ROSE RED: A CASA ADORMECIDA (2002) - FILM REVIEW

rose-red-casa-adormecida-2002-film-review

Não é de hoje que o cinema investiga casas supostamente mal assombradas (ou prédios, hospitais, hotéis)...Stephen King não poderia deixar de dar sua contribuição ao gênero (que aparece em uma pequena ponta, como um entregador de pizza, como de costume). Na trama da minissérie, Joyce Reador (Nancy Travis) é uma professora de parapsicologia da Universidade de Beaumont que, apesar de sofrer uma enorme pressão contrária do seu chefe, o professor Carl Miller (David Dukes), decide descobrir toda a verdade sobre Rose Red, uma mansão construída no início do século XX por John P. Rimbauer, um magnata do petróleo que deu a casa de presente para Ellen, sua esposa. Ellen aumentou e controlou a casa com mão de ferro até 1950, quando sumiu misteriosamente, o que também já tinha acontecido com April, sua filha, mas a casa continuou "crescendo por conta própria". 

Há alguns anos nada acontece na mansão, então Joyce contrata uma equipe de seis paranormais, cada um com uma habilidade específica, para explorá-la. Entre eles destaca-se Annie Wheaton (Kimberly J. Brown), uma garota de 15 anos cujos dons psíquicos são tão poderosos que a excluem do mundo "normal". Joyce pretende usar os talentos do grupo para tentar "despertar" esta "casa adormecida", mas acontecem coisas fora do previsto e a situação cada vez foge mais do controle.


Os eventos anteriores a Rose Red são mostrados em O Diário de Ellen Rimbauer (2003), que foi lançado posteriormente. Em sua trama que se passa em Seattle no início do século XX mostra  Ellen Rimbauer (Lisa Brenner), que recebeu de presente de casamento de seu marido, o magnata do petróleo John P. Rimbauer (Steven Brand), uma majestosa mansão, Rose Red. Após o casamento, Ellen descobre que John sentia-se fortemente atraído por "jogos sexuais", que ela se habituou em participar. Em pouco tempo ela constata que não era a única mulher na vida de John. Ellen passa a temê-lo ao saber do misterioso sumiço de algumas pessoas bem próximas a ele. Também há alguns acontecimentos inexplicados na Rose Red, que podem ter conexão com as pessoas desaparecidas.

Casas mal-assombradas

Como eu disse acima, casas mal-assombradas são abordadas em vários momentos no cinema. Mas em alguns casos especificamente, a produção mostra um grupo de pessoas se reunindo para investigar o local. Alguns são memoráveis, como Rose Red. Desafio do além, dirigido pelo mestre Robert Wise e lançado em 1963, mostra o  Dr. Markway (Richard Johnson) fazendo uma pesquisa para provar a existência de fantasmas e com isso se interessa pela Hill House, uma mansão com 90 anos localizada na Nova Inglaterra e que tem em sua história mortes, violência e loucura. Junto com ele estão Luke Sanderson (Russ Tamblyn), um cético que está para herdar a casa, a misteriosa e clarividente Theodora (Claire Bloom) e a insegura e carente Eleanor Lance (Julie Harris), cujos dons psíquicos a transformam no instrumento de ligação com os espíritos da velha mansão. Gradativamente fica óbvio que eles encontraram algo muito maior e aterrorizante do que poderiam imaginar.


Sem a mesma inspiração, Jan de Bont fez um remake em 1999 e com um elenco de primeira:  Liam Neeson, Lili Taylor, Catherine Zeta-Jones, Owen Wilson, Bruce Dern , Virginia Madsen e Charles Gunning. Filme infeliz, mas que como toda obra, tem seus fãs. Poucos anos antes de Wise, William Castle nos apresentou "A casa dos maus espíritos", onde Frederick Loren (Vincent Price) é o dono de uma sinistra mansão em uma sinistra colina, que oferece 10 mil dólares para cada um dos seus inimigos se eles concordarem em passar uma noite na casa. Frederick dá para cada um dos seus convidados um pequeno caixão, contendo uma arma. Ele então começa a acionar diversos dispositivos, para amedrontar seus convidados e fazê-los usar suas armas. Porém, por mais estranho que possa parecer, ele não é o mais maquiavélico das pessoas da casa. Esta honra vai para Annabelle Loren (Carol Ohmart), sua mulher, e o Dr. David Trent (Alan Marshal), seu amante.

