• ÚLTIMAS...

    UM CORPO QUE CAI (1958) - FILM REVIEW


    Hoje vamos falar um pouco de um dos maiores filmes do cinema. Mas não há como falar da criatura, sem falar do criador: Hitchcock. Ele, o cientista, levou sua carreira de forma minuciosa, sempre experimentando as mais diversas formas de linguagens cinematográficas, até criar seu maior monstro: Vertigo.

    Dr. Frankenstein

    Alfred Joseph Hitchcock foi um cineasta inglês, uma das mais importantes personalidades do cinema de mistério e intriga, sendo chamado de “Mestre do Suspense”. Ele nasceu no bairro de Leytonstone, no Nordeste de Londres, Inglaterra, no dia 13 de agosto de 1899. Filho de William Hitchcock e Emma Jane Wehlan, donos de um comércio de frutas e verduras, recebeu de seu pai uma educação rígida e repressiva que marcou profundamente a formação de seu caráter e de sua personalidade.

    A família se mudou para Stepney em 1908  e Hitchcock ingressou no St. Ignatius College, fundado pelos jesuítas, em 1894 e especialmente conhecido pelo rigor em sua disciplina. Em seu primeiro ano se destacou por sua aplicação e recebeu menção honrosa, conquistando excelente em latim, francês, inglês e formação religiosa. Nos últimos anos, se comportava com ironia e fazia travessuras na companhia dos colegas. Ainda na escola, Hitchcock visitava o Museu Negro da Scotland Yard para contemplar as coleções de relíquias criminais e o Tribunal do Crime de Londres, onde assistia a julgamento de assassinos e anotava tudo. Ele falava dessa época com amargura, dizia: “Eu me sentia aterrorizado pela polícia, pelos jesuítas e pelas punições, mas essas são as raízes do meu trabalho”.


    Aos 14 anos, deixou o colégio e começou a estudar Engenharia na School of Engineering and Anavigation e em seguida cursou desenho na Escola de Belas Artes da Universidade de Londres. Ao mesmo tempo ajudava seus pais no comércio. Nessa época descobriu um novo passatempo, o cinema, que estava se impondo como uma das atividades lúdicas mais importantes de Londres. Desde os 16 anos, lia com avidez as revistas de cinema e não perdia os filmes de Chaplin, Buster Keaton, Douglas Fairbanks e Mary Pickford.

    Com a morte de seu pai (isto em 1914) e com o início da Primeira Guerra, teve que voltar para Leytonstone, onde começou a trabalhar nas oficinas da Henley Telegraph and Cable Company. Foi liberado do recrutamento graças a seu trabalho na companhia que colaborava com a guerra e também por sua obesidade. Descontente com o serviço logo foi transferido para o departamento de publicidade. Em 1920, com 21 anos, ao saber da instalação de uma companhia cinematográfica norte-americana em Londres, a Famous Players-Lasky, reuniu alguns croquis de decoração que havia desenhado para filmes mudos, se apresentou na companhia e ganhou o emprego. Trabalhou como letrista e depois na preparação de cenários e pequenos diálogos em novos filmes, sob a direção de Georges Fitz, que também lhe ensinou técnicas de filmagem.

    Em 1923 atuou na codireção do filme “Always Tell Your Wife” e colaborou no filme “Mrs. Peabody”, que foram suas primeiras experiências cinematográficas. Nos estúdios, conheceu Alma Reville e logo estavam trabalhando juntos na produtora Gainsbouroug Pictures. Em 1925 teve suas primeiras oportunidades como diretor com “The Pleasure Garden”, The “Mountain Eagle” e “The Lodger: A Story of the London Fog” que foi o seu ingresso no suspense. Os filmes foram sucesso de público e crítica. Neles, Hitchcock aparecia entre os figurantes sem ser incluído no roteiro, o que mais tarde virou rotina do cineasta.


    Se casou com Alma em 1926 e passaram a residir em Cromwell Road, Londres. Em 1927 dirigiu “The Ring” e logo conquistou fama internacional. Em 1928 rodou seus últimos filmes mudos “The Farmer’s Wiffe, Champagne” e “The Maxman”.  Em 1929 estreou com seu primeiro filme sonoro “Blackmail”. O sucesso de seus filmes chamou a atenção dos produtores de Hollywood e em 1939 mudou-se para os Estados Unidos.

    A estreia de Alfred Hitchcock em Hollywood foi com o filme “Rebeca, A Mulher Inesquecível” (1940), que recebeu o Oscar de Melhor Filme (1941) e de Melhor Fotografia Preto e Branco  (1941). Dirigindo um filme por ano, se tornou um dos mais importantes cineastas do cinema de mistério e intriga, com um domínio excepcional das técnicas cinematográficas. Em 1980 recebeu a Ordem do Império Britânico das mãos da Rainha Elizabeth II. Alfred Hitchcock faleceu em Los Angeles, Estados Unidos, no dia 29 de abril de 1980.

