AMERICAN NINJA (1985) - FILM REVIEW

american-ninja-1985-film-review

Quando escrevi este post, tinha assistido Comboio do terror (1986), A coisa (1985), Tuff Turf (1985) e claro este American Ninja. Quem me conhece sabe que a formação do meu cinema é nos anos 80 e assistir a estes filmes para fazer textos é mais que um prazer: é um bate papo, como de botequim. 

Se nós olhamos do ponto de vista crítico, teria muito mais defeitos para falar destes filmes que virtudes. Ainda mais da Cannon, sabidamente a produtora mais picareta da história do cinema, ou pelo menos, a mais famosa e popular. Como sabemos, seus filmes explodem como dinamite. 

Hoje vou falar de American Ninja ou Guerreiro americano. Na história, Joe, recém-chegado ao exército, é um jovem calado. Ao ser convocado para ir junto à escolta de caminhões do exército carregados de armas, uma atividade comum na vida de um militar, um grupo disfarçado de trabalhadores da estrada acaba rendendo os militares para roubar seus caminhões e quando um desses criminosos tenta agredir a única mulher que fazia parte dessa escolta e também filha do Coronel, Joe acaba reagindo e dá inicio a uma briga na qual seus companheiros também se envolvem.


A situação parecia estar ficando sobre controle para o exército até que ninjas aparecem e matam quatro militares. Eles também vão atrás da mulher que foge com Joe e felizmente eles conseguem escapar, mas os caminhões com exceção de um que é explodido, são todos levados. Apesar de ter salvado a filha do Coronel, Joe também é considerado culpado pela morte dos quatro outros soldados, mas isso não o deixa profundamente abalado, pois ele está alerta para o que o grupo inimigo pode fazer ao passo que vai demostrando interesse pela filha do Coronel. Além disto, ele reconhece as habilidades ninja usadas na operação, o que revelará mais sobre seu próprio passado obscuro.

O filme foi dirigido pelo polonês Sam Firstenberg, que se especializou em... ninjas, Michael Dudikoff, Steve James e  David Bradley. Ele fez A Vingança do Ninja, Ninja 3: A Dominação, American ninja 1 e 2, A Vingança de 1 Predador, Riverbend, American Samurai, Cyborg Cop: A Guerra do Narcotráfico, American Samurai 2: Guerreiros de Sangue e Cyborg Cop 2: O Pior Pesadelo, para citar alguns. Podemos dizer que ele não é um “masterpiece maker”, mas fez pelos menos 5 filmes que marcaram meus anos 80: Os já citados Vingança do Ninja, Ninja 3: A Dominação, American ninja 1 e 2, A Vingança de 1 Predador.


American ninja já fundiu minha cabeça de cara. Uma parte da trilha sonora é a mesma do filme Braddock (ambos da Cannon claro). Na época eu não sabia que esta picaretagem era permitida e fiquei sem entender quem tinha copiado quem, ainda que American Ninja tenha sido lançado um ano depois. A música tema de Jay Chattaway  é usanda em American Ninja, e até em outros momentos, como em Invasão USA. É uma reciclagem econômica. Não é incomum. Há uma cena, por exemplo, de A ilha que foi aproveitada em Transformers, ambos de Michael Bay. Mas só ser for muito atento para perceber. Com a Cannon não. É esculachado.

Kobadera

O diretor Sam Firstenberg admitiu em uma entrevista que o público não gostava de ver uma ninja feminina em Ninja 3: A Dominação (outros tempos não? Hoje seria quase necessário). Para este filme, a Cannon Films procurou uma estrela de ação que se parecesse com James Dean , não falasse muito e parecesse ter um chip no ombro. Sam fez o teste para 2000 atores e reduziu para 200. Apesar de  Michael Dudikoff não ter treinamento em artes marciais, ele tinha a aparência que Cannon queria.


Originalmente, o estúdio escolheu Chuck Norris para estrelar. Ele escolheu não fazer o filme porque não queria que seu rosto estivesse escondido nas roupas ninja (o que ocorre pouco, inclusive). Ele disse: "Se vou participar de um filme, não quero que meu rosto fique escondido. Vou ser eu". Melhor assim, Dudikoff foi perfeito para o papel.  Foi Menahem Golan quem viu Michael Dudikoff durante uma de suas audições e viu que ele tinha um olhar de James Dean e imediatamente declarou "Get the Dudikoff kid!".

