À 70 MINUTOS DO FIM (1988) - FILM REVIEW

a-70-minutos-do-fim-1988-film-review

Saia de seu apartamento, ele vai explodir !!!

Paranoia define esta pequena obra prima. Um filme genial para os tempos atuais. Assim como na época da Guerra Fria em que o cinema passou suas neuroses para os filmes de ficção científica. 

Em “Á 70 minutos do fim” ou Miracle Mile uma fagulha se transforma em incêndio na velocidade da luz. A trama, que se passa em Los Angeles (Onde mais? É a cidade ideal para ilusões).O músico Harry Washello conhece Julie Peters em um museu, e ele imediatamente se apaixona por ela. Eles combinam de sair de noite, mas falta luz e o despertador de Harry não toca, e ele perde o encontro. Mesmo com três horas e meia de atraso, Harry vai a lanchonete onde Julie trabalha em Miracle Mile tentando encontrá-la e atende uma chamada em um telefone público, onde um homem informa que os Estados Unidos iniciaram a Guerra Nuclear disparando mísseis contra a União Soviética. 


O homem diz que em cerca de duas horas, Los Angeles será destruída pelos mísseis soviéticos. Harry conta às pessoas que estão na lanchonete e elas fogem tentando alcançar o aeroporto usando um helicóptero que uma cliente conseguiu. Harry, entretanto prefere ir buscar Julie em seu apartamento e depois tenta desesperadamente encontrar um piloto de helicóptero para levá-los para fora de Los Angeles. Mas neste meio tempo, o boato se espalhou trazendo caos para a cidade.

O roteiro foi considerado para No Limite da Realidade (1983) antes de Steven Spielberg entrar nesse projeto. O filme seria composto apenas por essa história (em vez dos quatro segmentos em que se tornou) e teria um final ligeiramente diferente com um toque "Twilight Zone". Steve De Jarnatt não gostou da mudança no final e a ideia acabou sendo descartada. Curioso que uma tragédia marcou a vida de algumas pessoas da produção de No limite da realidade: O ator Vic Morrow (pai de  Jennifer Jason Leigh) participava de um dos episódios. 


A filmagem ocorria normalmente até que o helicóptero fora atingido por fogos de artifício ficando fora de controle, decapitando o ator e uma das crianças (Myca Dinh Le, 7 anos). A outra (Renee Shin-Yi Chen, 6 anos) escapou das hélices, mas foi esmagada pelo helicóptero. E se pararmos para pensar, caso "Miracle Mile" tivesse sido o filme, Vic Morror estaria vivo. Parece Além da imaginação, não?

Mas continuando...

Em 1983, foi escolhido pela revista American Film como um dos dez melhores roteiros não filmados Steve De Jarnatt  o escreveu na esperança da Warner produzir e deixar ele mesmo realizar.  O estúdio queria torná-lo em maior escala e não queria confiar ao projeto um diretor novato como ele. Miracle Mile passou três anos no limbo. Ele comprou os direitos,  reescreveu e o estúdio ofereceu uma grana alta para comprá-lo de volta. Ele os recusou, porque o estúdio não queria juntar num longa romance, guerra nuclear e final trágico. Sobre o roteiro, o ator Anthony Edwards disse: "Isso me assustou muito. Também me deixou com raiva... Eu simplesmente não conseguia acreditar que alguém havia escrito isso".  John Daly, da Hemdale Films, deu a De Jarnatt US$ 3,7 milhões para fazer o filme.


O nome da loja de hambúrguer em que Julie trabalha se chama "Fat Boy". Este é uma referência para as duas bombas atômicas lançadas em Hiroshima e Nagasaki: Fat Man e Little Boy. Steve De Jarnatt, que dirigiu apenas dois filmes e ambos cult movies (o outro foi Cherry 2000), enviou uma cópia do roteiro para Carl Sagan .  

Ele foi filmado em apenas sete semanas, principalmente à noite. O Wilshire Boulevard ficou fechado por dois dias para as filmagens do clímax. Além disso, Steve De Jarnatt teve que filmar outras partes para o clímax às suas próprias custas, depois que as principais filmagens terminaram.


O Johnie's Coffee Shop, na verdade localizada no bairro Miracle Mile de Los Angeles, deixou de funcionar como um restaurante real no final dos anos 90. No entanto, o prédio nunca foi demolido, continuou a ser usado em muitos outros filmes e foi designado um marco histórico em 2013. Atualmente, é alugado principalmente para produções de cinema e televisão, bem como para lojas pop-up e funções temporárias semelhantes. O edifício voltou a ganhar notoriedade em 2016 como sede da campanha da candidata presidencial americana Bernie Sanders.

"Miracle Mile" foi a estreia nos cinema de Peter Berg . Além disso, Berg conseguiu que seu cartão SAG desempenhasse um pequeno papel neste filme. Ele se tornou um ator conhecido e um diretor competente. Recentemente, fez uma feliz parceria com  Mark Wahlberg "O Grande Herói, Horizonte Profundo: Desastre no Golfo, 22 Milhas, O Dia do Atentado e Troco em Dobro). Foi também o primeiro filme americano filmado pelo diretor de fotografia Theo van de Sande .


Agora, sobre a frase no início do texto: "Saia de seu apartamento, ele vai explodir!!!"

