15 REFERÊNCIAS A OBRAS DE STEPHEN KING NO FILME HALLOWEEN DE HUBIE

halloween-de-hubie

Os críticos de cinema perdem uma boa chance de ficarem calados ao meterem o pau em filmes do Adam Sandler. Quando assistem a um filme dele (ou qualquer outro), eles nivelam com obras primas do cinema, buscando roteiros geniais, grandes interpretações e um resultado satisfatório. Vou fazer um breve comparativo com brinquedos em um parque de diversões. Para alguns, é uma emoção única andar de montanha russa. 

Para outros, a grande brincadeira é brincar num carrinho de batidas. Já as crianças menores, aqueles brinquedos que ficam rodando como carrossel são emocionantes. O intuito desta pequena comparação é que, como no parque, é no cinema: cada filme tem seu público. O papel do crítico não é, digamos "criticar" o filme. A função dele é despertar o crítico que existe em cada um que curte cinema. 

Neste filme Halloween de Hubie, há pelos menos, duas gags visuais impagáveis, ao longo de todo filme: as mudanças absurdas da utilidade de uma simples garrafa de café e as tentativas de acertar Hubie em sua bicicleta, onde são arremessados objetos cada vez mais absurdos. 

stephen-king-simpsons

Talvez a grande sacada do filme seja assumir ser mais um filme de Sandler e seus parças, mas com tratamento direcionado para referências de filmes de horror. São inúmeras e divertidas, tais como Noiva de Frankenstein, Enigma do outro mundo, o primeiro Sexta Feira 13, Pânico, Halloween (não poderia faltar não é?).

Porém, algo me chamou a atenção já na primeira cena. A panorâmica de uma cidade. E logo depois, o nome dela: ambas remetem ao universo de Stephen King, que sou completamente viciado. Passei a assistir ao filme caçando referências, imaginando que seriam mais umas duas ou três, mas surpreendentemente, achei 15 !!! Abaixo, explico brevemente, uma a uma.

Boa diversão:


Quando vi a cena inicial, me remeteu às cidadezinhas que sempre são pano de fundo nas adaptações de livros e contos do mestre Stephen King. Mas poderia ser por acaso, até por ser um filme de comédia que faz referência a inúmeros filmes de horror. Mas... 


... quando apareceu o nome da cidade, não tive dúvidas: era mesmo uma referência a Stephen King. Salem é o nome da cidade da história "Vampiros de Salem", de 1979 e dirigida por Tobe Hooper. Na trama, um jovem escritor retorna à sua cidade natal de Salem's Lot, no estado do Maine, onde estranhos acontecimentos o deixam curioso e assustado. Em suas investigações, ele descobre suspeitas ligações entre os acontecimentos e a velha mansão Marsten onde um terrível segredo se esconde.


Logo em seguida, uma nova referência: o vômito exagerado de Hubie na bicicleta me lembrou da história contada por um dos quatro garotos em Conta comigo, sobre uma disputa de quem comia mais torta. Quem não se lembra do “Bola de Sebo” e sua vingança contra o pessoal que fazia bullying com seu peso?


Cemitério maldito, o filme de 1989, mostrava uma série de acontecimentos estranhos que se inicia após a morte do gato da família Creed. Aos poucos eles percebem que um antigo cemitério, que fica nos fundos da casa, pode ter ligação com esses eventos. O filme foi uma das adaptações mais bem sucedidas financeiramente, e a homenagem é à diretora Mary Lambert. Como pode ser visto na imagem, seu nome é encontrado na lápide. 


A hora do lobisomem mostra uma série de assassinatos aterroriza Tarker's Mills. Apesar dos habitantes acharem que a culpa é de um assassino em série, Marty, um menino deficiente, sabe que há um lobisomem na cidade. Com a ajuda de sua irmã, ele decide caçá-lo. E alguns destes elementos são colocados na trama, como o lobisomem (que ninguém acredita) e o enfoque na bala de prata para matar o bicho.


Em "Louca obsessão" temos a personagem Annie Wilkes, interpretada pela magistral Kathy Bates, que faz a psicopata que aterroriza o escritor Paul Sheldon depois dele se acidentar. Ela o leva para sua isolada casa e cuida de sua saúde, mas um dia acaba tendo acesso aos originais do próximo livro do escritor e descobre que sua personagem predileta será morta. Essa revelação faz com que sua personalidade doentia se revele. No filme de Sandler, quando surge a esposa de Shaquille o'Neal, a identificação é imediata.


