CINEMA MUDO: MAIS DE 300 CURIOSIDADES PARA CONHECER O PERÍODO

cinema-mudo-curiosidades

O som aniquila a grande beleza do silêncio.” Charles Chaplin

O cinema mudo foi um período importante para o cinema, mas desde sempre, de transição. Assim como quando os filmes em preto e branco foram preteridos pelos em cores.
Como verão abaixo, o cinema era mudo por questões financeiras. Mas mesmo assim, colocavam música ambiente, pois para que assistia, havia certa dose de estranheza de ver tantos movimentos sem qualquer som.

A falta do som foi compensada, de certa forma pelos títulos, ou seja, pequenos rótulos que serviam para ilustrar uma mensagem e ajudar a compreender melhor o conteúdo de uma cena através de um texto curto com os diálogos que seriam ditos.

Devemos muito ao cinema mudo. Grandes autores surgiram neste período. Se por um lado, a maioria não se adaptou à evolução, seu legado é fundamental para a formação dos cinéfilos de hoje.
Abaixo, pouco mais de 300 curiosidades para conhecer a trajetória do período. Um detalhe importante: estão em ordem cronológica.


Em 1831, os físicos Michael Faraday (britânico) e Joseph Henry (americano) descobrem o principio da indução eletromagnética, que permitirá, no final da década, à descoberta da energia elétrica.
Em 1839, o inventor francês Louis Daguerre desenvolve o Daguerreotype, o primeiro método comercial para produzir fotografias.
Em 1841, o inventor britânico William Fox Talbot patenteia o calotype, processo para imprimir negativos fotográficos em papel.
Em 1869, John Wesley inventa o celuloide, que servirá, anos depois, como a base da película cinematográfica.
Em 1879, o americano Thomas Edison registra a primeira lâmpada incandescente, que será parte importante dos projetores cinematográficos.
Em 1887, na Alemanha, Ottomar Anschutz demonstra o Electro-Tachyscope, que consiste numa sequência de fotografias colocadas numa roda e visualizadas através de um pequeno orifício, produzindo movimento.
No mesmo ano, Horace Wilcox, um milionário do setor imobiliário, tentou transformar uma região de campos de cevada, nos arredores de Los Angeles, em uma comunidade religiosa.
Emile Reynaud (1844-1918) foi quem patenteou a película perfurada, em 1888.
Em 1889, o americano George Eastman inventa o filme de celuloide perfurado.
Em 1891, Thomas Edison inventa o Kinetograph, o primeiro sistema cinematográfico, e o Kinetoscope, uma caixa que permitia ver filmes.
Em 1892, o francês Émile Renauld demonstra o Praxinoscope, que permite projetar pequenas animações desenhadas à mão, numa tela.
Em 1893, Thomas Edison constrói o primeiro estúdio de cinema (Black Maria) em New Jersey.
O nome Black Maria deve-se à semelhança do edifício com os carros da polícia da época.
Em 1894, Thomas Edison inicia comercialmente o Kinetoscope em Nova York.
Robert W. Paul, um cientista de Londres, descobre que Edison não tinha registrado o Kinetoscope na Inglaterra e começa a aperfeiçoá-lo.


Na cidade de Berlim, Ottomar Anschutz faz a demonstração de um sistema de projeção.
George Eastman da Kodak, usaria o formato padrão de filme cinematográfico, para uso profissional nessa época de quatro perfurações em cada fotograma.
Charles Pathé (1863 - 1957) foi um pioneiro francês da importante da indústria cinematográfica, filho de um açougueiro, Charles Pathé nasceu em Chevry-Cossigny , em Seine-et-Marne departamento da França . Em 1894, juntamente com seu irmão Émile , ele formou a Pathé Records . Dois anos depois eles criaram a Pathé Frères Société para entrar na produção e negócios de distribuição de filmes. Ambas as empresas se tornariam uma força dominante internacional em suas respectivas indústrias. Em 1929, Charles Pathé esgotado e sem interesse pelos negócios retirou-se para Mônaco, onde morreu em 1957.
Em 1895, é inventado o Cinematógrafo, e Thomas Edison não fica atrás e adquire o seu próprio sistema de projeção, o Vitascope, e inicia a projeção de filmes em 1896.
Os americanos Thomas Woodville e Charles Jenkins desenvolvem o Phantascope, um sistema de projeção mais desenvolvido.
Na Inglaterra, Robert W. Paul e o fotógrafo Birt Acres colaboram na construção de uma câmara de filmar, Birt Acres começa a filmar eventos desportivos.
Na Alemanha, Max Skladanowsky registra o seu projetor Bioskop e faz uma projeção pública em Berlim.
Quem exibiu os curtas de 28/12/1895, na histórica primeira sessão de cinema não foram os irmãos Lumière, e sim seu pai Antoine de Lumière.


1 Franco foi o quanto custou a entrada na histórica exibição de 28/12/1895, dos irmãos Lumière.
George Méliès estava presente na histórica sessão de cinema, dos irmãos Lumière, em 28/12/1895.
O primeiro filme feito na história do mundo, é um filme chamado L'Arrivée d'un Train à La Ciotat  (Chegada do Trem à estação). o filme foi feito pelos irmãos Lumière em uma estação de trem de Paris e foi apresentado no salão Grand Café no dia 28 de Dezembro de 1895.
O filme tem a duração de 52 segundos, e foi apresentado no Grand Café para um público de 33 de pessoas.
O público que assistiu ao filme fugiu da sessão achando que o trem ia sair da tela.
Por que os irmãos Lumière, que filmaram em quase todos os países do mundo, não filmaram no Brasil? A explicação, é a de que Charles Pathé nos anos de 1880, esteve no Brasil e contraiu febre amarela, contou para a sociedade parisiense, por onde circulavam os Lumière, e com medo nunca vieram em terras tupiniquins.
O fato histórico aconteceu na Rua do Ouvidor, no Rio de Janeiro.
Graças a um retardo de nossa retina a fita, com inúmeras fotos de instantes próximos, nos induz a interpretar os intervalos dessas fotografias, como sendo o movimento. Nossos olhos não diferenciam o movimento natural do movimento artificial. O cérebro humano faz a conexão inexistente entre as fotos estáticas, produzindo a ilusão de movimento, ou seja, vê o abstrato.
No final da década de 1890 , outras empresas surgem no mercado, entre elas a Biograph e a Vitagraph, e no meio de sucessivos processos judiciais por causa das patentes, o cinema começa a ganhar público entre as classes trabalhadoras.
Os dois primeiros cinemas do mundo foram abertos nos Estados Unidos, um foi em Atlanta, na Geórgia inaugurado em outubro de 1895, e o outro o Electric Theatre, que abriu suas portas em abril de 1902, em Los Angeles.
O nome do casal que deu o primeiro beijo no cinema (1895), foi May Irwin e John C. Rice.
James Stuart Blackton e Alberto E. Smith fundaram a produtora Vitagraph.


