ROBERT REDFORD - 10 FILMES ESSENCIAIS


Charles Robert Redford Jr. nasceu em Santa Mônica no dia 18 de agosto de 1937. Filho de um contador, Charles Robert Redford, o ator perdeu sua mãe Martha Redford aos 18 anos, mesmo ano em que se formou na Van Nuys High School.

Desde os 10 anos ele tinha o hábito de pintar e desenhar mas o seu talento era voltado mais para esportes. No mesmo ano da morte de sua mãe mudou-se para a Universidade do Colorado onde entrou para o time de beisebol e foi escolhido o melhor jogador da universidade. Só que se cansou e largou retornando à Los Angeles.  Depois de momentos conturbados, ele resolve tentar a sorte em Paris como pintor. Através da pintura, conheceu sua esposa que o incentivou a entrar para o teatro.


Em 1959 Redford estréia nos palcos na peça ''Tall Story''. No cinema conseguiu estrear em 1962 em ''Obsessão de Matar,'' e o resto é a história que nós conhecemos. De possível pintor e provável jogador de beisebol, acabou se tornando uma das lendas de Hollywood, unindo talento e competência, tanto atuando quanto dirigindo (vencendo o Oscar inclusive, no ofício!!).

E hoje, depois de meses atrás anunciar a aposentadoria, é nosso homenageado com os 10 filmes essenciais:

Neste filme baseado numa peça de Neil Simon, recém-casados Corie (Jane Fonda), de espírito livre, e Paul Bratter (Robert Redford), um advogado nervoso, partilham um apartamento no sexto andar em Greenwich Village. Logo após seu casamento, Corie tenta encontrar um companheiro para sua mãe, Ethel (Mildred Natwick), que agora está sozinha, e a apresenta ao seu vizinho Victor (Charles Boyer). Um encontro entre os dois casais provoca conflito, e o jovem casal considera o divórcio.

Dois amigos inseparáveis, Butch (um ex-açougueiro, daí o nome) Cassidy (Paul Newman) e Sundance Kid (Robert Redford), lideram o Bando do Buraco na Parede e vivem de assaltar trens e bancos. Quando são caçados por todo o país resolvem ir para a Bolívia e juntamente com Etta (Katharine Ross), a namorada de Sundance, rumam para a América do Sul. Mas esta decisão não lhes proporcionará grandes assaltos ou uma vida mais tranqüila.

Jeremiah Johnson (Robert Redford) é um ex-soldado do exército americano que se sente desiludido com a humanidade. Decidido a mudar de vida e se afastar da civilização, ele vai para as montanhas do oeste. Quando chega o rigoroso inverno, ele quase morre na neve mas é salvo por um homem que vai ensiná-lo os truques de se viver naquela região. Ele também cria laços com os índios Crow, mas em um determinado momento é obrigado a voltar para o exército e terá que lutar contra a tribo.
➔ O ator principal era originalmente para ser Clint Eastwood e com direção de Sam Peckinpah.
➔ Baseado na história real de John Johnston, apelidado de "Matador de índios" e também de "Comedor de fígado" por causa da sua inclinação a gostar de comer o fígado dos índios da tribo Crow que ele já tinha matado. Muitos Crows mataram sua esposa e ele jurou vingança contra toda a tribo.
➔ O corpo de John Johnston foi enterrado no Cemitério dos Veteranos de Guerra em Los Angeles. Depois que o filme foi lançado, o corpo de Johnston foi novamente enterrado na cidade de Old Trail Town, em Wyoming. O ator Robert Redford foi quem carregou o caixão na cerimônia a que compareceram 2 mil pessoas.
➔ De acordo com o livro "Crow Killer", algo como "matador de índios Crow", a Mulher Louca era um personagem real que tinha se estabelecido em Wolf Tail Valley. Depois que sua criança foi morta e seu marido levado para o cativeiro, ela continuou lá. Existe uma lenda popular que diz que o homem das montanhas conhecido por "Hatched Jack" era na verdade o marido da Mulher Louca que havia ficado insano depois que foi mantido em cativeiro e torturado pela tribo Blackfeet.

Bill McKay (Robert Redford) é um advogado americano cujo carisma chama atenção do Partido Democrata que tenta o convencer a se candidatar a Senador pelo estado da Califória. Ele, jovem com pensamentos liberais, concorda com a ideia contanto que possa fazer as coisas do seu jeito. Como não tem nenhuma esperança em ganhar, McKay traça como objetivo agitar a competição para o cargo.

Illinois, 1936. Dois vigaristas dão um golpe em um capanga de um chefão e embolsam uma grana alta. Mas isto não fica por assim, pois o chefe da quadrilha decide se vingar e mata um daqueles que lhe aplicaram o golpe. Porém, o outro foge e entra em contato com um ex-parceiro, sendo que ambos decidem aplicar no criminoso um tremendo conto do vigário, que abalará tremendamente as finanças deste chefão mafioso.
➔ O ator Robert Shaw torceu o tornozelo pouco antes do início das filmagens de Golpe de Mestre e acabou utilizando seu novo modo de andar em seu personagem no filme.