O que faria se recebesse uma ligação dizendo isto? Provavelmente sairia correndo não é?
Mas e se no meio da rua, lembrasse que mora numa casa?
Assim funciona uma ideia. Quando plantada no consciente e subconsciente, se torna um gatilho poderoso. O filme "A origem", de Christopher Nolan, mostra bem como funciona isto. Assista. Vale muito a pena.
No caso de Miracle Mile, o filme mostra como a ideia implantada pode ser determinante para as ações futuras (seja ela real ou não). Curiosamente, o filme não ficou implantado no subconsciente das pessoas, tornando-o um clássico esquecido. E nos dias atuais, ele é, certamente, uma ideia a ser reimplantada e desta vez para ficar.




A Versátil lançou “Clássicos Sci-Fi vol. 7”, caixa em luva reforçada com 3 DVDs que reúne 6 filmes de ficção cientifica de diferentes países, incluindo a inéditas versões recentemente restauradas de “Zardoz”, o controverso cult-movie de John Boorman, e “Eu te Amo, Eu te Amo”, uma obra-prima de Alain Resnais, além de quase duas horas de vídeos extras, entre especiais e depoimentos. Edição Limitada com 6 cards.

Disco 1:

☛ ZARDOZ
(Idem, 1974, Inglaterra/EUA, 106 min.)
De John Boorman. Com Sean Connery, Charlotte Rampling, Sara Kestelman.

⇨ Sinopse2293, após descobrirem o segredo da imortalidade, intelectuais se isolam num mundo chamado Vortex. Mas tudo fica em risco quando o exterminador Zed consegue entrar no Vortex. Bizarra e fascinante distopia do diretor de “Amargo Pesadelo”.

☛ OS DOIS MUNDOS DE CHARLY
(Charly, 1968, Estados Unidos, 104 min.).
De Ralph Nelson. Com Cliff Robertson, Claire Bloom, Lilia Skala.

⇨ SinopseNesta adaptação de “Flores para Algernon”, o clássico da literatura sci-fi de Daniel Keyes, um homem com deficiência intelectual passa por um experimento que lhe dá a inteligência de um gênio. Vencedor do Oscar de Melhor Ator.


Disco 2:

☛ EU TE AMO, EU TE AMO
(Je t’aime, Je t’aime, 1968, França, 95 min.)
De Alain Resnais. Com Claude Rich, Olga Georges-Picot, Anouk Ferjac.

⇨ SinopseApós tentar se suicidar, Claude é recrutado para uma experiência de viagem no tempo, mas, quando a máquina sai do controle, ele se perde em suas lembranças. Obra-prima de Resnais que antecipa “Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças”.

MIRACLE MILE
(Idem, 1988, EUA, 88 min.)
De Steve De Jarnatt. Com Anthony Edwards, Mare Winningham, John Agar.

⇨ SinopseJovem atende telefone público e descobre que uma guerra nuclear começou e mísseis atingirão Los Angeles em 70 minutos. Com trilha sonora do Tangerine Dream, este é um excelente cult sci-fi dos anos 80 sobre a paranoia nuclear.

Disco 3:

☛ CATÁSTROFE NUCLEAR
(Threads, 1984, Inglaterra, 113 min.)
De Mick Jackson. Com Karen Meagher, Reece Dinsdale, David Brierly.

⇨ SinopseOs efeitos de uma bomba atômica numa cidade do interior da Inglaterra e as devastadoras consequências de uma guerra nuclear para a humanidade. Feito para a TV britânica, este é o mais impressionante filme sobre o tema.

☛ KRAKATIT
(Idem, 1948, Tchecoslováquia, 101 min.)
De Otakar Vávra. Com Karel Höger, Florence Marly, Eduard Linkers.

⇨ SinopseO cientista Prokop desenvolve um poderoso explosivo chamado Krakatit, mas após uma explosão acidental no laboratório, começa a ter alucinações. Rara sci-fi tcheca sobre a paranoia nuclear do diretor do fabuloso “O Martelo das Bruxas”.


Informações técnicas da edição:

Títulos em português: Zardoz, Eu te Amo, Eu te Amo, Catástrofe Nuclear, Miracle Mile, Krakatit, Os Dois Mundos de Charly
Títulos originais: Zardoz, Je t’aime, Je t’aime, Threads, Miracle Mile, Krakatit, Charly
País de produção: Inglaterra, Estados Unidos, França, Inglaterra, Tchecoslováquia
Ano de produção: 1948-1988
Gênero: Ficção científica
Direção: John Boorman, Alain Resnais, Otákar Vavra, Steve De Jarnatt, Mick Jackson, Ralph Nelson
Elenco: Sean Connery, Charlotte Rampling, Sara  Kestelman, Cliff Robertson, Claire Bloom, Lilia Skala, Claude Rich, Olga Georges-Picot, Anouk Ferjac, Karel Höger, Florence Marly, Eduard Linkers, Karen Meagher, Reece Dinsdale, David Brierly, Anthony Edwards, Mare Winningham, John Agar
Idioma: Inglês, Francês, Tcheco
Áudio: Dolby Digital 2.0
Legenda: Português
Formato de tela: Widescreen Anamórfico 2.35:1, Fullscreen 1.33:1
Tempo de duração: 607 min.
Região: All (0)
Preto e Branco, Colorido
Faixa etária: 14 anos

Extras: Especiais sobre os filmes (114 min.)

Tecnologia do Blogger.