OS NOVOS CENTURIÕES (1972) - FILM REVIEW

os-novos-centurioes-1972-film-review

Poucos são os filmes que retratam o dia a dia da polícia, mostrando seus medos, anseios, consequências familiares e emocionais. O mais comum é ter um plot central, que move a história, colocando em cena elementos que causam identificação no telespectador, como vilões maléficos, carros marcantes, trilha sonora ...

Por isto, quando surge um filme que trata o tema desta forma mais "simples", merece destaque. Mais ainda quando tem um elenco estelar e um diretor de primeira.  "Novos centuriões"  mostra o cotidiano da vida policial, durante o aprendizado de um jovem recruta junto a um veterano. Entre perigos e incertezas trazidos pela profissão, uma série de questionamentos sobre o que move a vida destes solitários e obcecados homens.


O capitão

Richard Fleischer era um judeu, nascido no  Brooklyn. Sua carreira cinematográfica começou em 1942 no estúdio RKO , dirigindo curtas, documentários e os famosos Flicker Flashbacks, que nada mais eram que videoclipes mudos. Ele ganhou um Oscar como produtor do documentário  Design for Death de 1947.

Fez obras como Império do terror, Rumo ao inferno, 20.000 léguas submarinas, Barrabás, Vikings, os conquistadores, Estranha obsessão, Viagem fantástica, O fabuloso Doutor Dolittle, O homem que odiava as mulheres, Tora! Tora! Tora!, O estrangulador de Rillington Place, Terror Cego, No mundo de 2020, Os 3 discípulos da morte e O príncipe e o mendigo.      
      
Ele morreu dormindo aos 89 anos de idade, depois de ter estado com problemas de saúde por quase um ano. 


Centuriões

O título do romance e do filme referia-se aos oficiais do exército da antiga Roma. O nome data das reformas marianas de 107 aC.  O título faz uma alusão às batalhas dos novos policias em seu campo de batalha: as ruas. 

O filme foi lançado um ano após a publicação de 1971 do romance em que foi baseado. O autor Joseph Wambaugh foi policial de Los Angeles por 14 anos quando começou a escrever histórias sobre o departamento. Foi seu primeiro romance e o primeiro a ser transformado em filme. De acordo com Stacy Keach, o estúdio inicialmente se opôs ao fato de que seu personagem (branco) se apaixonasse por uma mulher negra, preferindo uma hispânica. 

George C. Scott, que já estava com seu Oscar por Patton debaixo dos braços, exigiu que Ed Lauter fosse escalado para o filme, após negativa do diretor. Scott também usa no filme um chapéu já aposentado pela força policial desde a década de 60. Isto foi um artifício para mostrá-lo como um policial "old school".


O livro de  Joseph Wambaugh 

O romance é basicamente sem enredo , mostrando de forma episódica as mudanças psicológicas de três oficiais da polícia de Los Angeles causadas ​​pelo estresse do trabalho policial. Os três oficiais, Serge Duran, Gus Plebesly e Roy Fehler, são colegas da academia no verão de 1960, e o livro examina suas vidas  ano a ano, todo mês de agosto dos anos seguintes, culminando em sua reunião durante os motins de agosto de 1965.

Os novos centuriões é o mais autobiográfico dos romances de Wambaugh. Ele faz uma narração direta dos eventos . Cada capítulo é escrito  do ponto de vista de um dos três protagonistas. Eles não têm contato uns com os outros à partir de quando se formam na academia, mas seus caminhos são semelhantes e convergentes. 

Wambaugh também explora a vida privada dos policiais, observando que o adultério, o alcoolismo, o racismo e o suicídio são comuns na polícia de Los Angeles. O suicídio policial, em particular, é um tema que Wambaugh explora em quase todos os seus livros.


