MIDSOMMAR: O MAL NÃO ESPERA A NOITE (2019) - FILM REVIEW

midsommar-o-mal-nao-espera-noite-2019

Midsommar é um filme que tem muito a dizer. Principalmente para quem se dispor a enxergar. Uma obra de arte, daquelas que merecem tempo para apreciação, digerir seus significados e entender seus propósitos.

O texto de hoje não é uma crítica, afinal é uma obra prima e ponto. Hoje vamos explicar cada ponto da obra, seus simbolismos e compreender de fato a jornada que Ari Aster nos fez passar durante quase 2 horas e meia. Portanto, é um texto para quem assistiu ao filme. São spoilers do início ao fim.

Uma vez avisados, vamos à trama: Dani e Christian formam um jovem casal americano com um relacionamento prestes a desmoronar. Mas depois que uma tragédia familiar os mantém juntos, Dani, que está de luto, convida-se para se juntar a Christian e seus amigos em uma viagem para um festival de verão único em uma remota vila sueca. O que começa como férias despreocupadas de verão, toma um rumo sinistro quando os moradores do vilarejo convidam o grupo a participar de festividades que tornam o paraíso pastoral cada vez mais preocupante e visceralmente perturbador.


Hereditário e Midsommar tem um elemento em comum: a inevitabilidade. Em ambos os casos, os personagens parecem percorrer uma linha do tempo previamente traçada pelos ritualistas levando-os ao destino fatal. Fiz um texto explicando Hereditário (e pode ser lido aqui) e hoje é a vez de Midsommar.

Para começar, o significado do título: Midsommar, ou solstício de verão, é um feriado nacional idolatrado na Suécia e considerado uma das festas mais importantes do ano. Para os suecos é o primeiro dia de verão para realizarem uma espécie de carnaval. Mas segundo a lenda, o Midsommar é um ritual pagão para celebrar a fertilidade da natureza no dia mais poderoso do ano, quando os elementos mágicos são mais fortes. Isso significa dizer que é o exato momento em que o Sol e a Terra estão no auge de seus poderes reprodutivos.

Para quem não conhece, tanto no ritual pagão mostrado no filme quanto o midsommar atual, elementos são compartilhados, que vocês podem ver a seguir:


A coroa de flores: As flores são uma parte importante, uma vez que se acredita que elas retém a força da magia nesse dia e podem trazer boa sorte e saúde.

Dançar ao redor do mastro: chamado de majstången, o mastro é feito a partir de folhas, ramos, flores, fitas e duas argolas. Como na maioria dos costumes pagãos esse símbolo fálico representa a fertilidade e a força.

Cânticos: cantam para brindar, para comer, para dançar, para abraçar. Canta-se o tempo todo. Mesmo para aqueles que não sabem direito as palavras das canções suecas.

Neste universo criado por Ari Aster nada é por acaso. Nomes e números não ficariam de fora.


Os nomes:

Dani, a personagem interpretada por Florence Pugh, tem raízes judaicas e seu significado é "juiz divino". Ela conquistou o título de rainha de maio e isso a torna uma figura superior a todos os outros membros da comunidade e, portanto, comparável a uma divindade, ainda que obviamente, seja um posto temporário.

Christian, interpretado por Jack Reynor, é o representante do cristianismo. Seu comportamento questionável contém tudo o que é questionável, deturpado e equivocado no cristianismo hoje, . Dani o observara queimar com um misto de prazer e dor. É um momento que o ser humano e a divindade se confundem.

Josh, o estudioso interpretado por William Jackson Harper, é uma abreviação de Joshua. É a variante em inglês de Josué, e tem origem no hebraico Yehoshu’a, que significa “Deus é salvação”. Tem também o mesmo significado de Jesus. O nome sob a foma de Joshua foi utilizado na Inglaterra pós-reforma como nome cristão. O personagem bíblico do Velho Testamento Josué, foi um dos 12 espiões enviados por Moisés à Canaã, chegando a o suceder como líder de Israel. No filme é o que Josh faz: espiona. Ele está ali para documentar o ritual, mas quando começa a se aproximar de mais da verdade, é morto, no momento que decide espionar o livro ritualístico.


