UM LUGAR TRANQUILO NO CAMPO (1968) - FILM REVIEW

um-lugar-tranquilo-no-campo-1968

Um lugar nada tranquilo

Nasci burro, não aprendi nada e esqueci a metade. Esta é a sensação de quem vê a primeira vez a obra prima de Elio Petri, de forma desavisada. Um pesadelo sensorial, que figura em um universo paralelo do horror. O diretor rompe o natural, criando uma obra única e de difícil acompanhamento. O tipo de obra que Mario Bava faria (dizem que foi cogitado para a direção inclusive). O filme dialoga com giallo, que é um sub-gênero que Bava reinou.

Quando uma obra parte do ponto que de qualquer situação do filme pode ser apenas fruto da cabeça perturbada do artista (interpretado com brilhantismo por Franco Nero), o leque de possibilidades é infinita. As cores são fundamentais para estabelecer o contato com o telespectador. A trilha assombrosa  e inquietante de Ennio Morricone, que aqui lembra um Jerry Goldsmith, nos insere naquele pesadelo que parece não ter fim.


Muitos momentos parecem pinturas, que tendem a imortalizar um momento que talvez nem tenha existido. Assim como o uso do espelho, que busca enfatizar a reflexão e olhar interior além de estabelecer uma conexão com o irreal (o reflexo) ainda que nunca sabemos qual é de fato, a realidade.

A história acompanha o jovem artista que escapa do estresse da cidade grande e aluga uma casa em uma área isolada . Coisas estranhas acontecem lá e começam a enlouquecê-lo. Sua sensibilidade e imaginação são reforçadas por sua reclusão. Ocorre assim uma desintegração da mente do protagonista .

Petri se baseou no livro The Beckoning Fair One de Oliver Onions, um escritor britânico de contos e mais de 40 romances. O livro, amplamente considerado uma das melhores do gênero de ficção/horror, especialmente o terror psicológico . Onions é considerado por muitos, um dos melhores (se não o melhor) escritores de histórias fantasmas que trabalham na língua inglesa.


O gênio da lâmpada

Elio Petri nasceu em Roma dia 29 de janeiro de 1929, Vindo de uma família de artesãos, desde cedo se entregou à militância política e crítica de cinema, participando das atividades da federação de jovens do Partido Comunista. Já aos 16 anos começou a escrever artigos e apaixonou-se pelo cinema .Começou sua carreira profissional como jornalista em L'Unità (como crítico de cinema). 

A liberdade de expressão deve ser defendida pelo que ela representa fundamentalmente: o direito dos artistas se expressarem e investigarem criticamente o corpo da realidade em que vivem, seja qual for a sociedade.
Elio Petri

Foi introduzido no cinema pelo cineasta neorrealista Giuseppe De Santis. As duas maiores obras primas políticas do diretor, Investigação Sobre um Cidadão Acima de Qualquer Suspeita e A classe operária vai para o paraíso, foram realizadas na sequência de Um lugar tranquilo no campo (o primeiro em 70 e outro em 71). O que é mais interessante, é o fato de que ele abraçou o cinema politico somente no seu sétimo filme, tendo dirigido apenas 11.  Faleceu em 10 de novembro de 1982, aos 53 anos, vitimado por um câncer.


Mas voltando ao filme...


Com o cinema psicodélico em alta, parecia natural explorar o tema de forma autoral, principalmente no cinema de horror. A produção é cheia de enigmas, dificultando a vida de quem busca uma narrativa padrão. Na primeira parte, por exemplo, Nero entra e sai de estados oníricos que fazem inveja ao filme "A origem", que trata de algo similar. Situações inexplicáveis acontecem. Parecem saídas de outra produção chamada Cidade dos sonhos, dirigida por David Lynch. A dinâmica do casal se apoia no contexto sexual, porém com ele submisso, escravo daquele mundo que nem mesmo o protagonista parece entender.

No final das contas, o telespectador é deixado para decidir se a solidão afetou mesmo a mente do homem, ou se ele foi vítima de um espírito possessivo que habita a casa. Um filme sobre esquizofrenia? Ou sobre casa assombrada? Reside ai a riqueza do trabalho realizado pelo diretor.



Do lado de cá das telas...

Vanessa Redgrave conheceu Franco Nero em 1967 quando fizeram o par Lancelot e Guinevere no filme musical Camelot, de  Joshua Logan. O filme foi um sucesso, concorrendo a 5 Oscars, vencendo 3. Ambos concorreram ao Globo de Ouro, mas quem venceu foi o amor que brotou da relação profissional. Redgrave, que era casada desde 62 com  o diretor Tony Richardson se separou. Eles tiveram duas filhas, também atrizes,  Natasha Richardson (que faleceu aos 45 anos vitimada por um acidente de esqui, e era casada na época com Liam Neeson) e Joely Richardson.

Da relação nasceu Carlo Gabriel Nero, em 1969. Depois de vários abortos espontâneos, problemas familiares e emocionais de Redgrave, ela se separou de Nero. E numa daquelas reviravoltas dignas do filme em questão, em 2006 eles se casaram e estão juntos há 13 anos, certamente, em um lugar tranquilo no campo...






