• ÚLTIMAS...

    COLUMBIA PICTURES - A HISTÓRIA DO ESTÚDIO


    Columbia Pictures Industries, Inc. (CPII) é um estúdio de produção e distribuição de filmes norte-americanos da Columbia TriStar Motion Picture Group, uma divisão da Sony Pictures Entertainment, uma subsidiária do conglomerado japonês Sony.  É um dos  estúdios líderes do mundo, um membro do chamado Big Six. Ele foi um dos oito grandes estúdios de cinema da época dourada de Hollywood.

    O estúdio, fundado em 1918 como Cohn-Brandt-Cohn Film Sales pelos irmãos Jack e Harry Cohn e Joe Brandt, lançou seu primeiro longa-metragem em agosto de 1922. Ele adotou o nome Columbia Pictures em 1924 e veio a público dois anos mais tarde. O nome é derivado da "Columbia", que é um símbolo usado nos Estados Unidos que significa liberdade ou a busca por ela. Ele é usado como o logotipo da empresa.

    Em seus primeiros anos teve um papel secundário em Hollywood. A Columbia começou a crescer no final de 1920, estimulado por uma associação bem-sucedida com o diretor Frank Capra. Ele se torna o quinto maior estúdio do mundo do cinema.


    Com Capra e outros, Columbia se tornou uma das casas principais da comédia screwball. Na década de 1930, as principais estrelas contratadas pela Columbia foram Jean Arthur e Cary Grant (compartilhados com RKO Pictures). Na década de 1940, Rita Hayworth tornou-se a estrela do estúdio e impulsionou suas fortunas no final de 1950. Rosalind Russell, Glenn Ford, e William Holden também se tornaram grandes estrelas no estúdio.

    PRIMEIROS ANOS

    Antecessor da Columbia Pictures, CBC Film Sales Corporation, foi fundada em 1918 por Harry Cohn, seu irmão Jack Cohn, e Joe Brandt como dito acima.

    Brandt foi presidente da CBC Film Sales, responsável pela movimentação de vendas, marketing e distribuição em Nova York, juntamente com Jack Cohn, enquanto Harry Cohn auxilia a produção em Hollywood. Primeiras produções do estúdio eram  de baixo orçamento:. "Screen Snapshots", "Hall Room Boys" (o duo vaudeville de Edward Flanagan e Neely Edwards), e o imitador Chaplin Billy West.
    No começo da  CBC, foi arrendado um espaço em um estúdio menor na famosa "baixa renda" de Hollywood,  a Gower Street. Entre a elite de Hollywood, a reputação do estúdio era no início norteada como piada. Para eles a"CBC" significava "Corned Beef and Cabbage" (bife e repolho).

    REORGANIZAÇÃO E NOVO NOME

    Brandt acabou ficando cansado de lidar com os irmãos Cohn, e vendeu sua participação de um terço para Harry Cohn, que assumiu como presidente. Em um esforço para melhorar a sua imagem, os irmãos Cohn renomearam a empresa para Columbia Pictures Corporation em 10 de janeiro de 1924. Cohn permaneceu chefe de produção da Columbia pelos próximos 34 anos, sendo o segundo maior chefe de estúdio, atrás apenas de Jack Warner na  'Warner Bros'.  Em uma indústria cheia de nepotismo, a Columbia foi particularmente notória. O humorista Robert Benchley chamou-o de Pine Tree Studio, "porque tem tantos Cohns".
    A linha de produtos da Columbia consistiu principalmente de orçamentos com recursos moerados e curtas-metragens, incluindo comédias, filmes de esportes, vários seriados e desenhos animados. A Columbia gradualmente mudou-se para a produção de orçamento maior, acabando por ingressar no segundo nível de estúdios de Hollywood, juntamente com a United Artists e Universal. E como a United Artists e a Universal, Columbia era uma empresa horizontalmente integrada que controla a produção e distribuição.

    ANOS 20 E 30

    Durante a década de 1930, com a intenção de agradar o ditador alemão Adolf Hitler e manter os altos lucros obtidos no mercado alemão, o estúdio Columbia e outros menores demitiram seus funcionários judeus, segundo o livro “The Collaboration: Hollywood´s Pact With Hitler”, do jornalista australiano Bem Urwand, de 2013.