Pelle, provavelmente o único nome que não é de origem nórdica da comunidade. Talvez por esse motivo ele consiga entrar em contato com os personagens americanos e cumprir sua missão. Pelle, de fato, interpretado por Vilhelm Blomgren, seria basicamente a tradução sueca de Peter. O melhor, talvez predestinado, para deixar a comunidade para completar a missão exterior.

O nome da irmã é Terri. O nome traz significados interessantes: símbolo do mistério dos sonhos e ilusões. A Papisa ou a grande Sacerdotisa representa a grande divindade feminina, regente da a magia, é também a poderosa feiticeira.

Por não conseguir falar com a irmã, Dani abre a agenda e olha pensativa para os nomes. Alguns trazem significados, como Ella: Esperança, equilíbrio. Soluciona os problemas; Nathan: Esse arcano é neutro em nossas vidas e não a influencia positiva ou negativamente; Talia: influencia positivamente 70% da sua vida. Mas ela opta por Christian, que representa o Cristianismo, que é a habitual porta procurada por aqueles que têm problemas, principalmente emocionais.

Os outros nomes da agenda, além de Terri, são Papai, Mamãe e Casa, demonstrando afetividade familiar e como a perda dos entes queridos seria devastadora.

Christian já apresenta seu cartão de visitas, como uma pessoa calcada em erros, mas disfarçado de uma boa pessoa.


Números. Aliás. Número. Especificamente, o 9.

O número 9 tem uma participação importante em toda  a história, mostrado, muitas vezes, de forma específica, como no início, quando Dani diz ao namorado que mandou 3 emails para a irmã Terri. 3 é múltiplo de 9. Dani diz que ela ainda não respondeu. Isto denota que Dani ainda não chegou nos 9, mas como são múltiplos, mostra que é algo que ocorrerá rapidamente.

Na simbologia, o número 9 é o final de um ciclo e começo de outro. Este número está associado ao altruísmo, a fraternidade e espiritualidade.  Ele é representado pro 3 triângulos. Representa a plenitude espiritual. Ele traz um grupo de característica negativas e positivas que definem o filme: positivos - Amor, vemos isto na comunidade,  assim como fé, e generosidade. Pontos negativos: sacrifício, isolamento, e fanatismo, pontos também marcantes da comunidade.

O número de contatos da agenda da personagem é ... 9.

Dani Ardor tem 9 letras.
O festival dura 9 dias.
A primeira "viagem" do grupo com o chá, já na suécia, ocorre 9 da noite.


A placa do carro usado na viagem é ODW 774. 645 é o equivalente das letras. 645 774 somados da 33. 3x3 = 9

No discurso que precede o banquete, ele diz: "- Já se passaram 90 anos desde o último banquete", ou seja, o ciclo é múltiplo de 9.

Na apresentação dos dormitórios, Pelle diz que as fases da vida são como estações: as pessoas são crianças até os 18 (Primavera), jovens até 36 anos (Verão), trabalhadores até 54 (Outono), até 72, mentor (Inverno). Todos múltiplos de 9. Dani questiona neste momento o que acontece depois dos 72. Pelle faz um sinal característico de morte, e ela ri, atitude que mostra que ela esta não só aprendendo, mas se encontrando no lugar.

São 9 sacrifícios: Simon, Connie, Josh, Mark, um escolhido por Dani, entre um Harga selecionado aleatoriamente (eles usam uma máquina de bingo em runas) ou Christian, além de outros 4.


Bom, agora vou falar sobre cada detalhe, desde o início do filme. Na cena inicial, um telefone toca alto, chamando atenção para o que virá. A secretária eletrônica grava o recado da protagonista Dani, preocupada com os pais, que já aparecem mortos na cama. Ao lado, uma foto que não dá para identificar se é da Dani ou da irmã (que também descobriremos que está morta a seguir) envolta da coroa de flores. O cenário indica que aquilo não passou de um sacrifício, já que o trono de "rainha de maio" está disponível. Indica também que a foto é da personagem Dani. Por conta de vários elementos que vemos na sequência, o sacrifício maior foi feito pela irmã, que se sacrificou e matou os pais para que sua irmã fosse levada por Pelle para viver  na comunidade.