Legado

O filme não é só considerado um dos melhores filmes do diretor, como também deu origem a um seriado de mesmo nome, que durou 5 temporadas. Entre 1973 e 1987,  foram 98 episódios. Um deles deu origem a um spin off chamado "A policial", com a atriz  Angie Dickinson. Devido ao sucesso, foram 4 temporadas com 91 episódios no total.

A produção lembra um pouco a crueza de Friedkin, principalmente no seu filme Operação França.  A direção segura de Fleischer, aliado ao ótimo roteiro, dá a perfeita ideia (objetivo central do filme e do livro) de que as coisas estão mesmo acontecendo, quase como um documentário trágico da vida daqueles policiais.

Sem dúvidas, um filme que merece estar na estante de qualquer colecionador e que precisa ser redescoberto pelo grande público.


A Versátil lançou A ARTE DE RICHARD FLEISCHER, digistack com 2 DVDs que reúne 4 filmes em inéditas versões restauradas do grande diretor Richard Fleischer (1916-2006), que nos últimos anos vem sendo redescoberto como um cineasta-autor pelos críticos e cinéfilos, sobretudo na França. Quase uma hora de vídeos extras, incluindo comentários em áudio de William Friedkin (“O Exorcista”). Edição Limitada com 4 cards.

Disco 1:

OS NOVOS CENTURIÕES (The New Centurions, 1972, 103 min.)
Com George C. Scott, Stacy Keach, Jane Alexander.

⇨ Sinopse: A rotina e os dramas pessoais de dois policiais, um novato e um veterano, em patrulha pelas ruas de Los Angeles. Obra-prima de Fleischer e um dos grandes filmes policiais da década de 70. Grande atuação de George C. Scott.

TERROR CEGO (See no Evil / Blind Terror, 1971, 89 min.)
Com Mia Farrow, Dorothy Alison, Robin Bailey.

⇨ SinopseNuma linda casa de campo, uma jovem, que ficou cega numa queda de cavalo, é perseguida por um brutal psicopata. No mesmo estilo de “Um Clarão nas Trevas”, esta é uma aula de suspense e tensão de Fleischer.

Disco 2:

MANDINGO – O FRUTO DA VINGANÇA (Mandingo, 1975, 127 min.)
Com James Mason, Susan George, Perry King.

⇨ SinopseNa época da escravidão, numa fazenda do sul dos EUA, o proprietário obriga seus escravos a lutarem. Porém, sua sobrinha se apaixona por um deles. O anti-“E o Vento Levou” de Fleischer, esse polêmico filme foi uma das inspirações de “Django Livre”, de Quentin Tarantino.

RUMO AO INFERNO (The Narrow Margin, 1952, 71 min.)
Com Charles McGraw, Marie Windsor, Jacqueline White.

⇨ SinopseDurante uma viagem de Chicago a Los Angeles, detetive precisa proteger uma testemunha de vários assassinos. Excelente filme noir de trem, acompanhado aqui por comentários em áudio do mestre William Friedkin (“Comboio do Medo”).


Informações técnicas da edição:

Títulos em português: Os Novos Centuriões, Terror Cego, Mandingo – O Fruto da Vingança, Rumo ao Inferno
Títulos originais: The New Centurions, See no Evil / Blind Terror, Mandingo, The Narrow Margin
País de produção: França
Ano de produção: 1952-1975
Gênero: Policial, Suspense, Drama
Direção: Richard Fleischer
Elenco: George C. Scott, Stacy Keach, Jane Alexander, Mia Farrow, Dorothy Alison, Robin Bailey, James Mason, Susan George, Perry King, Charles McGraw, Marie Windsor, Jacqueline White
Idioma: Inglês
Áudio: Dolby Digital 2.0
Legenda: Português
Formato de tela: Widescreen anamórfico 1.85:1
Tempo de duração: 390 min.
Região: 4
Colorido e Preto & Branco
Faixa etária: 14 anos
Extras: Especiais sobre os filmes da coleção (53 min.), Comentários em áudio de William Friedkin para “Rumo ao Inferno” (71 min.)







Tecnologia do Blogger.