A primeira sala de cinema como a conhecemos hoje foi aberta em Pittsburg na Pensilvânia e exibia filmes das 8 da manhã até a meia noite.
O cinema no Brasil surgiu em 8 de julho de 1896, com a inauguração de um omniographo (aparelho que reproduz numa tela o movimento de uma seqüência de fotografias).
Os filmes de Edison eram dirigidos por William Kennedy Laurie Dickson (1860-1937), quando saiu da Edison company, fundou a Biograph Studios em Nova York.
Em 1896, Thomas Edison adquire os direitos do Phantascope ( passando à chama-lo de Vitascope) e inicia projeções públicas em Nova York.
As empresas Biograph e Vitagraph iniciam suas operações, tornando-se nas principais rivais da Edison Company.
A Vitagraph estreia o seu primeiro filme de The Burglar on the Roof.
Gelabert realiza o primeiro filme de espanhol, Rina en un Café.
Na Inglaterra, Birt Acres faz a demonstração da projeção de filmes e funda a Northern Photographic Works.
Em 10 de novembro de 1896, estréia o primeiro filme português, O Zé Pereira na Romaria de Santo Tirso.
Em 1896, os Lumière equipam alguns fotógrafos com aparelhos cinematográficos e os enviam para vários países, com a incumbência de trazer novas imagens e também exibir as que levam de Paris.
Os caçadores de imagens, como são chamados, colocam suas câmeras fixas num determinado lugar e registram o que está na frente.
A Coroação do Czar Nicolau II, filmado em Moscou, é considerado a primeira reportagem cinematográfica.
Os Irmãos Lumière fazem projeções na Índia.


As primeiras exibições cinematográficas da Espanha tiveram lugar nas festas de San Isidro de 1896 em Madri mediante o Animatógrafo, sistema também conhecido como Teatrograph e derivado do Kinetoscopio de Edison, modificado pelo inglês Robert William Paul.
A primeira luz artificial apareceu no filme: "Paulo cantando" de Georges Méliès, de 1897
Os primeiros filmes brasileiros foram rodados entre 1897 e 1898. Uma "Vista da baia da Guanabara" teria sido filmado pelo cinegrafista italiano Afonso Segreto em 19 de julho de 1898, ao chegar da Europa a bordo do navio Brèsil  pelo porto da Bahia de Guanabara.
O verdadeiro nome de Buster Keaton (1895-1966), era Joseph Francis Keaton. Ele nasceu nos Estados Unidos e teve sua estréia nos palcos aos 3 anos, acompanhado de seus pais, num número de acrobacia.
Os imigrantes e as classes trabalhadoras constituem o grande público cinematográfico.
Buster Keaton tinha um contrato com a MGM em que ele era proibido de rir.
A lanterna mágica surgiu primeiramente em São Paulo em 1889. Conhecida como A Maravilha do Século, trazida do exterior por Benjamin Schalch, que apresentava imagens com movimentos para seus conhecidos. Vieram outros tipos de aparelhos com nomes curiosos, porém o propósito continuava o mesmo da Lanterna Mágica.
Seus filmes foram "o bigodinho dorminhoco e "O engolidor de camundongos" que eram gêneros humorísticos.
A primeira filmagem em terras paulistas, entretanto, foi feita por Afonso Segreto em 20 de setembro de 1899, em uma celebração da colônia de imigrantes italianos.
O primeiro presidente à ser filmado foi Prudente de Morais.
Em 1899, os irmãos Lumière criam o formato de filme de 35 mm que se tornaria padrão.
O ator King John fez mais de 200 filmagens sobre as peças de Shakespeare.
O curta em cores no cinema apareceu em 1899.
O grande ator cômico dos filmes italianos André Deed, era na verdade francês.
Ele trabalhava para a produtora Itala Films. O estúdio fez fortuna com seus filmes. Ele era conhecido na França como Gribouille, na Espanha como Toríbio, na Inglaterra de Foolshead, na Rússia de Gluspichkin, na Itália de Cretinetti, na Alemanha como Müller, na Hungria como Lehmann, e Did no Brasil.


Cecil Hepworth produz os seus primeiros filmes.
Robert W. Paul inaugura um dos primeiros estúdios ingleses no norte de Londres.
Auguste Baron, trabalha no seu sistema sonoro, mas não encontra grande receptividade.
O lema da MGM era: "Temos mais estrelas do que no céu".
O apelido dado à Mary Pickford era: A namoradinha da América.
No início, as produtoras de Hollywood, mostravam os créditos da equipe apenas em cartões com os nomes das produtoras e distribuidoras. Somente anos depois, é que começaram a fazer logotipos mais elaborados.
Na exposição de Paris de 1900 os filmes já eram sonoros. Mas os elevados custos que implicava na instalação de aparelhos sonoros nas salas e nos estúdios adiou por um quarto de século o som.
Por volta de 1900, foram utilizados subtítulos. Como muitos dos espectadores eram analfabetos, os estúdios eram forçados a reduzir os subtítulos.
A música que acompanhava a exibição dos filmes era sempre música bastante erudita. Por vezes os realizadores recomendavam uma determinada partitura mas era o pianista (ou a orquestra) quem habitualmente escolhia o que interpretar.
Charles Chaplin resistiu bravamente ao cinema falado e apenas treze anos depois de seu surgimento, o cineasta deu voz a seus personagens em O Grande Ditador (O grande ditador),de 1940.
A francesa Paula Maxa, especializada em papéis de vítima no cinema mudo foi "assassinada" em toda sua carreira, num total de 358 vezes, muitas delas de forma horrível. Em alguns filmes chegou a fazer mais de um papel com o intuito de ser assassinada várias vezes.
Os irmãos Lumière produzem nessa época mais de 2000 filmes, na sua maioria atividades do dia à dia e histórias de ação.
Na França, Léon Gaumont demonstra a sincronização de imagens e som.
Em 1901, a Produtora e Distribuidora, francesa Pathé é a maior do mundo.
A Finlândia assiste à inauguração da primeira sala de cinema do país.