A irmã é tratada como bipolar, mas Dani é a depressiva, toma remédios para ansiedade (esperando sua vez de ser rainha, intuitivamente?). “Em certo momento, ela diz ao telefone que sua irmã manda emails dizendo besteiras sinistras, como ela sempre faz”. A situação deixa claro que Terri participava de algo fora de sua compreensão, ao mesmo tempo em que ela esperava que isto fosse eclodir em algo desconhecido, em algum momento.


Na cena seguinte, mostra os amigos sentados num bar conversando. Num dado momento, Pelle diz ao Christian - "Não se esqueça de todas as garotas que você pode fecundar em junho". Isto é um spoiler das intenções reais de Pelle, especificamente com Christian, algo que realmente ocorrerá no final do filme.

Terri e os pais são encontrados mortos, como dito. Ela usa duas cores bem evidentes nas roupas, destoando inclusive do cenário: laranja e azul, cores estas que carregam significados importantes. Laranja significa alegria, sucesso e azul, tranquilidade, harmonia, serenidade. Num cenário tão aterrador, pode parecer estranho que estas cores signifiquem algo tão antagônico, mas demonstra exatamente o estado de espírito que Terri fez os sacrifícios.

A neve (cenário inicial) pela sua alvura é um símbolo da castidade ou de intangibilidade. No cristianismo é por vezes associado à Virgem Maria. Na conversa do bar, os rapazes falam com Christian sobre sua namorada não fazer sexo com ele. E de fato, numa trama que há diversas menções sexuais, ela permanece imaculada até o fim. A atriz inclusive tem um ar infantil, fisicamente falando.


Dani acorda num quarto, provavelmente de Christian, onde na parede há um quadro significativo, mostrando a rainha e o urso. No final do filme, o urso é sacrificado para que, no ritual de sacrifício, sua pele envolva Christian. O urso é um símbolo de força.  Crenças declaram que o poder do Grande Espírito vive nos ursos.  O urso é ligado às árvores, consideradas antenas naturais que ligam o céu e a terra, ele também se associa às sete cores da Luz Universal, assim como à lua, relacionando a mente consciente à subconsciente.

Hibernar durante os meses frios de inverno significa que o urso sabe instintivamente o tempo certo e para onde ir. A partir disso, podemos perceber que é bom reconhecer que, às vezes, precisamos estar sozinhos para ponderar, refletir e examinar nossos pensamentos e emoções ou para onde estamos indo em nossa jornada. Precisamos confiar e seguir nossos instintos. O urso fica ativo durante a noite e o dia, diferente de outros animais, simbolizando sua conexão com a energia solar, força e poder, assim como a lunar e a intuição. Os poderes e ensinamentos nos mostram como desenvolver essa qualidade em nós mesmos. O inverno simboliza escuridão, morte e mundo interior (cena inicial).Com todo seu poder, mesmo assim ele se curva à rainha. Ou seja, o quadro mostra seu destino. Talvez uma lembrança trazida pelo amigo Pelle.

Na sequência, Dani vai a uma festa com seu namorado, e podemos perceber seu claro desconforto quando eles conversam sobre sexo. Mas sua atenção se volta repentinamente para Josh, quando falam da viagem que os rapazes irão fazer. Pelle diz que eles visitarão sua casa, em Halsingland, uma província histórica da Suécia, localizada no sul da região da Norlândia. Ao falar, Pelle olha diretamente para Dani, mostrando ali que sua intenção é que ela se interesse e vá com eles. Enquanto conversam, Pelle olha fixamente para Dani. Christian tenta desconversar, mostrando desinteresse que Dani vá, atitude esta que demonstra seu egoísmo, pensando somente em seu benefício próprio, reflexo da religião que ele representa.


