O QUE FOI A NOUVELLE VAGUE INGLESA


O cinema seguiu, definitivamente, uma nova onda, principalmente no final dos anos 50 até meados dos anos 60. Seja como influenciador de comportamento seja como influenciado pela necessidade de um novo comportamento. As formas artríticas necessitavam de uma nova forma de ver a arte. Um movimento bastante comum, que nomeou este momento foi a Nouvelle Vague. 

Estas "Novas ondas" estão sempre ligadas a movimentos culturais, normalmente pré-estabelecidos. Seja na pintura, teatro ou literatura. E não incomum, são respostas a algo, sugerindo certa insubordinação artística. Tendo entre seus nomes principais Tony Richardson, Lindsay Anderson e  John Schlesinger, o movimento foi o mais significativo do país, mesmo tendo durado menos de uma década. O objetivo era compartilhar histórias realistas que destacaram as lutas da classe trabalhadora,  explorando tópicos sociopolíticos, mostrando de forma contundente as dificuldades sociais no Reino Unido.


Os filmes britânicos da Nova Onda  tinha estilos cinematográficos semelhantes à Nouvelle Vague Francesa, sua óbvia referência.  A nova onda  representou a classe trabalhadora como seres humanos com sentimentos e aspirações. Deu voz às classes no cenário da ascensão econômica deste grupo. Antes, eles apenas existiam nas produções, sem qualquer profundidade analítica.  Geralmente filmados em preto e branco, os filmes são espontâneos e não eram filmados em estúdios. Esta foi uma grande oportunidade do típico filme convencional, filmado em locais reais, em estilo documentário, com pessoas reais. Assim, fornece uma imagem muito realista da vida das pessoas envolvidas. Eles são os protagonistas do filme e a história gira em torno deles. Suas emoções são exibidas vividamente. Eles não são 'extras' ou personagens secundários, mas de fato pessoas com emoções e sentimentos reais.

A Nova Onda explorou também a gravidez não planejada, que vem a ser o mote para a explosão de necessidades e frustrações aliadas às dificuldades por falta de oportunidades, sensibilizando as dificuldades sociais inglesas. O movimento propunha debates controversos como pode ver.


O marco zero foi Almas em leilão (1959) e o fim do auge, por volta de 1963. Mas o último filme recomendável chegou aos cinemas em 1969.

Na época, o movimento representou o renascimento no cinema britânico, algo dito pelos próprios críticos britânicos.  Curioso como, apesar de curta a duração da Nova Onda, suas marcas se impregnaram nas filmografias de diretores importantes como Ken Loach, que carregou a marca durante toda sua carreira.  O espírito da Nova Onda, em suma, se estendeu para além de seu próprio período e, de fato, ainda floresce no cinema britânico hoje.

A queda começou a se desenhar com o sucesso do cinemão, estilo James Bond, que aportou nos cinemas em 1962 e em 1964 já era necessidade, com o lançamento de Goldfinger. 


Direção

Nomes como Tony Richardson, Karel Reisz, John Schlesinger e Lindsay Anderson vieram do teatro, principalmente o Royal Court Theatre, onde Richardson havia dirigido as peças de John Osborne, especialmente Look Back in Anger e The Entertainer (que se tornara Odeio essa mulher (1959) e Vida de solteiro (1960), respectivamente), com grande aclamação da crítica. A  principal produtora do cinema britânico na época, Woodfall Film Productions foi criada por Richardson e Osborne exatamente para colocar essas peças de teatro nas telonas, o que fizeram com artistas como Richard Burton e Laurence Olivier nos papéis principais dos filmes. Uma geração de jovens atores e atrizes tomou forma com nomes como Albert Finney, Rita Tushingham, Shirley Anne Field, Tom Courtenay, Alan Bates, Rachel Roberts, Richard Harris.

Karel Reisz teve o primeiro grande sucesso comercial com Tudo começou num sábado (1960), enquanto Tony Richardson fez Um gosto de mel (1961) e A solidão de uma corrida sem fim (1962). Lindsay Anderson encerrou este pequeno ciclo com O pranto de um ídolo (1963). A lista abaixo contem 10 filmes essenciais para entender melhor a proposta do movimento.


Um adendo: estes diretores tiveram um reconhecimento maior ainda fora do período citado acima, como As aventuras de Tom Jones (que venceu o Oscar de melhor filme em 1964), Perdidos na noite (que venceu o Oscar de melhor filme em 1970) e A Mulher do tenente francês  (que concorreu a 5 Oscares em 1981), que tinham na direção  Tony Richardson, John Schlesinger e  Karel Reisz respectivamente.