    O Monstro

    O filme conta a história de um detetive aposentado John 'Scottie' Ferguson (James Stewart), que sofre de um terrível medo de alturas. Certo dia, encontra com um antigo conhecido, dos tempos de faculdade, que pede que ele siga sua esposa, Madeleine Elster (Kim Novak). John aceita a tarefa e fica encarregado da mulher, seguindo-a por toda a cidade. Ela demonstra uma estranha atração por lugares altos, levando o detetive a enfrentar seus piores medos. Ele começa a acreditar que a mulher é louca, com possíveis tendências suicidas, quando algo estranho acontece nesta missão.

    Um Corpo Que Cai é baseado no livro "D'Entre les Morts", da dupla Pierre Boileau e Thomas Narcejac. O livro foi escrito especialmente para Alfred Hitchcock, após os autores tomarem conhecimento de que o diretor tentara comprar os direitos de adaptação para o cinema de seu livro anterior, "Diabolique". Apesar dos créditos indicarem o roteiro como de autoria de Alec Coppel e Samuel A. Taylor, Coppel não escreveu uma palavra sequer da versão final do roteiro. Seu nome apenas apareceu nos créditos por questões contratuais, já que Taylor desenvolveu o roteiro final baseando-se apenas nos relatos do diretor, sem ter lido nem o script original nem o livro em que a história foi baseada.


    Originalmente, o papel de Madeline Elster seria de Vera Miles, mas esta ficou grávida antes do início das filmagens e teve que abandonar o papel. Alfred Hitchcock inventou para Um Corpo Que Cai a sequência de zooms e afastamento da câmera, que dá ao público a sensação de vertigem sentida por John 'Scottie' Ferguson. Por apenas alguns segundos utilizando esta sequência foi pago cerca de US$ 19 mil. O diretor inclusive faz uma de suas famosas aparições em exatos 11 minutos de filme, caminhando com um terno em frente ao estaleiro de Gavin Elster.

    A figurinista Edith Head e Alfred Hitchcock pretendiam dar um visual não-convencional a Madeline Elster. Deste modo, escolheram uma roupa cinza, por achar que seria estranho ver uma mulher loira totalmente vestida desta cor. Hitchcock teria passado uma semana filmando uma cena breve onde Madeleine observa um retrato no Palácio da Legião da Honra apenas para obter a iluminação certa.

    Em uma entrevista posterior, Hitchcock disse acreditar que Kim Novak foi uma escolha errada para o papel. Ela só fala após 46 minutos de filme. Talvez seja a prova de que realmente Hitchcock não gostou dela.


    Um Corpo Que Cai esteve inacessível ao público em geral durante décadas. Isto porque o diretor comprou de volta os direitos de cinco de seus filmes e os deixou de legado para sua filha. Estes filmes receberam o apelido de "os cinco filmes perdidos de Hitchcock" e voltaram ao alcance do público em 1984, quando foram relançados nos cinemas, com uma distância de quase 30 anos desde seu primeiro lançamento. Os demais filmes do pacote eram Festim Diabólico (1948), Janela Indiscreta(1954), O Homem Que Sabia Demais (1956) e O Terceiro Tiro (1955).

    As filmagens duraram apenas 16 dias. Na época recebido pela crítica com reservas, hoje Um Corpo Que Cai é considerado a obra-prima de Alfred Hitchcock.


    O filme ganhou uma edição especial em Steelbook, que está sendo vendido exclusivamente nas lojas das Livrarias Cultura e FNAC!

    O filme,  eleito pela revista do Festival de Cinema Britânico como o melhor filme da História, aborda a história de um policial aposentado, John "Scottie" Ferguson (Stewart), que sente medo de altura. A produção, que comemora seus 60 anos desde seu lançamento em 1958, conta com um elenco que inclui os atores do nível de James Stewart e Kim Novak.

    UM CORPO QUE CAI (STEELBOOK)
    (Vertigo)


    Direção: Alfred Hitchcock
    Elenco: James Stewart, Kim Novak, Barbara Bel Geddes
    País: Reino Unido
    Ano de produção: 1958 

    Steelbook (Blu-ray)
    Gênero: Suspense
    Duração: 128 minutos
    Formato de Tela: Widescreen 1.85:1
    Áudio: INGLÊS (DTS HD-MA 5.1), ESPANHOL (DTS 2.0), POTUGUÊS (DTS 2.0)
    Legenda: INGLÊS (SDH), ESPANHOL, PORTUGUÊS
    Classificação Indicativa: 30 de Maio de 2018
    Preço Sugerido: R$ 89,90
    Extras: Obcecado por Vertigo: Nova Vida para a Obra PrGOOima de Hitchcock; Parceiros do Crime - Os Colaboradores de Hitchcock: Saul Bass: O Campeão dos Créditos, Edith Head: Vestindo os Filmes do Mestre, Bernard Herrmann: O Maestro de Hitchcock, Alma: A Musa do Mestre, Hitchcock; Truffaut; Final da Censura Estrangeira; Os Arquivos de Vertigo; Trailer do Cinema; Comentários em Áudio como Diretor William Friedkin; Trailer Restaurado para o Cinema; 100 Anos de Universal: A Nova Era de Lew Wasserman; 100 Anos de Universal



    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top