Georges Méliès realiza o primeiro filme de animação (Homem da cabeça de borracha).
Viagem à lua de George Méliès é feito em 1902, e foi a primeira ficção científica do cinema.
George Méliès fez mais de 500 filmes, e deixou roteiro para mais de duas centenas de outros filmes.
O Estúdios de Georges Méliès, ficavam nos arredores de Paris, em Montreuil.
Eram apelidados de "Aquário" porque suas paredes eram de vidros, para deixar à luz do sol passar.
A empresa de G. Méliès, a "Star Filmes", em Paris era na época o maior centro produtor de filmes no mundo.
Edwin S. Porter foi o primeiro grande cineasta norte-americano, em 1903, ele fez o filme: "O Grande assalto ao trem".
Nesse filme ele já utilizava a montagem e a continuidade e pedia aos seus atores, que interpretassem diferente da interpretação do teatro.
Com uma duração inédita de 12 minutos, o filme utilizava algumas técnicas narrativas que viriam a ser desenvolvidas ao longo dos anos, o que possibilitou captar um tipo de público diferente do habitual.
Em 1903, no seu filme Life of an American Fireman, Edwin S. Porter utiliza técnicas de montagem inovadoras para construir tensão dramática, assim como planos de ligação e de aproximação.
No curta de Edison: "O espirro" o ator era Fred Ott. Nos primeiros filmes eram mostrados cenas de dança, pugilismo, acrobacias, etc.
É aberta a primeira sala de cinema no Japão.
Peter Elfelt realiza o primeiro filme de ficção dinamarquês, Henrettelsen.
O primeiro filme sobre a vida de Jesus foi La vie et la passion de Jésus-Christ de Ferdinand Zecca em 1903.


Em 1904, a empresa francesa Pathé abre o seu primeiro estúdio em Nova York.
Copenhagen abre a sua primeira sala de cinema da Dinamarca.
Durante os próximos anos, a produtora francesa Gaumont domina a indústria cinematográfica, quer em quantidade de filmes produzidos, quer pela qualidade.
Abre em Londres, a primeira sala de cinema , própria para esse fim.
Em 1905, surge a Variety, a bíblia do cinema.
A Itália produz o seu primeiro longa-metragem.
Os estúdios Nordisk da Dinamarca, que cunhou o termo "Vamp" por ter filmes românticos mais picantes, foi fundado em 1906, desse termo surgiram os termos femme fatale, fêmea fatal (aquela mulher que "destruía" os lares).
Foi a Dinamarca no início do cinema, e não a Alemanha, a maior produtora de filmes.
Em 1906, George Albert Smith, cria o Kinema Color, primeiro processo comercial para filmes coloridos.
O primeiro longa-metragem da história foi o filme australiano, The Story of Kelly Gang, em 1906 com 70 minutos de duração.
James Stuart Blackton realiza o primeiro filme de animação, Humorous Phases of a Funny Face.
No mesmo ano a Islândia inaugura a sua primeira sala de cinema.
O inventor sueco Sven Berglund trabalha num sistema de gravação de som em película, através de um processo óptico.
Essanay Studios foi fundada em 1907 por George K. Spoor e Gilbert A. Anderson em Chicago e cujo nome deriva de seus nomes.


A Essanay, ficou conhecida pelos mais de 400 westerns de Bronco Billy, personagem interpretado pelo próprio Anderson, e pelas primeiras comédias de Charles Chaplin.
A Kalem foi uma produtora americana fundada em 1907 por George Kleine, Samuel Long e Frank Marion.
Fugindo de uma tempestade em Chicago, a equipe do filme O Conde de Monte Cristo terminou o filme em Los Angeles.
The Power of the Sultan (O Poder do Sultão), foi o primeiro filme todo rodado em Hollywood.
William Selig  foi o primeiro a se instalar em Hollywood, em 1908.
Em 1908, D. W. Griffith é contratado pela Biograph e realiza o seu primeiro filme, The Adventures of Dollie.
O sucesso do filme de arte francês (um movimento iniciado em 1908) levou os italianos a imitar este tipo de cinema, culta, refinada e espetacular. Em 1911 a milano Films produziu o primeiro filme europeu de valor literário e artístico, O Inferno (Dante Alighieri).
Foi rodado na França o primeiro filme pornográfico que se tem registro o filme se chamava: "A empregada da hospedaria".
Na Itália foi criado o termo Diva, que começou um movimento chamado Divismo, que tinha nas belas e competentes atrizes, um chamariz para os filmes, foi um veículo perfeito para atrizes como Lyda Borelli, Francesca Bertini, e Lina Cavalieri, e logo eclipsou o filme espetacular, que instituiu roteiros melodramáticos e histórias sobre paixões ardentes.


O gênero alcançou seu auge entre 1915 e 1921 e desempenhou um papel crucial na descoberta do close-up, tendo todas as infinitas possibilidades de expressões.
A Noruega produz o seu primeiro filme  (Fisker livets Farer: Et Drama po Havet).
O Japão assiste à inauguração do primeiro estúdio do país.
Vladimir Romashkov realiza o primeiro filme russo (Stenka Razin).
Mario Gallo realiza El Fusilamiento de Dorrego, o primeiro filme argentino com atores profissionais.
Os primeiros filmes em cores são exibidos em Londres.
Neste ano, nasce um novo gênero no cinema o "film d´art". Que consistia de peças de teatro famosas ou algum acontecimento histórico.
O primeiro filme 'filme d´art' foi L’assassinat du duc de Guise", um imenso sucesso.
Mas esse gênero de filme não conseguiu se impôr como forma dramática autônoma, no sentido erudito do termo, e da eloquência de outras formas expressivas (sobretudo o teatro).
O primeiro grande sucesso do cinema brasileiro foi: "Os estranguladores" (1908), foi produzido pela sociedade do cinegrafista português Antônio Leal.
O cinema no início, não teve grande salas de cinema porque nessa época faltava energia elétrica,na capital do Brasil.
Nos Estados Unidos do final de década de 1900, os Nickelodeons estavam no seu auge, sendo vistos por milhões de pessoas diariamente. Mas brevemente seriam substituídos por verdadeiras salas de cinema, uma vez que os grandes estúdios de Hollywood, estavam prestes a nascer.
John Bunny foi o primeiro cômico de Hollywood. Seu primeiro curta foi em 1909.


