ZUMBI 2: A VOLTA DOS MORTOS (1979) - FILM REVIEW

zumbi-2-volta-dos-mortos-1979-film-review

No horizonte de obras que retratam zumbis no cinema, certamente Zumbi 2 está no top 10. É uma obra prima, com algumas cenas antológicas, uma trilha que não desgruda de mente e com direção inspirada do mestre Lucio Fulci.

Para quem não sabe, o filme começa quando um barco à deriva é abordado na baía de Nova York, um dos policiais é atacado por seu único tripulante, um morto-vivo que é rapidamente abatido. O barco pertence ao pai da jovem Anne, que está desaparecido numa ilha do Caribe. Ajudada por um repórter, Anne contrata os serviços de outro barco, comandado por um casal em férias, e vai à procura do pai. O que eles não sabem é que, na ilha, uma epidemia devastadora transformou a maior parte dos habitantes em zumbis sedentos por carne humana, cujos poucos sobreviventes estão sob os cuidados do dr. Menard.


Apesar de ser chamado de "Zumbi 2", o filme não é uma sequência de filme nenhum !!!  Quando Despertar dos mortos (1978) foi lançado sob o título "Zombi" na Itália, este filme foi renomeado para "Zombi 2" para trilhar o sucesso do filme americano. Isso foi feito pelo estúdio sem a permissão ou conhecimento do diretor Lucio Fulci ,que  frequentemente explicava aos fãs que sua obra não é uma sequência.  O filme foi escrito antes de "Despertar dos mortos" ser lançado na Itália, como um thriller de ação / aventura sem vínculo com os filmes de George A. Romero . As cenas de abertura e encerramento (que acontecem em Nova York) foram adicionadas ao roteiro mais tarde, quando os produtores quiseram lucrar com o sucesso do filme de Romero.

O roteirista Dardano Sacchetti se baseou  em A Morta-Viva (1943), A Ilha do Terror (1957) e O Morto Ambulante (1936) afirmando que ele queria trazer o gênero zumbi de volta às suas raízes do Caribe e do Voodoo. 


Como muitos filmes de terror italianos da época, metade do elenco só falava inglês e a outra metade, apenas italiana. Muitos filmes italianos produzidos para distribuição internacional filmaram sem som e gravaram várias faixas de diálogo em diferentes idiomas no estúdio para mais tarde redublar. Como os atores estão falando vários idiomas diferentes (ou alguns estão falando foneticamente não nativamente), a dublagem em todas as versões do filme não está 100% sincronizada. Ian McCulloch , Tisa Farrow , Olga Karlatos e Stefania D'Amario eram do elenco principal de língua inglesa, enquanto Al Cliver , Auretta Gay e Dakar eram do elenco principal de língua italiana.

Como dito acima, há cenas que marcariam para sempre o cinema do gênero. A principal delas, capa deste post, é a famosa cena com o tubarão. Simplesmente memorável, feita com um tubarão de verdade, bem longe dos CGI (que vamos reconhecer, hoje estão perfeitos). A cena haveria um diretor só para ela: René Cardona Jr, mas ele ficou doente e a "bomba" sobrou para o coordenador Ramón Bravo, que nada mais era que um treinador de tubarões. Sua solução foi dopar o animal, antes de alimentá-lo. O resultado é a memorável cena que você vê nas telas. 


Mas nem de longe, pode ser considerado apenas o "filme do zumbi vs tubarão". Como esquecer a cena do horror, pelos olhos de uma mulher, ao ter seu olho direito transpassado por um pedaço de madeira? Ou os zumbis da ilha, com seu visual deteriorado? Ou a cena final dos zumbis caminhando lentamente, com o finado WTC no fundo? Como esquecer a trilha de Giorgio Cascio e Fabio Frizzi, que gruda na sua cabeça. Mesmo feito inclusive fez o grupo Goblin em Despertar dos mortos...

Fulci e o Gore

Herschell Gordon Lewis é considerado o pai do Gore. Mas Fulci é uma espécie de padrinho, tamanha é sua importância para este sub-gênero do horror. Para quem não sabe, O termo gore (também conhecido como Splatter) se concentra em representações gráficas de sangue e violência gráfica. Os filmes são caracterizados pela presença de cenas extremamente violentas, com muito sangue, vísceras e restos mortais de humanos ou animais.


Fulci , nasceu em Roma em 17 de junho de 1927 e foi diretor, roteirista e ator do cinema italiano. Depois de estudar medicina e depois de um breve período de atividade como jornalista, formou-se no Centro Sperimentale di Cinematografía e tornou-se documentarista, realizando ao mesmo tempo uma longa e prolífica carreira como roteirista.Durante vários anos, Fulci trabalhou todos os gêneros, do ocidental à ficção científica. Mas foi no giallo onde ele conseguiu seus primeiros sucessos.