    O que ajudou a evolução da Columbia foi a chegada de um diretor ambicioso chamado Frank Capra. Entre 1927 e 1939, Capra constantemente apresentava melhores roteiros para Cohn com orçamentos maiores. Depois de uma série de sucessos nos anos 1930 , ficou solidificado o status da Columbia como um grande estúdio. Em particular, "Aconteceu naquela noite" (It Happened One Night), que quase detonou no Oscar em 1934, colocando a Columbia no mapa. Até então, a própria existência da Columbia dependia dos donos de cinemas dispostos a assumir os seus filmes, uma vez que não possuía suas próprias salas de exibição. Outros sucessos dirigidos por Capra vieram em seguida, incluindo  Horizonte perdido (1937), A Mulher Faz o Homem (1939),  que fez de James Stewart uma grande estrela.
    Em 1938, com a entrada de BB Kahane como vice-presidente, o estúdio produziu o Médico Prisioneiro (1939) de Charles Vidor, Protegida de Papai (1940), o primeiro filme conjunto de Rita Hayworth e Glenn Ford. Kahane se tornaria o presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, em 1959, até sua morte um ano depois.

    A Columbia não podia se dar ao luxo de manter uma enorme lista de estrelas contratadas, então eles geralmente pegavam de outros estúdios. Na MGM, a Columbia foi apelidada de "Sibéria", pois Louis B. Mayer iria usar a transferência para a Columbia como uma forma de punir seus contratações menos obedientes. Na década de 30 eles assinaram com Jean Arthur um contrato de longo prazo, e depois de O Homem que Nunca Pecou (1935), Arthur se tornou uma grande estrela da comédia. Carreira brilhante de Ann Sothern começou  quando a Columbia assinou com ela um contrato em 1936. Cary Grant assinou um contrato em 1937 e logo depois foi alterado para um contrato não-exclusivo, sendo compartilhado com RKO.

    Por insistência de Harry Cohn,  o estúdio assinou com Os três patetas em 1934. Rejeitados pela MGM (que manteve  Ted Healy, mas deixou os Patetas), os 3 fizeram 190 curtas na Columbia entre 1934 e 1957. A Columbia empregou muitos comediantes famosos, incluindo Buster Keaton, Charley Chase, Harry Langdon, Andy Clyde, e Hugh Herbert. Quase 400 das 529 comédias da Columbia foram liberados para a televisão na década de 1950; Até neste momento, apenas os Patetas, Keaton e curtas-metragens, estrelados por Charley Chase, Shemp Howard, Joe Besser, e Joe DeRita foram liberados ao home vídeo.


    No início dos anos 1930 Columbia distribuía os famosos desenhos animados da Walt Disney: Mickey Mouse. Em 1934, o estúdio estabeleceu no mercado a sua própria casa animação, sob a marca Screen Gems. A série de desenhos animados foram Krazy Kat, Scrappy, The fox and the crow, e Li'l Abner.

    No final de 1940, a Columbia concordou em liberar curtas de animação  da United Productions of America, curtas que eram mais sofisticados do que os  desenhos animados mais velhos da Columbia, ganhando elogios e prêmios.

    De acordo com o livro de Bob Thomas "King Cohn", o chefe do estúdio Harry Cohn sempre colocou uma alta prioridade em séries . Começando em 1937, a Columbia entrou no mercado televisivo, que era lucrativo, e continuou fazendo essas aventuras episódicas até 1956. Os mais famosos periódicos da Columbia são baseados em história em quadrinhos ou personagens de rádio: Mandrake, O sombra, Terry e os piratas, Capitão Meia-noite, O Fantasma, Batman, Superman e, entre muitos outros. A Columbia também tinha unidades separadas para filmar Westerns B (produções mais baratas). Ela também produziu curtas musicais, filmes de esportes (geralmente narrados pelo esportivo Bill Stern) e travelogues (filmes de viagem, anterior aos documentários). Sua série "Screen Snapshots", mostrando "bastidores" de estrelas de Hollywood foi uma contante na Columbia; O produtor-diretor Ralph Staub manteve esta série passando até 1958.

