RENATO SIQUEIRA - RESPONDE ÀS 7 PERGUNTAS CAPITAIS


Renato é cineasta, ator, diretor, produtor e técnico de efeitos especiais. Renato Siqueira despontou dos cursos que ministra na capital paulista para o sucesso. Evitando recorrer a órgãos culturais, leis fomento, devido a demora no processo de seleção, captação, Renato e sua pequena e talentosa equipe composta por Beto Perocini, Luciano Milici, Wagner Dalboni, Edu Hentschel arregaçaram as mangas e se valeram de auto-suficiência financeira para tirar das trevas o longa-metragem "Diário de Um Exorcista - Zero". Reuniram um elenco que vestiu a camisa e com amor à sétima arte, fizeram acontecer, realizando assim um harmonioso trabalho.

Diário de um exorcista é o primeiro filme de terror a entrar na Netflix em 86 países, um verdadeiro marco nacional. E ele foi dirigido por Renato Siqueira, nossa vítima de hoje das 7 perguntas capitais. Confiram:

1.Quando nasceu sua paixão pelo cinema? Houve aquele momento em que olhou para trás e pensou: sou cinéfilo !!?? 

R.S.:Aos 11 anos meu pai me presenteou com uma filmadora e a partir dai não parei mais de fazer filmes.



2.Coleciona filmes, cds ou algo relacionado à 7ª arte ? Quem curte cinema, costuma ter suas relíquias em casa...

R.S.:Não coleciono filmes, tenho alguns filmes prediletos, mas são pouco, não daria para falar que isso seria uma coleção.


3.Quando surgiu a idéia do seu filme? Conte-nos como foi a produção. Houve muitas dificuldades de financiamento?

R.S.:No final do ano de 2010, estava terminando as filmagens do meu curta Laços Violados (suspense / policial), e estava pronto para um novo desafio, mas eu me perguntava: "Qual seria esse novo desafio?" E a resposta veio como uma meta, produzir um Longa Metragem, com uma história inédita e surpreendente, algo que ainda não tivesse sido explorada no Brasil, pois o cinema nacional de ficção fantástica é quase escasso, seguindo sempre a mesma linha, apostando no realismo cru das comunidades carentes, policiais cariocas e traficantes.


Certa noite adormeci no sofá de casa assistindo TV e as 2:00 hs da manhã acordei assustado com os gritos alucinantes que saiam da boca de Regan McNeil personagem do clássico O Exorcista, interpretada pela atriz Linda Blair. Após este susto pensei: "Por que não uma história de exorcismo no Brasil?".

Na contramão da tendência – e ciente da carência do público brasileiro, botei em ação o segundo passo que foi pesquisar na internet se já existia alguma obra cinematográfica sobre exorcismo, e através dessa pesquisa percebi que o único filme que explora o tema exorcismo no Brasil, foi o longa produzido em 1974 pelo cineasta José Mojica Marins (Zé do Caixão) chamado "Exorcismo Negro". Outra coisa que me chamou a atenção, foi de não existir uma obra literária nacional sobre o tema exorcismo e a partir dai convidei o meu amigo escritor  Luciano Milici para entrar no projeto se tornando uma das peças chaves, essenciais para a realização da obra. Foi ele que deu a ideia de lançar a obra literária antes do longa e como eu já conhecia o seu trabalho maravilhoso como escritor chamei-o para trabalhar no projeto e ele aceitou.

Sobre a produção e financiamento eu não recorri a nenhum órgãos cultural, leis fomento, devido a demora no processo de seleção, captação, eu (Renato Siqueira) e minha pequena e talentosa equipe composta por Beto Perocini, Luciano Milici, Wagner Dalboni, Edu Hentschel arregaçamos as mangas e nos valemos de auto-suficiência financeira para tirar do anonimato o longa-metragem "Diário de Um Exorcista - Zero".


Doei 5 anos da minha vida para este projeto,  tive que estudar muito antes de começar a realizá-lo e com isso acabei trazendo para o Brasil uma inovadora técnica de maquiagem e efeitos visuais que aperfeiçoei durante esses anos. Apliquei-a no longa metragem e o resultado ficou excepcional. Além de produzi-lo eu também dirigi e atuei no filme, sem contar que a montagem e os efeitos especiais foram desenvolvidos por mim. Acho que esses foram os principais desafios.


4.Ainda sobre o filme, porque escolheu horror? O que mais te atraiu neste gênero?

R.S.:Procurava por um desafio, algo que não tivesse sido explorado no Brasil e então cheguei ao tema polemico "Exorcismo". Dai por diante, focamos em buscar uma história verídica brasileira. Levamos em conta o terreno perigoso no qual pisávamos. Temíamos encontrar charlatões, aproveitadores e farsantes; temíamos encontrar exploradores da fé e também temíamos não encontrar nada de verdadeiro. Quando encontramos uma linha legítima de pesquisa, passamos a temer realmente o quanto poderíamos documentar tudo sem nos envolver ou contaminar. Tentamos ser imparciais e céticos. Sendo assim, isso torna o filme diferente das outras obras, e mesmo porque o tema Exorcismo foi bastante explorado lá fora, já aqui no Brasil é novidade. Este é o primeiro!!!


5.Cinéfilos tem suas preferências. Existe uma lista dos "filmes da sua vida"?

R.S.:O clássico "O Exorcista", A Hora do Pesadelo, Sentinela dos Malditos, Os Bons Companheiros, Cassino, Drácula de Bram Stoker.

Alguns dos meus autores prediletos:

William Peter Blatty, Wes Creven, Thomas B. Allen, Stephen King.



6.Existe algum projeto engatilhado? 

R.S.:Sim existe, a trilogia Diário de um Exorcista e mais um outro projeto de suspense bastante inovador que levaremos aos cinemas em breve.


7.E se pudesse deixar uma lição destes anos que se dedica ao cinema, qual seria?

R.S.:“- Se você quer fazer um filme, faça-o. Não espere patrocínio, não espere circunstâncias perfeitas. Simplesmente faça-o! Por Quentin Tarantino".


Diário de um Exorcista - Zero foi lançado pela Europa Filmes e está disponível na plataformas NetNow, Itunes, Google Play, Vimeo, Youtube, Looke, Microsoft/XBox, Netflix, Vivo/GVT e também em DVD nas lojas online.
E os links onde poderão comprar ou aluga-lo.



GOOGLE PLAY




XBOX / MICROSOFT STORY

Em DVD:
Lojas Americanas (Online).

Ponto Frio  (Online).


Tecnologia do Blogger.