ERA UMA VEZ EM HOLLYWOOD ... EM 10 FILMES

era-uma-vez-em-hollywood-em-10-filmes
Um símbolo único do cinema, Hollywood atrai turistas com pontos de referência como o TCL Chinese Theatre e a Calçada da Fama, repleta de estrelas famosas que deixaram suas marcas. Os destaques incluem os estúdios da Paramount Pictures, espaços históricos da música como o Hollywood Bowl e o Dolby Theatre, que abriga a premiação do Oscar. Os fãs podem escolher entre clubes com apresentações de comédias e improvisações, bares retrô descolados e casas noturnas privadas. Os moradores locais frequentam os restaurantes em Thai Town, nas proximidades.

Hollywood é sinônima de cinema, ainda que muitos autores que conheçam ela "por dentro", fujam de lá. Tarantino, um dos diretores que mais amam cinema, faz de suas produções uma colcha de retalhos com homenagens a filmes antigos famosos ou não. 

Seu mais recente filme “Era uma vez em Hollywood” é um painel de uma época hollywoodiana, e como sempre, faz uma crítica mordaz ao período. E não é de hoje que o cinema fala de Hollywood. Separamos 10 dicas produções importantes, a maioria premiadíssima, para assistirem.

Boa sessão:

Direção: Billy Wilder

Para fugir dos representantes de uma financeira, Joe Gillis (William Holden) se refugia na decadente mansão de Norma Desmond (Gloria Swanson), antiga estrela do cinema mudo. Quando Norma descobre que Joe é roteirista, contrata-o para revisar o roteiro de Salomé, que marcará seu retorno às telas. O filme é insuportável, mas o pagamento é bom e como ele não tem muito o que fazer, aceita. Mas o destino lhe reserva surpresas.

Direção: Vincent Minnelli

Inescrupuloso produtor do filme Jonathan Shields (Kirk Douglas) é uma criança de Hollywood, que impiedosamente labuta seu caminho até o topo do sistema de estúdio, descartando a estrela de cinema Georgia (Lana Turner), diretor Fred Amiel (Barry Sullivan) e escritor James Lee Bartlow (Dick Powell) ao longo do caminho. Embora Shields os manipule e deixa cada um em desespero, eles encontram o sucesso em Hollywood, graças em parte a Shields.

Direção: Stanley Donen

Em 1927, Hollywood, está um verdadeiro rebuliço, com a transição do cinema mudo para o falado. Don Lockwood e Lina Lamont, o casal mais querido do cinema mudo, prepara-se para rodar um musical. Mas, infelizmente, Lina, não só não sabe cantar, como tem uma voz horrível. A estreante, Kathy Selden, é chamada a emprestar sua voz à estrela. As gravações são uma confusão, mas tudo piora quando Don, se apaixona pela doce Kathy. Ao lado de seu inseparável amigo, o compositor Cosmo Brown, ele tenta mostrar ao mundo o talento de Kathy.

Direção: Elia Kazan

Hollywood, anos 30. Monroe Starr (Robert De Niro) é um determinado, frio e poderoso produtor que conduz duramente o seu estúdio, pois lida com diretores obstinados e atores temperamentais. Paralelamente ele fica fortemente envolvido com Kathleen Moore (Ingrid Boulting), uma jovem mulher que foi criada na Inglaterra e, como ele, é fria e determinada. Este envolvimento fará com que Monroe não seja olhado com bons olhos.

Direção: Robert Altman

Baseado em livro de Michael Tolkin e adaptado para o cinema por ele mesmo. É o olhar do diretor Robert Altman na fogueira das vaidades de Hollywood. Tim Robbins é um inescrupuloso executivo de estúdio (Tim Robbins) pressionado por série de fracassos de bilheteria consecutivos começa a receber ameaças anônimas. Obcecado com as mensagens, ele mata o roteirista que acredita ser o responsável e tenta driblar as investigações policiais.

Direção: Frank Oz

Bobby Bowfinger (Steve Martin) é um produtor que há anos tenta emplacar um sucesso de bilheteria. Seu próximo filme terá tudo que um filme arrasa-quarteirão precisa: ação, alienígenas, uma bela mocinha (Heather Graham) e Kit Ramsey (Eddie Murphy), o maior astro de Hollywood do momento. Só tem um pequeno problema: Kit não sabe que está escalado para o papel.

Direção: Martin Scorsese

Howard Hughes (Leonardo DiCaprio) ficou milionário já aos 18 anos, devido à herança que seu pai, um inventor texano, deixou para ele. Pouco depois ele se mudou para Los Angeles, onde passou a investir na indústria do cinema. Hughes ajudou a carreira de vários astros, como Jean Harlow (Gwen Stefani), e ainda trabalhou em filmes de grande sucesso, como "Hell's Angels", que dirigiu. Paralelamente Hughes se dedicou a uma de suas maiores paixões, a aviação, e se envolveu com as atrizes Katharine Hepburn (Cate Blanchett) e Ava Gardner (Kate Beckinsale).

Direção: Michel Hazanavicius

Na Hollywood de 1927, o astro do cinema mudo George Valentin (Jean Dujardin) começa a temer se a chegada do cinema falado fará com que ele perca espaço e acabe caindo no esquecimento. Enquanto isso, a bela Peppy Miller (Bérénice Bejo), jovem dançarina por quem ele se sente atraído, recebe uma oportunidade e tanto para trabalhar no segmento. Será o fim de sua carreira e de uma paixão?
A dupla Jean Dujardin e Bérénice Bejo ensaiaram suas cenas de dança no mesmo estúdio de Debbie Reynolds e Gene Kelly.

Direção: Damien Chazelle

 Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.
Gravado no mesmo estúdio em que clássicos da MGM como Cantando na Chuva (1952) e O Mágico de Oz (1939) foram gravados.

Direção: Quentin Tarantino

Los Angeles, 1969. Rick Dalton (Leonardo DiCaprio) é um ator de TV que, juntamente com seu dublê, está decidido a fazer o nome em Hollywood. Para tanto, ele conhece muitas pessoas influentes na indústria cinematográfica, o que os acaba levando aos assassinatos realizados por Charles Manson na época, entre eles o da atriz Sharon Tate (Margot Robbie), que na época estava grávida do diretor Roman Polanski (Rafal Zawierucha).



Tecnologia do Blogger.