TOM SAVINI - RESPONDE ÀS 7 PERGUNTAS CAPITAIS

Tom Savini é um maquiador, técnico em efeitos especiais de cinema, ator e cineasta norte-americano. Seria só isto, se não fosse um mito. Uma lenda viva. Seu apelido é "The Godfather of Gore". Seu fascínio por maquiagem de monstro começou na infância, quando conheceu o trabalho de Lon Chaney.

Alguns momentos de sua carreira, como Zombie: Despertar dos Mortos (1978) em que atuou também, A Noite dos Mortos Vivos (1990) que dirigiu ou ainda o motoqueiro "Sex Machine" em Um Drink no Inferno (1996) são distintos e antológicos.

 E é o cara.

E entrevistar um cara que fez estes filmes que amo, seja atuando, dirigindo ou maquiando, é uma honra sem tamanho. Além de tudo, tem diversas fotos do livro que ele lançará.

Confira:


1) Como começou a trabalhar na Indústria Cinematográfica?

T.S.: Eu encontrei o diretor de arte de Deathdream (de 74) e mostrei a ele meu currículo. Ele me abraçou e três dias depois eu estava trabalhando no filme.  Depois conheci George Romero e fiz Martin e Despertar dos mortos em 78. Estes trabalhos em qualificaram para fazer Sexta feira 13 em 80, e o resto é história.

2) Qual a experiência mais marcante da sua vida dedicada à arte?

T.S.: Eu nunca esquecerei o Vietnã. Foi uma lição de anatomia e vísceras que me chocou. Ver todo aquele horror real, sangue... Eu nunca consegui criar nas cenas o horror que eu vi, mas certamente me influenciaram. Por isto eu tenho a reputação de ser realista nos efeitos, pois eu vi  a realidade acontecendo, e aquilo nunca saiu da minha mente.

M.V.: Que loucura. Se não tivesse vivido isto, talvez não tivéssemos aqueles magníficos efeitos.

T.S.: Bem provável que não. Pelo menos o Gore.

3) Na sua opinião, qual trabalho que realizou para o cinema considera o melhor?

T.S.: Dia dos mortos e Creepshow.

M.V.: Curioso que o terceiro filme da trilogia de Romero é o menos popular. Mas mesmo assim é extremamente marcante. Eu mesmo tenho o action figure do zumbi que os caras do bunker tentam ressocializar.

4) Me fale sobre a sua relação com George Romero. Sei que era amigo pessoal dele, além de ter trabalhado em alguns dos seus filmes, tanto atuando como na parte técnica. E de quebra, fez um dos melhores remakes do cinema de horror, e justamente de um filme dele.

T.S.: Eu conheci George quando eu era estudante do segundo ano na faculdade. Romero me escolheu para trabalhar com ele em um filme que nunca chegou a ser feito. Anos depois ele me contratou para trabalhar em "Martin (1978)" para fazer os efeitos, atuar em um papel e como dublê. E assim foi feito em "Despertar dos mortos", feito no mesmo ano. E foi ele que me escolheu para dirigir "Noite dos mortos vivos", de 1990. 

M.V.: Magnífico trabalho de estreia. Muitos acham seu filme superior ao de Romero, o que é algo absolutamente raro.

5) Agora sobre cinema em geral. Quais filmes marcaram sua vida? Existe alguma lista especial, tipo os 10 +?

T.S.: Dia dos mortos e Creepshow - show de horrores (que também são os trabalhos que eu considero meu melhor, como respondi acima), Um drink no inferno, do Robert Rodriguez, e  Instinto Fatal.

M.V.: Quase todos do Romero. Foi uma amizade que marcou muito sua vida, imagino eu.

T.S.: Desde o início.

6) Fale um pouco sobre seus próximos projetos.

T.S.:"Smoke and Mirrors" que será um documentário sobre minha vida e trabalho.  Fiz um material para crianças no vídeo game Sexta feira 13 e estou criando um livro biográfico de fotografias da minha carreira. Veja algumas abaixo:

...na famosa escada no filme "Exorcista" e a outra, no meu quarto.

e mais alguns trabalhos.

7) Para finalizar, se pudesse deixar uma lição deste tempo dedicado à arte, qual seria?

T.S.: Faça um filme só seu. É uma experiência incrível. E hoje não é tão difícil.

M.V.: Eu fiz, em 2000, chamado "O último homem da Terra". É realmente a experiência de uma vida.

T.S.: Sério? Parabéns e sucesso com seu site.

M.V.: Obrigado. Foi uma honra.

Abaixo, Tom com amiguinhos...



Tecnologia do Blogger.