Em 1909, Carl Laemmle funda o primeiro estúdio independente da Motion Picture Patents Company (MPPC).
Aparecem os créditos, com nomes de todos dos responsáveis pelo filme.
O astro e diretor, Francis Boggs criou o primeiro estúdio californiano.
David Wark Griffith, filmou em Los Angeles um faroeste com índios de verdade.
Foi somente com Charles Pathé que o cinema se transformou em um grande indústria.
Outros produtores independentes rejeitam as regras da MPPC e começam a rodar os seus filmes na Califórnia, tornando esta no grande centro cinematográfico dos Estados Unidos.
O Estado de Nova York estabelece uma comissão de censura.
É criada, em Paris, a Société du Film d’Art para produzir filmes de melhor qualidade que atraem as classes mais altas.
O governo inglês cria legislação para regulamentar a atividade cinematográfica.
O escritor irlandês, James Joyce, abre a primeira sala de cinema em Dublin.
O Zoopraxiscope, de Eadweard Muybridge, permitia a projeção numa tela, e de uma forma rápida, de imagens imprensas num vidro rotativo, dando assim a ilusão de movimento.
Em 1910, com 4.000 habitantes, Hollywood foi anexada a Los Angeles.
A MPPC tenta controlar a distribuição cinematográfica, mas, enfrenta a oposição de produtores independentes como Carl Laemmle e William Fox.
A MPPC tenta limitar a exibição de filmes estrangeiros nos Estados Unidos.
O primeiro filme brasileiro a trazer um personagem negro é: A Vida de João Cândido.
D. W. Griffith compra, pela primeira vez na história do cinema, os direitos cinematográficos de uma obra de ficção (Ramona).


Alice Guy-Blaché, uma das pioneiras do cinema, e o seu marido Herbert e George A. Magie fundam a Solax Company, que viria a tornar-se no maior estúdio de cinema pré-Hollywood.
Antes da 1° Guerra Mundial, a França, Itália e a Dinamarca são os principais exportadores de filmes para os Estados Unidos.
Mary Pickford foi a primeira a colocar suas marcas de mãos e pegadas no cimento em frente ao Chinese Theater. Também formou um dos casais mais famosos do cinema quando se casou com Douglas Fairbanks.
Mabel Normand, Inaugurou o pastelão sendo a primeira a jogar uma torta na cara de alguém no cinema.
Em 1911, é lançado Little Nemo, de Winsor McCay, primeira tentativa autêntica de produzir um filme animado com perspectiva e movimento.
O primeiro estúdio a funcionar em Hollywood, foi a Nestor Studios.
Da França e Inglaterra chegam longas-metragens como A dama das Camélias (1911), Henry VIII (1911) e Hamlet (1913), que encontram uma grande receptividade junto de uma classe média cada vez mais receptiva à sétima arte, que deixa de ser uma mera forma de entretenimento para as classes trabalhadoras.
O público contesta a distribuição dos filmes de D. W. Griffith em várias partes e a Biograph decide distribui-los por inteiro.
No mesmo ano,  as comédias deixam de dominar a produção cinematográfica, assistindo-se ao proliferar de outros gêneros: dramas, westerns e recriações históricas.


Francisco Serrador cria a primeira grande rede de exibição nacional (salas em São Paulo, Rio de Janeiro, Niterói, Belo Horizonte e Juiz de Fora), desistindo de produzir e torna-se distribuidor de filmes estrangeiros.
A expressão "sétima arte", foi criada em 1912 pelo italiano Ricciotto Canuto.
George Albert Smith é creditado como inventor da "montagem". Porém Georges Méliès já tinha inventado antes dele, só que por acaso. Quando filmava na rua, sua câmera parou de funcionar. Ele deu continuidade à filmagem, e quando foi revelar, se assustou com dois frames sobrepostos.
Adolph Zukor funda a Famous Players e Carl Laemmle cria a Universal Film Manufacturing, que mais tarde viria dar origem à Universal Pictures.
Francis X. Bushman e Beverly Bayne tornam-se o primeiro par romântico da história do cinema.
O governo americano e o distribuidor William Fox processam o Trust de Edison e a MPPC por práticas ilegais.
No Japão, vários estúdios tentam controlar o mercado, criando a empresa Nippon Katsudo Shashin.
Estréia do primeiro filme indiano, Pundalik. Realizado por P.R. Tipnis e N.G. Chitre em Bombaim, Pundalik conta a história da vida do santo hindu com o mesmo nome.
O futuro radialista brasileiro Roquete Pinto filmou índios em close-up em 1912.
Luíz Thomas Reis, Major do exército brasileiro, era quem filmava os índios para a missão Rondon.
A atriz americana Dorothy Gibson, depois de passar férias na Itália, voltou aos Estados Unidos à bordo do navio... Titanic! Ela sobreviveu.


O Cinema mais antigo ainda em funcionamento no Brasil, é o Cine Olympia em Belém do Pará, inaugurado em 1912. Ele está entre os mais antigos do mundo, perdendo por 3 anos para o Kino Pionier no interior da Alemanha que foi fundado em 1909.
A Mutual films corporation foi fundada em março de 1912 por John Freuler e Harry Aitken.
A Keystone Company foi fundada em 1912 por Mack Sennett, que também realizava e montava grande parte dos seus filmes.
Ela fazia comédias e por esse estúdio passaram gênios das comédias, que incluíam atores como Buster Keaton, Charlie Chaplin e os policiais "Keystone Cops".
A grande atriz italiana Eleonora Duse, foi a primeira mulher a aparecer na capa da revista Time, e fez um único filme em toda sua vida. Foi em um filme italiano chamado Cenere ( Cinzas ), do qual só restam algumas fotografias. Ela considerava o cinema uma arte menor.
As primeiras salas de cinema começam a surgir na Alemanha.
Já a grande Sarah Bernhardt, não tinha nenhum preconceito com o cinema chegou a fazer vários filmes um deles foi A Dama das Camélias.
O agente-geral dos irmãos Lumière, Alexandre Promio, enquanto viajava pelo mundo filmando paisagens exóticas aproveitava para vender a filmadora dos irmãos Lumière. Teria sido ele em Veneza filmando de uma gôndola, inventado assim, o Travelling.
A Nestor Company é o primeiro estúdio a iniciar atividade na Califórnia.
Na Europa, os filmes têm uma duração superior a 15 minutos e as suas histórias são cada vez mais complexas.