O agente da C.I.A. Joseph Turner (Robert Redford), codinome Condor, e a equipe a qual faz parte apenas lê livros e imagina possíveis situações que podem ser usadas pela C.I.A. Um dia ele vai comprar comida, mas como chovia sai por uma "saída secreta" em vez de sair pela porta da frente. Ao retornar, vê que todos os seus colegas de trabalho tinham sido mortos. Apavorado, pois não é um agente de campo, liga para seu chefe, que diz que logo vão resgatá-lo. Porém na hora tentam matá-lo, mas Turner escapa ileso. Sem saber o que fazer, acaba sequestrando Kathy Hale (Faye Dunaway), uma fotógrafa, e vai para o apartamento dela, pois precisa de um lugar que ninguém da C.I.A. conheça enquanto tenta entender por qual razão querem vê-lo morto.
➔ Este é o 4º de 7 filmes em que o diretor Sydney Pollack e o ator Robert Redford trabalharam juntos. Os demais foram Esta Mulher é Proibida (1966), Mais Forte que a Vingança (1972), Nosso Amor de Ontem (1973), O Cavaleiro Elétrico (1979), Entre Dois Amores (1985) e Havana (1990).

Dois repórteres rivais que trabalham para o Washington Post, Bob Woodward e CarlBernstein, pesquisam sobre o roubo de 1972 da Sede do Partido Democrático no condomínio Watergate. Com a ajuda de uma fonte misteriosa, os dois repórteres fazem uma conexão entre os ladrões e um funcionário da Casa Branca. Apesar das advertências sobre sua segurança, a dupla segue o dinheiro por todo o caminho até o topo.
➔ A direção de Todos os Homens do Presidente chegou a ser oferecida ao diretor britânico John Schlesinger, que recusou o trabalho dizendo que o filme deveria ser dirigido por um diretor americano.
➔ Durante as investigações acerca do caso Watergate, o verdadeiro Carl Bernstein se casou com Nora Ephron, que posteriormente trabalharia como roteirista e diretora em Hollywood. Ambos chegaram a fazer um primeiro tratamento do roteiro de Todos os Homens do Presidente, que foi enviado a William Goldman para que pudesse ser finalizado, antes ainda do início das filmagens.
➔ Frank Wills, o segurança que descobriu a invasão no edifício Watergate, faz uma pequena ponta em Todos os Homens do Presidente, atuando como ele mesmo.
➔ Como os produtores não conseguiram autorização para filmar Todos os Homens do Presidente na própria redação do Washington Post, foi preciso que uma réplica da redação do jornal fosse criada em estúdio. A criação desta réplica custou em torno de US$ 450 mil aos produtores.
➔ Apesar de não permitir que cenas fossem rodadas em sua redação, o Washington Post auxiliou nas filmagens de Todos os Homens do Presidente no fornecimento de informações e material que fizesse com que a réplica da redação construída ficasse o mais parecido possível com a redação do Post na época dos acontecimentos retratados no filme.
➔ O violento som das letras sendo escritas numa máquina de escrever, que aparece nos créditos de abertura, foi feito mesclando o som da própria máquina de escrever com os de tiros disparados por um revólver. A intenção do diretor Alan J. Pakula ao criar esta mescla foi acentuar a intenção de que no filme as palavras serviam como armas.

Henry Brubaker, o novo diretor de uma prisão no Sul dos Estados Unidos, chega disfarçado de prisioneiro para ver como as coisas funcionam "de dentro". Seu objetivo é reformar uma instituição onde predomina a corrupção, o que o leva a fazer vários amigos, mas também a ganhar a desconfiança daqueles que não creem que seus atos resultarão em melhorias duradouras. Com a ajuda de Lillian Gray, assistente do governador, ele põe fim à rotina de prisioneiros trabalharem como escravos para os habitantes da cidade, consegue comida digna sem se valer de propinas. Quando parte, Brubaker leva consigo o respeito até do mais brutal dos criminosos. 
➔ Brubaker é baseado nos esforços de Thomas O. Murton para mudar o sistema de administração de presídios nos Estados Unidos, entre 1967 e 1968. O próprio Murton trabalhou como consultor técnico do filme.

A caminho de um estágio no Chicago Cubs, o jovem fenômeno do beisebol Roy Hobbs é baleado pelo instável Harriet Bird. Após 16 anos, Roy retorna ao beisebol profissional como novato para o último colocado, New York Knights. Apesar das discussões com o dirigente Pop Fisher, Roy se torna um dos melhores jogadores da liga e o Knights começa a ganhar. Mas o fato desagrada Judge, o dono, que deseja que Roy perca jogos.

Durante uma viagem solitária pelo Oceano Índico, um homem (Robert Redford) descobre, ao despertar, que o casco do seu veleiro de 12 metros foi partido numa colisão com um contentor que flutuava à deriva. Privado do rádio e dos instrumentos de navegação, o homem é apanhado numa violenta tempestade. Apesar de conseguir arranjar o casco estragado, da sua intuição de marinheiro e de uma força física desafiadora para a idade, sobrevive por pouco. Mas o sol implacável, a ameaça dos tubarões e as suas parcas reservas quase no fim obrigam este marinheiro alucinado a olhar a morte de frente.
Durante toda a duração do filme, o único ator em cena, Robert Redford, não pronuncia uma palavra sequer.




Tecnologia do Blogger.