MULHER MARCADA (1937) - FILM REVIEW

mulher-marcada-1937-film-review.

Mulher marcada


Mary Dwight (Davis) é anfitriã de uma boate que foi recém-adquirida por um mafioso. Ela mora junto a mais cinco garotas e esconde o emprego de sua inocente irmã, Betty (Jane Bryan). Quando Betty começa a se envolver com o mundo de Mary e com as pessoas que o compõe algo terrível acontece e Mary começa uma difícil luta, junto ao policial Graham, contra a máfia.

O filme, característico dos anos 30, tem pedigree. Dirigido pelo experiente Lloyd Bacon, que fez diversos filmes famosos na época, com A lei do mais forte (The Oklahoma Kid ) e San Quentin (com  Pat O'Brien, Ann Sheridan, Humphrey Bogart), ele teve ajuda do mestre Michael Curtiz (Casablanca, Talhado para campeão,  As aventuras de Robin Hood ) em várias sequências, além do roteiro de Robert Rossen, outro famoso diretor de filmes como A grande ilusão, Desafio à corrupção e Lilith . Rossen inclusive tem aqui seu primeiro trabalho como roteirista.  
Apesar do aviso no início do filme que afirma que a história é fictícia, a produção é baseada nas ações de Thomas E. Dewey, um promotor público de Manhattan que se tornou uma celebridade nacional nos anos 1930  (foi duas vezes candidato presidencial do Partido Republicano na década de 1940) devido à sua luta contra o crime organizado em Nova York. Dewey indiciou e condenou vários bandidos proeminentes sendo sua  maior conquista a prisão de Lucky Luciano, o chefe do crime organizado de toda a cidade. O personagem de Humphrey Bogart, David Graham, é baseado em Dewey.

Lucky Luciano foi o fundador do sindicato nacional do crime nos anos de 1930.  Luciano era membro da Gangue dos Cinco Pontos (Five Points Gang), onde ele foi instruído por John Torrio, e tornou-se amigo de Al Capone e, mais tarde, de outros famosos assassinos. Em 1929, Luciano foi espancado por cinco homens, e ficou gravemente ferido, sobreviveu e então ganhou o apelido de "Lucky" (Sortudo). 
Ele começou a escrever memórias, sonhava com um filme sobre a sua vida. Em janeiro de 1962 ele foi para o aeroporto de Nápoles reunir-se com um produtor de cinema norte-americano, que estava interessado na ideia. Enquanto caminhava até o produtor, preparando para cumprimentá-lo com um aperto de mãos, ele levou a mão ao tórax e caiu. Morreu em função de um ataque de coração. 

Furacão Davis

Dedicada ao realismo Davis teve uma atitude surpreendente durante uma cena. Quando ela foi preparada para a cena no quarto do hospital, ela estava insatisfeita com a bandagem mínima que havia sido usada, então no intervalo do almoço dirigiu-se ao seu médico pessoal, descreveu os ferimentos que o roteiro indicava em seu personagem, e ele fez conforme descrito. Quando ela retornou ao estúdio, um guarda no portão viu suas ataduras e ligou para o produtor e executivo Hal B. Wallis para lhe dizer que Davis tinha sofrido um acidente.

O drama de Bette Davis na tela também foi um final feliz para sua batalha na vida real com a Warner Brothers. Em 1936, farta dos veículos medíocres que o estúdio atribuía a ela, Davis se recusou a fazer o próximo filme. Em vez disso, ela aceitou uma oferta para fazer dois filmes na Europa e partiu para a Inglaterra. A Warner Brothers processou Davis em seu contrato e impediu que ela fizesse os filmes na Europa. O estúdio ganhou o caso, mas em vez de punir a filha pródiga, Jack Warner começou a dar-lhe papéis melhores. Mulher Marcada foi o primeiro veículo pós-greve de Davis e uma grande melhora em relação aos filmes que ela estava fazendo.  