Quando voltam para o apartamento de Dani, há um espelho ao lado da porta.  Colocar espelhos na porta de entrada, no lado oposto à abertura, ajuda a impedir que energias negativas  entrem nos ambientes. 

Uma dica sobre espelhos. Em geral as pessoas adoram colocar espelhos enormes na sala para dar ideia de espaço mais amplo.  Se este espelho fosse pequeno, não haveria nenhum problema. Mas, se for um espelho grande não é recomendado, pois irá rebater para fora da casa toda e energia que irá entrar por porta, tanto as boas, quanto as más.

Na casa do namorado, por exemplo, o espelho é em frente à porta, demonstrando que ele quer distância de qualquer energia, sendo ela ruim ou boa.

A casa da Dani é cercada de referências. Tudo tem um motivo. Quadros, piso, espelho  (já mencionado acima). Ela por exemplo, possui muitos livros. Mas muitos mesmo, demonstrando sua busca incessante por conhecimento ou autoconhecimento. O piso da cozinha é um xadrez chamativo. Já que o quarto é bem pequeno, não haveria uma função para ele natural que não fosse mostrar algo para o público. O Xadrez representa o dualismo, uma crença segundo a qual o bem e o mal são apenas duas faces da mesma moeda.


Assim os quadrados brancos juntos com os negros representam algo como o Yin e o yang, isto é, o bem e o mal são necessários um ao outro para que haja evolução e se interpenetram. Esta dualidade permeia a personalidade de Dani durante o filme, principalmente quando ela toma o chá a primeira vez na Suécia, mostrando ali seus dois lados, como verá mais abaixo.

De volta à casa de Chrstian, podemos ver como ele não dá a menor atenção a Dani, enquanto que Pelle para o desenho que estava fazendo para conversar com ela, sempre olhando fixamente. Pelle demonstra paz e tranquilidade na conversa, mostrando o quão feliz está de Dani ter resolvido ir. Ele inclusive conta para Dani que sofreu uma perda semelhante, denotando seu caráter manipulador, afim de que ela em algum momento se identifique com ele (pela dor), já que o namorado e ela não tem a menor afinidade. Ele nem mesmo a parabeniza pelo aniversário, e quando o faz, é de forma atrapalhada.

A conexão de ambos é tão imediata (Dani e Pelle), que ao entrar na porta do banheiro da casa do namorado, a porta leva para o banheiro do avião, já a caminho da Suécia. Quase como se nada mais importasse no caminho a não ser o objetivo final. A cena representou também o real início do conto de fadas macabro, fazendo assim uma referência explícita a Alice no país das maravilhas. Ao mesmo tempo, percebemos como a personagem continua isolada, triste e perdida. A obra de Lewis Carroll conta a história de uma menina chamada Alice que cai numa toca de coelho que a transporta para um lugar fantástico povoado por criaturas peculiares 

A turbulência, tão comum em aviões, é tratada de forma pontual, significando a sacudida que sua vida irá levar.  No caminho, duas situações singulares. Na plantação, podemos ver o "O olho que tudo vê " que é um poderoso símbolo esotérico  que significa poder espiritual mais elevado ou de Deus, um vigilante da humanidade.  Ao mesmo tempo, a câmera fica invertida, mostrando que seu mundo virará de ponta cabeça. E a mudança da câmera, mostra que este acontecimento será permanente. Ao chegar ao destino, a câmera gira, mostrando ao personagem (e para o público) que aquele mundo fará sentido para ela.  


Ao chegar são recepcionados com chás. Repare as cores da roupa da protagonista. São as mesmas da irmã, sendo apenas um pouco mais claras, demonstrando que, se por um lado ela busca se reencontrar, por outro ela intuitivamente sabe que esta no caminho certo.

