

E só um adendo: fora o problema dos boxes, que foi falha humana, a Mosca foi cancelada por ser da Fox, que pertence à Disney, que descontinuou a mídia física na América Latina. E os atrasos foram devidos ao fechamento de uma das duas empresas no Brasil que fazem a prensa das mídias, ocasionando sobrecarga nos pedidos (como citado lá no início do texto). E a Versátil, como todos sabem, resolve tudo prontamente. Eles são 10. 

Mas, quero apenas dizer que problemas ocorrem em todas, mas o caso da Classicline deu uma dor de cabeça tão grande à empresa que possivelmente não querem nem ouvir falar no nome do diretor Nolan. O que é uma pena.  Mas infelizmente, mesmo erros ocorrendo em todos os setores, o ser humano está tornado o discurso de ódio comum. E quem perde? Todos. Empresa, haters e pessoas do bem.


No apagar das luzes, quando ninguém acreditava que haveria mais edições especiais em 2020, eis que a Versátil anunciou o BD essencial do Paul Thomas Anderson, com os BDs de  Boogie Nights e  Magnólia, além de um DVD de extras com o filme Jogada de risco e  especiais sobre “Boogie Nights” (49 min.), “Magnólia” (86 min.) e “Jogada de Risco” (17 min.)

O céu era o limite. Que venha 2021 e que seja mais incrível que 2020. Considerando os filmes já anunciados. Este ano promete !!!

Mas, nem tudo são flores. 


Vamos conhecer o "problema Parasita". Num ano em que as atenções voltaram novamente para o Bluray, uma mídia em particular rendeu muitas discussões. Mas ainda que eu explique, no canal dos Brothers, a explicação é bem técnica. Assista e entenda o que foi este problema que movimentou as redes sociais, com uma chuva de reclamações.

Inclusive, já começou errado, com adiamentos constantes, sugerindo que um problema estava por vir. Destino injusto com um grande vencedor do Oscar.

Tecnologia do Blogger.