SALÁRIO DO MEDO (1953) - FILM REVIEW

salario-do-medo-1953-film-review

Salário do medo é daquelas obras primas atemporais, que dizem muito mais que as linhas que definem sua história.  No filme, Quatro homens desempregados e miseráveis, que vivem em condições quase desumanas em um pequeno vilarejo da Guatemala, aceitam uma perigosa e desafiadora missão: transportar uma carga altamente explosiva de nitroglicerina em caminhões sem nenhuma estrutura para tanto, ao longo de estradas em péssimas condições, até um incêndio que está acontecendo em um poço de petróleo de uma extratora estadunidense. 

Se transpormos o filme para nossas vidas, já pensaram quantas vezes estivemos nas mesmas condições? Não necessariamente no sentido literal, mas no figurado. Quantas vezes somos obrigados a transportar uma carga perigosa nas nossas vidas, na maioria das vezes, consequências de nossas próprias escolhas.


O filme é dirigido por  Henri-Georges Clouzot, um mestre que chamou atenção até de Alfred Hitchcock.  Henri inclusive flertou com o universo "hitchcockiano" com "As diabólicas", mas isto é papo para outra hora.  

O salário e a produção

Como diversas filmagens que ocorrem fora de estúdio, ela foi repleta de situações complicadas. As filmagens estavam programadas para durar nove semanas. Mas atrasos e mais atrasos impediram que o prazo se cumprisse. Yves Montand e Charles Vanel sofreram de conjuntivite após filmar em uma poça de petróleo bruto e serem expostos a gases. 

 O sul da França teve uma estação incomumente chuvosa naquele ano, fazendo com que veículos parassem, guindastes caíssem e conjuntos fossem arruinados. O diretor Henri-Georges Clouzot quebrou o tornozelo. Véra Clouzot ficou doente. A produção foi de 50 milhões de francos acima do orçamento inicial. Com os dias se aproximando do inverno, a produção foi interrompida por seis meses. A segunda metade do filme foi finalmente concluída no verão de 1952.


Alias, esta foi a estreia no cinema de Véra Clouzot . Ela era a esposa do diretor Henri-Georges Clouzot . Ela atuou em apenas três filmes, todos pelo marido. Brasileira, Véra Gibson-Amado era prima de Jorge Amado. Véra morreu em Paris em 1960 aos 46 anos, vítima de um ataque cardíaco. 

Henri-Georges Clouzot originalmente planejava filmar  na Espanha, mas Yves Montand se recusou a trabalhar lá enquanto o ditador fascista Francisco Franco estivesse no poder. As filmagens ocorreram no sul da França, perto de Saint-Gilles, em Camargue. A vila vista no filme foi construída do zero. Jean Gabin recusou o papel que acabou indo para Charles Vanel, porque ele não achava que seus fãs pagariam para vê-lo interpretar um "covarde".

Este foi o primeiro filme a ganhar a Palma de Ouro no Festival de Cannes e o Urso de Ouro no Festival de Berlim. As acusações de antiamericanismo levaram o censor norte-americano a cortar várias cenas importantes do filme. Assim sendo, muitos assistiram a versão de 2 horas e 11 minutos, e não a oficial, com 2 horas e 27 minutos.


Em 1977, William Friedkin (“Operação França”, “O Exorcista”) dirigiu “O Comboio do Medo”, mostrando uma nova versão da mesma história, mudando porém alguns detalhes como local e época. A produção é estrelada por Roy Scheider e Francisco Rabal. E apesar de ser um remake, também é uma obra prima e considerada por muitos, ainda melhor. Outra versão, menos famosa pelos motivos certos, saiu em 1958, chamada Violent Road. Ela foi dirigida por Howard W. Koch,

O livro

O romance original: "O salário do medo", escrito por Georges Arnaud foi publicado em outubro de 1950 e tinha 203 páginas. Arnaud foi escritor, jornalista investigativo e ativista político. Depois de obter seu bacharelado, ele estudou língua e literatura. Ele então se mudou para Paris e se formou em direito em 1938.

Na noite de 24 para 25 de outubro de 1941, o pai de Henri (um arquivista adjunto do Ministério de Relações Exteriores), tia e um funcionário foram assassinados no castelo da família. Henri Girard, o único sobrevivente, deu o alarme na manhã seguinte aos funcionários do castelo. Nas misteriosas circunstâncias do assassinato, Henri foi preso. Ele passou dezenove meses na prisão, onde, por causa da guerra, foi negligenciado e deixado para morrer de fome e frio. Seu tardio julgamento começou em 27 de maio de 1943 e o júri absolveu-o em 2 de junho.


