• ÚLTIMAS...

    BOLHA ASSASSINA NO CINEMA



    O clássico A Bolha Assassina foi (parcialmente) baseado num acidente ocorrido em 1950, oito anos antes do lançamento do longa. Na ocasião, um relatório de dois policiais veteranos da Filadélfia (EUA), informava sobre a queda de algo do céu. Chegando ao local, eles observaram um monte de “geleia roxa tremendo que brilhava no escuro”.

    De acordo com os agentes, as bolhas pareciam pulsar por conta própria e “certamente era um organismo vivo”. Como eles tinham certeza que ninguém acreditaria no achado, pediram auxílio pelo rádio. Outros dois policiais chegaram ao local e um deles tentou separar um pedaço da misteriosa geleia. Ao ser tocada, ela evaporou restando apenas um resídio inodoro na mão de um deles, que não serviria como prova para a ocorrência.

    Após o desaparecimento da bolha, os policiais redigiram um relatório que posteriormente seria arquivado por falta de evidências. Sete anos depois, o produtor Jack H. Harris tomou conhecimento do ocorrido e resolveu explorar a narrativa. 

    Confiram os filmes feitos até hoje:

    Quando um enorme meteoro cai na terra, o jovem Steve Andrews (Steve McQueen) resolve ver o que aconteceu e descobre que no local da queda está crescendo uma substância gosmenta e rosa. Logo, pessoas começam a desaparecer e a única explicação possível é a bolha rosada assassina, que está sugando a vida de indivíduos para se alimentar, só que ao relatar o ocorrido ninguém além da namorada de Steve (Aneta Corsaut) acredita nele.

    Quinze anos após os eventos do primeiro filme, um chefe de um oleoduto chamado Chester ( Godfrey Cambridge ) retorna a sua casa no subúrbio de Los Angeles, trazendo com ele uma pequena amostra de uma misteriosa substância congelada descoberta por um Bulldozer em um local de trabalho. Antes de levar a bolha para um laboratório para ser analisado, ele coloca o recipiente  com a substância em seu freezer, mas ele e sua esposa ( Marlene Clark ) acidentalmente deixa-o descongelar.

    O filme é dirigido por Larry Hagman, que é um ator absurdamente conhecido pelos papeis centrais nas famosas séries Dallas (como J.R.) e Jeannie é um gênio.E mais absurdo ainda é o título nacional, que sugere parentesco da bolha com a bolha do filme anterior. E fica a pergunta: ela transou com quem?


    Arborville, EUA. Um velho passeia entre os arbustos da periferia quando encontra uma bolha gelatinosa que veio do espaço. Logo a bolha gruda em seu corpo, devorando-o em seguida. Uma amostra dela é levada a um médico, que não consegue identificar sua formação. A bolha cada vez necessita mais de nutrientes, o que faz com que ataque um teatro, um depósito de carnes e enfrente a população da cidade em campo aberto, devorando centenas de pessoas.
    Trinta anos depois, Chuck Russell (que estreou na direção em 1987 com o filme A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros do Sonho) resolveu fazer uma refilmagem da história original. Ele foi apoiado pelo mesmo produtor da primeira versão, Jack H. Harris (que possuía os direitos do filme).






    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top