O QUE É O GRITO WILHELM

scream-wilhelm

Quando você começa a ter uma visão macro do cinema, percebe curiosidades que dificilmente conheceria sendo uma pessoa que vê cinema como a maioria, vendo apenas o resultado final, tendo ou não empatia com a obra. Geralmente, curiosidades, easter eggs, referências, passam despercebido pelo grande público. Eu mesmo fiz parte dele durante um tempo, e como eu assistia a muitos filmes, me deparava com certo grito, meio aleatório, que era colocado nas produções de forma quase randômica. Este grito sugeria algo cômico, porém entrava em qualquer gênero (pode ser escutado no fim do post). 

Hoje vou compartilhar com vocês, leitores e leitoras, o que é este risível som, colocado geralmente em cenas em que um personagem sem importância cai de algum lugar, e na maioria das vezes, morre. Seu nome? Grito de Wilhelm. Mas de onde veio este nome? Como se popularizou? Vamos descobrir estas respostas abaixo.


O Grito de Wilhelm é um  efeito sonoro  de um homem gritando que foi usado em mais de 500 filmes e inúmeras séries de televisão. Começou a ser usado em 1951  no filme  "Tambores distantes", dirigido por Raoul Walsh. Na história,  o tenente da Marinha Richard Tufts (Richard Webb), fica a cargo de acompanhar o Capitão Quincy Wyatt (Gary Cooper) em sua empreitada para derrotar os índios Seminole, responsáveis por ameaçar os primeiros colonizadores da Flórida. Quando a operação acaba dando errado, eles precisam se virar da própria maneira.

Eu confesso que fiquei surpreso por este efeito ser empregado pela primeira vez num filme de Walsh, com Cooper e de um gênero sem nenhuma relação. Mas o grande público tomou conhecimento de sua existência quando Ben Burtt (sonoplasta e editor) resolveu incluí-lo numa obra promissora, mas com muitas chances de dar errado chamada Star Wars, lançada em 1977. 


Ele obviamente não achava que o filme iria ser um estrondoso sucesso de crítica e público e concorrer a tantos prêmios (até Oscar de melhor filme ele figurou, arrebatando  6 !!! )  Na sequência, apareceu em outras obras de extremo sucesso como Caçadores da arca perdida, Poltergeist, Império contra ataca e Indiana Jones e o templo da perdição. 

Mas nestes mais de 20 anos, entre Tambores distantes e Star Wars, ele aparecia em mais de dois filmes por ano, incluindo na obra prima "Meu ódio será tua herança" ou mesmo "Jasão e o Velo de Ouro". Burtt descobriu a gravação original em uma fita com o nome de  "Homem sendo devorado por um crocodilo e grita". Ele gostou tanto que passou a incluir em seus trabalhos e com os anos, passou a ser tradição entre os profissionais da área.


Tambores "gritantes"

O grito foi gravado posteriormente, como é comum. Seis gritos curtos de dor foram gravados em uma única tomada, que foi nomeada exatamente de "homem sendo mordido por um crocodilo e grita". O quinto grito foi usado para o soldado, mas o 4º, 5º e 6º gritos registrados na sessão também foram usados ​​no início do filme, quando três índios são baleados, um após o outro, durante uma invasão a um forte. Com o fim da pós-produção, a gravação foi arquivada na biblioteca de efeitos sonoros do estúdio e foi reutilizada em muitas produções da Warner Bros até Burtt globalizá-la.

O nome do efeito veio de "Investida de Bárbaros" de 1953. Nele, o personagem vivido por Ralph Brooks solta o grito, que convenhamos, é uma mistura inigualável de horror com comédia. O nome do personagem?  Soldado Wilhelm. E curiosamente, Ben Burtt utilizou em uma cena de um soldado do Império (stormtrooper) e foi ele quem deu o nome ao efeito.


Os anos 70 foram determinantes para estabelecer o cinema blockbuster como conhecemos. E o "grito" veio como bônus, sendo incluído, filme a filme, em obras que se tornariam icônicas. E como Burtt deu uma identidade ao som, ele se tornou o mais popular de todos os tempos. 

E afinal, quem deu o grito?

Não há uma resposta certa. Mas também só há um suspeito: Sheb Wooley, um músico, que também era ator. Seu rosto é conhecido dos fãs de western por ser um dos perseguidores de Gary Cooper em Matar ou morrer. Mais precisamente, Ben Miller, o forasteiro que vai ao encalço de Cooper para um acerto de contas.


Foi feita uma investigação e descobriu-se, por evidências em anotações, que Sheb era o mais provável autor do grito. Eles fizeram um comparativo das vozes. Depois de sua morte, a esposa de Sheb, Linda Dotson-Wooley, disse que ele gostava de dizer o quão talentoso ele era em fazer risadas, gritos e sons moribundos para filmes. Sheb faleceu em 2003, vitimado por uma leucemia. Linda ainda está viva e saudável.

Vida longa ao grito

Tecnologia do Blogger.