    ANOS 1940 

    Na década de 1940, impulsionado em parte pelo aumento do seu público durante a guerra, o estúdio também se beneficiou da popularidade de sua maior estrela, Rita Hayworth. A Columbia manteve uma longa lista de contratados na década de 1950: Glenn Ford, Penny Singleton, William Holden, Judy Holliday, os Três Patetas, Ann Miller, Evelyn Keyes, Ann Doran, Jack Lemmon, Cleo Moore, Barbara Hale, Adele Jergens, Larry Parques, Arthur Lake, Lucille Ball, Kerwin Mathews, e Kim Novak.

    Harry Cohn monitorava os orçamentos de seus filmes, e o estúdio usava ao máximo de suas fantasias e adereços, reutilizando-os em outros filmes. Muitos filmes B da Columbia parecem caros  graças à política de reciclagem eficiente. Cohn era relutante em gastar somas altas até no seus mais importantes filmes, e só em  1943 que ele concordou em usar Technicolor em um filme live-action. (A Columbia foi o último grande estúdio empregar o processo de cor mais caro.)


    O primeiro Technicolor foi em Império da Desordem (1943) , estrelado por Randolph Scott e Glenn Ford. Cohn rapidamente utilizou o Technicolor em Modelos (1944) , um veículo de Rita Hayworth que foi imediatamente um sucesso, lançado em 1944, e na biografia Frédéric Chopin, À Noite Sonhamos, com Cornel Wilde, lançado em 1945. Outro filme biográfico, Sonhos Dourados (1946), com Larry Parks e Evelyn Keyes, foi iniciado em preto e branco, mas quando Cohn viu quão bem o projeto estava, ele insistiu em filmar em Technicolor.

    Em 1948, o caso Estados Unidos vs. Paramount Pictures Inc. forçou as empresas cinematográficas de Hollywood  a despojar-se das redes de cinema que possuíam. Como a Columbia não possuía quaisquer cinemas, ficou agora em condições de igualdade com os maiores estúdios, e logo substituiu a RKO na lista dos estúdios "Big Five".

    SCREEN GEMS E AS DÉCADAS DE 50 E 60

    Em 1946, a Columbia deixou cair a marca Screen Gems de sua linha de desenho animado, mas manteve o nome Screen Gems para várias atividades auxiliares, incluindo uma agência de aluguel de filmes 16 mm e uma empresa de produção de comercial de TV . Em novembro de 1948, a Columbia aprovou  o nome Screen Gems  para a sua filial de produção televisiva quando o estúdio adquiriu a Pioneer Telefilms, uma empresa de comercial de televisão fundada pelo sobrinho de Harry Cohn, Ralph Cohn. A Pioneer mais tarde foi reorganizada como a Screen Gems.  O estúdio abriu as suas portas para negócios em Nova Iorque, em 15 de abril de 1949.  Já no ano de 1951, a Screen Gems tornou-se um estúdio de televisão pleno  e um grande produtor de comédias para TV, começando com Father Knows Best, The Donna Reed Show, The Partridge Family, Bewitched, I Dream of Jeannie, e The Monkees.

    Em 1 de Julho de 1956, o veterano do estúdio  Irving Briskin deixou o cargo de gerente da Columbia Pictures e formou sua companhia de produção, a Briskin Productions, Inc. para lançar séries através da Screen Gems e supervisionar todas as suas produções. Em 10 de dezembro, a Screen Gems expandiu-se para televisão através da aquisição da Hygo Television Films (Serials Inc.) e as respectivas empresas afiliadas  United Television Films, Inc. Hygo Television Films fundada em 1951 por Jerome Hyams, que também adquiriu United Television Films em 1955, fundada por Archie Mayers. 

    Em 1957, a Columbia deixou a UPA, e a Screen Gems entrou em um acordo de distribuição com a Hanna-Barbera Productions, que produziu desenhos animados para a TV  como Os Flintstones, Ruff e Reddy, The Huckleberry Hound Show, Zé colmeia, Jonnhy Quest, The Jetsons e outros. Screen Gems distribuiu até 1967, quando Hanna-Barbera foi vendida para a Taft Broadcasting.



    Em 1950 o estúdio tinha interrompido a maioria de seus seriados populares (Boston Blackie, Blondie, The Lone Wolf, The Crime Doctor, Rusty, etc.). Apenas Jungle Jim, lançado pelo produtor Sam Katzman, em 1949, se manteve, indo até 1955. Katzman contribuiu grandemente para o sucesso da Columbia através da produção de dezenas de filmes  incluindo dramas criminais, histórias de ficção científica e musicais rock-'n'-roll. O estúdio continuou fazendo séries até 1956 e comédias até 1957, depois de outros estúdios descontinuarem.

