BUMBLEBEE (2018) - FILM REVIEW

bumblebee-2018-film-review

Tortuosa é a estrada para chegarmos até o filme Bumblebee. O filme é um spin off de uma série de sequências, que faziam incrível sucesso no cinema apesar de serem totalmente inverossímeis, não seguindo qualquer linha de raciocínio lógico, contando histórias que pareciam desculpas para novas continuações. 

Recapitulando: o primeiro filme, mostrava que durante anos os Autobots e os Decepticons, duas raças alienígenas robóticas, duelaram em Cybertron, seu planeta natal. Esta guerra fez com que o planeta fosse destruído, resultando que os robôs se espalhassem pelo universo. Megatron (Hugo Weaving), o líder dos Decepticons, vem à Terra em busca da Allspark, um cubo de Cybertron que possibilita que qualquer aparelho eletrônico seja transformado num robô com inteligência própria. Megatron encontra a Allspark, mas fica congelado no Ártico. Décadas depois outros Decepticons chegam à Terra, numa tentativa de encontrar a Allspark. Seu surgimento logo alerta os principais países, em especial os Estados Unidos, que tem uma base militar no Qatar atacada. Enquanto o Secretário de Defesa John Keller (Jon Voight) tenta descobrir o que está havendo, reunindo todas as forças e informações possíveis, o jovem Sam Witwicky (Shia LaBeouf) tem preocupações mais simples: conseguir uma boa nota no colégio, o que lhe garantirá seu 1º carro. Mas o que ele não esperava era que o veículo escolhido, um Camaro antigo, tinha vida própria. Sucesso imediado. 709 milhões de dólares nas bilheterias. Produção de Steven Spielberg. 


Seguiu-se "A vingança dos derrotados". No filme, dois anos após a batalha entre os Autobots e os Decepticons, Sam Witwicky (Shia LaBeouf) enfrenta a ansiedade de entrar na faculdade. Isto significa que ele terá que morar separado de seus pais, Judy (Julie White) e Ron (Kevin Dunn), deixar a namorada Mikaela Banes (Megan Fox) e ainda explicar a situação ao seu amigo e protetor Bumblebee, já que pretende levar uma vida normal de agora em diante. Paralelamente o governo desativa o Setor 7, resultando na demissão do agente Simmons (John Turturro). Em seu lugar é criada a NEST, uma agência comandada pelo capitão Lennox (Josh Duhamel) e o sargento Epps (Tyrese Gibson), que trabalha em conjunto com os Autobots. Porém a NEST enfrenta a resistência de Theodore Galloway (John Benjamin Hickey), o consultor da segurança nacional, que a considera supérflua. O filme foi tão fraco, que o próprio Spielberg pediu desculpas e falou que o próximo seria melhor. Porém, a produção rendeu espantosos  836 milhões de dólares no mundo todo. Bay e Spielberg tinham um tesouro nas mãos.

No terceiro, os Autobots, liderados por Optimus Prime (Peter Cullen), participam de missões secretas ao lado dos humanos, onde tentam exterminar os Decepticons existentes no planeta. Um dia Optimus descobre que os humanos lhe esconderam algo ocorrido no lado oculto da Lua. Trata-se da queda de uma espaçonave vinda de Cyberton, comandada por Sentinel Prime (Leonard Nimoy), que desencadeou a corrida espacial entre Estados Unidos e União Soviética na década de 60. Os Autobots resolvem ir à Lua para resgatar o antigo líder, além das cápsulas que ainda estão no local. Paralelamente, Sam Witwicky (Shia LaBeouf) vive com sua nova namorada, Carly (Rosie Huntington-Whiteley), e está à procura de emprego. Ele sente-se diminuído, já que salvou o planeta duas vezes e ganhou uma medalha do presidente Barack Obama, mas nada disto parece ajudá-lo a se estabelecer no mercado de trabalho. 