Seus trabalhos são considerados dos mais violentos e sangrentos já feitos e todos mostraram grandes doses de sangue e crueldade. Muitos deles foram até mesmo censurados. Isso os tornou ainda mais populares entre os adolescentes que amam filmes de terror, que se tornaram incondicionais no gênero. 


Lucio Fulci faleceu em sua casa dia 13 de março de 1996, aos 68 anos de idade. Ele sofria de diabetes durante toda a sua fase adulta, mas ele inexplicavelmente esqueceu de tomar sua insulina antes de se deitar.  Alguns consideram sua morte suicídio. Foi uma partida inglória, mas seus feitos como cineasta ficaram anotados nos corações cinéfilos, principalmente nos dos fãs do horror.


A Versátil lançou ZUMBIS NO CINEMA 3, digistack com 2 DVDs que reúne 4 clássicos filmes de zumbi em inéditas versões restauradas, além de quase duas horas de extras, incluindo uma hora de vídeos apenas sobre o cult “Zumbi 2” do mestre Lucio Fulci (“Terror nas Trevas”), com um depoimento do cineasta Guillermo Del Toro. Edição Limitada com 4 cards.

Disco 1:

ZUMBI 2 – A VOLTA DOS MORTOS (Zombi 2 / Zombie, 1979, 91 min.)
De Lucio Fulci. Com Tisa Farrow, Ian McCulloch, Richard Johnson.

Sinopse: Jovem decide ir até uma ilha do Caribe para procurar o pai, um cientista desaparecido. Ao chegar lá, ela descobre que o local está infestado por zumbis sedentos de sangue. Obra-prima de Fulci e um dos maiores filmes de zumbi de todos os tempos. Inédita versão restaurada sem cortes com opção de áudio em italiano e inglês.

CIDADE MALDITA (Incubo sulla città contaminata / Nightmare City, 1980, 91 min.)
De Umberto Lenzi. Com Hugo Stiglitz, Laura Trotter, Maria Rosaria Omaggio.

⇨ SinopseCientista e tripulantes de um avião são contaminados por radiação e se transformam em mortos-vivos, que precisam beber sangue para evitar a decomposição do corpo. Divertido trash do ciclo dos filmes italianos de zumbi, os “spaghetti zombies”.


Disco 2:

SONHO DE MORTE (Dead of Night / Deathdream, 1974, 88 min.)
De Bob Clark. Com John Marley, Lynn Carlin, Richard Backus.

⇨ SinopseUm jovem soldado morto na Guerra do Vietnã inexplicavelmente volta para casa como um zumbi. Dirigido pelo talentoso Bob Clark, do lendário slasher “Noite do Terror” (Black Christmas), esse ótimo terror tem efeitos especiais do mago Tom Savini.

OS ZUMBIS DE SUGAR HILL (Sugar Hill, 1974, 91 min.)
De Paul Maslansky. Com Marki Bey, Robert Quarry, Don Pedro Colley.

⇨ SinopseQuando seu namorado é morto por mafiosos, Sugar Hill decide se vingar e, para isso, conta com a ajuda do feiticeiro Barão Samedi e seus mortos-vivos. Impagável filme de zumbi blaxploitation que resgata a raiz haitiana do gênero.


Informações técnicas da edição:

Títulos em português: Zumbi 2 – A Volta dos Mortos, Cidade Maldita, Sonho de Morte, Os Zumbis de Sugar Hill
Títulos originais: Zombi 2 / Zombie, Incubo sulla Città Contaminata / Nightmare City, Dead of Night / Deathdream, Sugar Hill
País de produção: Estados Unidos, Itália
Ano de produção: 1974-1980
Gênero: Terror
Direção: Lucio Fulci, Umberto Lenzi, Bob Clark, Paul Maslansky
Elenco: Tisa Farrow, Ian McCulloch, Richard Johnson, Hugo Stiglitz, Laura Trotter, Maria Rosaria Omaggio, John Marley, Lynn Carlin, Richard Backus, Marki Bey, Robert Quarry, Don Pedro Colley
Idioma: Inglês, Italiano
Áudio: Dolby Digital 2.0
Legenda: Português
Formato de tela: Widescreen Anamórfico 1.85:1
Tempo de duração: 361 min.
Região: 4
Colorido
Faixa etária: 18 anos
Extras: Vídeos sobre “Zumbi 2” (56 min.), Especiais sobre os filmes (36 min.), Trailers (11 min.)



Tecnologia do Blogger.