• ÚLTIMAS...

    DICAS DE FILMES LANÇADOS PELA CPC UMES FILMES


    As dicas de hoje são três filmes soviéticos, lançados pela CPC Umes filmes. Confiram detalhes das edições e links para adquirir os filmes. E em breve, posts específicos envolvendo os filmes:

    🎬 O Homem do Boulevard des Capucines (1987)

    U+21F0.gif Sinopse:

    Na alvorada do século 20, Mr. Johnny First chega ao Oeste Selvagem com um projetor e alguns rolos de filme. O título dessa deliciosa sátira ao western way of life é uma alusão ao Salão Indiano do Grand Café do Boulevard des Capucines, onde os Irmãos Lumière encantaram as plateias com sua maravilhosa invenção. O filme foi visto por mais de 60 milhões de espectadores na URSS.


    U+21F0.gif Direção  Alla Surikova (1940)

    Nascida em Kiev, na Ucrânia, Alla Ilinichna Surikova formou-se em Filologia, descobriu rapidamente sua vocação e mudou-se para Moscou, onde estudou Direção e Roteiro com os mestres Alexander Alov, Vladimir Naumov e Georgy Danelya. Ficou conhecida no final dos anos 70 quando, já no Estúdio Mosfilm, dirigiu a comédia “Vaidade das Vaidades”, filme que lhe rendeu os primeiros prêmios. Em 1982 lançou "Seja Meu Marido”. No entanto, foi com “O Homem do Boulevard des Capucines" que ocupou um lugar de destaque na cinematografia russa. Antes da iniciativa de Alla Surikova nunca tinha sido filmado um western na URSS, nem mesmo como sátira, o que a tornou pioneira desse gênero. Surikova é famosa também pelos documentários que realiza em seu próprio estúdio de cinema, o Positive Film. Foi nomeada Artista do Povo da Federação da Rússia em 2000. Em 2017, estreou o seu mais recente trabalho como diretora, ‘Amor e Sax’. Dirigiu 26 filmes e assinou o roteiro de 8.

    🎬 A questão russa (1947)

    U+21F0.gif Sinopse:

    O jornalista Harry Smith é enviado a Moscou por McPherson e Gould, donos de uma cadeia de grandes jornais americanos interessada em fomentar a guerra fria com um material “novo” contra a URSS. Na volta, ele escreve um livro que deixa seus patrões furiosos e torna-se alvo de violenta retaliação. Privado de tudo, casa, salário e condições de trabalho, Smith acaba então se tornando porta-voz dos cidadãos progressistas dos Estados Unidos. Adaptação da peça teatral do escritor soviético Konstantin Simonov.


    U+21F0.gif Direção: Mikhail Romm (1901-71)

    Mikhail Ilich Romm nasceu na cidade siberiana de Irkutsk. Serviu no Exército Vermelho durante a guerra civil e graduou-se em escultura pelo Instituto Artístico-Técnico de Moscou. Em 1931 ingressou no Estúdio Mosfilm, onde atuou como produtor e diretor. No Instituto Estatal de Cinema (VGIK), desde 1962, foi professor de proeminentes cineastas como Andrei Tarkovsky, Grigori Chukhrai, Gleb Panfilov e Elem Klimov. Realizou 18 longas-metragens, entre os quais "Bola de Sebo” (1934), “Treze” (1936), “Lenin em Outubro” (1937), “Lenin em 1918” (1939), “Sonho” (1941), “Garota nº. 217” (1945), “Missão Secreta” (1950), “Nove Dias em Um Ano” (1962) e “O Fascismo de Todos os Dias” (documentário, 1965). Em 1976 estreou o documentário “Eu Ainda Acredito...”, projeto iniciado por Romm e finalizado depois de sua morte por Elem Klimov. Recebeu o Prêmio Stalin nos anos de 1941, 1946, 1948, 1949, 1951. De seu filme “Sonho”, disse o presidente Franklin Roosevelt: “é um dos maiores do mundo”.

    🎬 Noite de inverno em Gagra (1985)

    U+21F0.gif Sinopse:

    Aleksei Beglov fora um famoso bailarino de sapateado na década de 1950. Depois de 30 anos, trabalha como um modesto professor de um grupo de variedades. Sua antiga fama só é conhecida pelos seus amigos e músicos próximos.
    Tudo começa a mudar quando um jovem um tanto estranho, com uma perna quebrada, vem lhe pedir que o ensine a sapatear. Apesar das deficiências do aluno, Beglov se envolve e ganha novo fôlego, como se voltasse à juventude. E a oportunidade de voltar a brilhar vem quando o programa de TV “Nomes Esquecidos” informa que ele não está mais vivo


    U+21F0.gif Direção: Karen Shakhnazarov (1952)

    Nascido em Krasnodar, na região de Kuban, no Cáucaso, Karen Gueorguievich Shakhnazarov formou-se, em 1975, pelo VGIK (Instituto Estatal de Cinema). Em 1987, seu filme "O Mensageiro" recebeu prêmio especial no 15º Festival Internacional de Moscou. Dirigiu 15 longas-metragens, entre os quais ‘’Noite de Inverno em Gagra’’ (1985), "Cidade Zero" (1988), "O Assassino do Tzar" (1991), "Sonhos" (1993), "A Filha Americana" (1995), "Cidade dos Ventos" (2008), "A Enfermaria Número 6" (2009), "Tigre Branco" (2012) e ‘’Anna Karenina: A História de Vronsky’’ (2017).
    Com muitos prêmios nacionais e internacionais, seus filmes apresentam uma densa reflexão crítica sobre a restauração do capitalismo e o desmembramento da União Soviética.
    Assumiu em 1998 a direção geral do Mosfilm, o maior estúdio de cinema da Rússia.


    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top