Henri Girard, posteriormente, residiu em Paris de 1943 a 1947, onde se casou com uma jovem cantora, Suzanne Graux, para quem escreveu canções e com quem teria dois filhos. Algumas de suas músicas foram tocadas por Edith Piaf (como Les Hiboux ). Desgostoso com o poder do fascínio do homem por dinheiro, ele rapidamente gastou a herança da família, doando para uma série de boas causas. Em dívida e querendo ser esquecido (especialmente por seus credores), ele partiu para a América do Sul em 2 de maio de 1947. De volta à França em 1950, ele publicou seu primeiro romance, O salário do medo, inspirado em sua jornada. Ele passou a usar o pseudônimo Georges Arnaud.

Ou seja, sem sua tragédia pessoal, não teríamos um dos grandes filmes do cinema. Fica valendo aquele ditado sobre escrever certo por linhas tortas...



Obras-Primas do Cinema lançou uma coleção de um dos mais célebres diretores do cinema europeu: HENRI-GEORGES CLOUZOT. Contendo 4 clássicos do diretor acomodados em 2 DVD’s, todos remasterizados e com quase 40 minutos de extras! Edição limitada em digipak com 4 cards!

Disco 01:

O Salário do Medo (Le salaire de la peur, 1953, 1.37:1, Preto e Branco, 147 min.)
Elenco Principal: Yves Montand, Charles Vanel, Peter van Eyck.

U+21F0.gif Sinopse:

Las Piedras é um vilarejo controlado pela Southern Oil Company (S.O.C.) que está tomado pela pobreza. Quando um incêndio é iniciado em um poço de petróleo perto do lugar, o presidente da S.O.C emprega um grupo de homens para ir de caminhão ao local e prevenir novos acidentes. O verdadeiro problema surge quando obstáculos começam a aparecer, sendo o primeiro uma íngreme montanha.

O Assassino Mora no 21 (L'assassin habite... au 21, 1942, 1.37:1, Preto e Branco, 82 min.)
Elenco Principal: Pierre Fresnay, Suzy Delair, Jean Tissier.

U+21F0.gif Sinopse:

O investigador Wenceslas Wens é designado para esclarecer o caso de um serial killer que deixa cartões de visitas a suas vítimas. A amante do inspetor, a atriz carreirista Mila Malou, resolve se promover, ajudando o amado. Wens prende suspeitos, mas os crimes continuam acontecendo.


Disco 02:

Sombra do Pavor (Le corbeau, 1943, 1.37:1, Preto e Branco, 91 min.)
Elenco Principal: Pierre Fresnay, Ginette Leclerc, Micheline Francey.

U+21F0.gif Sinopse:

Um pacato vilarejo francês é assombrado por cartas que espalham boatos e revelam segredos dos habitantes do lugar. Lentamente as pessoas passam a se voltarem umas contra as outras numa atmosfera de suspense e loucura que toma conta da cidade.

O Mistério de Picasso (Le mystère Picasso, 1956, 1.37:1, Preto e Branco e Colorido, 78 min.)
Elenco Principal: Pablo Picasso, Henri-Georges Clouzot, Claude Renoir.

U+21F0.gif Sinopse:

Em 1955, Clouzot conseguiu convencer seu amigo Picasso a fazer um documentário de arte, onde ele registrava o momento da sua misteriosa criatividade. Para o filme, o mestre criou 20 telas. Usando uma tinta e papel especial, Picasso criou rapidamente fantásticos desenhos onde Clouzot foi filmando no lado inverso da tela, capturando sua criação em tempo real. Quando o artista decidiu pintar em óleo, Clouzot mudou a cor do filme e usou a técnica de animação em stop-motion. Pelo contrato, todas as telas pintadas foram destruídas quando o filme foi finalizado. O governo francês declarou em 1984 este documentário um tesouro nacional.

U+21F0.gif Extras:

Entrevista com Marc Godin, biógrafo de H. G. Clouzot (10min)
A obra-prima amaldiçoada de Henri-Georges Clouzot (26min)

U+21F0.gif Informações Técnicas:

Título: Henri-Georges Clouzot
País de Produção: França | Itália
Ano de Produção: 1942 | 1956
Gênero: Drama | Suspense | Biografia
Elenco Principal Yves Montand, Pierre Fresnay, Pablo Picasso, Ginette Leclerc, Charles Vanel, Suzy Delair, Peter van Eyck, Jean Tissier, Micheline Francey.
Áudio: Dolby Digital 2.0
Idioma: Francês
Legendas: Português | Inglês
Duração Aproximada: 398 minutos
Região: Aberto para todas as zonas (Livre)
Formato de Tela: 1.37:1
Cor: Preto e Branco | Colorido
Quantidade de Discos: 02
Faixa Etária: 14 Anos, Contém: Violência e Conflitos..


Tecnologia do Blogger.