Para piorar, Carly ganha bem e é assediada pelo chefe, o bilionário Dylan Gould (Patrick Dempsey). Pouco depois de enfim conseguir emprego, Sam recebe uma mensagem de Jerry (Ken Jeong), que trabalha no mesmo lugar. Jerry trabalhou na NASA durante a corrida espacial e agora é chantageado pelos Decepticons, que o matam. O fato faz com que Sam procure mais uma vez os Autobots, mas apesar de seus feitos do passado ele encontra resistência da nova comandante, Marissa Faireborn (Frances McDormand).  O filme rendeu 1 bilhão e 123 milhões de dólares. Bay disse que seria o último, antes do filme render tanto. Mas prometeu que o próximo seria melhor.

Eis que veio o alucinado "A era da extinção". Alguns anos após o grande confronto entre Autobots e Decepticons em Chicago, os gigantescos robôs alienígenas desapareceram. Eles são atualmente caçados pelos humanos, que não desejam passar por apuros novamente. Quando Cade (Mark Wahlberg) encontra um caminhão abandonado, ele jamais poderia imaginar que o veículo é na verdade Optimus Prime, o líder dos Autobots. Muito menos que, ao ajudar a trazê-lo de volta à vida, Cade e sua filha Tessa (Nicola Peltz) entrariam na mira das autoridades americanas. Mudaram elenco, mas a barulheira triplicou. E lá se foram quase três horas de tempo perdido. Inacreditavelmente, rendeu 1 bilhão e 100 milhões mundialmente. 


Seguiu-se então "O último cavaleiro".  No filme, os humanos estão em guerra com os Transformers, que precisam se esconder na medida do possível. Cade Yeager (Mark Wahlberg) é um de seus protetores, liderando um núcleo de resistência situado em um ferro-velho. É lá que conhece Izabella (Isabela Moner), uma garota de 15 anos que luta para proteger um pequeno robô defeituoso. Paralelamente, Optimus Prime viaja pelo universo rumo a Cybertron, seu planeta-natal, de forma a entender o porquê dele ter sido destruído. Só que, na Terra, Megatron se prepara para um novo retorno, mais uma vez disposto a tornar os Decepticons os novos soberanos do planeta. Com Anthony Hopkins pagando as contas do ap, uma história confusa, que mostra uma nova origem dos transformers na Terra (a terceira, acho), a produção rendeu "apenas" 604 milhões de dólares, quase um fracasso, se comparado ao rendido até aqui. Sinal de parar não? Errado. Lá vão os caras e fazem um spin off, que é uma chance de dar um restart, com elenco e diretor diferente, e uma nova vida. Surpreendentemente, funciona com perfeição. 

Bumblebee - o melhor transformers

Incrível como conseguem fazer filmes com robôs sensíveis, não? Há sentimento em cada olhar do robozão e isto cativa o telespectador no primeiro instante que ele aparece. O filme carrega elementos do filme E.T., dirigido, como sabem, pelo produtor Steven Spielberg, algo que provavelmente, foi imposto por ele, para colocar a série nos trilhos. Situado também nos anos 80, a produção enche os olhos, não só pelos efeitos perfeitos, mas por conta da trilha oitentista. Porém o que norteia o filme é a relação entre Eliott...quer dizer...Charlie e o fusca.  Quem adorava curtir filmes dos anos 80, vai identificar todos os erros e acertos daquela saudosa época. A grande atualização é a inversão de papéis, colocando os homens sem camisas e estúpidos e a mulher protagonista. 


Na história, Autobots e Decepticons estão em guerra (novidade !!!), e quando o primeiro grupo está em desvantagem, Optimus envia Bee para um refúgio. Ele vem para a Terra, e aqui encontra hostilidade do mundo a não ser o carinho da sua nova amiga, chamada Charlie, que está um passo de uma depressão por conta da morte do pai, e com isto, se "envolve" rapidamente com o robô, dando ares de uma amizade ultra sincera, tal como em E.T.  Toma forma ai, um autêntico blockbuster, que é feito para gerar grana e trazer diversão em pouco menos de duas horas. O resultado foi tão satisfatório, que os produtores já anunciaram o Bee 2....e um novo Transformers (aff).

