TERESA (1951) - CLÁSSICOS QUE (QUASE) NINGUÉM VIU OU SE LEMBRA


Bom, como prometi, nesta página terá de tudo. Agora a mais recente sessão criada será dos clássicos esquecidos. Afinal, é fácil fala de Psicose, Um corpo que cai, A um passo da eternidade, Cidadão kane...mas alguém ouviu falar de Rashomon..?? dirigido por Sidney Lumet??!!!
Alguns filmes vou apenas citar, pois nem poster você acha...
Então, vamos descobrir clássicos não vistos, que talvez você não verá, e nem sabia que era sua prioridade assistir.
Para começar, um grande filme de Fred Zinnemann. Diretor de mão cheia, que fez clássicos como Perdidos na tormenta (1948), Espíritos indômitos (1950), Matar ou Morrer (1952), A um passo da eternidade (1953).
E não é que ele fez uma obra prima, em 1951, chamada "Teresa" !!!



TERESA (1951)

FICHA TÉCNICA

Outros Títulos: Teresa und die Männer (Alemanha) 
Teresa - die Geschichte einer Braut (Austria) 
Teresa - L'histoire d'une fiancée (Bélgica) 
Teresa - historien om en brud (Dinamarca) 
Teresa - italiatar (Finlândia) 
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Fred Zinnemann
Roteiro: Stewart Stern
Produção: Arthur M. Loew Jr.
Música Original: Louis Applebaum
Direção Musical: Jack Shaindlin
Fotografia: William Miller
Edição: Dave Kummins, Frank Sullivan
Direção de Arte: Leo Kerz
Efeitos Sonoros: Jim Shields


ELENCO

Pier Angeli -Teresa Russo
John Ericson - Philip Cass
Patricia Collinge -Sra. Clara Cass, mãe de Philip
Richard Bishop - Sr. Cass, pai de Philip
Peggy Ann Garner -Susan Cass
Ralph Meeker - Sgt. Dobbs
Bill Mauldin - Grissom
Ave Ninchi - Mãe de Teresa
Edward Binns - Sgt. Brown
Rod Steiger - Frank
Aldo Silvani - Professor Crocce
Tommy Lewis - Walter
Franco Interlenghi - Mario
Edith Atwater - Sra. Lawrence
Lee Marvin - Soldado
Robert Wagner - Soldado
Richard McNamara - Soldado cozinheiro

PRÊMIOS

Prêmios Globo de Ouro, EUA
Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Pier Angeli)

INDICAÇÕES

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA
Oscar de Melhor Roteiro
Festival Internacional de Veneza, Itália
Prêmio Leão de Ouro (Fred Zinnemann)

O FILME

Philip Case, um jovem e perturbado veterano da 2ª Guerra Mundial, vai à procura de Frank, seu conselheiro na Administração dos Negócios de Assistência a Veteranos. Agitado e fora de controle, Philip afirma que ninguém o compreende, especialmente seu pai, e que gostaria que Dobbs, um sargento que conhecera no Exército, fosse seu pai. Após deixar bruscamente o escritório de Frank, ele volta para o apartamento que divide com seus pais e sua irmã Sue. Ao se deitar, sua superprotetiva mãe vai ao seu quarto e começa a tratá-lo como se ele ainda fosse criança, fazendo com que ele perca a cabeça e grite o nome de Dobbs.

Os pensamentos de Philip voltam no tempo para o dia em que, como um recruta assustado, chega a um povoado na Itália para se apresentar ao Sgt. Dobbs. Como as crianças famintas do local não tiram os olhos das rações consumidas pelos soldados, Teresa, uma atraente jovem, timidamente tenta negociar uma estátua em troca de alimentos. Quando um dos soldados a olha de forma maliciosa, seu irmão mais velho, Mario, a acompanha até sua casa.

Mais tarde, Brown, um antipático sargento, ordena que a família de Teresa aloje Philip e vários outros soldados por aquela noite. Já na casa, Philip dá uma fugidinha até a praça da cidade, onde troca seu relógio por algumas latas de alimentos e as empilha próximo à cama de Teresa. Na manhã seguinte, Brown, não gostando da falta de agressão de Philip, o humilha na frente dos outros homens, mas Dobbs sai em sua defesa.

No dia em que as mulheres do povoado acham-se na praça executando suas tarefas de lavagem, um dos soldados tenta inoportunamente abordá-la. Ela pede ajuda a Philip e este se oferece para carregar seu balde d’água para casa, onde é apresentado à família dela. Depois de oferecer cigarros aos presentes, Philip e Teresa dão uma volta pelo povoado, acompanhados por Sergio, um pequeno irmão da jovem.

