JACK, O ESTRIPADOR (1988) - FILM REVIEW


A certa altura da minissérie, o Inspetor Frederick Abberline (interpretado por Michael Caine), indaga se os crimes poderiam ter relação  com dupla personalidade.  Ou seja, um Sherlock Holmes investigando se a identidade de Jack, o estripador era o médico e/ou monstro. Considerando a meticulosidade dos crimes, a polícia sempre pensou que Jack fosse mesmo um médico, por tanto fazia sentido. Mas conforme investiga, ele passa pela linha da "dupla personalidade" para entender que o "monstro" não atacava sozinho. Na verdade, eram duas pessoas, corroborando com as várias pistas deixadas.

Jack, o Estripador foi um serial killer que atuou em Londres em 1888. Nunca foi descoberto e isto deu margem para inúmeras especulações, além de leituras e releituras através das artes. Nos cinemas, muitas versões chegaram desde sempre, não só sobre a história do personagem, como copycats e filmes baseados nos assassinatos. 


A história da minissérie se passa em Londres, 1888. Prostitutas são assassinadas com requintes de crueldade. O Inspetor da Scotland Yard Abberline (Michael Caine) é o encarregado da investigação. Minucioso no estudo dos detalhes dos crimes, Abberline encontra pistas que o levam a acreditar que os crimes escondem uma conspiração que pode chegar até a família real inglesa. Entre os vários suspeitos, estão um ator (Armand Assand) e o médico da família real (Ray McAnally). 

Michael Caine foi persuadido a voltar à televisão pela primeira vez em quase vinte anos por causa do poderoso roteiro de David Wickes. Mais tarde, Caine descreveu Wickes como "o diretor mais agradável e rápido em que trabalhei e o mestre em filmar a Londres vitoriana". A minissérie explora meticulosamente os acontecimentos. Hugh Fraser, por exemplo, usava roupas que seu personagem Sir Charles Warren realmente usava. Após o assassinato de Mary Jane Kelly, há uma cena em que Abberline entrega a Gull uma foto de seu corpo. Essa é uma foto real da cena do crime da verdadeira Mary. Todas as 5 vítimas retratadas no filme (Annie Chapman, Mary Ann Nichols, Elizabeth Stride, Catherine Eddowes e Mary Jane Kelly) realmente existiram.


Esta produção estreou na televisão americana no mesmo dia em que o filme Sherlock & Eu (1988) foi lançado: 21 de outubro de 1988. Ambas as produções apresentavam Michael Caine, Lysette Anthony e George Sweeney , e foram ambientadas em Londres vitoriana, sob o mesmo diretor de fotografia, Alun Hume. 

Ela foi produzida  no centenário dos assassinatos reais de Whitechapel. Em 1988, muitos estudiosos dos crimes consideraram o médico  William Gull como um dos principais suspeitos. Nos trinta anos seguintes, um novo suspeito, o médico americano Francis Tumblety, tornou-se o principal suspeito. Ele era conhecido por mostrar órgãos humanos a seus convidados. Mais tarde, ele escapou para a França e depois para a cidade de Nova York, onde os registros mostram que, por razões desconhecidas, ele estava sob vigilância. Ele fugiu para o Caribe, onde uma série semelhante de assassinatos ocorreu em Kingston, e depois para a América Central, onde outra série de assassinatos ocorreu em Manágua. Mais tarde, ele voltou aos Estados Unidos, onde morreu.


Como nem tudo eram flores, o dublê de Armand Assante morreu durante o tiroteio. O nome do inspetor Frederick Abberline é pronunciado incorretamente por todos nesta produção. Deveria ser pronunciado "Abber-line", não "Abber-leen". Também não há evidências de que ele tenha algum tipo de problema com a bebida na vida real. O inspetor Abberline tinha 45 anos na época dos assassinatos do Estripador. Michael Caine era dez anos mais velho que seu personagem.

O prólogo de abertura declara: "Por mais de 100 anos, os assassinatos em Whitechapel cometidos por Jack, o Estripador, confundiram o mundo. O que você está prestes a ver é uma dramatização desses eventos. Nossa história é baseada em extensa pesquisa, incluindo uma revisão dos arquivos oficiais com permissão especial do Ministério do Interior e entrevistas com os principais criminologistas e funcionários da Scotland Yard. " No entanto, esta minissérie foi lançada exatamente cem anos após os eventos descritos, como dito acima. Quatro finais diferentes foram originalmente filmados. Na transmissão, William Gull foi revelado como o Estripador. Nos três finais alternativos não utilizados, George Lusk, Inspetor John Spratling e Príncipe Albert Victor foram revelados como o Estripador.


No final das contas, a minissérie é uma bela obra de ficção que você pode acreditar sem medo, porque nunca saberemos a real verdade.

Tecnologia do Blogger.