Durante a "viagem" com o chá, cada um tem uma reação, porém Pelle induz Dani a se conectar com a terra.  Porém a personagem tem um pequeno surto. Ela estava se conectando com o ambiente, mas sua consciência veio a tona momentaneamente, fazendo ela se sentir perseguida. Ela procurou um lugar (uma cabana, que se assemelha à simplicidade de sua casa, ambiente que ela se sentia segura). Ao entrar, se olha em um espelho, buscando sua autoafirmação novamente, mas no espelho, ela vê um vulto, e ao descobrir que possivelmente não estava sozinha, sai correndo pelo mato, tendo visões da sua família, principalmente sua irmã, que a olha com um olhar bem significativo, como se ela estivesse onisciente, vigiando ou mesmo guiando seus passos.

A visão turva dentro da cabana tem um significado. Com o efeito do chá, Dani tem acesso aos seus dois "eus" e o que ela vê é um reflexo do seu outro lado.


O filme, como dito acima, é assumidamente um conto de fadas macabro, visto que o próprio diretor afirmou isto. Sendo assim, há sempre elementos pontuando a trama de alguma forma, mostrando isto. Quando Dani esta chegando à vila, após tomar o chá, ela anda por um caminho amarelo, lembrando a estrada de tijolos amarelos (a famosa yellow brick road) que Dorothy percorre para chegar em Oz, que é outra trama que mostra uma troca de mundos, onde um furacão (que representa um grande acontecimento) leva a personagem de um mundo preto e branco para um colorido, ou seja de  um mundo que não faz tanto sentido para ela para um que fará. No filme Midsommar é exatamente isto que acontece.  As flores amarelas normalmente são associadas à amizade, alegria, felicidade e recomeço.

A yellow brick road os leva para a vila. Eles são recepcionados com morangos.  O morango simboliza a sensualidade, o erotismo, a energia sexual, o amor, a paixão, a fertilidade, a tentação, a perfeição. O morango é utilizado em poções e chás para trazer a energia necessária bem como aproximar o ser amado. Por esse motivo, acreditam que se duas pessoas dividem dois morangos estão destinadas a se apaixonar.


Um detalhe curioso: antes de começar o festival, eles brindam dizendo “skål”, que é saúde em sueco. Daí veio o nome da cerveja Skol (já que a pronúncia é com O).

Simon: Então vamos ignorar o urso?
Ingemar: Bom, é um urso.

Pelle parabeniza Dani novamente com um desenho, mostrando ela com a coroa das mulheres que disputam o posto de rainha de maio. No desenho há dois símbolos que se assemelham ao número 18, que também é múltiplo de 9. Ele pede a ela que fique somente entre os dois, demonstrando suas intenções.

Na conversa, ela diz que o namorado esqueceu-se de parabenizar seu aniversário. Pelle se surpreende, mas ela diz que a culpa é dela por esquecer-se de lembrá-lo. Este é um comportamento típico de uma pessoa que se sente culpada pelos erros dos outros, reforçando a ideia de que a personagem precisa de um alívio e uma mudança interior bem radical para se sentir mais realizada.


Vamos fazer uma pequena pausa e colocar conceitos de alguns elementos que vemos em cena:

Solstício de Verão:

Solstício de Verão é um fenômeno da astronomia que marca o início do Verão. É o instante em que determinado hemisfério da Terra está inclinado cerca de 23,5º na direção do Sol, fazendo com que o planeta receba mais raios solares. O termo “solstício” tem a sua origem no latim solstitius que significa "ponto onde a trajetória do sol aparenta não se deslocar". No solstício de Verão ocorre o dia mais longo do ano e, consequentemente, a noite mais curta, em termos de iluminação por parte dos raios do Sol. O solstício acontece graças aos fenômenos de rotação e translação do planeta Terra, pois graças a eles a luz solar é distribuída de forma desigual entre os dois hemisférios.

Foto acima de um Midsommar real

Ättestupa:

Ättestupa  é um nome dado a vários precipícios na Suécia. Ele indica os locais onde o ritual de senicídio (morte dos mais velhos, de forma impositiva, por crença)  vai acontecer. Os idosos se jogam ou são jogados para a morte. O fato ocorre quando o ciclo da vida dele esta completo, e ele não tem mais função útil na casa ou comunidade onde mora.

