10 COMÉDIAS DOS ANOS 80 QUE MOSTRAM PROBLEMAS SOCIAIS


Para quem viveu, principalmente a adolescência, nos Anos 80, guarda uma marca até os anos 2000: muitos, mas muitos mesmo, desmereciam aquele cinema. Stallone e Schwarzenegger eram tratados como brucutus; filmes como Desejo de matar e  Rocky passavam exaustivamente aos domingos na Globo, à ponto de serem banalizados. Os hoje chamados "clássicos sessão da tarde", ganharam o título não por passarem na sessão da Globo e marcar época, mas por serem exibidos muitas vezes. Mas enquanto críticos perdiam tempo em falar mal das obras, aqueles filmes tinham muito a dizer. Mensagens mais atuais do que nunca, mostrando o quão visionário era aquele cinema.

Confira abaixo 10 filmes que foram muito além de boas comédias.


Louis Winthorpe III (Dan Aykroyd) é um executivo de sucesso que, assim como o negro marginalizado Billy Ray Valentine (Eddie Murphy), que vive de pequenos golpes, tem sua vida muito mudada quando dois riquíssimos corretores, Randolph Duke (Ralph Bellamy) e Mortimer Duke (Don Ameche), apostam sobre qual o fator preponderante que determina o sucesso de uma pessoa. Mortimer crê que é o genético, enquanto Randolph acredita que seja o meio social. Assim fazem acontecer desgraças com Louis, enquanto Billy Ray tem uma mudança tão brusca de status que inicialmente se desconcerta, sem imaginar que agora tem a casa, o carro e o emprego de Louis.

O tema principal é o preconceito racial e de classes.


Poucas horas depois de chegar em Detroit Mikey Tandino (James Russo) foi morto. Axel Foley (Eddie Murphy), policial e seu melhor amigo, viaja para Los Angeles, pois tinha sido o último lugar onde Mikey trabalhara. O emprego de Mikey tinha sido conseguido por Jenny Summers (Lisa Eilbacher), amiga de ambos, que administra uma famosa galeria de arte em Beverly Hills. Porém Foley tem de fazer tudo informalmente, pois está fora do caso, e pretende seguir a pista do possível mandante do crime, Victor Maitland (Steven Berkoff), o chefe de Jenny e dono da galeria. Apesar de Maitland ser considerado um dos maiores marchands do país, Axel acredita que ele usa o mercado de arte como fachada e consegue que dois relutantes policiais locais, Billy Rosewood (Judge Reinhold) e Taggart (John Ashton), se unam a ele nas investigações.

⏩ Quase todo filme é permeado pelo preconceito racial contra o policial Axel Foley


O prefeito resolve mudar a lei, afirmando que fatores como sexo, peso e inteligência não devem influenciar nas aplicações para a força policial. Liderado por Carey Mahoney, um grupo de jovens incompetentes, mas de bom coração, ingressa na Academia de Polícia para o desespero dos instrutores, que buscarão impedir de toda as formas as brincadeiras da turma.

⏩ O tema principal é a violência urbana e o caos provocado pela má administração da força policial.


Terry Griffith parece ter uma vida escolar perfeita: é bonita, popular, inteligente e está prestes a conseguir o estágio dos seus sonhos em um jornal. Infelizmente, seu professor de jornalismo dispensa o artigo dela em prol de textos escritos por alunos homens. Decidida a comprovar que a causa de seu fracasso foi o sexismo do professor, ela se disfarça de homem em uma nova escola, onde tentará inscrever seu artigo jornalístico novamente.

⏩ O filme, mais atual que nunca,já pode ser avaliado pela própria sinopse


Injustamente acusada por um crime que não cometeu, Billie Jean Davy (Helen Slater), uma garota do interior do Texas, foge para não ser capturada pela corrupta polícia local. Com o passar do tempo, sua história se torna conhecida entre os jovens locais, que passam a idolatrá-la.

⏩ Mulher, acusada de crime injustamente e corrupção na política. Precisa mais? O filme ainda mostra a adoração midiática de uma figura jovem numa época pré pré pré you tubers.


Cinco adolescentes do ensino médio cometem pequenos delitos na escola e, como punição, têm que passar o sábado no colégio e escrever uma redação contando o que pensam de si mesmos. O grupo reúne jovens com perfis completamente diferentes: o popular, a patricinha, a esquisita, o nerd e o rebelde. No decorrer do dia, eles passam a se conhecer melhor e a aceitar suas diferenças, compartilhando seus maiores segredos.

⏩ O filme estabelece diversas críticas sociais, sendo a mais latente envolvendo os esteriótipos criados pela sociedade na época, elegendo fracassados e vitoriosos pela simples forma de se vestir.


Mark Watson (C.Thomas Howell) não consegue sua bolsa de estudos na Universidade de Harvard. Para ocupar uma das vagas destinadas aos negros e estudantes sem poder aquisitivo, ele toma uma pílula de bronzeamento intensivo e muda de identidade. Com a ajuda de um amigo (Arye Gross), um professor (James Earl Jones) e uma bela universitária, o rapaz adquire a ginga e a malícia dos "irmãos" e, de quebra, ainda aprende a jogar basquete melhor do que qualquer branco.

⏩ A questão mais latente no filme é o preconceito. A todo tempo o personagem de Howell escuta piadinhas sobre negros, além do fato mais óbvio: ele entra em Harvard através de cotas para negros, o que já caracteriza o problema social.


Sue Charlton (Linda Kozlowski) é uma jornalista americana que vai até a Austrália entrevistar Michael J. "Crocodilo" Dundee (Paul Hogan), um caçador que foi muito ferido por um crocodilo. Quando ela o leva para Nova York, ele se comporta de forma pouco convencional por estar fora de seu habitat natural.

⏩ Os principais problemas sociais mostrados neste filme antológico dos anos 80 são  desemprego, violência e criminalidade, poluição, desigualdade social e até mesmo habitação.


Ronald Miller (Patrick Dempsey) é um jovem tímido e trabalhador, que sempre sonhou em ser popular no colégio. Quando ele descobre que Cindy Mancini (Amanda Peterson), uma garota linda que todos os garotos paqueram, está precisando de 1000 dólares ele surge com uma insólita proposta: empresta o dinheiro a ela e em troca ela deverá fingir ser sua namorada. Ela topa e, com sua ajuda, ele acaba se tornando um dos garotos mais populares do colégio.

⏩ O filme tem como temas principais o bullying e preconceito de classe social.


Jerry Mitchell (Casey Siemaszko) é um tranqüilo e simpático colegial que vai entrevistar Buddy Revell (Richard Tyson), um colega recém-chegado, para o jornal do colégio Weaver, onde estuda. Acontece que o cara é um brutamontes, tem fama de psicopata e, além disto, não suporta ser tocado. É exatamente isto que Jerry faz, assim Buddy o desafia para uma briga no estacionamento, às 3 da tarde. Até lá Jerry tentará de tudo para que esta "execução" não aconteça.

⏩ O tema principal é o bullying
Tecnologia do Blogger.