• ÚLTIMAS...

    NAPOLEÃO (1927) - FILM REVIEW

    Fico imaginando uma sessão de Napoleão, em Paris, com Charles De Gaulle sentando na platéia. Que evento deve ter sido, assistir ao lado do ex presidente francês, em plena Paris, assistindo um dos maiores épicos do cinema. O filme estreou em 27 de Abril de 1927, diante de um l'Opera de Paris (uma das maiores e mais belas casas de ópera do mundo) completamente lotado. Ao final das aproximadamente quatro horas de exibição, Abel Gance foi aplaudido de pé por quase quinze minutos. 

    Cada frame é de encher os olhos. E pensar que muitos destes filmes se perderam na história. Feito  no final da era do cinema mudo, foi saudado como uma obra-prima, mas descartada pelos exibidores como longa demais, impraticável para ser exibido. Foi cortado em versões mais curtas por Abel Gance (e outros também). Cenas inteiras desapareceram e foram presumidas como perdidas. O filme se tornou uma lenda, muito falada, nunca vista. O filme foi picotado pela distribuidora americana MGM a menos de uma hora e meia para seu lançamento nos EUA em 1929. Devido a esta carnificina,  Napoleão foi um fracasso nos Estados Unidos, e Gance nunca foi capaz de levantar o dinheiro para contar o resto da história de Napoleão.
    Nas décadas seguintes, Gance continuou mexendo com o filme, produzindo versões que variavam de 135 minutos a 275 minutos. O épico original mudo de seis horas, no entanto, foi considerado perdido, até que uma restauração de 1979 reconstituiu aproximadamente dois terços do filme original, cuidadosamente remontado e restaurado pelo historiador de cinema Kevin Brownlow e apresentando uma trilha sonora original de Carl Davis. Dois anos depois, uma versão editada dessa restauração foi lançada nos EUA por Francis Ford Coppola, que patrocinou o trabalho de Browslow, com uma nova partitura de Carmine Coppola, pai de Francis. 

    Um trabalho minucioso foi feito pelo historiador e o próprio Gance (já com quase 100 anos), supervisionando a restauração. A reconstrução demorou quase 5 anos. Se pensar que Gance demorou 4 fazendo o filme, ele passou 1/10 da vida com o filme, sem contar que ele dirigiu outras versões. Gance virou sinônimo de Napoleão.Desde então, Brownslow completou pelo menos mais duas restaurações, a mais recente e melhor, sua versão de 2000, dura cerca de cinco horas e meia (que é a versão lançada, com fotos no final do post !!).
    A narrativa de Napoleão culmina nos eventos da invasão da Itália em 1797. Na realidade, esta obra de Abel Gance seria a primeira parte de uma série de seis filmes sobre o comandante francês. No entanto, os altos custos da produção (18 milhões de francos) e outros problemas impediram que este projeto de maior porte fosse posto adiante.

    E ainda assim, este milagre chega restaurado ao mercado de home vídeo pela Obras primas do cinema (detalhes no final do post !!!). Incrível como ao assistir uma cópia em dvd do filme, você enxerga como a restauração é tão impecável, que você não sente falta nem mesmo de um bluray. E lembrem-se, o filme foi de 1927. 

    No filme, dentre os vários aspectos técnicos notáveis, merecem destaques a utilização da câmera na batalha de neve, a sequência de Napoleão em meio a uma tempestade em alto mar, com antecipações do uso da câmera de mão, os planos das cenas de fuzilamento e uma gama de outras soluções bem a frente de seu tempo.  Além destas singularidades, o filme ganhou reputação por causa de seus últimos 20 minutos, nos quais o diretor alternou sequências panorâmicas em widescreen com complexas imagens múltiplas, que eram projetadas simultaneamente em três telas acopladas lado a lado. Para termos uma ideia do componente visionário do filme, com este recurso Gance introduziu o "Polyvision", antecipando em mais de 20 anos o Cinerama, que só viria a ser criado na década de 50. Gance filmou 4 sequências no formato, sendo que 3 forma perdidas. 
    Segundo algumas fontes, afirma-se que Abel Gance chegou também a filmar em cores e em 3-D, mas não utilizou estes trechos para não distrair demais o público. Além das experimentações feitas em sua obra-prima, Gance também fez algumas experiências na parte sonora. O som estéreo, que só viria a aparecer muitos anos depois em superproduções hollywoodianas, também foi antecipado por Gance, que deu o nome de "perspectiva sonora" ao uso que fez de diversos alto-falantes espalhados pelo auditório, emitindo sons em conjunto ou seletivamente, dando ao espectador a sensação de total onipresença.

    O filme, assim como a dupla dirigida por D. W. Griffith (e também lançada pela Obras primas do cinema) Intolerância e Nascimento de uma nação, encorpam o time de filmes mais importantes da história. Essenciais para qualquer um que ame cinema.


    A Obras-Primas do Cinema lançou um dos filmes mais memoráveis da história do cinema! Escrito e dirigido por Abel Gance: NAPOLEÃO! Pela primeira vez no Brasil em sua versão restaurada de 5h30! Edição limitada em Digipak especial com 2 discos, 2 cards e 100 minutos de extras inéditos, incluindo um documentário com o compositor Carl Davis, que realizou a trilha deste filme e um documentário especial sobre o filme dirigido por Kevin Brownlow (O Chaplin que Ninguém Viu).

    Disco 01:

    Pretty Baby - Menina Bonita (Pretty Baby, 1978, 1.78:1, 105 min)
    Elenco Principal: Brooke Shields, Keith Carradine, Susan Sarandon.

    U+21F0.gif Sinopse:

    Originalmente concebido por seu diretor como o primeiro de seis filmes sobre Napoleão, este épico de cinco horas e meia apresenta recriações históricas de episódios de sua vida pessoal e política, da Revolução Francesa à chegada heroica das tropas francesas na Itália, que marcou o início da primeira campanha italiana de 1796. Utilizando uma série de técnicas inovadoras de câmera e edição, "Napoleão" de Abel Gance oferece uma das experiências mais ricamente gratificantes e emocionantes na história do cinema, uma combinação brilhante de música e filme, comparável a uma grandiosa ópera em sua intensidade, oferecendo cenas deslumbrantes de genialidade incomparável.

    U+21F0.gif Extras:
    • Documentário de 1968: Abel Gance: The Charm of Dynamite.
    • Compondo Napoleão: Entrevista com Carl Davis.
    • A restauração digital de Napoleão. 

    U+21F0.gif Informações Técnicas:

    Título: Napoleão
    Título Original: Napoléon vu par Abel Gance
    País de Produção: França
    Ano de Produção: 1927
    Gênero: Drama biográfico
    Direção: Abel Gance
    Elenco: Albert Dieudonné, Vladimir Roudenko, Edmond Van Daële, Alexandre Koubitzky, Antonin Artaud, Abel Gance, Gina Manès.
    Idioma: Francês (Mudo)
    Legendas: Português - Inglês
    Duração Aproximada: 332 Minutos
    Região: Aberto para todas as zonas (Livre)
    Áudio: Dolby Digital 2.0
    Vídeo: 1.33:1 + 4.0:1
    Cor: Preto e Branco;  Colorizado
    Faixa Etária: 14 Anos. Inadequações: Violência.

    Assista ao trailer das edição abaixo:

    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top