Também teve um remake chamado A casa da colina (mesmo ano da Casa amaldiçoada), e o resultado foi um pouco melhor. 4 dicas essenciais, que nos levam a Rose Red, uma minissérie que explora os melhores elementos do gênero e dos filmes citados. O roteiro é do próprio Stephen King. Ele se baseia em dois pontos: Primeiro nas histórias da casa Winchester, que para quem não sabe, é uma mansão na Califórnia célebre por ser supostamente assombrada. Atualmente uma atração turística, foi originalmente a residência pessoal de Sarah Winchester, esposa do magnata da indústria de armamentos William Wirt Winchester. 


Ela virou filme em 2018 com Helen Mirren e Jason Clarke, chamado "A Maldição da Casa Winchester". Segundo, a minissérie tem laços fortes com o livro de Shirley Jackson  chamado The Haunting of Hill House, que teve a primeira adaptação feita justamente por Robert Wise com ""Desafio do além". King descreveu o livro como um dos mais importantes romances de horror do século XX. Na história,  um grupo de indivíduos  participam de um estudo paranormal de uma mansão supostamente mal-assombrada. O romance, que intercala fenômenos sobrenaturais com psicologia.  A história foi também recentemente adaptada pela Netflix numa série chamada "A Maldição da Residência Hill"

Bastidores amaldiçoados?

Como toda história de horror que se preze, tem suas histórias de bastidores curiosamente desagradáveis. Exorcista é uma das recordistas (leia aqui). Em Rose Red, o ator David Dukes teve um ataque do coração e faleceu no meio das filmagens aos 55 anos. Ele morreu enquanto jogava tênis, na noite anterior ao retorno para continuar suas cenas. Infelizmente, não chegou a ver seu último projeto pronto. O diretor Craig Baxley Jr. substituiu David Dukes em suas cenas de "zumbis", usando máscaras.


Os atores Jimmi Simpson e Melanie Lynskey se conheceram no set  se apaixonaram e se casaram em 2007. No entanto, eles se divorciaram 5 anos depois em 2012. O próprio roteirista Stephen King sofreu um acidente quase fatal.  Foi atropelado durante uma de suas caminhadas nos arredores de sua casa de veraneio, no Estado do Maine, por um motorista distraído. Sofreu traumatismo craniano, fraturas múltiplas na perna direita e perfurações em um dos pulmões. King se recuperou escrevendo o roteiro de forma terapêutica (disse ele numa entrevista). King também falou que a forma mais natural de voltar a vida foi pela escrita. Um caminho quase natural.

Stephen King disse que queria que a série fosse o Moby Dick dos filmes sobre casas mal assombradas. Algo grande, assustador e difícil de esquecer. Ele também queria que a mansão parecesse amigável, incluindo interiores aconchegantes com cores quentes e convidativas. Mais de 400 carpinteiros trabalharam nos cenários entre maio e outubro de 2000. Os cenários eram tão vastos que parte do elenco se perdeu neles. O ator Matt Ross acredita firmemente no sobrenatural por causa de uma experiência pessoal. Ele viu sua mãe depois de sua morte. A série marcou um dos primeiros papéis de Emily Deschanel, que mais tarde ganhou fama como Temperance Brennan  em Bones em que trabalhou com David Boreanaz.