A indústria britânica começa a perder terreno para produção francesa e americana.
O Estado da Pennsylvania, nos Estados Unidos, cria um comité de censura.
Em 1913 Enrico Guazzoni (1876-1949) fez o primeiro longa-metragem da Itália, "Quo Vadis" que tem 40 minutos.
A produção italiana de 8 bobinas do filme é um sucesso internacional, sendo exibido em Nova York durante meses, custando, cada entrada, o preço recorde de $1,50 dólares.
No mesmo ano, o diretor Cecil B. de Mille aluga um celeiro em Hollywood para o seu filme The Squaw Man, mais tarde viria a ser o local da Paramount Pictures.
A Edison Company demonstra em Nova York o filme sonoro, mas o sistema não funciona corretamente.
Raja Harishchandra (1913), foi o primeiro filme mudo feito na Índia. Foi realizado por Dadasaheb Phalke.
A produção da empresa Dinamarquesa Nordisk Film é reconhecida internacionalmente.
Em 1914, é fundada a Paramount, o primeiro grande estúdio de Hollywood.
John Ford chegou em Hollywood em 1914, e trabalhou como ator e contra-regra.
A Paramount teve sua origem em um estúdio chamado Famous Players Film Company, de comandado por Adolf Zukor.
A montanha da Paramount é a logomarca mais antigo dos estúdios de Hollywood, tendo sido escolhido pelo criador da empresa em 1914.


No mesmo ano sai Darktown Jubille, o primeiro filme americano inteiramente realizado por negros.
Bartolomeo Pagano, o Maciste do filme Cabíria de 1914, era um estivador do porto de Genôva.
Estréia em 14 de janeiro de 1914, o primeiro filme de comédia mudo, Tillie's Punctured Romance, com Charles Chaplin.
A produção japonesa aumenta com o início da guerra entre o Japão e a Rússia.
Estrelas de cinema participam do esforço de guerra, interpretando papéis em filmes de propaganda e vendendo bônus de guerra.
Ben Turpin, era vesgo e pôs no seguro os seus olhos, com medo que eles voltassem a ser normais e perdesse a fama.
Certa vez, Charles Chaplin participou de um concurso de imitadores de Carlitos, ele ficou em 3º lugar.
Greta Garbo, era Sueca, e foi descoberta pelo chefão da MGM, Louis B. Meyer, quando passava férias na Europa.
Foi Deida Wilcox, quem batizou o povoado de Hollywood, em homenagem à casa de campo, de um amigo que ela tinha em Chicago.
Em 1914, o personagem "O Vagabundo" de Charles Chaplin surge pela primeira vez no filme Kid Auto Races at Venice.
Nessa época Charles Chaplin, começa a realizar seus próprios filmes.
Os filmes de animação tornam-se populares, surgindo personagens como "Gertie, o Dinossauro" e " Félix, o Gato".


No mesmo ano,  a primeira grande sala de cinema abre em Nova York.
Em 1914, a Inglaterra produz os seus primeiros desenhos animados.
Durante a I Grande Guerra Mundial, os países ocupados reduzem a sua produção de filmes quase à zero.
O gênio do cinema mudo Charles Chaplin, ganhava nos tempos da Keystone apenas 175 dólares por semana. Insatisfeito, trocou, em 1915, de estúdio e foi para a Essanay, onde passou a receber 1.250 dólares semanais, mais bônus. Um ano depois, já na Mutual, passou a ter um salário semanal de 10.000 dólares que, com os bônus, podia chegar a 150.000 dólares mensais. Uma fortuna na época.
Em 1915, Nascimento de Uma Nação , realizado por D. W. Griffith, reúne inovações como uso de panorâmica e montagem alternada. Foi o primeiro filme a romper a barreira dos US$ 10 milhões de bilheteria e o primeiro filme a ser exibido na Casabranca.
O filme tem a sua própria banda sonora (que se torna um êxito) e o preço do ingresso custa $2 dólares, o mesmo que uma entrada para o teatro. O filme provoca protestos anti-racistas, levando o presidente americano a condenar o filme.
A MPPC é formalmente acusada de práticas ilegais, em 1915 a MPPC perder o controlo da indústria para as produções de Hollywood.
Em 1916, é lançado Intolerância, de Griffith, outro filme sobre preconceito, que apresenta outras inovações na narrativa cinematográfica.
As primeiras cenas de nudez no cinema já começavam a acontecer a partir de 1916. As pioneiras na ousadia foram as atrizes Anne Kellerman (em Daughter of The Gods) e June Capríce (em The Ragged Princess).


William Fox era o homem encarregado pelos estúdios independentes de Hollywood, de "acabar" com o Trust de Edison, o que veio a acontecer em 1917, na presidência de Thomas Woodrow Wilson.
Na Alemanha, o governo, o Banco Nacional Alemão e investidores conservadores adquirem pequenos estúdios e criam a produtora e distribuidora UFA, que viria a se tornar no estúdio dominante no país e um dos mais importantes da Europa.
A Produtora alemã UFA tem suas iniciais que querem dizer Universum Film Aktien Gesellschaft.
O First National foi criado em 1917 por um grupo de dissidentes que não concordavam com as práticas da Famous-Players Lasky Corporation, que obrigava os donos de cinemas a comprar um conjunto de filmes menores para conseguirem um filme de longa-metragem. No final da década de 20, a empresa é absorvida pela Warner Bros.
A UFA surgiu em 18 de Dezembro de 1917, a Universum-Film AF (UFA), financiada pelo Estado, pelo Deutsche Bank (banco Nacional Alemão) e por grupos financeiros conservadores. Marcaria o cinema alemão por produzir tantos clássicos.
Ernest Lubitsch, começou a fazer filmes na UFA.
Os filmes japoneses começam a utilizar técnicas como flashbacks e planos aproximados e as mulheres começam cada vez mais a interpretar papéis femininos, quebrando a tradição de todos os papéis serem interpretados por homens.
Em 1918, The Sinking of the Lusitania, de Winsor McCay, é o primeiro longa de animação.
As salas de cinema recusam-se a exibir os filmes de Francis Bushman, quando se tornam públicas as suas aventuras extra conjugais.


