12 HOMENS E UMA SENTENÇA NO CINEMA / TV

12-homens-e-uma-sentenca-no-cinema-tv

Reginald Rose foi escritor, dramaturgo e roteirista norte-americano. Ele é mais conhecido por ser o autor de 12 angry men, uma peça de dois atos, que estreou em 1953.

Confira abaixo o que veio na sequência.

Direção: Franklin J. Schaffner

Filme para a TV americana, que faz parte da antologia da Studio One, com filmes normalmente de 1 hora de duração. Inicialmente encenado ao vivo da CBS em 20 de setembro de 1954. Rendeu três prêmios Emmy para a escritora Rose, o diretor Franklin Schaffner e Robert Cummings como melhor ator.
O filme segue a história de uma acusação  em que 12 jurados vão deliberar sobre o possível crime. E o ponto de partida é que 11 dos jurados concordam que o acusado é culpado, mas o décimo segundo.
O Museu da Televisão e do Rádio guardava desde 1976 apenas metade do filme, sendo que acreditava-se que a outra parte estava perdida. No entanto, em 2003 foi achado o filme em 16 mm na coleção de Samuel Leibowitz e o museu conseguiu adquiri-lo por inteiro. 
Direção: Sidney Lumet

O filme gira em torno de um julgamento, onde um jovem porto-riquenho é acusado de ter matado o próprio pai. Os 12 jurados se reúnem para decidir a sentença, com a orientação de que o réu deve ser considerado inocente até que se prove o contrário. Onze deles, cada um com sua razão, votam pela condenação. Henry Fonda faz o papel do único que acredita na inocência do garoto. Enquanto ele tenta convencer os outros a repensarem a sentença, o filme vai revelando sobre cada um dos jurados, mostrando as convicções pessoais que os levaram a considerar o garoto culpado e fazendo com que examinem seus próprios preconceitos.

Direção: Günter Gräwert

Após seis dias de julgamento em um julgamento por assassinato em que um porto-riquenho de dezenove anos é acusado de matar um pai numa vila pobre, doze jurados se retiram para a sala do júri do tribunal. Lá eles devem discutir o julgamento, que deve ser aprovado por unanimidade. No caso de um veredicto de culpado, o acusado pode ser executado na cadeira elétrica. Com base em dois depoimentos claros, a condenação parece ser uma questão clara que não requer longo debate. No entanto, na primeira votação, o júri número 8 é o único dos doze membros do júri que sugere conversar mais sobre as evidências.

Direção: Tore Breda Thoresen

Filme feito para a TV norueguesa e é baseado na peça de Reginald Rose, que foi a base para o clássico de Sidney Lumet. A versão foi produzida pelo NRK Television Theatre em 1981 e foi ao ar em 1982. Lars Andreas Larssen interpreta o papel dos jurados que se opõem aos outros 11. Per Jansen interpreta o dos jurados que estão mais convencidos de que o acusado é culpado (interpretado por Lee J. Cobb no longa de Lumet). O filme pode ser encontrado para assistir on-line.

Direção:  Basu Chatterjee

Mais um remake, agora indiano, com Kapur e Annu Kapoor. Na trama, um jurado dissidente em um julgamento por assassinato tenta influenciar o veredicto com seus preconceitos pessoais enquanto um tenta mostrar que o crime pode ter outra versão.

Direção: Shun Nakahara

Em uma sala do júri, os jurados deliberam sobre a culpa ou inocência de uma recepcionista acusada de empurrar seu ex-marido na frente de um caminhão que passava por eles. A maioria dos jurados é  não quer acreditar que uma mulher possa praticar um ato tão maléfico. O jurado nº 2, ( Kazuyuki Aijima ), toma a iniciativa de convencer seus colegas do contrário.
Direção: William Friedkin

Um jovem latino é acusado de cometer um crime. Para julgá-lo são convocados 12 jurados, sendo que 11 concordam que ele é culpado, porém apenas um discorda da decisão, que considera precipitada. Ele terá então que enfrentar a má vontade dos outros jurados e também a diferente interpretação dos fatos. No entanto, todos serão obrigados a rever os fatos e circunstâncias do crime para defender sua decisão.

Direção: Nikita Mikhalkov

Doze jurados reúnem-se para decidir o veredicto de um jovem checheno de 18 anos,acusado do assassinato de seu padrasto, um oficial do Exército Russo. O tribunal é improvisado no ginásio de esportes de uma velha escola, onde os jurados ficarão confinados por dias. Em nome de um veredicto justo, eles precisarão aprender a ouvir uns aos outros e a respeitar suas diferenças.