    À medida que os estúdios maiores declinaram na década de 1950, a posição da Columbia melhorou. Isto foi em grande parte porque ela não sofreu com a perda maciça de renda que os outros grandes estúdios sofreram sem suas salas de exibição (mais de 90 por cento, em alguns casos). A Columbia continuou a produzir 40 filmes por ano, oferecendo produções que muitas vezes arrebataram multidões, como a sua adaptação do romance de James Jones,  A um passo da eternidade (1953), Sindicato de Ladrões (1954), e A Ponte do Rio Kway (1957), com William Holden e Alec Guinness. Todos os três filmes ganharam o Oscar de Melhor Filme.

    A Columbia também divulgou a Warwick Films dos produtores Irving Allen e Albert R. Broccoli, assim como muitos filmes do produtor Carl Foreman que residiam na Inglaterra. E distribuiu alguns filmes feitos pela Hammer.

    Em 1960, o estúdio se tornou uma empresa de capital aberto com o nome  Screen Gems, Inc., quando a Columbia desmembrou 18% participação no capital.

    APÓS A MORTE DE HARRY COHN

    Pouco tempo depois de fechar seu departamento de curtas-metragens, presidente da Columbia Harry Cohn morreu de um ataque cardíaco em fevereiro de 1958.

    No final dos anos 1960, Columbia tinha uma identidade ambígua, oferecendo filmes antiquados como 'Oliver! 'juntamente com os mais contemporâneos  como Sem destino 'e' The Monkees'. Depois de recusar distribuir filmes de Albert R. Broccoli ( James Bond ), o estúdio contratou o ex-parceiro de Broccoli, Irving Allen para produzir a série Matt Helm com Dean Martin. Também produziu uma paródia de James Bond, Casino Royale (1967), em conjunto com Charles K. Feldman, que detinha os direitos de adaptação.

    Em 1966, o estúdio estava sofrendo com fracassos de bilheteria, e rumores de aquisição começaram a surgir. A Columbia estava sobrevivendo apenas dos lucros obtidos com a Screen Gems, cujas explorações também incluíam estações de rádio e televisão. Em 23 de dezembro de 1968, a Screen Gems se fundiu com a Columbia Pictures Corporation e tornou-se parte da recém formada Columbia Pictures Industries, Inc. por 24,5 milhões dólares.

    A DÉCADA DE 1970

    Quase falido no início dos anos 1970, o estúdio foi salvo através de uma mudança radical: Gower Street Studios (agora chamada de "Sunset Gower Studios") foi vendida e uma nova equipe de gestão foi trazida. Em 1972, a Columbia e a Warner Bros. formaram um parceria chamada "The Burbank Studios", em que ambas as empresas compartilhavam o lote do estúdio Warner na recém formada Burbank. Embora a saúde fiscal tenha sido restaurada através de uma escolha cuidadosa de estrelas, a imagem do estúdio foi gravemente ferida pelo escândalo de David Begelman (lavagem de dinheiro, mas esta eu conto depois numa matéria separada). Ele eventualmente demitiu-se (terminou depois na Metro-Goldwyn-Mayer, cometendo o suicídio em 1995). As fortunas do estúdio foram recuperadas gradualmente.


    De 1971 até o final de 1987, as operações internacionais de distribuição da Columbia eram uma joint venture com a Warner Bros., e em alguns países, esta joint venture também distribuiu filmes de outras empresas (como EMI Films e Cannon Films no Reino Unido). Warner desvinculou-se 1988 para juntar-se com a Walt Disney Pictures.

    Em 6 de maio de 1974, a Columbia aposentou o nome Screen Gems da televisão, rebatizando sua divisão de televisão para Columbia Pictures Television. O nome foi sugerido por David Gerber, que era então presidente da divisão de televisão da Columbia.  No mesmo ano, a Columbia Pictures adquiriu Rastar Pictures, que incluiu Rastar Productions, Rastar Features e Rastar Television. Ray Stark fundou então Rastar Films, uma espécie de "reencarnação" da Rastar Pictures e foi adquirida pela Columbia Pictures em fevereiro de 1980.



    Em dezembro de 1976, a Columbia Pictures adquiriu a empresa de jogo arcade, D. Gottlieb & Co. por US$ 50 milhões.

