• ÚLTIMAS...

    AGNÈS VARDA - 10 FILMES ESSENCIAIS


    Agnès Varda nasceu em Bruxelas, Bélgica, em 30 de maio de 1928, como Arlette Varda. Seu pai era grego e sua mãe, francesa. Ela estudou História da Arte na Ecole du Louvre antes de conseguir um emprego como fotógrafa oficial do Teatro Popular Nacional em Paris. Gostava de fotografia, mas queria passar a fazer filmes. Após alguns dias filmando a pequena cidade pesqueira de La Pointe Courte, na França, para um amigo, Varda decidiu fazer um filme próprio. La Pointe Courte, sobre um casal infeliz que tentava lidar com seu relacionamento em uma pequena cidade pesqueira, foi lançado em 1954 e foi considerado o precursor da Nouvelle Vague francesa. Agnès Varda foi casada com o diretor Jacques Demy de 1962 até a morte dele, em 1990. Seus filmes, fotografias e instalações são focadas no realismo documental, feminismo e comnetário social, com um estilo experimental distinto.

    Ela recebeu o Leão de Ouro no Festival de Veneza, em 1985, por "Vagabond/Whithout Roof or Rule" e, em 2009, seu filme "As praias de Agnes" ganhou o Cesar Award por melhor documentário. E hoje é nosso tema dos 10 filmes essenciais...


    Obras-Primas do Cinema lançou “AGNÈS VARDA”. Digipak especial com 2 DVD’s contendo 4 clássicos da diretora, todos remasterizados! Os filmes, fotografias e instalações de Agnès Varda, com seu estilo experimental único, focam o realismo documental, o feminismo e o comentário social.  Edição limitada com quase uma hora de extras!


    Confiram agora os...


    Um homem e uma mulher estão a ponto de se separar, após quatro anos de vida em comum. O homem passa férias em seu vilarejo natal, uma aldeia de pescadores próxima a Sète, chamada Pointe Courte. A mulher vem juntar-se a ele, antes da provável separação definitiva. Ambos passeiam, sonham com seu passado, confrontam seus sentimentos, numa busca incerta por si próprios.


    Cléo (Corinne Marchand) é uma cantora francesa que vive um momento de angústia, enquanto espera o resultado de um exame. O teste pode apontar se ela tem ou não um câncer de estômago. Sem saber o que fazer, Cléo perambula pela cidade de Paris. Ela passa uma hora e meia fazendo coisas banais, à procura de distração, até que conhece um soldado que está prestes a ir para a guerra na Argélia.


    A vida de François, um jovem carpinteiro, não poderia ser melhor. O sol brilha constantemente, os pássaros sempre estão a cantar, ele ama sua esposa e ela o ama de volta e seus dois filhos são belos e alegres. No entanto, um simples encontro quebrará o equilíbrio da vida de François e quando o carpinteiro percebe o problema, já está apaixonado por Emilie, apesar de ainda amar sua esposa.


    Uma mulher muda vive em um pequeno vilarejo com seu marido, um escritor. Enquanto ela espera o nascimento de seu filho, o escritor começa um novo romance cujos personagens são baseados nos seus vizinhos e, a partir daí, a tênue linha entre a realidade e a ficção começa a ficar cada vez mais borrada.


    França, década de 1970. Duas mulheres, Pomme (Valérie Mairesse) e Suzanne (Thérèse Liotard), veem suas vidas se entrelaçaram entre si e com o crescente movimento feminista da época. Elas se conhecem quando jovens e depois perdem contato durante dez anos, quando se encontram novamente. À essa altura do campeonato, Pomme é uma cantora excêntrica e Suzanne tem um trabalho convencional.


    Na cidade de Los Angeles, Emilie (Sabine Mamou), uma francesa recém separada, procura um lugar para morar com seu filho de 8 anos, Martin (Mathieu Demy). Após encontrar uma residência, ela começa a recuperar móveis usados e segue uma vida repleta de solidão, em exílio. As memórias do passado perturbam Emilie, que dedica toda a sua afeição ao seu filho.


    É inverno no sul da França e o corpo de uma jovem é encontrado em um fosso. Mona (Sandrine Bonnaire) era uma andarilha e passou seus últimos dias andando pelas estradas francesas. Aqueles com quem Mona cruzou, conheceu ou conversou são os que contam quem ela era e o que aconteceu.


    Durante uma das festas dadas por sua filha Lucy, Mary-Jane, mulher de 40 anos, divorciada, nota a presença de um jovem chamado Julien, um rapaz de apenas quinze anos que encanta a Mary-Jane. Conforme ela começa a desejar a passar mais e mais tempo com o jovem, fazendo de tudo para encontrar com ele, Mary-Jane percebe a inevitável verdade: ela está apaixonada por um rapaz vinte e cinco anos mais novo.


    A célebre diretora Agnès Varda cria, através de sua estética autoral neste belo e inovador filme, um retrato poético, um ensaio expressionista, um documentário ficcional, uma fantasia realista e um olhar intimista e aprofundado sobre a carreira, a vida, a obra, a trajetória e os múltiplos talentos da atriz Jane Birkin.


    Simon Cinéma (Michel Piccoli) é um senhor centenário, que vive em uma casa isolada rodeado por excêntricos funcionários. Devido à idade avançada, ele está começando a perder a memória e, por causa disto, decide contratar por 101 noites a jovem Camille (Julie Gayet), que irá fazer exercícios com ele sobre a história do cinema e seus principais ícones.



    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    40 FILMES SOBRE AUTISMO PARA CONHECER E EMOCIONAR

    O que é Autismo? O autismo é um transtorno de desenvolvimento que geralmente aparece nos três primeiros anos de vida e compromet...

    Scroll to Top