E não poderia faltar...Star Wars

Amigos de longa data, Spielberg e Lucas fizeram mutuas referências em seus filmes de sucessos que dirigiram. Pouca gente notou que E.Ts do filme de Spielberg  aparecem em Star Wars. Ou que R2D2 e C3PO aparecem como hieróglifos em Caçadores de arca perdida. Em Bumblebee,  na cena em que Charlie está tentando consertá-lo e inadvertidamente ativa a mensagem holográfica do Optimus Prime depois de declarar "Há algo preso aqui", é uma homenagem a "Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança" (1977), com a mesma cena ocorrendo entre Luke Skywalker, R2-D2 e o holograma da Princesa Leia.


E de volta para o futuro...

Um cinéfilo mais atento, pode notar que a perseguição no túnel segue as mesmas características da fuga de Marty Mcfly em De volta para o futuro 2, quando ele está tentando pegar o almanaque dos esportes do Biff. Marty está em um hoverboard, e os movimentos que ele faz, circundando o carro, são os mesmos que Bee faz. Inclusive o túnel é uma reprodução do filme de Zemeckis.

Uma das grandes influências do filme é a animação Gigante de ferro. Como pode ser visto quando Bumblebee recupera sua memória e ataca o exército em defesa de Charlie. Os olhos brilham avermelhados como o Gigante de Ferro e até mesmo o braço dele se transforma em uma arma da mesma maneira e se acalma da mesma forma.

Uma pena que o filme tenha rendido menos do que merecia. Com 459 milhões em caixa, o valor mostra como o público perdeu a paciência com a série. Uma pena, pois poderiam apostar mais uma vez. Talvez se apaixonem pelo fusquinha amarelo. Mas para quem decidir dar uma chance para o home vídeo, seguem abaixo detalhes das edições lançadas.



Confiram abaixo detalhes do lançamento BUMBLEBEE, que aterrissa em Blu-ray e DVD, no dia 17 de abril, pela Paramount Home Media Distribution.

.

BUMBLEBEE
(BUMBLEBEE)

Sinopse

Cybertron foi derrotado. Quando Optimus Prime envia Bumblebee para defender a Terra, tem início sua jornada até se tornar um herói. Charlie Watson (HAILEE STEINFELD), uma adolescente que procura seu espaço no mundo, descobre e repara o robô, cheio de danos e disfarçado de Fusca.  Enquanto os Decepticons caçam os Autobots sobreviventes, com a ajuda de uma agência secreta liderada pelo Agente Burns (JOHN CENA), Bumblebee  e Charlie se unem para proteger o mundo. Uma aventura repleta de ação e diversão para toda a família.

Ficha técnica:

Gênero: Ação, Aventura.
Direção: Travis Knight.
Elenco: Hailee Steinfeld, John Cena.
País: EUA.
Ano de produção: 2018.

Informações das edições

DVD Simples

Duração: 114 minutos.
Formato de Tela: Widescreen 1.78:1 Anamórfico
Áudio: INGLÊS (DD 5.1), PORTUGUÊS (DD 5.1), ESPANHOL
Legenda: INGLÊS, PORTUGUÊS
Classificação Indicativa: 10 anos
Preço Sugerido: R$ 39,90.

Bônus: 

Levando Bumblebee para a tela.



Blu-ray Simples

Duração: 114 minutos
Formato de Tela: Widescreen 1.78:1
Áudio: INGLÊS (DD 5.1), PORTUGUÊS (DD 5.1), ESPANHOL (DD 5.1)
Legenda: INGLÊS (SDH); INGLÊS; PORTUGUÊS; ESPANHOL
Classificação Indicativa: 10 anos
Preço Sugerido: R$ 69,90.

Bônus: 

Arquivos do Setor 7; Cenas Deletadas, Estendidas e Inéditas; Explore Cybertron pela Visão de Bee; Levando Bumblebee para a tela.


Tecnologia do Blogger.