A minissérie tem várias referências ao universo de Stephen e até na sua própria vida. Como pode ter sacado, a história de King confinado escrevendo um livro pode ser facilmente associada ao do filme “Louca obsessão", de 1990. Só que o livro em que o filme se baseia foi escrito em 1987, ou seja, King previu o horror que viveria... Só colocou a fã louca que queria mudar o final de sua obra (algo que virou piada interna, já que muito se reclama sobre os finais dados aos personagens).  Rose Red tem elementos de Carrie - a estranha e "O iluminado". A canção de ninar "I'm a Little Bule" foi usada em outra minissérie de Stephen King, A Tempestade do século (1999). O piso de vidro em um dos quartos de Rose Red faz referência a um conto inicial ("The Glass Floor", 1967) de Stephen King .

Emery  (Matt Ross) diz a frase "Eu gaguejei?" Esta é uma homenagem a Bill Denborough no romance de Stephen King , "IT", que tinha um terrível problema com a gagueira. Em certo momento, falam também sobre o Bicho-papão, forma que Pennywise é tratado no livro e filmes. Assim como em O Iluminado (1980), é usada a frase "Não pelos cabelos do queixo", e o espírito de Joyce se torna parte da mansão assim como Jack Torrance se torna parte do Hotel Overlook. Os dois edifícios também explodem no final e compartilham parte da mesma trilha sonora.


Steven Spielberg

Quando Stephen King ainda pensava em fazer de Rose Red - A Casa Adormecida (2002) um longa-metragem com Steven Spielberg, os dois tiveram muitas divergências criativas sobre o tom do filme. Spielberg exigiu mais em termos de emoções e sequências de ação, enquanto King queria um horror mais psicológico. Eventualmente, eles não conseguiram chegar a um entendimento. King se acidentou e transformou o filme em minissérie. Spielberg deixou o projeto, mas produziu algo do tipo que queria com a animação "A Casa Monstro (2006)". 

Antes de ser dirigido por Craig R. Baxley, Stephen King ofereceu o roteiro pela primeira vez a Mick Garris, que havia dirigido filmes como Sonâmbulos (1992), A Dança da Morte (1994) e O Iluminado (1997), mas Garris recusou, então King a apresentou a Mark Carliner, produtor de King em O Iluminado (1997) e A Tempestade do Século (1999). Carliner concordou em produzi-lo como um longa-metragem e, quando King estava prestes a começar as revisões de roteiro, ele foi atropelado como dito acima. Garris voltaria a dirigir um King em 2004: Montado na bala.


Stephen King nomeou o personagem Annie Wheaton em homenagem à esposa de Wil Wheaton. Stephen King havia trabalhado com Wil em "Conta comigo". Craig R. Baxley não apenas dirigiu a série, mas também supervisionou algumas das cenas de ação. Antes de se tornar diretor, ele era um coordenador de dublês (além de ser o dublê do ator David Dukes, como dito acima).

Filmado em quatro meses, mas a pós-produção levou mais seis meses. Mas para assistir são apenas  4 horas 14 minutos. Bora maratonar? 

E um detalhe: há um documentário feito para a TV sobre a verdadeira Rose Red. Mas sobre ele, vou escrever no texto da continuação da minissérie. Ele está nos extras do DVD lançado pela DarkFlix. Detalhes abaixo: 


.

A One Movies/Dark Flix lançou mais um volume da COLEÇÃO STEPHEN KING, que pode ser comprado clicando na imagem acima. 

Cada um mais imperdível que o outro, este ainda vem com a trilha sonora original. Veja abaixo detalhes da edição.

COLEÇÃO STEPHEN KING – VOLUME 5
ROSE RED: A CASA ADORMECIDA
(Rose Red)


⇰ Informações técnicas da edição:

254 Minutos – Colorido - Formato de Tela: Widescreen Original 2.35:1 – Áudio Inglês 2.0 Dolby Digital , Dublado em Português, Estéreo – Legendas: Português/Espanhol/Inglês

⇰ Extras: Trailer de Cinema

⇰ Acompanha a: Trilha sonora original  e um card colecionável

⇰ Embalagem: Amaray box translúcido + luva em cartão 350 gramas empastado laminado com aplicação de verniz local.



Tecnologia do Blogger.