A indústria de cinema em Portugal terá início em 1918, após a reestruturação da produtora Invicta Film, que reativa o Ciclo do Porto. Durante os anos vinte, a produção cinematográfica portuguesa dedica-se principalmente à transposição dos clássicos literários portugueses para a tela, entregando a direção dos projetos a realizadores estrangeiros.
Após anos de litígios, a MPPC deixa de existir.
No mesmo ano, a Warner Bros. distribui o seu primeiro filme.
O logo da MGM foi criado pelo publicitário Howard Dietz, para a Goldwyn Pictures em 1918, mas a versão final como nós a conhecemos é de 1925, e o nome do leão é Leo.
A Ebony Film Corporation distribui o primeiro filme apenas com atores negros.
Em 1919, Lenin assina decreto nacionalizando o cinema Czarista, primeiro controle do cinema pelo Estado.
A United Artists, foi fundada em 05/02/1919, por Charles Chaplin, D. W. Griffith, Mary Pickford e Douglas Fairbanks, com o único objetivo de desafiar o poder dos grandes estúdios, que, segundo alguns, ganhavam fortunas às custas do talento dos artistas.
Os estúdios começam a adquirir salas de cinema.
Oscar Micheaux, foi o primeiro realizador negro, realiza o seu primeiro filme (The Homesteader).
Os Estados Unidos dominam o mercado cinematográfico europeu.
Após a revolução, Lenin nacionaliza o cinema soviético, levando a que alguns realizadores emigrem para Europa e Estados Unidos.
Com o passar dos anos, o cinema deixa de ser visto como algo menor e começa a atrair a atenção das classes mais altas.
A consolidação definitiva de Hollywood em capital do cinema mundial, só veio em meados dos anos 1920.


Robert Wiene realiza um marco do expressionismo alemão, O Gabinete do Dr.Caligari.
A exibição do filme O Gabinete do Dr. Caligari da início ao período do expressionismo alemão, que teve como maiores exemplos os realizadores F. W. Murnau, Robert Wiene e Fritz Lang.
Nos anos 1920 surge, o cinema olho, teoria cinematográfica criada pelo documentalista soviético Dziga Vertov. As características principais são a objetividade e a utilização da câmera como olho humano.
O cinema puro dos anos 1920, foi uma corrente francesa, que se focava nos elementos puros da arte cinematográfica, como a forma, o movimento, o campo visual e o ritmo.
Pequenos documentários e ficções foram os primeiros gêneros do cinema.
A linguagem cinematográfica se desenvolve, criando estruturas narrativas. Na França, na primeira década do século XX, são filmadas peças de teatro, com grandes nomes do palco, como Sarah Bernhardt.
O desaparecimento ao longo dos anos de muitos dos primeiros filmes da história do cinema, não permite saber quando é que o logótipo da Universal Pictures foi utilizado pela primeira vez. No entanto, existem registros da existência de uma logomarca da empresa em publicidade da década de 1920 e que o mesmo teria sido utilizado em filmes dessa década.

https://www.tudosobreseufilme.com.br/2017/05/o-dr-caligari-e-o-gabinete.html

Executivos de Hollywood e políticos criaram o Comité de Americanização para encorajar o sentimento patriótico em filmes americanos.
Existiam cerca de 20.000 salas de cinema operando nos EUA.
Durante a década de 1920, muitos dos atores e realizadores suecos emigram para os EUA, tais como Greta Garbo, Mauritz Stiller e Victor Sjorstrom.
Produtores independentes americanos tentam controlar a distribuição de filmes através da aquisição de novas salas de cinema.
No Brasil, são exibidos pela primeira vez filmes com som sincronizado, utilizando um disco que tocava ao mesmo tempo que era exibido o filme.
A Polônia assiste à construção do primeiro estúdio cinematográfico do país em Varsóvia.
Carl Laemmle, antes de fundar a Universal Studios foi contador em Chicago.
Giovanni Pastrone (Diretor do filme Cabíria) antes de se dedicar ao cinema era contador de um banco em Turim.
Geoge Méliès era prestidigitador (mágico que faz truques usando apenas as mãos) antes de ser cineasta.
Samuel Goodwyn, co-fundador da MGM, vendia sapatos antes de ir para Hollywood.
Em 1921, são lançados 854 filmes nos cinemas norte-americanos, recorde até hoje não igualado.
O estúdio estatal Alemão UFA assina um acordo com a Famous Players-Lasky Corporation para a exibição dos seus filmes nos EUA.
O comediante Fatty Arbuckle abandona sua carreira cinematográfica devido às suspeitas de assassinato da atriz Virgínia Rappe.


Feito em 1922, The Toll of the Sea é o primeiro longa-metragem a ser filmada no sistema de duas cores da Technicolor.
O explorador Robert Flaherty realiza o primeiro documentário do mundo, Nanook, o Esquimó, sobre o dia a dia de uma família de esquimós.
Na Itália, a produção nacional diminui devido à invasão de filmes americanos e alemães.
A China cria em 1922, a primeira produtora do país, controlada pelo Estado.
É criada a Motion Pictures Producers of America, principal lobby do cinema americano.
Harry, Albert, Jack e Sam Warner, fundam a Warner Brothers.
Walt e Roy Disney fundam a Walt Disney Company.
É exibido filme The Covered Wagon popularizando os filmes de cowboys.
Em 1923, o filme de Cecil B. DeMille "Os dez mandamentos" orçado em $1 milhão de dólares torna-se num enorme sucesso de bilheteira.
A Metro Pictures de Marcus Loew e Nicolas Shenk, incorporam a Goldwyn e se associam a Louis B. Meyer, e fundam a Metro Goldwyn-Meyer, (MGM), o mais famoso estúdio de Hollywood.
Os irmãos Harry e Jack Cohn unem-se a Joseph Brandt para fundar a Columbia.
Sigmund Freud só não foi o roteirista mais bem pago da história porque não quis, em 1923 um produtor lhe ofereceu um cheque em branco para que lhe contasse as psicopatias de seus pacientes, com a ideia de que nelas podiam ter escondidas muitas boas películas, Freud recusou por que lhe pareceu pouco ético.


Somente dois estúdios sempre estiveram em Hollywood, foram eles: A Universal Pictures e a Warner Brothers Pictures. As outras produtoras sempre estiveram ao redor de Hollywood, (Encino, Burbanks, etc.), o importante era a "marca de Hollywood'), que eram filmes feitos naquela região e feitos com essa marca e era o símbolo do cinema feito nos EUA.
O enorme letreiro contendo a palavra Hollywood começou a ser construído em 1923. A princípio a mando de uma companhia de imóveis de Mack Sennen, foi colocada a palavra Hollywoodland, o nome de um loteamento que se instalaria nas imediações.
William Paul (1869-1943), foi o primeiro produtor inglês.
Irving Thalberg tinha 24 anos quando foi ser diretor de estúdio da MGM.
Começa a nascer a Poverty Row, uma zona de Hollywood onde ficam instalados os escritórios de pequenas produtoras, entre elas a Columbia Pictures.
Os primeiros filmes de Hollywood foram financiados por um filho de imigrante italiano de São Francisco, quem criou o "micro-crédito", o nome dele era Amedeo P. Giannini (1870-1949), seu banco era chamado de Bank of Italy, em 1923, viria a se tornar o Bank of America, o BofA.
São criados os estúdios Gainsborough, na Inglaterra, onde Alfred Hitchcock viria a realizar os seus primeiros filmes.
 A "Senhora Columbia", era personificação da América, surgiu pela primeira vez em 1924.
A mulher da logomarca da Columbia foi inspirada num poster de propaganda anti-Alemanha.
Muitas atrizes, ao longo dos anos, afirmaram que serviram de modelo para a logomarca, mas, a verdade é que nem o próprio estúdio tem registros do processo.