A mulher marcada do título, que levou este nome justamente por ser espancada pelos capangas de Lucky, foi o destino real de uma das prostitutas que testemunharam contra o mafioso. A Warner Bros. comprou os direitos sobre a história, mas teve que fazer mudanças por conta da censura. Humphrey Bogart e Mayo Methot, que se conheceram no set de filmagens e se casaram em 1938. Ela, que foi sua terceira esposa, ficou casada até 1945, quando se divorciou de Bogey.

Um filme que merece ser reavaliado pelos cinéfilos e colecionadores da geração atual.

Obras-Primas do Cinema lançou “BETTE DAVIS”. Coleção que reúne 4 clássicos remasterizados de uma das maiores lendas do cinema, incluindo os dois únicos filmes (Eu Soube Amar - 1939; Uma Velha Amizade - 1943) estrelados juntamente com Miriam Hopkins, uma de suas maiores rivais. Edição limitada em digipak com 2 DVD’s e 4 card’s.

Disco 01:

Mulher Marcada (Marked Woman, 1937, 1.37:1, 96min)
Direção: Lloyd Bacon, Michael Curtiz. Outras estrelas: Humphrey Bogart, Lola Lane, Isabel Jewell.

U+21F0.gif Sinopse: Acima

Cinzas do Passado (That Certain Woman, 1937, 1.33:1, 93min)
Direção: Edmund Goulding. Outras estrelas: Henry Fonda, Anita Louise.

U+21F0.gif Sinopse:

Mary (Bette Davis) casou-se muito jovem com um gângster, mas logo fica viúva. Após isso ela passa a trabalhar para um advogado para se manter. Mary logo se casa com Jack (Henry Fonda), um playboy, mas a família do rapaz interfere e anula o casamento. Jack casa-se novamente, desta vez com uma garota de sua classe social, mas Mary está grávida e tem que refazer sua vida. Quando o advogado morre, deixa uma parte de sua herança para Mary, e sua família começa a pensar que ele era o pai de seu filho.


Disco 02:

Eu Soube Amar (The Old Maid, 1939, 1.37:1, 95min)
Direção: Edmund Goulding. Outras estrelas: Miriam Hopkins, George Brent, Donald Crisp.

U+21F0.gif Sinopse:

Delia (Miriam Hopkins) desmancha seu noivado para se casar com outro homem. Sua prima Charlote (Bette Davis), ao consolar seu ex-noivo, engravida dele, que morre em batalha antes que pudessem se casar. Delia então, cria sua filha sem saber quem de fato é.

Uma Velha Amizade (Old Acquaintance, 1943, 1.37:1, 110min)
Direção: Vincent Sherman. Outras estrelas: Miriam Hopkins, Gig Young, John Loder.

U+21F0.gif Sinopse:

Duas velhas amigas lidam com a tensão quando Kit Marlowe se torna uma escritora de sucesso enquanto Millie é casada e escreve romances populares.


U+21F0.gif Extras:

Mulher Marcada: Um rasgo nas manchetes
Uma velha amizade: Um clássico filme de mulheres

U+21F0.gif Informações Técnicas:

Título: Bette Davis
País de Produção: Estados Unidos
Ano de Produção: 1937-1943
Gêneros: Drama - Romance - Film-Noir.
Direção: Lloyd Bacon, Michael Curtiz, Edmund Goulding, Vincent Sherman
Elenco: Bette Davis, Humphrey Bogart, Henry Fonda, Miriam Hopkins, George Brent, Anita Louise, Lola Lane, Isabel Jewell, Anita Louise, Donald Crisp, Gig Young, John Loder.
Áudio: Dolby Digital 2.0
Idioma:  Inglês
Legenda: Português e Inglês.
Duração Aproximada: 391 minutos
Região: Aberto para todas as zonas (Livre)
Formato de Tela: 1.33:7 - 1.33:1
Cor: Preto & Branco
Faixa Etária: 12 Anos, Contém: Conflitos Psicológicos.


Tecnologia do Blogger.