    No outono de 1978, Kirk Kerkorian, um magnata dos cassinos em Vegas que também controlava Metro-Goldwyn-Mayer, adquiriu uma participação de 5,5% na Columbia Pictures.  Em seguida, ele anunciou em 20 de novembro, o lançamento de uma oferta pública para adquirir mais 20%  do estúdio.  Em 14 de dezembro, foi alcançado um acordo de status quo com a Columbia, prometendo não ir além de 25% ou buscando o controle por pelo menos três anos.

    Em 15 de Janeiro de 1979, o Departamento de Justiça entrou com uma ação antitruste contra a Kerkorian, para bloqueá-lo de deter participação na Columbia, enquanto controlava MGM. Em 19 de fevereiro de 1979, a Columbia Pictures Television adquiriu a TOY Production, produtora fundada por Bud Yorkin e os escritores Saul Turteltaub e Bernie Orenstein, em 1976. Em maio, Kerkorian adquiriu um adicional de 214 mil da Columbia, elevando sua participação para 25%. Em 14 de agosto, o julgamento aberto no Departamento de Justiça, no entanto, decidiu em favor de Kerkorian.

    1980 - COCA COLA, TRI-STAR E OUTRAS AQUISIÇÕES

    Em 30 de setembro de 1980, Kerkorian processou a Columbia por ignorar o interesse dos acionistas e de violar um acordo com ele. A Columbia mais tarde o acusou, em 2 de outubro, por conspirar com Nelson Bunker para ganhar o controle da Columbia.

    Em 1981, Kerkorian vendeu sua participação de 25% da Columbia de volta à CPI.  Columbia Pictures adquiriu mais tarde 81% da The Walter Reade Organization, que possuía 11 cinemas; adquiriu os 19%  restantes em 1985.

    Com um balanço saudável (em grande parte devido a sucessos de bilheteria como Loucos de Dar Nó (1980), A Lagoa Azul (1980) e Recrutas da Pesada (1981), a Columbia foi comprada pela Coca-Cola em 22 de junho de 1982 por US$ 750 milhões, depois de ter sido considerada pela Walt Disney Productions.  Frank Price, o cabeça do estúdio misturou grandes sucessos como Tootsie, Karate Kid, O Reencontro e Caca-fantasmas com muitos fracassos. Para compartilhar o aumento do custo de produção dos filmes, a Coca trouxe dois investidores externos cujos esforços anteriores em Hollywood não haviam dado em nada. Em 1982, a Columbia, a Time Inc. a HBO e a CBS anunciaram uma joint venture, "Nova Pictures"; esta empresa foi  renomeada para Tri-Star Pictures. Em 1983, Frank Price deixou a Columbia Pictures depois de uma disputa com a Coca-Cola e voltou para a Universal.


    Cinco anos mais tarde, a Coca-Cola desmembrou a Columbia, que foi vendida para Tri-Star e se tornou Columbia Pictures Entertainment.

    Em 18 de Junho de 1985, a Columbia adquiriu a Embassy Communications, Inc. (incluindo Embassy Pictures, Embassy Television, Tandem Productions, e Embassy Home Entertainment), principalmente por seu arquivo de séries de televisão de grande sucesso, como All in the Family e The Jeffersons por 485.000 mil dólares.  Em 16 de novembro de 1985, a CBS abandonou o empreendimento Tri-Star.

    Muitas mudanças ocorreram em 1986. Expandindo sua franquia da televisão, em 5 de maio, A Columbia também comprou Merv Griffin Enterprises, notáveis em shows de sucesso: Wheel of Fortune, Jeopardy !, Dance Fever, e The Merv Griffin Show por US$ 250 milhões de euros . Meses mais tarde, em 28 de agosto, o grupo de televisão Columbia Pictures adquiriu de Danny Arnold, 'Danny  Arnold Productions, Inc.', incluindo os direitos sobre o sitcom de sucesso Barney Miller entre outras séries produzidos, como Fish (Mimus Corporation), AES Hudson Street (Triseme Corporation), e Joe Bash (Tetagram Ltd.), após Arnold desistir de ações judiciais federais e estaduais contra o estúdio de televisão acusando-os por violações antitruste, fraude e violação do dever fiduciário.  A Coca-Cola vendeu a  Embassy Pictures para Dino de Laurentiis, que mais tarde fundiu a Embassy Pictures na Dino De Laurentiis Productions, Inc. e tornou-se De Laurentiis Entertainment Group. Coca-Cola também vendeu Embassy Home Entertainment para Nelson Entertainment. Coca-Cola no entanto, manteve o nome Embassy Pictures , logotipo e marca registrada.