Depois de se despedir com um beijo, Philip junta-se à sua patrulha que sai para tentar emboscar um grupo de alemães. Dobbs deixa Philip junto a um córrego, dando-lhe instruções sobre como agir depois que o último alemão passar. 

Apavorado, Philip deixa seu posto e sai à procura de Dobbs. Ao correr pela mata, ele é atacado por Brown, que o deixa inconsciente. Ao acordar na cama de um hospital, Philip toma conhecimento que Dobbs morreu durante a emboscada.

Terminada a guerra na Europa, Philip volta à casa de Teresa, onde é recebido por Mario. À noite, não conseguindo dormir, Teresa desce as escadas e vai conversar com Philip. Depois de um beijo apaixonado, ela volta para sua cama. Pouco tempo depois, os dois se casam nas ruínas da igreja do povoado e seguem em lua-de-mel para Roma.

Quando chega o dia em que Philip deve para os Estados Unidos, ele lhe promete que o exército cuidará dela até que ela possa ir se juntar a ele. Uma vez no apartamento dos pais em Nova York, Philip esconde o retrato de seu casamento por trás do bureau, mas quando sua possessiva mãe o encontra, tem uma crise histérica.

Pouco tempo depois, Teresa recebe um telegrama do exército autorizando-a a viajar para Nova York. Embora tenha uma calorosa acolhida por parte do Sr. Cass, a Sra. Cass começa a competir com Teresa pela afeição de Philip. Sentindo aversão por sua sogra, Teresa pergunta ao marido se eles não podem se mudar para um pequeno apartamento somente deles, mas Philip lhe responde que  precisa antes de tudo encontrar um trabalho.

Quando Philip decide vender panelas de pressão, sua mãe faz pouco dele enquanto Teresa o encoraja. Ele não se dá bem nessa sua primeira tentativa em vendas e Teresa descobre que está grávida. Quando a família vai à Jones Beach, Philip, taciturno e reservado, senta-se à beira d’água enquanto Teresa tenta falar-lhe sobre sua gravidez. Ele torna-se agitado, olha furiosamente para seu pai e foge. 

Quando volta para casa embriagado, Teresa lhe pede que a leve dali, mas ele se nega e diz que, se o fizesse, mataria sua mãe. Teresa deixa escapar que se acha grávida e Philip lhe diz que ela não poderá ter a criança. Em resposta, ela o acusa de ter medo da paternidade. Ele então ordena que ela vá embora e a observa em silêncio quando ela se afasta.

De volta ao presente, quando sua mãe entra no quarto cantando músicas do Natal, ele se levanta e volta a procurar Frank, a quem confessa que se deixou paralisar por sua mãe, que gostaria que ele sempre permanecesse como um bebê. Afirmando que precisa começar a crescer, Philip consegue um emprego na YMCA (Associação Cristã de Jovens) e avisa aos pais que está indo morar só. Sua mãe o acusa de tentar matá-la e seu pai o expulsa de casa.

Algum tempo depois, o Sr. Cass o procura na YMCA para dizer-lhe que Teresa deu entrada num Hospital para ter seu filho e que precisa dele. Depois que a criança nasce, Philip aperta a mão do pai e, no dia seguinte, quando volta com flores para ela, Teresa informa que a criança se chamará Filippo. Quando, finalmente, Teresa recebe alta do hospital, Philip os leva para o seu novo lar, um modesto apartamento alugado para os três.

COMENTÁRIOS

Realizado pelo cineasta Fred Zinnemann, à partir de um roteiro assinado por Stewart Stern, “Teresa” é um ótimo filme do início dos anos 50. Sua trama gira em torno de um confuso e neurótico jovem veterano da 2ª Guerra Mundial, Philip, em sua luta para se ajustar à nova vida civil, depois que retorna aos Estados Unidos com sua bela esposa italiana, Teresa.

Conhecido por realizar um grande número de filmes inesquecíveis, tais como "Matar ou Morrer", 1952, e "A Um Passo da Eternidade", 1953, e tendo ganho 4 Oscars em sua carreira, de 10 indicações à famosa estatueta, Zinnemann nos brinda com mais uma direção consistentemente segura, que lhe valeu uma indicação ao Leão de Ouro do Festival de Veneza. Com belas tomadas na Itália, a fotografia de William Miller, digna de um Oscar, merece também ser destacada.

No elenco, Píer Angeli, em seus 19 anos, está deslumbrante no papel-título, tendo sido agraciada com o Globo de Ouro de Melhor Revelação Feminina. Além dela, “Teresa” marca ainda a estréia no cinema de três outros atores: John Ericson, Rod Steiger e Ralph Meeker. Patricia Collinge, no papel da mãe de Philip, também tem uma boa atuação.


Tecnologia do Blogger.