O garoto deformado:

O rapaz é deformado por endocruzamento (acasalamento de indivíduos que são geneticamente próximos). É um efeito proposital, para criar um ser humano mais puro, mais aberto ao mundo espiritual, Ele é quem decide o que será escrito no livro sagrado.

O Amarelo:

Assim como o número 9, o amarelo é um elemento de cena importante. A cor amarela significa luz, calor, descontração, otimismo e alegria. O amarelo simboliza o sol, o verão, a prosperidade e a felicidade. É uma cor inspiradora e que desperta a criatividade. Já citei acima alguns casos que o amarelo predomina. Um dos mais marcantes é o templo sagrado onde o ritual final acontece. Ele é um amarelo forte, que destaca na paisagem.


E mais cores ....

No ritual de passagem, contrastando com todos que usam branco, os dois idosos usam azul, assim como as pessoas que os levam para o alto da montanha. A cor azul está relacionada com a nobreza e costuma ser usada para transmitir harmonia, tranquilidade e serenidade.

Por que Christian foi colocado no urso?

Primeiramente, faz parte de um ritual, que por si é algo arbitrário, calcado em linhas escritas pelas pessoas que o criaram. Todo ritual é assim. No caso do filme, ele se baseia no mito nórdico em que os guerreiros chamados Berserkers lutavam em transe. Em algumas versões do mito, eles se transformaram em um urso. Os Berserkers mortos eram às vezes colocados em peles de urso antes dos ritos funerários.  Pode ainda ser visto como uma demonstração de submissão, visto que até um urso se curva perante a rainha.

Porque Josh foi enterrado daquela forma bizarra?

Ao sair correndo nu pelo campo, Christian vê Josh enterrado de ponta cabeça.  Pesquisadores afirmam que é uma forma de passagem humilhante para o morto. Josh foi avisado de que não poderia fazer fotos do livro sagrado e mesmo assim premeditou o ato na madrugada, quando todos estavam dormindo, passando por cima das crenças dos locais, além de desrespeitar os anciãos que os hospedaram.


Simon morto no galinheiro:

Se você está se perguntando como alguém poderia inventar essas coisas, Aster fez meses de pesquisas sobre técnicas de tortura viking. O destino de  Simon está alinhado com o método da "águia de sangue" de execução por tortura, um tipo prolongado de morte. Quando Chrstian se aproxima dele, podemos ver que Simon está vivo.

Pinturas e telas:

Desde a primeira cena, as imagens que vemos são spoilers do que acontecerá. A imagem inicial, por exemplo, conta a história do início ao fim.

No apartamento de Christian, vemos uma pintura do artista Mu Pan.. O trabalho faz parte de uma série chamada "Dinoassholes", um título que parece muito apropriado para o personagem de Christian, dado seu tratamento insensível a Dani.


O quadro do Urso com a mulher é feito pelo artista sueco "John Bauer" e é chamado de Stackars lilla bamse.


Uma das peças mais importantes, o barracão, tem suas paredes internas  cobertas por murais elaborados e pintados pelo artista Ragnar Persson e baseados na arte medieval. Se você olhar de perto, essas imagens realmente revelam grande parte da trama.

Além dos murais dos barracões, há uma tapeçaria no campo aberto que  descreve uma história de amor bizarra em que uma garota coloca seu sangue menstrual e pelos pubianos na comida e bebida de um rapaz para fazê-lo se apaixonar por ela. É exatamente isso que Maja faz com Christian. Você pode ver aqui que a bebida dele é mais escura que as outras, com um tom avermelhado. E ele puxa um pelo pubiano da boca depois de dar uma mordida na torta.

Quando Dani pergunta a Pelle, se os quadros na parede são das Rainhas de maio, ele responde: "- sim, você inclusive está aqui para isto". Com a resposta, ele entrega a ela o que já sabíamos que foi um circo armado para ela ser a Rainha.


O respiro de Dani:

O "respirar" da personagem Dani é um elemento importante e  recorrente ao longo do filme. O modo como a família de Dani morre (envenenamento por monóxido de carbono) justapõe-se à respiração pesada da personagem retratada no filme. Há sempre cenas pontuais que mostram ela a ponto de perder o equilíbrio respiratório, o que finalmente acontece quando ela está na vila, acompanhada de outras mulheres, momentos depois de ver Christian participando de um ritual sexual. A cena é angustiante.

