STALLONE COBRA (1986) - FILM REVIEW

stallone-cobra-1986-film-review.

Não há melhor definição de um filme que é "ruim mais é bom" que Stallone Cobra. Tudo é bizarro. E nosso país contribuiu consideravelmente para piorar. Primeiro por chamar o filme de Stallone Cobra. Imagine quantas ideias boas passaram pelos tradutores na época: Willis Duro de matar? Van Damme - o dragão do futuro? Schwarzenegger - o sobrevivente? Várias boas ideias não acham? E o que dizer da antológica dublagem? 

Cretino.
Você adora dar tiro... Eu odeio gente assim..
Você é um imaturo...
Você é um cocô e eu vou matar você!
Bom, lógico que este diálogo é diferente no original.


A história, se é que precisa, o tenente Marion "Cobra" Cobretti está no centro de uma série de assassinatos cometidos por uma sociedade secreta chamada Nova Ordem, em que os assassinos escolhem os membros mais fracos da sociedade para o extermínio. Com o número de homicídios aumentando, Cobra mantém a modelo Ingrid em custódia depois que ela testemunha contra o líder da Nova Ordem. Cobra se apaixona por Ingrid e eles encontram abrigo em uma pequena cidade, mas logo precisam lutar pela sobrevivência.

Tudo é ruim no filme. E como explicar ter se tornado um sucesso tão grande? Se existia um pôster que tinha em tudo quanto é quarto de adolescentes (garotos e garotas) é o deste filme. Eu tinha, inclusive. A produção custou 25 milhões e rendeu 160. 


Tudo é uma tentativa de ser cool e nos ano 80, meio que eram. Da pizza cortada com tesoura à forma que ele liga a TV. Do local onde guarda o jornal (churrasqueira) ao local que ele guarda itens da manutenção da pistola (caixa de ovos vazia). Da roupa ao nome passando pelos óculos escuros. Da bota ao carro estiloso, que alias pertencia na verdade ao ator Sylvester Stallone. A Warner Bros., produtora de Stallone Cobra, encomendou várias cópias do carro para que pudessem ser utilizadas nas cenas de ação do filme.

O filme transborda estilo próprio, típico dos anos 80, em que Stallone, Swarza e companhia eram chamados de “brucutus do cinema”. A certa altura, Cobretti vai praticar tiro e acerta todos no alvo, no mesmo buraco. Mas é inegável. O filme funciona que é uma maravilha. Há momentos que o diretor parece se esquecer da história e faz um clipe do filme, dentro do próprio filme, com uma música típica daqueles tempos. 


O roteiro tem as mãos (braços, pernas pescoço) de Stallone. Quando ele foi contratado para interpretar o papel principal em Um tira da pesada (Oi???), ele decidiu reescrever quase completamente, removendo todos os aspectos cômicos e transformando-o em um filme de ação que ele achava que era mais adequado para sua figura. O estúdio leu o roteiro revisado e eles o rejeitaram, citando cenas de ação que estavam muito além do que o orçamento projetado permitiria. Stallone acabou deixando o filme (ainda bem né? Eddie Murphy no papel ficou incrível), e ele canalizou suas ideias para o filme em um roteiro original.

O romance Fair Game, de Paula Gosling, foi citado como material de origem, o suficiente para que ela recebesse um crédito na tela. Quando Cobra saiu, Sylvester Stallone supostamente queria que o romance fosse reeditado, sendo creditado como co-autor. Gosling recusou a oferta. O filme de 1995, "Atração Explosiva" também foi baseado no mesmo romance de Gosling e fez até um certo barulho na época por colocar a então grande modelo Cindy Crawford em cenas de sexo com um dos irmãos Baldwin. Mas pouco tempo depois, ninguém se lembra mais da obra, dirigida por Andrew Sipes, em seu glorioso único momento no ofício.

No tempo em que gigantes coexistiam...

