• ÚLTIMAS...

    SICÁRIO: O DIA DO SOLDADO (2018) - FILM REVIEW


    Sicário é uma obra prima. Dirigido por Denis Villeneuve, o filme se situa nos conflitos crescentes da fronteira sem lei entre os Estados Unidos e o México, onde uma agente do FBI (Emily Blunt) é exposta ao mundo brutal do tráfico internacional de drogas por membros de uma força-tarefa do governo (Josh Brolin, Benicio Del Toro) que a escalam em seu plano para derrotar o chefe de um cartel mexicano. 

    Villeneuve iria dirigir a sequência, mas estava comprometido com Blade Runner 2049 e cedeu a cadeira de diretor para Stefano Sollima, realizador italiano que fez os cultuados Suburra e a série Gomorra. Como são de escolas diferentes, fizeram filmes bastante autorais. E isto certamente tornou a franquia (sim, vem terceiro filme por ai...) diferenciada e interessante por manter o elenco e explorar motivações dos personagens, proporcionando o telespectador tornar-se íntimo daquele universo, mesmo que ele seja com mais perguntas que respostas.

    Ambos diretores tem suas semelhanças, como a forma que enxergam a violência.  Denis disse há alguns anos: "eu odeio violência, e acho que a violência é significativa se você vê o impacto dela nas vítimas. Estou interessado no impacto, não estou interessado no show. Eu não quero fazer uma demonstração de violência. Quer dizer, eu tenho estado em contato com pessoas que sofreram com o trauma da guerra ... Quando eu a uso em um filme é só para expressar o poder, o impacto disso."


    Da mesma forma,  Stefano Sollima. Cada frame onde há uma cena violenta, ela é tratada de forma natural, sem grandes closes ou músicas para amplificar o sentimento com relação à cena. Bem longe de um Tarantino. 

    Interessante como que o cinema de Villeneuve tem se caracterizado por plot twists no estilo Shyamalan, mas com impacto duradouro. Um soco no estômago daqueles que te faz pensar na vida. Foi assim em Incêndios, Suspeitos, A chegada, o próprio Sicário, Blade Runner. E neste sentido, o roteirista Taylor Sheridan preservou a ideia no novo filme, porém, Stefano Sollima trata ela de forma sutil. Confesso que só percebi plenamente na segunda vez que assisti. Na primeira eu simplesmente achei que tinha entendido. Estas "camadas" fazem os filmes bem mais interessantes de serem analisados.

    Como por exemplo, o paralelo traçado entre os personagens femininos dos filmes. Enquanto Emily Blunt, já madura, fica atônita com tamanha violência (já em sua primeira cena, uma bomba explode, corpos são achados nas paredes e à seguir, ela vê corpos mutilados pendurados em plena avenida), ao passo que a personagem vivida pela Isabela Moner tem uma visão de dentro do cartel, arrogante e superprotegida, e mesmo assim distante da violência, até ser jogada no meio daquilo tudo (como Blunt). Sua cena final, demonstra total esgotamento com o que passou, a ponto do personagem (e o ator) se emocionar ao olhar para ela. Em uma entrevista, a atriz revelou que o ator Josh Brolin não se conteve e chorou de verdade.


    E tal como o primeiro Sicário, este também tem uma trama se desenrolando nas sombras. No primeiro filme, Del Toro tinha uma missão, só revelada no final. Aqui ele treina o jovem Miguel Hernandez (Elijah Rodriguez) para ser um Sicário, provavelmente seu substituto na empreitada. Para tanto Miguel tem participações pontuais no filme, e sem que percebamos, ele é o centro das atenções. Genial sacada do roteirista.

    O filme também mostra como os personagens de Isabela e Miguel seguem caminhos opostos. Enquanto a menina toma conhecimento do horror em que vive, disfarçado de muros e guarda costas, o rapaz quer fazer parte dele por opção. Curioso como ele aparenta ser apenas um rapaz comum da vizinhança, ao passo que a menina parece no primeiro instante, a filha de um narco traficante, totalmente ciente do mal que a cerca.

    O filme mostra o lado humano de personagens tão frios, apontando um norte de redenção. Mas Sicário, como sabemos, não é um jogo aberto com as cartas na mesa. Há sempre jogadas escondidas que podem ou não serem reveladas. 

    Em tempo...

    O vocábulo sicário deriva da palavra latina sica, como era conhecido um pequeno punhal curvo ou adaga, que se podia facilmente ocultar debaixo da roupa, ou mesmo na palma da mão. Era usado sobretudo pelos trácios, tidos como criminosos e mercenários pelos antigos romanos.


    Os sicários foram um dos primeiros grupos organizados cujo objetivo era a realização de assassinatos, muito antes dos assassinos do Oriente Médio e dos ninjas japoneses. Com o tempo o termo sicário passou também a designar assassinos contratados, numa referência às pessoas que matam em troca de dinheiro ou mesmo de promessas de grande recompensas. 

    E o que define, e de certa forma, separa as narrativas paralelas dos filmes, é que no primeiro se trata da descoberta de um Sicário (quem é, e sua missão ), enquanto no segundo, vemos o nascimento (e amadurecimento) de outro.


    A Sony Pictures Home Entertainment lançou Sicário: dia do soldado em Blu-ray e DVD no dia 10 de Outubro de 2018!

    SICÁRIO: DIA DO SOLDADO
    (SICARIO DAY OF THE SOLDADO)

    Sinopse

    Sicário: dia do soldado inicia um novo capítulo. No mundo das drogas, não existe regras. Como os carteis passaram a também traficar terrorismo para além das fronteiras dos EUA, o agente federal Matt Graver (Josh Brolin) recorre ao misterioso Alejandro (Benicio Del Toro), cuja família foi assassinada por um líder de cartel, para intensificar a guerra de formas sepulcrais. Alejandro sequestra a filha do líder para acirrar ainda mais a disputa, mas quando a garota é vista como um dano colateral, o destino dela encontra-se na mão de dois homens que passam a se questionar sobre tudo pelo que estão lutando.


    Ficha técnica:

    Gênero: Suspense
    Direção: Stefano Sollima
    Elenco: Benicio Del Toro, Josh Brolin e Isabela Moner
    País: Estados Unidos
    Ano de produção: 2018

    Informações da edição

    DVD Simples
    Duração: 122 minutos
    Formato de tela de filme: Widescreen 2.40:1 Anamórfico
    Áudio: INGLÊS 7.1 DTS-HD MA , PORTUGUÊS (DD 5.1)
    Legendas: INGLÊS, INGLÊS (SDH), ESPANHOL, PORTUGUÊS
    Preço sugerido: R$ 39,90
    Data de lançamento: 10 de Outubro de 2018
    Classificação indicativa: 16 anos

    Blu-ray Simples
    Duração: 122 minutos
    Formato de tela de filme: Widescreen 2.40:1
    Áudio: INGLÊS (DD 5.1), PORTUGUÊS (DD 5.1)
    Legendas: INGLÊS, INGLÊS (SDH), ESPANHOL, PORTUGUÊS
    Preço sugerido: R$ 49,90
    Data de lançamento: 10 de Outubro de 2018
    Classificação indicativa: 16 anos

    Bônus

    Do Filme para a Franquia: Continuando a História; Um ato de Guerra: Fazendo Sicário dia de soldado; Na terra dos lobos: Os Personagens


    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top