Ari Aster até revelou isso nas instruções para as filmagens da "viagem" da personagem ao tomar o chá quando chega à localidade. Ele disse à equipe de efeitos  que as árvores deveriam parecer "respirar", que é exatamente o que acontece. O exemplo mais óbvio de respiração proeminente e incomum em Midsommar é o gesto de “hoh-hah” do Hårga, um som característico para este filme, da mesma forma que o clique de Charlie em Hereditário.


Futhark antigo:

O Futhark antigo é a versão do alfabeto rúnico usada na Escandinávia e Alemanha desde o século II até ao século IX. Foi sucessivamente substituído pelo Futhark recente. É constituído por 24 caracteres conhecidos como runas.

Runas:

São um alfabeto que foi usado no norte da Europa antes da eventual adoção do alfabeto latino. Cada runa tem um nome e um som, além de um determinado significado. "ᚢ", por exemplo, é a runa Ur que significa "boi" ou "água".

Por causa de seus significados imbuídos, as runas às vezes são usadas para tentar ler o futuro. Hoje, a aplicação mais conhecida do folclore das runas é a adivinhação. Fichas ou pedras marcadas com as runas são desenhadas, lançadas ou dispostas em padrões como cartas de tarô. No lançamento de runas, "ᚢ" pode se referir ao conceito de força de vontade ou corpo, por exemplo. No filme há algumas bem notáveis:


Na cena da pedra com sangue é bem notável duas Raidô e uma Tiwaz. A cena se refere ao sacrifício dos idosos.
Tiwaz: ᛏ- Deus, sacrifício
Raidô: ᚱ- Passeio, viagem

Odal:  ᛟ é a runa mais comum que você vê em Midsommar devido à sua associação com grupos familiares e herança. Aster usa Odal para se referir às más tradições transmitidas por centenas de anos entre os cultistas suecos em nome de proteger sua família. A runa aparece em muitos dos painéis da pensão dos suecos, bem como no arranjo da mesa de jantar.


Ansuz: ᚨ-  Esta runa está associada à liderança, poder divino e sabedoria, indicando o status de Siv no clã.
Inguz e Gebo: ᛜ e ᚷ - Quando as runas são entrelaçadas em uma única imagem, elas são ditas "ligadas" . Inguz (ᛜ) é um símbolo de fertilidade, condizente com um culto sexual. A runa Gebo (ᚷ), entretanto, está fortemente associada a presentes e generosidade. Presumivelmente, esse sentimento aqui se refere ao sacrifício dos tributos vivos e mortos trancados no templo, que estão prestes a devolver seus corpos à Terra para que o culto possa continuar a cultivar alimentos e prosperar.

Algiz: ᛉ- A pedra rúnica adorada por um casal de idosos antes de seu terrível suicídio é outro exemplo de uma runa amarrada, contendo os símbolos acima mencionados ᚷ ("presente", presumivelmente usado aqui no contexto do sacrifício físico) e ᛈ ("um ritual secreto"). No meio da pedra está a runa Raido, que será discutida abaixo, enquanto no topo está a runa bifurcada Algiz, mas mostrada ao contrário, com as pontas apontando para baixo.


Raido (novamente) e Dagaz: ᚱ e ᛞ - Quando Dani finalmente recebe seu próprio vestido tradicional, ele tem duas runas invertidas: "Raido" e "Dagaz". Raido (ᚱ) é usado em sua forma regular para significar viagem, jornada ou reunião. Dagaz (ᛞ) normalmente significa um despertar, amanhecer ou um novo começo. 

Voltando à história:

Quando Christian faz sua tentativa de acender a vela do bolo de aniversário, ao fundo há 4 jovens e uma senhora com um recém nascido. São duas pessoas, por tanto, comemorando nascimento. Desta forma, para o ciclo continuar, duas pessoas comemorarão o fim de suas vidas, que é o que ocorre a seguir. 