Por ser uma trama de Halloween, eu estava esperando a referência mais óbvia no contexto do filme, que seria o palhaço de IT. Ele finalmente aparece na festa à fantasia, bem discreto como podemos ver na imagem acima. Há outra cena em que aparece um palhaço parecido, que é aquela em que Hubie cai de bicicleta por cima do carro. Ao atingir personagens de Halloween (até a menina do Chamado está perdida ali no meio). há um palhaço bem similar ao IT.


Em Christine, o carro assassino, Arnie Cunningham compra um Plymouth Fury 1958, que ele chama de Christine. Ele então desenvolve uma obsessão doentia pelo carro, para o desespero de seu amigo atleta, Dennis Guilder. Depois de o valentão Buddy Repperton desfigurar Christine, o carro se restaura perfeitamente e começa a matar Buddy e seus amigos. O filme é dirigido por John Carpenter e há várias referências ao seu universo na produção de Sandler. Em uma cena, Hubie é "atacado" por um carro, muito parecido com o Plymouth Fury.


No milharal há 3 referências a filmes distintos. Primeiro, por ser um milharal, uma alusão clara ao filme com mais continuações do universo de King no cinema: Colheita maldita. Na trama, Isaac Chroner (John Franklin), um menino pregador, vai para Gatlin, Nebraska, e consegue que as crianças assassinem todos os adultos da cidade. Um jovem casal tem de comunicar um assassinato e vai para Gatlin, a cidade mais próxima, em busca de ajuda. Porém a localidade parece abandonada e logo eles são aprisionados, com poucas chances de escaparem vivos, pois as crianças praticam um culto que utiliza sangue humano para adubar a terra.


A segunda referência é à obra prima de Stanley Kubrick, O iluminado. No filme, um homem (Jack Nicholson) é contratado para ficar como vigia em um hotel no Colorado e vai para lá com a mulher (Shelley Duvall) e seu filho (Danny Lloyd). Porém, o contínuo isolamento começa a lhe causar problemas mentais sérios e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso, ao mesmo tempo em que seu filho passa a ter visões de acontecimentos ocorridos no passado, que também foram causados pelo isolamento excessivo. 

No hotel, há um labirinto e ele é a referência no filme de Sandler. Além dele, o machado figura em várias cenas, que também pode configurar uma referência já que ele é uma ferramenta marcante utilizada por Jack Torrance numa das cenas mais famosas do cinema.


E a terceira referência no milharal era esperada, já que tantas pipocam nas telas, pois Campo do medo é uma produção da própria Netflix, assim como Halloween de Hubie. Até a paleta de cores usadas é a mesma, acentuando a similaridade. Na trama, dois irmãos são surpreendidos após escutarem pedidos de socorro vindos do interior de um matagal no Kansas. Eles decidem atender os chamados de ajuda e entram no local. No entanto, logo descobrem que uma vez lá dentro é impossível sair.


Numa cena rápida, se escondem duas referências a filmes de épocas diferentes. O gato remete ao filme Olhos de gato, de 1985, cujas três histórias de suspense são ligadas por um gato de rua. Mas na mesma sequência, há uma espécie de totem que lembra personagens de outro filme de gatos, de 1992, chamado Sonâmbulos. O Totem está numa forma meio humana, tal como a dupla do filme de Mick Garris.


Numa breve cena, vemos referências a dois filmes: The mist e The Fog. Um de Stephen King outro de John Carpenter. Visualmente, lembra muito mais "A Bruma assassina", de 1980. Mas o Nevoeiro é uma referência quase intuitiva, já que estão em um nevoeiro.  Estas 3 últimas referências são, na minha opinião, as mais implícitas. Mas como o filme faz várias, não tem porque deixá-las passar.


Chamas da vingança é uma adaptação do livro homônimo escrito por Stephen King e foi lançado 4 anos depois de sua publicação. O romance foi o primeiro a ser vendido em edição limitada. O nome do filme (e do livro) é Firestarter, que traduzindo literalmente seria a pessoa que inicia o fogo, que é exatamente o que a mãe de Hubie tenta fazer no filme: iniciar as chamas da vingança.


E para finalizar, no apagar das luzes, veio a clara referência ao final de Carrie a estranha. 
E ai...curtiram? 
É sempre bom falar de Stephen King. Mesmo num filme de Adam Sandler...



Tecnologia do Blogger.