A censura atuou ferozmente na época. Os filmes causaram furor. A British Board of Film Censors descreveu "A solidão de uma corrida sem fim" como 'propaganda comunista flagrante e particularmente preocupante para os cidadãos porque o herói é um ladrão e ainda é sustentado pela admiração de jovens tolos. Já "Tudo começou num sábado" teve uma redução geral de todas as cenas com linguagem de conotação sexual. Ou seja, não é de hoje que (des) governos se metem com a 7ª arte. E se eles fossem um pouco mais perspicazes, veriam que isto é apenas uma prova que se tratam de produções que merecem serem vistas e que provavelmente romperão a barreira do tempo: quer eles queiram, quer não.

Vamos aos filmes:

➤Direção: Jack Clayton
Sinopse:

Joe Lampton é um homem ambicioso. Ele se muda da inóspita cidade de Dufton para Warnley, onde conseguiu um emprego. Chegando lá, ele se aproxima de Susan Brown, filha do grande magnata da cidade, Mr. Brown, visando estabelecer um relacionamento amoroso com ela e, dessa forma, aumentar seu status e sua influência na cidade. No entanto, ele conhece a francesa Alice Aisgill, uma mulher mais velha que vive um casamento infeliz e se apaixona por ela. Agora ele precisa decidir entre a sua vontade de progredir socialmente e viver um grande amor ao lado de Alice.

➤Direção: Tony Richardson
Sinopse:

Apesar de ter formação universitária, Jimmy Porter (Richard Burton) não consegue trabalho melhor do que ter, junto com Cliff Lewis (Gary Raymond), uma barraca de doces em uma feira. A relação de Jimmy com Alison (Mary Ure), sua esposa, alterna entre abraços e beijos quando se sente bem e ofensas verbais quando está irritado, o que é mais freqüente. A atriz Helena Charles (Claire Bloom), a melhor amiga de Alison, vai ficar alguns dias hospedada com eles, enquanto encena uma peça. Helena foi convidada por Alison, que precisa de alguém para conversar, mas Jimmy não a suporta e a ofende sempre que possível. Ela, por sua vez, diz para Alison abandonar Jimmy, pois este casamento só lhe trouxe infelicidade.

➤Direção: Tony Richardson
Sinopse:

Archie Rice (Laurence Olivier) é um artista em declínio que se apresenta nos vaudevilles ingleses. Ele tenta manter a sua carreira, mesmo com o mundo artístico das performances musicais caindo no esquecimento. Enquanto ele busca se reerguer profissionalmente, sua vida pessoal entra em crise.
Segundo a edição da revista Time do dia 21 de Abril, 1958, o ator Laurence Oliver recusou a proposta de participar de um filme de Hollywood recebendo aproximadamente $25,000 (o que equivale a $ 1.7 milhões) para interpretar o papel de Archie Rice.

➤Direção: Karel Reisz
Sinopse:

Em uma pequena cidade perto de Nottingham, Arthur Seaton (Albert Finney) é um operador de torno mecânico em uma fábrica. Ele passa cada fim de semana bebendo e transando. Arthur tem um bom salário, o que lhe permite gastar dinheiro em noitadas e isto o faz suportar o emprego, que ele odeia. Arthur está tendo um caso com Brenda (Rachel Roberts), que é casada com um colega de trabalho dele, Jack (Bryan Pringle). As relações sexuais com Brenda são agradáveis para Arthur, mas isso é tudo que ele planeja fazer com ela, enquanto que Brenda almeja algo mais profundo. Paralelamente Arthur conhece Doreen Gretton (Shirley Anne Field), que é jovem e bonita mas tem princípios morais rígidos.

➤Direção: Tony Richardson
Sinopse:

Jo é uma jovem que tem uma mãe omissa e após um repentino casamento, abandona a filha. Sem moradia ao certo, Jo decidi morar com Geoffrey, seu colega de trabalho. Um dia ela conhece Jimmy, um marinheiro que acaba a engravidando e a abandona por conta do trabalho. Grávida e sem apoio, ela encontra um porto seguro na amizade com Geoffrey, que a ajuda a se preparar para os momentos mais difíceis.

➤Direção: John Schlesinger
Sinopse:

Adaptado de um livro de Stan Barstow é o primeiro longa de John Schlesinger. Alan Bates é Vic Brown, jovem desenhista de uma fábrica que ama Ingrid Rothwell (June Ritchie). Uma noite em que a mãe da garota não está em casa eles fazem amor. A partir daí, Vic não quer saber dela até que Ingrid lhe dá a notícia de que está grávida. Eles se casam, passam a viver com a mãe dela que não gosta de Vic.

