ESCAPANDO DO INFERNO (1955) - FILM REVIEW

escapando-do-inferno-1955

Fugas de prisão tem o lugar cativo nos corações cinéfilos. De Fugindo do inferno a Prison Break, de Alcatraz a Caminho da liberdade, há exemplos numerosos de grandes produções, para cinema e tv para agradar a todos. Escapando do inferno é facilmente incorporado à lista de melhores filmes de fuga.

O Castelo de Colditz


Durante a 2ª Guerra Mundial, Hitler mandou prender ali oficiais aliados de alto escalão. A prisão de Colditz (na verdade, um castelo renascentista) era tida como segura, onde fugir era impossível. A realidade, claro, foi bem diferente. Eles consideravam Colditz o local ideal para abrigar prisioneiros de guerra ingleses, franceses, poloneses, holandeses e belgas. Muitos desses presos eram reincidentes de outras prisões. Colditz era a última parada para presos fugitivos. 


O local tido como seguro devido aos altos rochedos e ao seu isolamento no interior da Alemanha.  Entre 1941 e 1945, cerca de 1.500 oficiais aliados foram levados a Colditz, entre eles, também celebridades como Giles Romilly, sobrinho de Winston Churchill, ou membros da realeza britânica.

Foram registrados mais de 300 casos de tentativas de fuga, sendo que pelo menos 10% conseguiu. As tentativas de fugas eram tantas que muitas ficaram notórias, como a do prisioneiro de peruca ou àquela mostrada no filme, com os prisioneiros fazendo acrobacias no pátio, até que um dá um impulso para o outro, que vou pro outro lado da cerca.

Como mostrado no filme, os prisioneiros não precisavam trabalhar. Eles tinham um grupo de teatro, aprendiam idiomas, davam palestras e praticavam esporte.


A cena em que um dos prisioneiros se faz passar por um guarda alemão é semelhante a um plano real usado pelos britânicos. Em abril de 1943, o tenente Albert "Mike" Sinclair e o tenente "Monty" Bissel se aproximaram do oficial de fuga britânico Dick Howe com uma nova ideia: Sinclair se disfarçaria como o suboficial responsável pelas inspeções noturnas e então substituiria um número de sentinelas por prisioneiros adequadamente disfarçados. Se bem sucedido, isso daria um período (aproximadamente) de cinco minutos durante o qual tantos prisioneiros quanto possível tentariam escapar pelos portões agora abertos. Enquanto os homens estavam fugindo, Sinclair e seus guardas "partiam em perseguição" ordenando aos verdadeiros guardas que retornem ao castelo e ficasse a postos. Por conta de um motivo estúpido, eles foram feridos e capturados.

Na história, o castelo foi um pouco de tudo. O castelo foi usado por Frederico Augusto I da Saxónia como uma espécie de casa de caridade para alimentar os pobres e os doentes. Depois o castelo virou uma instituição. Em 1829 tornou-se num hospital psiquiátrico para os "insanos incuráveis" de Waldheim. 


Em 1864, foi erguido um novo edifício hospitalar, permanecendo como uma instituição psiquiátrica até 1924. Quando os nazis chegaram ao poder, em 1933, transformaram o castelo numa prisão política para comunistas, homossexuais, judeus e outros indesejáveis. A partir de 1939, passou a alojar prisioneiros aliados. Em Abril de 1945, tropas norte-americanas entraram na cidade de Colditz e, depois de dois dias de lutas, conquistaram o castelo no dia 16 de Abril.


Em Maio de 1945, começou a ocupação soviética de Colditz.  O castelo foi renovado e transformado num museu com visitas que mostram alguns túneis de fuga construídos por prisioneiros. Durante os anos de 2006 e 2007, o castelo continuou o processo de total restauro e renovação, financiado em grande parte pelo Estado da Saxónia.  


Pat Reid


O inglês conseguiu fugir do campo de prisioneiros por um buraco feito no porão. Sua fuga se equivale em importância À de Frank Morris em Alcatraz. A prisão ficou mais conhecida por conta dele. No filme Escapando do inferno, ele é interpretado pelo veterano John Mills (de filmes como Adeus, Mr. Chips , Nosso barco, nossa alma e Grandes esperanças). 

Reid  aproveitou sua chance para fugir na noite de 14/15 de outubro de 1942, junto com o major Ronald Littledale, o tenente-comandante William L. Stephens  e o tenente  Howard Wardle . Cortaram as grades de uma janela da cozinha e subiram no telhado pela cozinha alemã. Eles então atravessaram o pátio exterior iluminado e evitaram ser vistos por um guarda. Eles entraram em um porão, arrastaram-se através de um estreito poço de ar que levava ao fosso e saíram pelo parque. Reid permaneceu na Suíça até depois do fim da guerra.


John Mills se parecia na vida real, com o prisioneiro Mike Sinclair, conhecido como The Red Fox. Sinclair escapou de Colditz três vezes. Sua última tentativa terminou em tragédia quando sentinelas o mataram em 25 de setembro de 1944. 

O Capitão Patrick Reid  foi do autor do romance em que este filme foi baseado. Reid, preso em Colditz de 1940 a 1942 até sua fuga bem sucedida, também foi o consultor técnico neste filme. Reid escreveu três livros sobre Colditz: "The Colditz Story" (1952), "Os Últimos Dias em Colditz" (1953) e "Colditz: A História Completa" (1984). 

Escapando do inferno filme foi o quarto filme mais popular nas bilheterias britânicas em 1955. Uma série de televisão da BBC , Colditz , foi baseada no livro de Reid e transmitida entre 1972 e 1974. Foi estrelada por David McCallum , Robert Wagner , Jack Hedley e Edward Hardwicke . 



Classicline lançou esta obra inesquecível, que pode ser comprada diretamente no site da própria empresa, com ótimos descontos no frete e promoções absurdas para ficarem tentados a levarem vários filmes. Não deixem de conferir, pois o estoque do filme está acabando.




Tecnologia do Blogger.