VOO NOTURNO (1997) - FILM REVIEW

voo-noturno-1997-film-review.

Interessante como há filmes baseados na obra de Stephen King menos queridos do público. Isto não significa que sejam ruins. E mais interessante ainda que alguns filmes tidos como ruins, ficam melhores com o tempo. 

Voo noturno se enquadra na primeira opção. Dirigido pelo nada famoso Mark Pavia, que fez somente dois filmes (este e Colisão Mortal em 2016) até o momento, o filme conta a história de Richard Dees (Miguel Ferrer), um jornalista de um tabloide sensacionalista que sai em busca de um aviador misterioso, uma espécie de vampiro que pilota à noite e vai fazendo vítimas pelos aeroportos onde passa. Dees decide refazer o caminho macabro percorrido pelo piloto e acaba se envolvendo demais, colocando sua vida em risco.


Richard Dees também foi o repórter que tentou obter uma entrevista com John Smith no romance de Stephen King "A hora da zona morta", mostrando o que eu disse no review do filme eclipse mortal, sobre a maioria dos livros do autor são partes de um mesmo universo. Outro exemplo, enquanto conversava no bar, Richard conta uma história a Catherine, mencionando uma professora de escola que mata crianças de cinco anos porque acha que estão planejando matá-la. Este é o enredo de uma história da coleção de contos de Stephen King "Pesadelos e paisagens noturnas", a qual outra história também foi adaptada para um filme, chamado "Sede de vingança" (dolan's cadillac no original).

Muitas das fotos de assassinatos na assessoria de imprensa são reais, incluindo a da prostituta horrivelmente mutilada. Eles foram tirados do álbum de um detetive da homicídios que trabalhou em Los Angeles entre os anos 1930 e 1950, e que mais tarde seria publicado sob o título "Cenas da Morte".


O diretor Mark Pavia filmou em 29 dias.  O Saudoso Miguel Ferrer, que partiu em 2017 devido a um câncer na garganta, trabalhou em outras duas produções anteriores baseadas em livros do King: A Dança da Morte e Iluminado, ambas no formado de minisséries. Com uma voz inconfundível, Ferrer era filho  dos famosos José Ferrer e Rosemary Clooney, além de ser primo de George Clooney. Casado duas vezes, uma delas com Leilani Sarelle, atriz que marcou o cinema como namorada de Catherine Tramell em Instinto selvagem , de Paul Verhoeven. Detalhe: ele se casou com ela em 1991, ano que foi feito o filme. Como Verhoeven havia dirigido Ferrer em Robocop, de 1987, dá para imaginar como ela entrou para o elenco não? 

Nunca acredite no que publica.
E nunca publique o que acredita.


Voo noturno traz um interessante paralelo entre o jornalista e o vampiro, já que o profissional nada mais é que um sanguessuga, pronto para tirar fotos de corpos em acidentes para tirar uns trocados. O Vampiro busca sangue para sobrevivência. O Jornalista, ainda que busque profissionalmente (e sendo assim, sobrevivência), ele faz de forma vil. Ambos buscam sangue inocente, porém de formas diferentes.

O personagem lembra muito um dos melhores filmes que já assisti, O Abutre de Dan Gilroy com Jake Gyllenhaal, Rene Russo. No filme o jovem Louis Bloom (Jake Gyllenhaal) decide entrar no agitado submundo do jornalismo criminal independente de Los Angeles. A fórmula é correr atrás de crimes e acidentes chocantes, registrar tudo e vender a história para veículos interessados. Curiosamente, Dan Gilroy é irmão de Tony Gilroy, que roteirizou Eclipse Total, outra adaptação de uma obra de King. 



A DarkFlix lançou a

COLEÇÃO STEPHEN KING – VOLUME 2
VOO NOTURNO
(Night Flier

Veja detalhes da edição abaixo:


⇰ Informações técnicas da edição:

94 Minutos – Colorido - Formato de Tela: Widescreen Original 2.35:1 – Áudio Inglês 2.0 Dolby Digital Estéreo – Legendas: Português/Espanhol/Inglês

⇰ Extras: Trailer de Cinema

⇰ Acompanha aTrilha sonora original composta por Brian Keane e um card colecionável

⇰ Embalagem: Amaray box translúcido + luva em cartão 350 gramas empastado laminado com aplicação de verniz local.


Tecnologia do Blogger.