Steve James disse também em uma entrevista que Michael Dudikoff estava ansioso por trabalhar com ele, já que James sabia artes marciais e Dudikoff não, e isto rendeu uma rixa entre os dois. James até pediu que suas cenas finais de luta fossem filmadas do outro lado do complexo, longe de Dudikoff, para evitar mais problemas. Foi só no meio da filmagem da sequência que os dois deixaram suas diferenças de lado e se tornaram bons amigos, até a morte de Steve em 18 de dezembro de 1993, devido a um câncer aos aos 41 anos.


Mike Stone foi o coreógrafo de artes marciais para as cenas dos ninjas deste filme, e recomendou Tadashi Yamashita para interpretar o principal vilão ninja da Estrela Negra, com base nos dois que se conheciam de suas origens competitivas em artes marciais. Mas por causa da Cannon Films ser notoriamente barata com seus orçamentos, p próprio Mike Stone foi recontratado para ser o coreógrafo e o principal vilão ninja no filme A Volta do Guerreiro Americano.

Todos os três principais membros do elenco de "American Ninja" estrelaram três filmes da série. Todos estrelaram pelo menos uma vez, mas os três nunca estiveram no mesmo filme. Michael Dudikoff estrelou com Steve James neste filme e A Volta do Guerreiro Americano (1987), e com David Bradley em Guerreiro Americano 4 (1990). Bradley estrelou com James em Guerreiro Americano 3 (1989), e sozinho em American Ninja 5: O Pequeno Ninja (1993). Mas o melhor é sem dúvidas o primeiro. Inclusive, é o filme preferido do diretor. 

E é especialmente interessante notar como os filmes da Cannon envelhecem bem...





A One Movies/Dark Flix lançou o primeiro volume com filmes do Estúdio independente mais amado da história do cinema. Seus filmes explodem como dinamite...


COLEÇÃO CANNON FILMS - VOLUME 1

A Cannon Films iniciou suas atividades em Israel em 1967. Dirigida pelos sócios produtores Menahem Golan e Yoram Globus a companhia mudou-se para os Estados Unidos em 1979 e durante os anos 80, com a explosão do mercado de home-vídeo viveu seu apogeu após produzir uma série de filmes de baixo e médio orçamentos. Cannon tornou populares alguns artistas de filmes de ação como Jean-Claude Van Damme, Chuck Norris, Michael Dudikoff e Dolph Lundgren. Mas, outros astros já reconhecidos fizeram parte do cast da companhia. Nomes como Sylvester Stallone, Charles Bronson, Richard Chamberlain, Sylvia Kristel, Sharon Stone, Harrison Ford e Christopher Reeve fizeram filmes para Cannon. Neste Box especial, apresentamos 5 dos mais importantes filmes produzidos pela companhia e o espetacular documentário “Electric Boogaloo, A História Nunca Contada da Cannon Films”.

Veja abaixo detalhes da linda edição.



BRADDOCK – O SUPER COMANDO Missing in Action, 1984, 101 minutos Estrelando: Chuck Norris, M. Emmet Walsh, Lenore Kasdorfe, James Hong Direção: Joseph Zito

AMERICAN NINJA – O GUERREIRO AMERICANO American Ninja, 1985, 95 minutos Estrelando: Michael Dudikoff, Steve James, Judie Aronson Direção: Sam Firstenberg

FALCÃO – O CAMPEÃO DOS CAMPEÕES Over The Top, 1987, 93 minutos Estrelando: Sylvester Stallone, Robert Loggia, Susan Blakely Direção: Menahem Golan

O GRANDE DRAGÃO BRANCO Bloodsport, 1988, 92 minutos Estrelando: Jean-Claude Van Damme, Forest Whitaker, Bolo Yeung Direção: Newt Arnold

O VINGADOR Murphy´s Law, 1986, 100 minutos Estrelando: Charles Bronson, Kathleen Wilhoit, Carrie Snodgress Direção: J. Lee Thompson

*ELECTRIC BOOGALOO: A HISTÓRIA NUNCA CONTADA DA CANNON FILMS Electric Boogaloo: The Wild, Untold Story of Cannon Films, 2014, 106 minutos Estrelando: Sam Firstenberg, David Paulsen, Luigi Cozzi Direção: Mark Hartley

⇰ Informações técnicas da edição:

587 minutos  – Colorido - Formato de Tela: 1.85:1 – Áudio Inglês/Português 2.0 Dolby Digital Estéreo – Legendas: Português

⇰ Acompanha a: 5 cards colecionáveis

⇰ Embalagem: Amaray box translúcido + luva em cartão 350 gramas empastado laminado com aplicação de verniz local.

Tecnologia do Blogger.