A Versátil lançou OBRAS-PRIMAS DO TERROR VOL. 8, digistack com 3 DVDs que reúne seis inéditos clássicos de horror dos Estados Unidos, da Inglaterra, da Espanha e da Itália, incluindo a versão restaurada de “A Casa Sinistra”, raro filme do ciclo de terror da Universal nos anos 30, e quase duas horas de extras. Edição Limitada com 6 cards.

Disco 1:

A CASA SINISTRA (The Old Dark House, 1932, 72 min.)
De James Whale. Com Boris Karloff, Melvyn Douglas, Charles Laughton

⇨ Sinopse: Em busca de abrigo para fugir de uma tempestade, um casal de viajantes e um amigo são acolhidos na velha mansão de uma estranha família. Brilhante comédia de terror gótica do mestre do gênero James Whale (“A Noiva de Frankenstein”).

A MALDIÇÃO DA CAVEIRA (The Skull, 1965, 83 min.)
De Freddie Francis. Com Peter Cushing, Patrick Wymark, Jill Bennett.

⇨ SinopseUm colecionador adquire a caveira do Marquês de Sade e descobre que ela é possuída por um espírito maligno. Primeira produção de horror da Amicus, estúdio britânico rival da Hammer, esse terror psicológico é baseado em história de Robert Bloch (“Psicose”).


Disco 2:

A FILHA DO DEMÔNIO (La Setta/The Sect, 1991, 117 min.)
De Michele Soavi. Com Kelly Curtis, Herbert Lom, Mariangela Giordano..

⇨ SinopseUma solitária professora descobre um poço no porão de sua casa, e logo se vê perseguida por um sangrento culto satânico. Com produção e roteiro do mestre Dario Argento e trilha de Pino Donaggio (“Vestida para Matar”), esse é mais um ótimo terror gótico do italiano Soavi (“Pelo Amor, Pela Morte”).

O MÉDICO E A IRMÃ MONSTRO (Dr. Jekyll & Sister Hyde, 1974, 97 min.)
De Roy Ward Baker. Com Ralph Bates, Martine Beswick, Gerald Sim.

⇨ SinopseNa Inglaterra da Era Vitoriana, um cientista testa em si mesmo um soro que o transforma numa sensual psicopata. Produzida pela Hammer, esta é uma bizarra versão do clássico da literatura de terror escrito por Robert Louis Stevenson.

Disco 3:

O DIA DA BESTA (El Día de la Bestia, 1995, 99 min.)
De Álex de la Iglesia. Com Alex Angulo, Armando de Razza, Santiago Segura.

⇨ SinopseUm padre católico se junta a um fã de Black Metal e a um ocultista italiano para tentar impedir o nascimento da Besta e, consequentemente, o fim do mundo. Bizarro e divertido cult-movie espanhol do talentoso Álex de la Iglesia (“A Comunidade”).

UM LUGAR TRANQUILO NO CAMPO (Un Tranquilo Posto di Campagna /A Quiet Place in the Country, 1970, 106 min.)
De Elio Petri. Com Franco Nero, Vanessa Redgrave, Georges Géret.


⇨ SinopseUm pintor famoso, atormentado por pesadelos com sua amante e agente literária, decide sair da cidade e alugar uma casa no campo. Obra-prima do grande Elio Petri (“A Classe Operária Vai ao Paraíso”) que mistura elementos de giallo e de terror psicológico.


Informações técnicas da edição:

Títulos em português: A Casa Sinistra, A Maldição da Caveira, A Filha do Demônio, O Médico e a Irmã Monstro, O Dia da Besta, Um Lugar Tranquilo no Campo
Títulos originais: The Old Dark House, The Skull, La Setta, Dr. Jekyll and Sister Hyde, El día de la Bestia, Un Tranquilo Posto di Campagna / A Quiet Place in the Country
País de produção: Estados Unidos, Inglaterra, Itália, Espanha
Ano de produção: 1932-1995
Gênero: Terror
Direção: James Whale, Freddie Francis, Michele Soavi, Roy Ward Baker, Álex de La Inglesia, Elio Petri
Elenco: Boris Karloff, Melvyn Douglas, Charles Laughton, Peter Cushing, Patrick Wymark, Jill Bennett, Kelly Curtis, Herbert Lom, Mariangela Giordano, Ralph Bates, Martine Beswick, Gerald Sim, Alex Angulo, Armando de Razza, Santiago Segura, Franco Nero, Vanessa Redgrave, Georges Géret
Idioma: Inglês, Italiano, Espanhol
Áudio: Dolby Digital 2.0
Legenda: Português
Formato de tela: Widescreen Anamórfico 2.35:1, Fullscreen 1.33:1
Tempo de duração: 574 min.
Região: 4
Preto e Branco, Colorido
Faixa etária: 18 anos
Extras: Especiais e depoimentos sobre os filmes da coleção (112 min.)




Tecnologia do Blogger.