• ÚLTIMAS...

    INGMAR BERGMAN - 10 FILMES ESSENCIAIS


    Ernst Ingmar Bergman  foi um dramaturgo e cineasta sueco. Ele estudou na Universidade de Estocolmo, onde se interessou por teatro e, mais tarde, por cinema. Iniciou a carreira em 1941, escrevendo a peça teatral "Morte de Kasper". Em 1944 o diretor desenvolveu o primeiro argumento para o filme "Hets" e em 1945 realizou o seu primeiro filme, "Kris".

    Seus trabalhos lidam geralmente com questões existenciais, como a mortalidade, a solidão e a fé. Suas influências literárias provêm do teatro: Henrik Ibsen e August Strindberg. 

    Dentre os vários fatos e mitos que envolvem a vida e a carreira do diretor, um que chama a atenção é o seu relacionamento com algumas das atrizes que trabalharam com ele. Bergman teve um romance com Liv Ullmann, uma de suas atrizes preferidas, com quem teve uma filha e construiu uma parceria que se estendeu por dez filmes, começando por "Persona".


    Talvez o melhor comentário sobre Ingmar Bergman tenha partido de Jean-Luc Godard: "O cinema não é um ofício. É uma arte. Cinema não é um trabalho de equipe. O diretor está só diante de uma página em branco. Para Bergman estar só é se fazer perguntas; filmar é encontrar as respostas. Nada poderia ser mais classicamente romântico". (Jean-Luc Godard, "Bergmanorama", Cahiers du cinéma, Julho – 1958).

    Segundo sua filha, Eva Bergman, o diretor e roteirista morreu de forma tranquila em sua casa em Fårö aos 89 anos. E, curiosamente, no mesmo dia em que faleceu Michelangelo Antonioni. 

    No início do século XX, após um alegre Natal na família Ekdahl, o pai de um casal de crianças vem a falecer. Deste momento em diante Alexander (Bertil Guve), o menino, passa a ver o fantasma do pai freqüentemente. Tempos depois Emilie (Ewa Fröling), sua mãe, casa-se com um extremamente rígido religioso e as crianças são obrigadas a deixar a casa da avó paterna, onde foram muito felizes, e passam a viver com a família do padrasto de hábitos severos, onde são tratados como prisioneiros. Na casa do padrasto o menino passa a ver o fantasma da primeira esposa dele e suas filhas, que haviam morrido tentando escapar dele. 

    • Há versões com 188 e 197 minutos, além de uma versão do diretor com 312 minutos.
    • Liv Ullmann recusou a proposta para interpretar Emilie Ekdahl e o papel ficou com Ewa Fröling. Ingmar Bergman ficou muito chateado e disse a Ullmann que ela "perdeu o seu direito de primogenitura". Até aquele momento o diretor e a atriz já tinham trabalhado juntos 11 vezes.
    • Ao lado de O Tigre e o Dragão, é o filme estrangeiro com maior número de Oscars ganhos.
    Após ter sido uma mãe ausente por anos, Charlotte (Ingrid Bergman), uma renomada pianista, vai até a casa de sua filha Eva (Liv Ullmann) para lhe fazer uma visita. Ela se surpreende ao encontrar sua outra filha, Helena (Lena Nyman), que tem problemas mentais. Eva tirou Helena da instituição que Charlotte a havia internado para cuidar dela em casa. A tensão entre mãe e filha começa a crescer devagar até elas colocarem tudo em panos limpos, dizendo tudo que sempre gostariam de dizer.

    • Sonata de Outono foi filmado na Noruega, durante o exílio de Ingmar Bergman da Suécia. O diretor estava sendo acusado de sonegar impostos em seu país natal.
    • Enquanto Ingrid Bergman interpreta a pianista Charlotte, a pessoa que realmente toca o piano é Käbi Laretei, ex-mulher de Ingmar Bergman. Käbi é uma aclamada pianista e já apareceu tocando seu instrumento em uma cena do filme Fanny e Alexandre, também dirigido por Bergman.
    • Esta foi a última aparição de Ingrid Bergman num filme exibido nos cinemas. A artista ainda viria a atuar em mais um longa, Golda, de 1982, feito exclusivamente para a TV.
    O filme conta uma história de Agnes (Harriet Anderson) que está prestes a morrer e suas duas irmãs, Karin (Ingrid Thulin) e Maria ( Liv Ullmann), devem cuidar dela nesses últimos dias de vida. Elas contam com a ajuda da empregada Anna (Kari Sylwan) que acompanhou Agnes durante toda sua doença e que se importa com seu bem estar.O sofrimento de Agnes causa um certo mal-estar entre as irmãs, que têm que lidar com as dores da enferma. É um momento propício para que as mulheres da família se reúnam para demonstrar seu  amor para com ela.