O rascunho anterior do roteiro de Sylvester Stallone tinha muitas diferenças em relação aos rascunhos posteriores e ao filme final. Isso inclui o tiroteio de abertura no cinema (em vez de um supermercado) durante o qual muitas pessoas são mortas; Cobra mencionando que ele teve uma namorada morta por algum psicopata que agora ele estava tentando pegar; uma sequência adicional de grande ação ocorrendo durante a noite em um barco onde Cobra e Ingrid estão escondidos quando são atacadas pelos membros do culto do "Night Slasher", mas Cobra e Gonzalez conseguem matar todos eles, e um final diferente no qual é revelado que Monte era o verdadeiro líder do culto "Nova ordem" e quando ele tenta matar Ingrid, ele leva um tiro e é morto por Cobra. 

O que dizer de Brian Thompson? Ruim que doi. Faz o Robocop parecer uma pessoa. Ele fez o teste sete vezes antes de ser contratado. Na quarta audição, ele conheceu Stallone, que achou que Thompson era legal demais. Thompson procurou repetidamente o conselho de Stallone sobre como interpretar o Night Slasher, incluindo perguntas sobre seus antecedentes e motivações pessoais, mas Stallone não demonstrou interesse pelo assunto e disse a Thompson que o personagem era simplesmente mau. 


Em uma infeliz surpresa para Thompson, após a conclusão das filmagens, o diretor Cosmatos inesperadamente disse a ele: "Você poderia ter sido bom se tivesse me ouvido." Será? Bom, acho impossível ele ser pior.

Brian Thompson teve que comprar seu próprio ingresso para ver o filme pessoalmente, porque ele não foi convidado para a estreia do filme pelos produtores dos filmes e pela Warner Bros.. Bom, será por quê?

O corte inicial original durou mais de duas horas. Devido a preocupações de que não seria um sucesso, o corte final foi de 87 minutos, aumentando assim o número de exibições por dia. Muitos detalhes da trama foram removidos ou acelerados e quase todas as mortes foram editadas, resultando em inúmeros erros de continuidade. A versão integral se tornou muito rara e circulou entre os fãs. Embora a maioria das cópias seja de baixa qualidade, ela possui quase 40 minutos de gravação não disponíveis em nenhuma outra versão. Ele também possui todo o material com classificação X removido da versão final.


Sylvester Stallone disse que teve a ideia do "Esquadrão Zumbi" de um esquadrão real na Bélgica, composto por policiais que saem à noite e lidam com criminosos enlouquecidos usando os meios disponíveis. A maioria dos heróis de ação dos anos 80 se chamava John (ex. John Rambo, John Matrix, John McClane). O herói deste filme se chama Marion, em homenagem a John Wayne, o epítome do cara durão do cinema que também costumava interpretar personagens chamados John (por exemplo: John Bernard Books, John Chisum, John T. Chance). Curioso não?

A faca usada pelo personagem Night Slasher foi feita para o filme pelo estilista Herman Schneider. Sylvester Stallone pediu a Schneider para criar uma faca que o público nunca esqueceria. De fato, se tornou inesquecível, assim como o "exército" com machados, que teoricamente, não tem efeito prático nenhum. 


O diretor Nicolas Winding Refn é um grande fã de Cobra. No filme cult de Refn, Drive (2011), o personagem principal tem um palito na boca em algumas cenas. Esta é a homenagem de Refn à cena de abertura de Cobra, onde Cobretti tem um palito de fósforo na boca. Em 2017, Sylvester Stallone usou sua página no Instagram para postar uma foto de Cobretti ao lado do carro Mercury de 1950 com a legenda "Retorno ou retrocesso?"  Muito se especulou sobre um remake ou continuação, para o cinema ou TV. Conversas com o diretor Robert Rodriguez até aconteceram.(que já havia produzido o remake de Predador em 2010). Mas ainda não saiu do papel.