A Metro-Goldwyn Pictures é criada a partir da fusão entre a Metro Pictures, Goldwyn Pictures e a Louis B. Mayer (com o dinheiro que ele conseguiu arrecadar distribuindo o filme, O Nascimento de um a Nação) Productions.
Algumas salas de cinema dos EUA começam a programar seções duplas.
Douglas Fairbanks, ganhou muito dinheiro com seus filmes, só tinha um problema,ele não sabia como investir, então começou à comprar terras em torno de Hollywood, e ia revendendo com o tempo. O local? Beverly Hills.
Max Linder (1883-1925), cômico francês que influenciou Charles Chaplin, morreu de neurastenia.
Em 1925, Sergei M. Eisenstein realiza O Encouraçado Potemkin, clássico do político, e coloca em prática suas idéias sobre "montagem das atrações".
Os dinossauros fazem a sua primeira aparição nas telas de cinema no filme The Lost World, cujos efeitos especiais são criados por Willis O’Brien, que mais tarde seria o responsável pelos efeitos do filme King Kong.
Por causa de um concurso de uma revista de cinema, a Metro-Goldwyn-Mayer muda o nome da atriz Lucille Le Seur para Joan Crawford.
A jornalista Louella Parsons inicia a sua famosa coluna de opinião.
A Warner Bros. lança uma estação de rádio, adquire a empresa Vitagraph e junta-se à Western Electric para desenvolver um sistema de som para filmes.
Rudolph Valentino, que se tornaria num dos mais famosos galãs da sétima arte, morre em 1926, com um câncer de estomago, provocando uma intensa reação dos seus admiradores durante o seu funeral.
Em 1926 a Fox produz curtas e seu primeiro filme de atualidades utilizando o sistema Movietone, que grava o som diretamente na película.


O filme campeão de beijos do cinema foi Don Juan (dirigido por Alan Crosland, em 1926), em que os atores John Barrymore, Mary Astor e Estelle Taylor beijaram-se 127 vezes.
John Barrymore é avô da atriz mirim de ET, Drew Barrymore.
O filme Don Juan é o primeiro a utilizar o sistema sonoro Vitaphone, apenas com efeitos sonoros e música.
Em 6 de outubro de 1927, estreia a primeiro longa-metragem sonoro (Cantor de Jazz), interpretado por Al Jolson; a reação do público é extremamente positiva.
Napoleão, de Abel Gance, introduz o sistema de projeção Polyvision, de tela com 3 projeções, que seria o "avô" do cinerama
Em 11/01/1927 é criada a Academia de Arte e Ciências de Hollywood. Entre os fundadores estavam Harold Loyd, Mary Pickford, Louis B. Meier, entre outros.
O realizador Frank Capra é contratado pela Columbia Pictures, sendo de extrema importância na ascensão da produtora como um dos principais estúdios de Hollywood.
Em Hollywood, é inaugurada a famosa sala de cinema The Chinise Theater e em Nova York abre a maior sala de cinema com 6.214 lugares.
Os estúdios de Hollywood impõem regras de conduta a si próprios ao proibir a exibição de escravatura branca, romance inter-racial e o uso de drogas.
O Egito produz o seu primeiro longa-metragem (Laila).
A produção cinematográfica norueguesa ganha reconhecimento com o filme Troll-elgen.
Em 1928 Walt Disney lança seu personagem que lhe daria fama e dinheiro o Mickey Mouse e seu primeiro desenho é Steamboat Willie e introduz o som nos desenhos.
A Warner Bros. estréia o primeiro filme totalmente sonoro e é responsável por todos os filmes sonoros produzidos naquele ano 10 ao todo.


Com a estréia do seu primeiro filme sonoro (Loves of an Actress), a atriz Pola Negri é forçada a melhorar seu inglês, porque o seu sotaque polonês é perceptível pelo público.
A Paramount anuncia que a partir de 1928 apenas produzirá filmes sonoros.
Pela primeira vez é utilizado um trailer com som para anunciar o filme Tenderloin.
Em 1929, estréia em Paris o filme Um Cão Andaluz de Luis Buñuel com uma boa aceitação do público, embora as suas imagens, sejam perturbadoras.
O filme foi  co-escrito por Salvador Dali, e é o marco do surrealismo no cinema.
No mesmo ano, Joseph Kennedy e David Sarnoff fundam a RKO Radio Pictures
RKO quer dizer: (Radio Keith Orfeum)
O símbolo da RKO foi criado em 1929 por Linwood G. Dunn, que recriou uma miniatura da logomarca (uma antena em cima de um globo a girando) e filmou através da parede de vidro onde tinham sido desenhadas nuvens. Desde a primeira versão do logo que se consegue ouvir os famosos sons de código morse "A Radio Production".
A década não terminaria sem mais um acontecimento importante e que viria influenciar a economia mundial, incluindo a indústria cinematográfica, a queda da bolsa de Nova York em Outubro de 1929 e o início da depressão econômica.
Os realizadores soviéticos Eisenstein, Alexandrov e Pudokin apresentam a teoria sobre o cinema sonoro "O Futuro do Filme Sonoro".
O governo soviético critica o realizador Eisenstein pelo seu filme "Outubro" e decide que os filmes soviéticos devem ser realizados de modo a serem percebidos pelas massas.
A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas realiza a primeira cerimônia de entrega dos Óscars. O filme premiado se chama Asas.