    • Ingmar Bergman explicou o uso da cor vermelha neste filme dizendo "Gritos e Sussurros é uma exploração da alma e desde a infância eu imagino a alma como uma úmida membrana em diversos tons de vermelho"
    • Bergman, que produziu Gritos e Sussuros com seu próprio dinheiro, não conseguiu encontrar uma distribuidora estadunidense que se interessasse em lançar o filme. As empresas alegavam que a produção não tinha apelo comercial. Roger Corman, que tinha acabado de deixar a American-International Pictures para criar sua própria companhia, aceitou distribuir o longa. Ele considerou bom se associar com um filme de um diretor de prestígio, pois daria classe à sua nova empresa.
    • Este é o 6º de 12 filmes em que o diretor Ingmar Bergman e a atriz Liv Ullmann trabalharam juntos. Os demais foram Quando Duas Mulheres Pecam (1966), A Hora do Lobo (1968), Vergonha (1968), A Paixão de Ana (1969), Farödokument (1969),Cenas de um Casamento (1973), A Flauta Mágica (1974), Face a Face (1976), O Ovo da Serpente (1977), Sonata de Outono (1978) e Saraband (2003).
    Após um desempenho na peça "Electra", uma famosa atriz, Elisabeth Vogler (LIv Ullmann), pára de falar. Sua psiquiatra, Lakaren (Margaretha Krook), a deixa sob os cuidados de Alma (Bibi Andersson), uma dedicada enfermeira. Como já fazem três meses que Elisabet não profere uma palavra, Lakaren decide que ela deva ser mandada para uma isolada casa de praia, com Alma. Na casa Alma fala pelas duas, pois Elisabet continua muda, comunicando-se apenas com pequenos gestos. Com o convívio Alma fica uma pouco enamorada pela atriz. Num dia conta para Elisabeth sobre uma excitante experiência sexual que teve numa praia, com desconhecidos, e a conseqüência desagradável disto. 

    • A versão americana, lançada pela United Artists, cortou um breve close em um pênis ereto, presente na colagem de imagens antes dos créditos.
    • As filmagens ocorreram entre 19 de julho e 15 de setembro de 1965.
    • Este é o 10º de 13 filmes em que o diretor Ingmar Bergman e a atriz Bibi Andersson trabalharam juntos. Os demais foram Sorrisos de uma Noite de Amor (1955), O Sétimo Selo (1956), Morangos Silvestres (1957), Bakomfilm Smultronstället (1957), No Limiar da Vida (1958), O Rosto (1958), Rabies (1958), O Olho do Diabo (1960), Para Não Falar de Todas Essas Mulheres (1964), A Paixão de Ana (1969), A Hora do Amor (1971) e Cenas de um Casamento (1973).
    Duas irmãs hospedam-se num hotel em um país europeu não-identificado à beira de uma guerra. A irmã mais velha e mais culta, Ester, tradutora de livros, é uma doente terminal. Seu medo da morte obscurece o relacionamento com a irmã mais nova, a bela Anna, que representa a parte carnal da dicotomia espírito/corpo. Anna negligencia o seu filho Johan, um garoto de cerca de 12 anos que vagueia pelo hotel quase deserto.

    •  O Silêncio é o desfecho da "Trilogia do Silêncio", formada ainda por Através de um Espelho e Luz de Inverno.
    O sol brilha no horizonte, raios de luz penetrando janela adentro numa modesta igreja durante o cinzento, sufocante inverno sueco, banhando o pastor viúvo em crise de fé – doente, prostrado, em prantos, abraçado à professora local que o ama sem ser correspondida, como se simbolizasse a manifestação divina que incontáveis protagonistas bergmanianos buscaram e de cuja ausência se ressentiam.