A conexão entre as duas almas que se vão com as duas que "nascem" para aquela vida é bem interessante e diferente uma da outra. A idosa, antes de morrer, olha fixamente para Dani e pula para uma morte definitiva.  Já o senhor, que é a contrapartida do neném, pula, mas não morre de imediato, precisando ser "ajudado". As duas mortes tem relação com a autonomia dos "recém-nascidos". Enquanto um conseguirá caminhar com suas próprias pernas, o outro precisará de ajuda.


Depois do ritual, Dani manifesta vontade de ir embora. Claramente uma atitude refletindo o trauma da morte dos pais, já que no ritual, morrem duas pessoas. Pelle novamente reforça que entende ela já que perdeu os pais muito cedo, num incêndio. Na verdade, os pais morreram num ritual de ascensão como da rainha de maio, igual ao que veremos no final do filme.

O filme passa a seguir o rumo esperado. O povo de Harga toma decisões mais brutais para que o ritual da rainha de maio aconteça como planejam, fazendo os sacrifícios necessários. Primeiro os anciãos do local permitem que Christian faça sua tese do local, o que sabemos, não tem o menor problema já que ele morrerá no ritual. Assim como o casal, que quase surtou com as mortes dos idosos na montanha, que saem de cena (quase) sem deixar rastros.

Quando Pelle dá a notícia para Christian, favorecendo-o, também diz a ele que sua irmã Maja gostou dele. Sabemos disto desde o início, já que ela flerta com ele a todo tempo (ela quem dá um chute em suas costas quando dançam a fim de chamar sua atenção). E como Christian precisa acasalar com Maja, mas ele não estava muito ligado nela, Pelle dá uma mão. Ao mesmo tempo, um dos seus amigos, Mark, faz xixi em uma árvore sagrada. Já que precisavam de motivos para ceifar sua vida, ele mesmo deu. Assim como Josh, que é pego no flagra espionando o livro sagrado Rubi Radr.


Quando o rapaz do casal desaparece, um ancião diz a sua noiva que ele foi embora, e que é para ela encontrá-lo num trem que partirá em ...90 minutos. (mais uma vez o número 9 aparecendo...)

Tem-se início à dança que indicará a rainha de maio. No mesmo momento, Christian é chamado na casa branca com diversas cartas de significados diversos nas paredes. Neste ponto, inicia a trajetória final dos personagens na história do filme. Dani será coroada ao passo que Christian toma consciência de ser o alfa no acasalamento com Maja (que ceifará sua vida depois no ritual da casa amarela). Seus caminhos assim, seguirão trajetórias opostas, mas que serão conflitantes, já que o urso se curvará à rainha. 

Um detalhe: durante o processo de coroação, várias situações importantes ocorrem. Pelle beija Dani na boca, demonstrando que sua intenção (ou destino) sempre foi ficar com ela. Dani vê sua mãe, mas esta tem um olhar de reprovação. O filme nos leva a crer que os pais prefeririam que Terri fosse escolhida a rainha, mas ela, por alguma razão, foi sacrificada para que a irmã tomasse o trono. E por fim, o mais bizarro. Como podemos ver na imagem abaixo, no mato, conseguimos ver o rosto da irmã, observando o evento (com um dos olhos brancos e o cano na boca, conforme sua morte).


Resumo da ópera: Dani é a pobre donzela que viaja para uma terra distante e descobre seu direito real de nascimento. Christian é o príncipe inepto. Mark é o bobo da corte (que inclusive é representado assim em sua morte). Josh é o mago cuja busca por adquirir mais  conhecimento. E Pelle é o guia. Uma especie de Gollum com príncipe das trevas. 

E não se engane. O mundo ali é do mal. Mas isto não significa, necessariamente, algo ruim, afinal, em todos os casos, o melhor caminho é uma questão de ponto de vista. E na última cena, Dani sorri, demonstrando que finalmente conseguiu se encontrar e dar um sentido à sua vida.


Tecnologia do Blogger.