728x90 AdSpace

  • URGENTE

    segunda-feira, 26 de novembro de 2018

    LAV DIAZ - 10 FILMES ESSENCIAIS


    Lavrente Indico Diaz é um premiado cineasta independente que nasceu em 30 de dezembro de 1958. Ele atua em diversas funções simultâneas, como diretor, roteirista, produtor, editor, diretor de fotografia, poeta, compositor, ator e diretor de arte. É especialmente conhecido pelo comprimento de seus filmes, alguns dos quais chegam a durar até onze horas. 

    Após trabalhar durante anos para a principal empresa produtora das Filipinas, a Regal Films, comandada por Mother Lily, Lav dirigiu em 2001 Avenida West Side, divisor de águas em sua carreira e marco do cinema independente filipino. O filme foi o primeiro de sua trilogia Filipina, completada por Evolução de uma Família Filipina e Heremias. Seus dois últimos longas, também épicos de longa duração, participaram, com sucesso, do Festival de Veneza. O primeiro, Morte na terra de encantos, ganhou menção honrosa na mostra Orizzonti em 2007, e Melancolia conquistou o prêmio principal no ano seguinte. Por toda sua trajetória, Lav é considerado o pai ideológico do cinema independente filipino.

    E hoje, é o tema dos nosso 10 filmes essenciais. Confiram:

    Horacia passou os últimos 30 anos numa penitenciária feminina. Ex-professora de escola primária, ela leva uma vida tranquila ajudando suas companheiras a praticarem a leitura e a escrita. Quando outra detenta confessa ter cometido o crime original, Horacia é libertada e parte em busca de sua família então distante. Enquanto procura pelo filho desaparecido, Junior, Horacia descobre novamente sua terra natal – as Filipinas do final dos anos 1990 –, apenas para concluir que seus habitantes vivem aterrorizados pela corrupção e sequestros desenfreados. Sua personalidade generosa fica contaminada por sentimentos de vingança.

    Narrativas interconectadas entre o presente e o passado retratam a época e o mito que envolve os acontecimentos da Revolução Filipina que aconteceu entre os anos de 1896 e 1897. Além disso, um verdadeiro mistério ronda a história: o corpo de Andrés Bonifácio, considerado o líder do movimento de revolta no país, permanece desaparecido em meio à selva local.

    Filipinas, 1972. Coisas misteriosas começam a acontecer num bairro distante. Lamentos são ouvidos vindos da floresta. Um homem é encontrado sangrando até a morte numa encruzilhada e casas são queimadas. As operações militares estão se tornando rotina. Milícias violentas comandam o interior do país. O ditador Ferdinando Marcos anuncia o Decreto n° 1081, colocando todo o país sob lei marcial.

    Após ser preso injustamente por assassinato, enquanto o verdadeiro autor do crime segue livre, um homem vive dias de tensão na cadeia. O assassino real é um intelectual frustrado com o ciclo interminável de traições e apatia que se instalou por seu país. O prisioneiro é um homem simples, que começa a achar a vida na prisão mais suportável, quando algo de estranho e misterioso lhe acontece.
     O primeiro filme em cores de Diaz em mais de uma década, trata-se de uma alegoria épica entre o bem e o mal filmada na região de Ilocos Norte, terra do ditador Ferdinand Marcos. Ao mesmo tempo em que é inspirado em Crime e Castigo, de Dostoévski, também é um filme bem filipino. O diretor afirma que os conflitos entre os personagens do filme representam divisões que ele vê em sua sociedade e nos próprios indivíduos, incluindo ele mesmo.

    Um cineasta ao estilo de Diaz está montando seu filme e vive em conflitos com a qualidade do material, a necessidade de filmar mais e as pressões de festivais que o querem exibir. Enquanto isso, conversa com amigos e tenta encontrar um sentindo naquilo tudo e mais importante, uma maneira de ir em frente. Enquanto isso, vemos cenas do filme dentro do filme, sobre uma ex-freira que decide sair do convento para conhecer a dor do mundo e assim se aproximar mais dos fiéis e começa uma relação com um ex-presidiário. A terceira parte é sobre um culto religioso que entra em contato com um elemento externo.