    • Realizado no apogeu da Guerra Fria, Luz de Inverno é uma amarga reflexão de Bergman, que teve como modelo o clássico O Diário de um Pároco de Aldeia (1950), de Robert Bresson.
    A história se passa no período de 24 horas e mostra os acontecimentos que envolvem uma família de quatro pessoas, de férias em uma ilha. Todos estão ali após Karin, que sofre de esquizofrenia, ter recebido alta do sanatório onde estava internada. O marido de Karin, o médico Martin, conta ao sogro David que a doença da esposa é praticamente incurável. Enquanto isso, Minus, irmão adolescente de Karin, conta a ela sobre a falta de diálogo dele com o pai. David é um escritor atravessando um período de "bloqueio". Ele reencontra a família após um longo tempo de ausência, mas avisa que logo irá retornar a viajar. Com o passar do dia, a esquizofrenia de Karin se manifesta cada vez mais, afetando a todos na ilha.

    Na Suécia, século XIV, a população oscilava entre o cristianismo e o paganismo. Herr Töre (Max von Sydow) e Märeta Töre (Birgitta Valberg) formam um casal que tem uma propriedade rural. Eles são cristãos fervorosos e incumbiram Karin Töre (Birgitta Pettersson), sua filha, uma adolescente de quinze anos, de levar velas para a igreja da região e acendê-las para a Virgem Maria. Karin sonha em só se entregar para um homem quando estiver casada e esta posição é reforçada pois Ingeri (Gunnel Lindblom), uma serviçal que mora em sua casa, está grávida. No caminho da igreja Karin é estuprada e assassinada por dois pastores de cabras. Quando a noite chega, ironicamente, os criminosos vão pedir comida e abrigo para os pais de Karin.

    Isak Borg (Victor Sjöström) é um professor de medicina que revisita vários momentos marcantes de seu passado durante uma viagem de carro até sua antiga universidade, onde ele irá receber uma honraria. Acompanhado de sua nora Marianne (Ingrid Thulin) ele evoca memória de sua família e de sua ex-namorada. Durante a viagem ele conhece uma garota adolescente que em muito se assemelha a Sara, seu antigo amor. A jovem pega carona com o professor e Marianne. Quanto mais Borg recorda as decepções e desilusões que viveu, mais ele se sente frio e cheio de culpa. Esses sentimentos se afloram quando ele encontra seu filho, igualmente frio e ressentido.

    • Ingmar Bergman escreveu o roteiro de Morangos Silvestres enquanto estava internado no hospital.
    • Ingmar Bergman escreveu o roteiro de Morangos Silvestres tendo em mente que Victor Sjöstrom protagonizaria o filme, dando vida ao Dr. Isak Borg. O diretor e a companhia responsável pela produção do longa concordaram que não haveria filme sem ele. Bergman, que era um grande admirador de Sjöström, não teve coragem de ligar para fazer o convite, então um representante da produtora teve que fazê-lo. Sjöström foi relutante quanto à sua participação em Morangos Silvestres, mas concordou em discutir o assunto com Bergman, que foi até sua residência para conversar. Após pensar bastante, o veterano do cinema sueco concordou em participar, mas com uma condição. De que ele estivesse de volta à sua casa às 5 da tarde para tomar sua dose diária de uísque.

    Após dez anos, um cavaleiro (Max Von Sydow) retorna das Cruzadas e encontra o país devastado pela peste negra. Sua fé em Deus é sensivelmente abalada e enquanto reflete sobre o significado da vida, a Morte (Bengt Ekerot) surge à sua frente querendo levá-lo, pois chegou sua hora. Objetivando ganhar tempo, convida-a para um jogo de xadrez que decidirá se ele parte com a Morte ou não. Tudo depende da sua vitória no jogo e a Morte concorda com o desafio, já que não perde nunca.

    • O Sétimo Selo é o primeiro de uma série de dez filmes em que o ator Max von Sydow trabalhou com o diretor Ingmar Bergman.
    • O título O Sétimo Selo é uma referência ao capítulo 8 do Livro de Apocalipse na Bíblia.
    • "Quando o Cordeiro abriu o sétimo selo, houve silêncio no céu cerca de meia hora.Então vi os sete anjos que se acham em pé diante de Deus, e lhes foram dadas sete trombetas."
    • Ingmar Bergman baseou toda a iconografia do filme nos murais da igreja que seu pai, que era um pastor luterano, costumava ir e pregar.
    • Ingmar Bergman se inspirou nos filmes de época de Akira Kurosawa para realizar O Sétimo Selo, que se passa na Idade Média. Bergman era um grande fã do diretor japonês.
    • A Igreja que Jöns e Antonius Block chegam aos 15 minutos de filme é, na verdade, apenas uma estrutura cenográfica montada em cima de uma árvore morta.


    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top