PARCERIAS DO CINEMA: WERNER HERZOG E KLAUS KINSKI

werner-herzog-e-klaus-kinski

Herzog e Kinski eram como dois generais lutando uma guerra dentro de um quarto pequeno. E generais de personalidades fortes. Isto provocou inúmeras brigas e pérolas incríveis, que viraram filme inclusive.

A dupla fez poucos filmes, sendo que 3 deles figuram sempre em listas dos melhores filmes do cinema. A genialidade de ambos fez com que eles quisessem literalmente se matar em cena. Mas não o fizeram. Ao contrário, conseguiram realizar obras primas inesquecíveis.

A cólera dos deuses

Talvez o nome Juliane Koepcke não queira dizer nada para você leitor. Mas o fato é que ela estava num voo onde Werner Herzog também seria passageiro. O trajeto seria do Peru para Iquitos, a Amazônia peruana. Herzog estava envolvido com o filme Aguirre, mas na última hora não viajou. O avião se espatifou no céu ao ser atingido por um raio. Literalmente se desfez e algumas pessoas foram arremessadas em queda livre. Dos quase 100 passageiros e tripulantes, uma sobrevivente: Juliane Koepcke

Se ele tivesse ido, não haveria nenhuma de suas obras primas. Para quem prega que Kinski era a bomba relógio da dupla, se engana. Eram os dois. Herzog não era fácil. Já cozinhou os sapatos e comeu pra cumprir uma promessa e encomendou a morte de Kinski com uma tribo peruana (precisou desfazer o acordo para terminar as filmagens e acabou desistindo depois).

Por outro lado, Kinski era uma força da natureza que aprontava todas. Insano, selvagem e genial. Era o próprio Fitzcarraldo, determinado com seu objetivo. Era o próprio Aguirre, um gênio ensandecido. Era o próprio Nosferatu: eterno.

➤Sinopse: 

No século XVI, algumas décadas após o fim do Império Inca, uma expedição espanhola segue em direção ao rio Amazonas em busca de ouro. Ameaças surgem de todos os lados, nada sai como planejado e o número de baixas só aumenta. Liderando o que sobrou do grupo está o insano Don Lope de Aguirre (Klaus Kinski), impávido na obsessão de encontrar o Eldorado.

➤Curiosidades:

Kinski quis abandonar o filme durante as filmagens. Para convencê-lo a voltar atrás, Herzog apontou uma arma para o ator e depois ameaçou suicidar-se caso ele seguisse adiante.
Indicado ao César de melhor filme estrangeiro em 1976.

➤Sinopse:

Jonathan Harker é enviado ao castelo do conde Drácula para vender-lhe uma casa em Virna, onde vive. Mas o Conde Drácula é um vampiro, um morto-vivo que vive do sangue de humanos. Inspirado por uma fotografia de Lucy Harker, esposa de Jonathan, Drácula se muda para Virna, trazendo consigo a morte e a peste ... Uma versão extraordinariamente contemplativa de Drácula, em que o vampiro carrega a cruz de não ser capaz de ficar velho e morrer.

☛ Leia a crítica do filme aqui: Nosferatu

➤Sinopse:

Início do século XX. Brian Sweeney Fitzgerald, mais conhecido como Fitzcarraldo (Klaus Kinski), é um homem extremamente determinado que possui a louca ideia de construir uma casa de ópera no meio da floresta amazônica. Para conseguir o dinheiro necessário, ele decide explorar borracha. O problema é que, para transportar o produto, ele terá que atravessar morros e matas com um barco.

➤Curiosidades:

A maioria das pessoas não imagina que o filme se baseia numa história real.
Originalmente, Jack Nicholson ia estrelar o filme, mas ele deixou a produção.
A cena em que Fitzcarraldo leva o barco por cima de uma montanha, arrastando-o pela terra, até chegar a um rio, do outro lado, aconteceu de verdade. Árvores imensas foram desmatadas para o barco poder transitar por ali.