    "Três estranhos se encontram e entram em conflito em uma pequena cidade. Uma é prostituta hesitante; um é cafetão que vende sex shows; uma é freira que pede esmolas para os pobres. Todos parecem estar escondendo coisas sobre si mesmos enquanto lidam um com o outro, e todos parecem terem vindo de outros lugares. Será que essas pessoas já se conheciam anteriormente? Serão elas quem realmente dizem que são, ou será que a verdadeira vida deles está em outro lugar?

    O poeta Benjamin Agusan retorna para sua terra natal na vila de Padang, que foi devastada por um tufão, após passar anos na Rússia. Ele encontra seu melhor amigo, o ex-poeta Teodoro, e seu antigo amor, a pintora Catalina. Eles compartilham poemas e memórias entre ruínas e perigos ainda presentes, como o agente do governo que está caçando Benjamin. Enquanto isso, uma equipe de filmagem entrevista sobreviventes de um tufão que falam sobre como continuam a vida.

    Um pequeno grupo viaja de caravana e vaca pelas estradas do país. Um de seus membros, um senhor de meia idade chamado Heremias, decide que quer morar sozinho de repente. O filme então o segue enquanto tenta começar uma nova vida em uma comunidade de um, dialogando com ambos seus companheiros e Deus para ajudá-lo.
     Batizado após um mito que um dos personagens conta, o filme é o mais próximo que Diaz já chegou a rodar um Western. Como os filmes clássicos daquele gênero, ele apresenta os problemas que são herdados construindo uma sociedade humana, muitos relacionados com a fraqueza humana. Durante sua jornada, Heremias descobre corrupção em outros e tanto a ingenuidade quanto a fragilidade em si mesmo. O filme demonstra o grande dom de Diaz em filmar a natureza, de onde o protagonista é visto emergindo várias vezes. Trata-se de um filme sobre encontrar o próprio lar, o próprio propósito e seu próprio interior.

    A saga da família Gallardo, que vive em uma comunidade rural das Filipinas. Sua trajetória serve como metáfora da história do país durante a imposição da lei marcial pelo presidente Ferdinand Marcos e o crescimento da atividade de guerrilheira, entre 1971 e 1987. Enquanto as economias vão acabando, a família Gallardo, lentamente, se separa.
     O filme começou a ser feito em 1993, sendo realizado durante dez anos até ficar pronto.
    A trajetória de uma família de fazendeiros desde a declaração de Lei Marcial do ditador filipino Ferdinand Marcos até sua perda de poder, contada através de várias gerações durante os anos 70 e 80.
     Alguns dos membros da família tornam-se guerrilheiros ativos, enquanto outros trabalham para sustentar seus parentes. Essa história não-linear, que na maioria das vezes viaja de uma casa para a outra, é complementada por imagens de arquivo dos protestos contra Marcos e cenas com artistas filipinos criando arte popular. 
     Diaz levou uma década para criar o filme. Durante esse tempo, os atores mirins tornaram-se adultos e o filme cresceu até tornar-se um épico histórico. É geralmente considerado a obra prima de Diaz, sendo listado pela revista Cinema Scope como um dos 10 melhores filmes da última década. Um filme poético e poderoso que sempre mantém uma sensibilidade em lidar com os personagens.


    Um jovem filipino chamado Hanzel Harana é assassinado em Jersey City, poucas horas antes de Nova York, e um policial filipino chamado Juan Mijarez investiga o crime. Enquanto Mijarez entrevista a mãe, a namorada e os amigos da vítima, flashbacks aparecem do jovem em uma comunidade de imigrantes filipinos, lutando em manter suas tradições na cara do capitalismo fácil. Mijarez vem a enxergar que toda a comunidade é responsável, tanto por esse homem como por outros como ele.

    ⇒ Essa foi a primeira produção independente completa por Diaz, filmada em grande parte nos Estados Unidos. Isso reflete suas experiências morando no exterior, assim como as de milhões de filipinos.



    Item Reviewed: LAV DIAZ - 10 FILMES ESSENCIAIS Rating: 5 Reviewed By: TUDO SOBRE SEU FILME
    Scroll to Top