Brigitte Nielsen usava uma peruca por seu papel como Ingrid. No entanto, seu cabelo loiro curto, sua marca registrada, aparece durante as filmagens de Ingrid representando ironicamente uma personagem futurista. Ela e Stallone eram casados na época. Eles ficaram juntos menos de 2 anos e terminaram num episódio que marcou a mídia daqueles anos, já que o astro pegou a atriz na cama com outra mulher. Curiosamente, Nielsen se casou 5 vezes com  homens. Há outro fator interessante: Nielsen começou a carreira atuando com Schwarzenegger que era o maior rival de Stallone.


E em 1987, ela interpretou uma vilã no filme Um tira da pesada 2 (que ia ter Stallone como Foley) e mais interessante ainda foi que o filme teve um tom bem mais sério, teoricamente, mais parecido com o roteiro de Stallone. Não a toa, o filme dividiu opiniões, mostrando que "Um tira da pesada" era mesmo para acontecer sem Stallone.

Stallone Cobra foi uma co-produção da Cannon Films Group com a Warner Brothers. Os produtores, Menahem Golan e Yoram Globus, conseguiram convencer Stallone a fazer um contrato de dois filmes (o outro filme era 'Falcão, o campeão dos campeões, de 1987), mas eles não tinham recursos necessários para contratar uma estrela tão cara quanto Stallone. Eles então entraram em um acordo com a Warner Brothers para co-financiar e distribuir os filmes. 

Esta "mão" da Cannon explica o charme do filme, que se tornou blockbuster e cult ao mesmo tempo. Se hoje o cinema está ruim, não se esqueça: A Cannon é a cura.




A One Movies/Dark Flix lançou mais um volume da COLEÇÃO CANNON FILMS, que pode ser comprado clicando na imagem acima. 

COLEÇÃO CANNON FILMS - VOLUME 2

A Cannon Films iniciou suas atividades em Israel em 1967. Dirigida pelos sócios produtores Menahem Golan e Yoram Globus a companhia mudou-se para os Estados Unidos em 1979 e durante os anos 80, com a explosão do mercado de home-vídeo viveu seu apogeu após produzir uma série de filmes de baixo e médio orçamentos. Cannon tornou populares alguns artistas de filmes de ação como Jean-Claude Van Damme, Chuck Norris, Michael Dudikoff e Dolph Lundgren. Mas, outros astros já reconhecidos fizeram parte do cast da companhia. Nomes como Sylvester Stallone, Charles Bronson, Richard Chamberlain, Sylvia Kristel, Sharon Stone, Harrison Ford e Christopher Reeve fizeram filmes para Cannon. 

Veja abaixo detalhes da linda edição.


O HERÓI E O TERROR Hero and The Terror, 1988, 96 minutos
Estrelando: Chuck Norris, Brynn Thayer, Billy Drago Direção: William Tannen

GARANTIA DE MORTE Death Warrant, 1990, 89 minutos
Estrelando: Jean-Claude Van Damme, Robert Guillaume, Cynthia Gibb Direção: Deran Sarafian

EXPRESSO PARA O INFERNO Runaway Train, 1985, 111 minutos
Estrelando: Jon Voight, Eric Roberts, Rebecca De Mornay Direção: Andrei Konchalovsky

STALLONE COBRA Cobra, 1986, 87 minutos
Estrelando: Sylvester Stallone, Brigitte Nielsen, Reni Santoni Direção: George P. Cosmatos

OS AVENTUREIROS DO FOGO Firewalker, 1985, 105 minutos
Estrelando: Chuck Norris, Louis Gossett Jr., Melody Anderson Direção: Andrei Konchalovsky

ASSASSINATO NOS ESTADOS UNIDOS Assassination, 1987, 88 minutos
Estrelando: Charles Bronson, Jill Ireland, Stephen Elliott Direção: Peter Hunt

⇰ Informações técnicas da edição:

576 minutos  – Colorido - Formato de Tela: 1.85:1 – Áudio Inglês/Português 2.0 Dolby Digital Estéreo – Legendas: Português

⇰ Acompanha a: 5 cards colecionáveis

⇰ Embalagem: Amaray box translúcido + luva em cartão 350 gramas empastado laminado com aplicação de verniz local.


Tecnologia do Blogger.