    HBO foi o último parceiro fora da Tri-Star Venture que vendeu suas ações para a Columbia. A Tri-Star mais tarde expandiu-se para o negócio de televisão com a sua nova divisão Tri-Star Television. No mesmo ano, Columbia recrutou o produtor britânico David Puttnam para dirigir o estúdio. Puttnam tentou desafiar o cinema de Hollywood, fazendo filmes menores, em vez de grandes produções.

    Sua crítica à produção cinematográfica americana, além do fato de que seus filmes foram de forma geral fracassos, a Coca e Hollywood depuseram  Puttnam do cargo depois de apenas um ano.

    Em 26 de junho de 1987, a Coca-Cola vendia The Walter Reade Organization para o Cineplex Odeon Corporation. Em 14 de outubro, 1987, a divisão de entretenimento da Coca-Cola investiu  30 milhões de dólares na Castle Rock Entertainment, com cinco executivos de Hollywood. A divisão de negócios de entretenimento da Coca-Cola possuía 40% da Castle Rock, enquanto os executivos detinham 60%.

    A ERA COLUMBIA PICTURES ENTERTAINMENT

    Cinema é um empreendimento volátil, o que fez dos acionistas da Coca Cola apreensivos, e após o fracasso de bilheteria Ishtar, ela desmembrou suas participações em 21 de Dezembro de 1987, e vendeu-as para Tri-Star Pictures por US$ 3,1 bilhões, criando também Columbia / Tri-Star, mesclando as duas. Tri-Star Pictures Inc. foi renomeada para Columbia Pictures Entertainment Inc. (CPE), com a Coca-Cola possuindo 49% da empresa.  Ambos os estúdios continuaram a produzir e distribuir filmes sob seus nomes separados.

    Puttnam foi sucedido por Dawn Steel, a primeira mulher a dirigir um estúdio cinematográfico de Hollywood. Em pequena escala, foram criadas entidades "boutique": Nelson Entertainment, uma joint venture com parceiros britânicos e canadenses, Triumph Films, de propriedade conjunta com o estúdio francês Gaumont, e que agora lança baixos orçamentos, e a Castle Rock Entertainment.

    Em 4 de janeiro de 1988, a Columbia/Embassy Television e a Tri-Star Television formaram uma nova Columbia Pictures Television e Embassy Communications, renomeado para ELP Communications. Em 13 de abril de 1988, o CPE se desmembrou da Tri-Star Pictures Inc. como uma empresa reformada do estúdio Tri-Star.


    Em 2 de fevereiro de 1989, a Columbia Pictures Television formou uma joint-venture com Norman Lear's Act III Communications chamada Act III Television para produzir séries de televisão em vez de gerenciar.

    Depois de um breve período de independência com a Coca-Cola pela manutenção de um interesse financeiro, o estúdio foi adquirido pela empresa japonesa Sony em 1989.

    SONY

    A Columbia Pictures  foi vendida em 28 de setembro de 1989 à gigante de eletrônicos Sony pelo montante de US$ 3,4 bilhões, uma das várias empresas japonesas a comprar propriedades americanas. A venda rendeu à Coca-Cola um lucro considerável de seu investimento no estúdio. A Sony, em seguida, contratou dois produtores, Peter Guber e Jon Peters, para servir como co-chefes de produção. A Sony também adquiriu a Guber-Peters Entertainment Company por US $ 200 milhões, em 29 de setembro de 1989.

    Guber e Peters tinha acabado de assinar um contrato de longo prazo com a Warner Bros., depois de terem estado com a empresa desde 1983. Por causa do presente contrato, Steve Ross, chefe da Warner Bros. processou a Sony por US$ 1 bilhão. Ela completou a aquisição da CPE em 8 de novembro e a aquisição Guber-Peters foi concluída no dia seguinte.

    Em 1 de dezembro de 1989, Guber e Peters contrataram um advogado de longa data da GPEC, Alan J. Levine, para o cargo de presidente e COO da empresa recém formada chamada Columbia Filmed Entertainment Group (FEG).