➤Sinopse: 

Essa é a história de Francisco Manoel da Silva (Klaus Kinski), um bandido brasileiro conhecido como Cobra Verde. Quando o proprietário de uma plantação de açúcar sem saber de sua fama, contrata o insano e perigoso ladrão, recebe mais do que esperava... pois, em pouco tempo Cobra Verde engravidou todas suas filhas. Para se vingar, ele o envia para a África com uma missão impossível e mortal, reabrir o comércio de escravos. Porém, ele não só obtém sucesso em sua missão, como também consegue reunir e liderar um incontrolável exército de mulheres guerreiras - As Amazonas - em uma selvagem guerra contra o rei local. .

➤Sinopse:

A lendária e tempestuosa relação entre Werner Herzog e Klaus Kinski, duas figuras importantes do cinema. Um relacionamento de amor e ódio entre um diretor e um ator e sua convivência durante anos de trabalho. Uma parceria além do cinema, a profunda confiança na relação dos dois amigos que contribuíram para marcos na história do cinema e os conflitos entre ataques de fúria e as filmagens.


A Versátil lançou, nesta caixa em luva reforçada com 2 DVDs, duas clássicas adaptações do romance “Drácula” (1897), de Bram Stoker: “Nosferatu” (1922), de W.F. Murnau (“Aurora”), e “Nosferatu – O Vampiro da Noite” (1979), de Werner Herzog (“Fitzcarraldo”), em inéditas versões restauradas com quase cinco horas de vídeos extras, incluindo a versão do filme de Murnau com trilha de James Bernard, o famoso compositor da Hammer. Edição Definitiva Limitada com 4 cards.
  
Disco 1:

NOSFERATU (Nosferatu, eine Symphonie des Grauens 1922, 96 min.)
De W.F. Murnau.  Com Max Schreck, Alexander Granach, Gustav von Wangenheim. 

⇨ SinopsePrimeira adaptação, ainda que não autorizada, do “Drácula” de Bram Stoker e marco do cinema de horror, essa obra-prima expressionista do mestre W.F. Murnau conta os estranhos eventos que se sucedem quando o corretor Hutter vai visitar o misterioso Conde Graf Orlok nos Montes Cárpatos. Clássico apresentado tanto na versão restaurada pela Fundação Murnau em 2013 como na versão de 1995 do BFI.


Disco 2:

NOSFERATU – O VAMPIRO DA NOITE (Nosferatu: Phantom der Nacht, 1979, 107 min.)
De Werner Herzog. Com Isabelle Adjani, Bruno Ganz, Klaus Kinski.   

⇨ SinopseEm uma releitura tanto do romance de Bram Stoker como do filme de Murnau, Werner Herzog nos apresenta sua visão  da jornada de Jonathan Harker pelo reinado de horror do Conde Drácula (Klaus Kinski em magnífica atuação), um maligno vampiro que, obcecado pela esposa de Harker, a bela Lucy, levará a morte à cidade alemã de Wismar. Inédita versão restaurada no formato widescreen anamórfico.


Informações técnicas da edição:

Títulos em português: Nosferatu, Nosferatu – O Vampiro da Noite
Títulos originais: Nosferatu, eine Symphonie des Grauens, Nosferatu: Phantom der Nacht
País de produção: Alemanha
Ano de produção: 1922-1979
Gênero: Terror
Direção: W.F. Murnau, Werner Herzog
Elenco: Max Schreck, Alexander Granach, Gustav von Wangenheim, Isabelle Adjani, Bruno Ganz, Klaus Kinski
Áudio: Alemão Dolby Digital 2.0
Legenda: Português
Formato de tela: Fullscreen 1.33:1, Widescreen Anamórfico 1.85:1
Tempo de duração: 203 min.
Região: 4
Preto & Branco, Colorido
Faixa etária: 14 anos


Extras: Restauração de 1995 do “Nosferatu” de Murnau (88 min.), Especiais sobre o “Nosferatu” de Murnau (108 min.), Especiais sobre o “Nosferatu” de Herzog (83 min.)

Adquira aqui 
”Versátil

Tecnologia do Blogger.