Os Irmãos Marx estreiam o seu primeiro filme, The Cocoanuts.
King Vidor realiza seu primeiro filme sonoro apenas com atores negros.
On With the Show, da Warner, é o primeiro musical sonoro em cores.
Vários países europeus, entre eles a Inglaterra, França, Austria e Hungria, impõem quotas à importação de filmes estrangeiros.
A legislação italiana obriga que todos os filmes sejam exibidos em italiano.
O número de espectadores triplica na França entre o fim da I Guerra Mundial e 1929.
Alfred Hitchcock realiza Chantagem e confissão, o primeiro filme sonoro inglês.
A Logomarca da 20th Century-Fox, foi criada pelo artista Emil Kosa, Jr. em 1933, para a 20th Century Pictures, o logotipo do estúdio tem como ponto forte a fanfarra, A Fox foi fundada em 1915,em 1935 ela se fundiria com a 20th Century Pictures.
A Fanfarra foi criada pelo então diretor musical da United Artists, Alfred Newman.
O diretor e ator Charles French fez mais de 200 filmes até a década de 1940.
Charles French produziu para a Bison Company, mais de 185 curtas-metragens em apenas oito meses!
Em 1929, no ocaso do cinema mudo, o velho e legendário xerife Wyatt Earp é chamado a Hollywood para servir de consultor técnico de um faroeste, em que o seu papel seria interpretado por Tom Mix. Earp e Mix tornam-se bons amigos e acabam por investigar juntos o assassinato de uma prostituta do bordel local, onde as profissionais se pareciam com estrelas do cinema. Eles descobriram que por trás do crime estava o sádico e corrupto Alfie Alperin, ex-ator e agora chefe do estúdio onde eles trabalhavam.


Em 1929 o cinema falado representa 51% da produção norte-americana.
Outros centros industriais, como a França, Alemanha, Suécia e Inglaterra, começam a explorar o som.
A partir de 1930, Rússia, Japão, Índia e países da América Latina recorrem à nova descoberta.
A adesão de quase todas as produtoras ao novo sistema abala convicções, causa a revolução nos estúdios, que será sentida nos atores, roteiristas e diretores e reformula os fundamentos da linguagem cinematográfica. diretores como Charles Chaplin e René Clair estão entre os que resistem à novidade, mas acabam aderindo.

Alfred Hitchcock, disse certa vez que os filmes mudos eram perfeitos, só faltavam o som sair das bocas das personagens.


Obras-Primas do Cinema lançou CINEMA MUDO. Digistak com 3 DVD’s contendo 5 clássicos em versões restauradas desse período da Sétima Arte! Nesta edição, filmes dirigidos por grandes mestres e estrelados por Rudolph Valentino, Janet Gaynor, Lon Chaney, Douglas Fairbanks, Norma Shearer, Charles Farrell. Edição Limitada!

Disco 01:

O Sheik, (The Sheik, 1921, 1.33:1, 75min.)
Diretor: George Melford. Elenco Principal: Rudolph Valentino, Agnes Ayres, Ruth Miller.

U+21F0.gif Sinopse:

O Sheik Ahmed (Rodolfo Valentino) apaixona-se pela socialite britânica Diana (Agnes Ayres) e a sequestra, levando-a para sua tenda em um deserto. Desesperada, Diana tenta escapar de suas mãos, mas acaba se envolvendo com este homem perigoso.

O Anjo das Ruas (Street Angel, 1928, 1.33:1, 97min.)
Diretor: Frank Borzage. Elenco Principal: Janet Gaynor, Charles Farrell, Natalie Kingston.

U+21F0.gif Sinopse:

Ângela é presa após tentar roubar dinheiro para pagar o remédio de sua mãe, mas consegue escapar do reformatório e se esconde em um circo, onde conhece Gino, um pintor. Ela torce o tornozelo e não consegue trabalhar, mas ainda é procurada pelo roubo. De repente, ela vê seu passado voltar à tona, exatamente quando está tão próxima da felicidade verdadeira.


Disco 02:

Lágrimas de Palhaço (He Who Gets Slapped, 1924, 1.33:1, 72min)
Diretor: Victor Sjöström. Elenco Principal: Lon Chaney, Norma Shearer, John Gilbert.

U+21F0.gif Sinopse:

Um cientista, Paul Beaumont, após ser traído por seu aliado e sua esposa, humilhado diante da comunidade científica, torna-se um palhaço cujo principal número é ser esbofeteado por todos os outros palhaços. No circo, fará todos os esforços para salvar a mulher que ama do lascivo conde que o traiu no passado.

The Penalty (The Penalty, 1920, 1.33:1, 87min)
Diretor: Wallace Worsley. Elenco Principal: Lon Chaney, Charles Clary, Doris Pawn, Jim Mason.

U+21F0.gif Sinopse:

Após ter perdido as pernas durante um acidente em sua infância, um homem se torna um criminoso cruel e líder da máfia em San Francisco. Ele tentará se vingar do cirurgião que realizou sua operação.

Disco 03:

O Ladrão de Bagdad (The Thief of Bagdad, 1924, 1.33:1, 149min)
Diretor: Raoul Walsh. Elenco Principal: Douglas Fairbanks, Julanne Johnston, Snitz Edwards.

U+21F0.gif Sinopse:

O ladrão Ahmed (Douglas Fairbanks) se apaixona pela filha do Califa de Bagdá, só que para ficar com ela terá que enfrentar os concorrentes. O pai dela diz que dará a mão da filha em casamento ao homem que trouxer o mais raro tesouro depois de sete luas. O ladrão sai nessa mágica jornada, mas ele não sabe que o outro pretendente, o Príncipe dos Mongóis, não está jogando limpo.


U+21F0.gif Extras:

Entrevista com o autor Hervé Dumont sobre o filme "Anjo da Rua"
Os segredos de Chaney revelados
Trechos de "The Miracle Man" com Lon Chaney
Fairbanks: O Ladrão de Bagdá
Processo de Restauração

U+21F0.gif Informações Técnicas:

Título: Cinema Mudo
País de Produção: Estados Unidos
Ano de Produção: 1920 - 1928
Gênero: Drama - Aventura - Romance.
Direção: Victor Sjöström; Frank Borzage; Raoul Walsh; George Melford; Wallace Worsley.
Elenco: Douglas Fairbanks, Lon Chaney, Janet Gaynor, Rudolph Valentino, Norma Shearer, Charles Farrell, Charles Clary, Julanne Johnston, Agnes Ayres, Ruth Miller, John Gilbert, Natalie Kingston, Doris Pawn, Jim Mason, Snitz Edwards.
Áudio: Dolby Digital 2.0
Idioma: Inglês (mudo)
Legendas: Português
Duração Aproximada: 480 minutos
Região: Aberto para todas as zonas (Livre)
Formato de Tela: 1.33:1
Cor: Preto e Branco - Tintando
Classificação Indicativa: Livre. - Adequado para todos os Públicos.



Tecnologia do Blogger.