    FEG consistia em: Columbia Pictures, Tri-Star Pictures, Triumph Soltar, Columbia Pictures Television, CPTD, Merv Griffin Enterprises, RCA / Columbia Pictures Home Video, Guber-Peters Entertainment Company, e as empresas auxiliares e de distribuição.

    DÉCADA DE 1990 

    Em 1990, a Sony acabou pagando centenas de milhões de dólares comprando da Time Warner o antigo estúdio Metro-Goldwyn-Mayer, em Culver City, que a Warner Communications tinha adquirido em sua aquisição da Lorimar-Telepictures em 1989, terminando assim a parceria Burbank Studios. Inicialmente renomeada para Columbia Studios, a Sony gastou US$ 100 milhões para reformar a rebatizada Sony Pictures Studios. Guber e Peters tinham que provar que valiam esta fortuna, mas embora houvesse alguns êxitos, houve também muitos fracassos. No mesmo ano, Frank Price foi nomeado como o presidente da Columbia Pictures. Sua empresa, Price Entertainment, Inc. que ele fundou em 1987, fundiu-se com a Columbia em Março de 1991.

    Price deixou a Columbia em 4 de Outubro de 1991 para Warner Bros. e reativou a Price Entertainment como Price Entertainment Company com um acordo não-exclusivo com a SPE. Peters foi demitido por seu parceiro Guber em 1991, e em 1994  Guber renunciou para formar a Mandalay Entertainment, no ano seguinte. Toda a operação foi reorganizada e renomeada como Sony Pictures Entertainment (SPE) em 7 de agosto, 1991, e ao mesmo tempo, Tristar (que tinha perdido o seu hífen) relançou a sua divisão de televisão em Outubro. Em dezembro de 1991, a SPE criou a Sony Pictures Classics para filmes de arte e presidida por Michael Barker, Tom Bernard, e Marcie Bloom, quem anteriormente operou a United Artists Classics e Orion Classics.

    Humilhada publicamente, a Sony sofreu uma perda enorme com seu investimento na Columbia, tomando um  prejuízo de 2,7 bilhões dólares em 1994. John Calley tomou posse como presidente SPE em Novembro de 1996, Amy Pascal na Columbia Pictures e Chris Lee como presidente de produção da TriStar. Pela próxima primavera, os estúdios foram recuperando, estabelecendo um ritmo recorde na bilheteria. Em 7 de dezembro de 1992, a Sony Pictures adquiriu o arquivo do game show Barry & Enright.



    Em 21 de Fevereiro de 1994, a Columbia Pictures Television e a TriStar Television foram incorporadas pela Columbia TriStar Television (CTT). Em 1994 a empresa também adquiriu a Tele Stewart Enterprises. Em 21 de julho de 1995, a Sony Pictures se uniu com a  Jim Henson Productions e criou a joint venture Jim Henson Pictures.

    Na década de 1990, Columbia anunciou planos de uma franquia James Bond paralela, uma vez que detinha os direitos de Casino Royale e estavam planejando fazer uma terceira versão do Chantagem atômica (Thunderball) com Kevin McClory. A MGM e Danjaq, LLC,  e os proprietários da franquia, processaram a Sony Pictures em 1997, com uma disputa legal que terminou dois anos depois, em um acordo fora dos tribunais. A Sony negociou os direitos de Casino Royale por US$ 10 milhões, e os direitos da filmagem do Homem-Aranha. O super-herói desde então se tornou franquia de maior sucesso da Columbia. Sony Corporation liderou um consórcio que adquiriu a MGM - dando-lhe os direitos de distribuição para a franquia James Bond.




    Em 1997, a Columbia Pictures foi classificado como o maior estúdio de cinema em bilheteria nos Estados Unidos com um bruto de 1,256 bilhões dólares. Em 1998, a Columbia e a TriStar se fundiram para formar a Columbia TriStar Motion Picture Group (Columbia TriStar Pictures), embora ambos os estúdios continuam a produzir e distribuindo sob seus próprios nomes. Pascal manteve sua posição como presidente da recém unificada Columbia Pictures, enquanto Lee se tornou chefe do estúdio. Em 1999, a Sony Pictures Entertainment relançou a marca Screen Gems como uma empresa de horror e distribuição de filmes independentes.