Direção: Zeina Daccache

Por 15 meses, 45 internos, alguns completamente analfabetos, trabalharam juntos para apresentar uma adaptação da famosa peça teatral de Reginald Rose, 12 Angry Men. A escolha da peça, que aborda os temas perdão, autodesenvolvimento, estigma e esperança, não foi por acaso. Este notável documentário inclui ensaios, sessões de terapia dramática e entrevistas, revelando a tremenda dignidade (e desespero) dos prisioneiros, além da energia e paciência ilimitadas da direção. Venceu prêmios no Dubai International Film Festival e concorreu no Asia Pacific Screen Awards.

Direção: Dominique Thiel

Mais uma versão da história, baseada na peça de Reginald Rose, porém com um diferencial em relação às outras. Como muitas vezes aconteceu na BBC, esta é uma versão filmada num teatro em Paris em janeiro de 2010.

Direção: Ravi Srivatsa

Talvez a versão com mesma história, porém com mais curiosidades seja esta. Feito no sudoeste da Índia, e falado na língua canaresa, as filmagens começaram no Rockline Studios em 12 de dezembro de 2011, para ser lançado em 2012 (referências ao clássico). O filme foi lançado em 13 de abril (atrasou um dia? se foi, cabeças rolaram...). Só que, curiosamente, a obra teve o nome de 10 rostos... (e não 12, como era de se esperar).

Direção: Ang Xu

12 homens participam de um experimento para uma das matérias em uma faculdade de Direito, eles devem avaliar o caso de um garoto que está sendo acusado de assassinar seu pai biológico. Os personagens refletem a sociedade contemporânea de Pequim, incluindo motorista de táxi, guarda, empresário, policial, aposentado perseguido em um movimento político da década de 1950 e outros. 




A Versátil lançou  “12 Homens e uma Sentença”, a obra-prima de Sidney Lumet e o maior filme de tribunal de todos os tempos em Edição Definitiva Limitada, que traz esse clássico em inédita versão restaurada em alta definição em um disco Blu-ray (50Gb de dupla camada) e outro disco DVD com mais de quatro horas de vídeos extras legendados, incluindo especiais e documentários, além de um pôster e 2 cards exclusivos para colecionadores!!!

Disco 1 – BLU-RAY

- Versão restaurada (96 min.)
- Making of (23 min.)
- Especial (15 min.)

Disco 2 – DVD

Versão para TV dirigida por Frank Schaffner (51 min.), Apresentação da versão de TV (15 min.), Especial sobre a adaptação para o cinema (26 min.), Entrevistas de Sidney Lumet (23 min.), Especial sobre Sidney Lumet (10 min.), Especial sobre o autor Reginald Rose (15 min.), Análise sobre a fotografia do filme (38 min.), “Tragédia numa cidade Temporária”, episódio de TV dirigido por Sidney Lumet (55 min.), Trailer de cinema (2 min.).



Informações da edição:

Título: 12 Homens e uma Sentença
Título original: 12 Angry Men
País de produção: Estados Unidos
Ano de produção: 1957
Gênero: Drama
Direção: Sidney Lumet
Elenco: Henry Fonda, Lee J. Cobb, Ed Begley, E.G. Marshall, John Fiedler, Jack Klugman, Edward Binns, Joseph Sweeney, George Voskovec, Robert Webber
Resolução: 1080p High Definition
Idioma: Inglês
Áudio: LPCM 1.0 (filme de 1957) / Opção dublada
Legenda: Português
Formato de tela: Widescreen anamórfico 1.66:1
Tempo de duração: 96 min.
Região: A
Preto e Branco
Faixa etária: 14 anos

Extras:

Versão para TV dirigida por Frank Schaffner (51 min.), Apresentação da versão de TV (15 min.), Especial sobre a adaptação para o cinema (26 min.), Entrevistas de Sidney Lumet (23 min.), Especial sobre Sidney Lumet (10 min.), Especial sobre o autor Reginald Rose (15 min.), Análise sobre a fotografia do filme (38 min.), “Tragédia numa cidade Temporária”, episódio de TV dirigido por Sidney Lumet (55 min.), Trailer de cinema (2 min.).

”Versátil
Tecnologia do Blogger.