➤Direção: Tony Richardson
Sinopse:

Colin Smith (Tom Cortenay) não quer trabalhar para ninguém, pois não quer que outros tenham lucro as suas custas. Tendo como desafio assaltar uma padaria, é preso e na prisão especial para jovens delinquentes descobrem-lhe o talento de corredor de longa distância. Logo o diretor da prisão (Michael Redgrave) pretende se servir dele para ganhar o campeonato para seu estabelecimento.
.
➤Direção: Bryan Forbes
Sinopse:

Jane, uma jovem francesa solteira e que está grávida, vai morar num prédio no subúrbio de Londres. Mas o local é habitado por pessoas que, num primeiro momento, não agradam a moça. É quando ela conhece Toby, um jovem escritor que mora no primeiro andar. Os dois passam a se relacionar. Ao poucos, Jane começa a conviver melhor com todas as estranhas pessoas que vivem no local. O problema é que ela acha que não dará conta da criança que está chegando e pensa em abortar

➤Direção: John Schlesinger
Sinopse:

Um jovem rapaz vive sonhando e inventando histórias para se enganar de sua própria vida monótona, fingindo ser um herói. Mas com tantas mentiras, acaba ficando desacreditado, e tem uma chance única de recomeçar sua vida, ou continuar a se enrolar cada vez mais.  Julie Christie está deslumbrante num personagem delicado que marcou sua carreira. 

➤Direção: Lindsay Anderson 
Sinopse:

Em uma partida de rúgbi um jogador é duramente atingido e perde vários dentes. Em uma sucessão de flashbacks é mostrada a trajetória de sua vida, desde quando ainda era mineiro de carvão e sonhava se tornar um profissional de rúgbi. Ele consegue seu objetivo e é considerado um jogador bom mas brutal, além de ter fama de ser uma pessoa arrogante. Ele consegue algum sucesso financeiro e se envolve com a viúva de quem é inquilino, sendo também assediado por uma rica mulher.

Importante:

A Versátil lançou “Nouvelle Vague Britânica”, caixa em luva reforçada com 2 DVDs que traz inéditas versões restauradas de 4 clássicos da British New Wave, o  movimento que revitalizou  o cinema inglês no início dos anos 60, como um desdobramento do grupo documentaristas do Free Cinema, representados aqui por dois curtas-metragens incluídos em uma hora e meia de vídeos extras. Edição Limitada com 4 cards.

Disco 1:

TUDO COMEÇOU NUM SÁBADO
(Saturday Night and Sunday Morning, 1960, 89 min.)
De Karel Reisz. Com Albert Finney, Shirley Anne Field, Rachel Roberts.

⇨ Sinopse: Um jovem e rebelde operário se relaciona com duas mulheres, sendo que uma delas é  casada, mas está grávida de um filho seu. Alan Sillitoe, um dos “angry young men”, escreveu o roteiro desse filme emblemático, baseando-se em um dos seus romances.

UM GOSTO DE MEL
(A Taste of Honey, 1961, 100 min.)
De Tony Richardson. Com Rita Tushingham, Dora Bryan, Robert Stephens.

⇨ SinopseUma adolescente, com problemas com a mãe, se apaixona por um marinheiro negro, que a abandona grávida. Seu único apoio passa a ser um amigo gay. Emocionante obra-prima sobre os dilemas da juventude. Prêmios de Melhor Ator e Atriz em Cannes.


Disco 2:

VIDA DE SOLTEIRO
(The Entertainer, 1960, 104 min.)
De Tony Richardson. Com Laurence Olivier, Brenda de Banzie, Roger Livesey.

⇨ SinopseArchie Rice, um decadente artista de teatro de revista, faz de tudo para permanecer relevante no mundo do espetáculo. O grande dramaturgo John Osborne adapta uma de suas peças nesse filme com grande atuação de Laurence Olivier.

AINDA RESTA UMA ESPERANÇA
(A Kind of Loving, 1962, 112 min.)
De John Schlesinger. Com Alan Bates, June Ritchie, Thora Hird. 

⇨ SinopseApós a gravidez da namorada forçá-lo a se casar com ela, um rapaz precisa se ajustar às dificuldades da vida de casado. Longa-metragem de estreia do grande John Schlesinger (“Perdidos na Noite”). Urso de Ouro no Festival de Berlim.  


Informações técnicas da edição:

Títulos em português: Tudo começou num sábado, Um gosto de mel, Vida de solteiro, Ainda resta uma esperança
Títulos originais: Saturday Night, Sunday Morning, A Taste of Honey, The Entertainer, A Kind of Loving
País de produção: Inglaterra
Ano de produção: 1960-1962
Gênero: Drama
Direção: Karel Reisz, John Schlesinger, Tony Richardson
Elenco: Albert Finney, Shirley Anne Field, Rachel Roberts, Rita Tushingham, Dora Bryan, Robert Stephens, Laurence Olivier, Brenda de Banzie, Roger Livesey, Alan Bates, June Ritchie, Thora Hird
Idioma: Inglês
Áudio: Dolby Digital 2.0
Legenda: Português
Formato de tela: Widescreen anamórfico 1.66:1
Tempo de duração:  405 min.
Região: 4
Preto e Branco
Faixa etária: 14 anos

Extras: Curtas “O Dreamland”, de Lindsay Anderson, e “Momma don’t allow”, de Karel Reisz, Tony Richardson (1956, 45 min.), Especiais sobre os filmes (49 min.)

Adquira aqui 
”Versátil

Tecnologia do Blogger.