    ANOS 2000

    Na primeira década de 2000, a Sony ampliou seu cronograma de lançamento dando suporte à Revolution Studios. Em 25 de outubro de 2001 a CTT e CTTD se fundiram para formar Columbia TriStar Domestic Television. Em 16 de setembro de 2002, Columbia TriStar Domestic Television foi renomeada para Sony Pictures Television. Também em 2002, Columbia quebrou o recorde de bilheteria nos EUA com 1,575 bilhões dólares, coincidentemente quebrando seu próprio recorde de 1,256 bilhões dólares em 1997, que foi concebido por blockbusters como Homem-Aranha, Homens de preto II e Triplo X.

    O estúdio também foi o mais lucrativo de 2004, com mais de 1,338 bilhões dólares em bilheteria doméstica com filmes como Homem-Aranha 2, Como se Fosse a Primeira Vez , e O grito. Em 2006, a Columbia produziu  blockbusters como: Código da Vinci, A procura da felicidade, Casino Royale, e O Bicho Vai Pegar e não só terminou o ano em primeiro lugar, como chegou ao eu maior recorde de todos os tempos com a soma de 1,711 bilhões dólares.

    2010

    Em 29 de outubro de 2010, Matt Tolmach, o co-presidente da Columbia Pictures,  produziu o novo Homem-Aranha. Doug Belgrad, o outro co-presidente da Columbia foi promovido como o único presidente do estúdio.  No mesmo dia, Hanna Minghella foi nomeada presidente de produção da Columbia.

    Em 18 de Novembro de 2012, a Sony Pictures anunciou que passou de 4 bilhões dólares em todo o mundo com o sucesso dos lançamentos da Columbia: Skyfall, Espetacular homem aranha, Anjos da Lei, Homens de Preto 3 e Hotel Transylvania.  A Screen Gems lançou: Anjos da Noite: O Despertar, Para Sempre, e Resident Evil 5: Retribuição.

    Em julho de 2014, Doug Belgrad foi nomeado presidente da Sony Pictures Entertainment Motion Picture Group.


    HISTÓRIA DO LOGO

    O logotipo da Columbia Pictures, uma mulher carregando uma tocha e envolto na bandeira americana (representando Columbia, uma personificação dos Estados Unidos), passou por cinco grandes revisões.

    Em 1924, a Columbia Pictures utilizou um logotipo que caracteriza uma soldada romana  que prende com um escudo na mão esquerda e uma vara de trigo na mão direita.

    O logotipo foi alterado em 1928 com a figura vestindo uma bandeira estendida e a tocha. A mulher usava uma stola e carregava uma palla da antiga Roma, e acima dela estavam as palavras "A Columbia Production" ("A Picture Columbia" ou "Columbia Pictures Corporation") escrito em um arco. A ilustração foi baseada na atriz, Evelyn Venable, conhecida por fornecer a voz de A Fada Azul em Pinocchio, da Walt Disney.
    Em 1936, o logo foi mudado: a mulher agora estava em um pedestal, não usava touca, e o texto "Columbia" apareceu em letras esculpidas atrás dela. Houve variações para o logotipo ao longo dos anos significativamente. Uma versão colorida foi feita em Império da Desordem (1943), e a bandeira tornou-se apenas uma cortina sem marcações.  Mas manteve-se sensivelmente a mesma por 40 anos. Em 1976, Taxi Driver foi um dos últimos filmes de usar a figura em sua aparência clássica.


    De 1976 a 1993,  Columbia Pictures estava usando dois logos. O primeiro foi usado 1976-1981, e o segundo foi usado de 1981 a 1993. A primeira pontuação do logotipo foi composta por Suzanne Ciani. O pioneiro Robert Abel em efeitos visuais foi contratado pelo estúdio para a animação do primeiro logotipo.

    O logotipo atual foi criado em 1992, quando ele foi repintado digitalmente pelo artista de Nova Orleans, Michael Deas,  que foi contratado pela Sony para retornar a mulher ao seu look "clássico". Michael Deas contratou Jenny Joseph, um artista gráfico para o The Times-Picayune, como um modelo para o logotipo.  A animação foi criado pelo Synthespian Studios em 1993 por Jeff Kleiser e Diana Walczak, que usou elementos 2D na pintura e converteu-o para 3D...



    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top