• ÚLTIMAS...

    CHRISTOPHER REEVE E GEORGE REEVES - A MORTE DOS SUPERMANS


    Difícil acreditar numa coincidência mais bizarra e infeliz. Geroge Reeves, protagonista da famosa série de tv do Superman nos 50 morreu de forma trágica. E Christopher Reeve, protagonista da mais famosa e importante versão para os cinemas do Superman, morreu também de forma trágica. Mais bizarro ainda que, entre 1999 e 2003, vários rumores apontavam Keanu...Reeves como candidato a Superman no cinema por conta dos seus vôos na trilogia Matrix. Por trás da curiosa semelhança dos sobrenomes, há duas histórias que não terminam bem. E abaixo, vamos lembrar como foram as mortes dos Supermans no cinema. 

    Reeves, George Reeves.

    Seu nome verdadeiro era  "George Keefer Brewer". George nasceu  em Iowa nos EUA. Sua data de nascimento real é 05 de janeiro, mas quando ele estava crescendo sua mãe mentiu para ele, dizendo-lhe que era 05 de abril de 1914, já que isto colocaria seu nascimento, nove meses depois de seu casamento. George só descobriu isso  adulto. Para complicar ainda mais, sua mãe cometeu um erro em seus dados quando em seu enterro, indicou o nascimento como sendo em  06 de janeiro.  

    George foi um pugilista amador e músico hábil, sendo que começou sua carreira de ator na Pasadena Playhouse, onde foi descoberto por "caçadores de talento" de Hollywood. Seu primeiro trabalho foi no curta "Ride, Cowboy Ride," (1939) dirigido por George Amy. E depois de dois longas não creditados e um curta, no mesmo ano, Reeves viveu Brent Tarleton num dos maiores filmes de todos os tempos "E o vento levou". Depois disso, fez em torno de 7 filmes por ano!!! Workaholic total.

    Paralelo a isto, Reeves era um mulherengo e um viciado em cigarros. Porém, os estúdios aconselharam o ator a parar de fumar e a não fazer aparições públicas com suas namoradas em volta das crianças, para não prejudicar nem a imagem do ator, e nem a imagem do Superman, dando assim um ar de "modelo de virtude e saúde" para a criançada americana.

    No sentido horário: Clark, Superman, Reeves morto e seu Mausoléu.

    Segunda Guerra

    Em 1943, quando já conseguia fazer seu nome, Reeves foi convocado para  servir durante a Segunda Guerra Mundial, tendo que interromper, temporariamente, sua carreira. No final de 1943, Reeves entrou para a Força Aérea Norte Americana, aparecendo em diversos filmes de treinamentos de guerra, chegando ao posto de sargento.Ele também fez uma aparição na tela durante a guerra, no papel do tenente Thompson no filme patrocinada pelos EUA Exército "Vitória Alada" (1944).

    No fim da guerra, ele deixou o exército e retornou para Hollywood, onde continuou fazendo filmes até que em 1951 viveu o Kryptoniano no filme "Super-Homem e os Homens Toupeira".

    Grandes poderes, grandes responsabilidades...

    Com o  sucesso do filme, o convite foi feito para que ele estrelasse a série do personagem.  E acreditem, ele relutou em assumir o papel título, acreditando que teria mais sucesso como ator de cinema. 

    Uma vez aceito, a série foi um sucesso. E com isto, Reeves topou mudar um pouco seus hábitos mulherengos e tabagistas. 


    Hábil músico, apareceu em um dos episódios cantando e tocando guitarra, ao lado de Noel Neill. Também fez questão em se apresentar em espetáculos de Wrestling (ou luta-livre) no episódio "Mr. Kryptonite", e lutando Judô no episódio "Gene Le Bell". Ele inclusive fazia as cenas perigosas dispensando dublês. Seu corpo era realmente atlético, apesar do uniforme emborrachado.

    Morte Suspeita

    Reeves aparentemente teve um caso com Toni Lanier, uma ex-showgirl e esposa do executivo da MGM, EJ Mannix. Ela era conhecida por sua beleza e apetite sexual lendário, e, aparentemente, o caso teve a aprovação de seu marido, EJ Mannix, que tinha uma amante.

    Paralelo a isto, Reeves ficou estigmatizado como Superman, levando-o a um quadro depressivo. George Reeves já tinha tentado o suicídio duas vezes antes. Também seu padrasto cometeu suicídio. 
    Na noite  da sua morte, ele teria bebido muito e discutiu abertamente com Leonore Lemmon.  Reeves teria subido zangado para seu quarto, sendo que em seguida Lemmon e os convidados disseram ter ouvido um único tiro vindo de seu quarto. Isto por volta das 2 da manhã. Porém os convidados só chamaram  a polícia quase 1 hora depois.

    O que levantou suspeitas a respeito da morte de George é que encontraram furos de balas adicionais no assoalho de sua cama,  e algumas cápsulas em locais diferentes.  Ele foi achado nu e com machucados pelo corpo. 


    Com base nestas 3 linhas, até o mais cético acreditaria que houve mais do que foi dito, porém o inquérito foi finalizado declarando que George Reeves havia se suicidado !!!

    É uma daquelas sujeiras de Hollywood que nunca saberemos o que ocorreu de verdade.

    George interpretou o Superman nas cinco temporadas da série, sendo que as duas primeiras temporadas foram produzidas em preto & branco, e as três restantes, em cores, sendo inclusive uma das primeiras séries americanas(ao lado de The Lone Ranger e Rin Tin Tin) produzidas em cores, bem antes da definitiva chegada da Televisão a Cores nos lares americanos, pois muitos produtores já visionavam a chegada da nova tecnologia, que não iria demorar. Assim, os fãs do super-herói de Krypton puderam vê-lo tal como nos gibis, com sua malha azul e sua capa vermelha.

    Do além

    Como se não bastasse, para aumentar a teoria de conspiração, existem relatos de que a casa onde Reeves se matou, hoje é assombrada com ruídos inexplicáveis ​​no quarto superior (local de sua morte). Inclusive, sentem cheiro de pólvora, além de pertences e objetos que são movimentados.
    Existem também relatos de que cachorros quando levados à casa, ficam latindo e recusando-se a entrar na sala, bem como luzes ficam piscando ou se apagando sem motivo algum. Alguns até dizem que George Reeves aparece no pé da cama dos atuais proprietários de vez em quando, vestido como Superman.
    Seria uma grande besteira ou o espírito inquieto do ator morto injustamente, que fica vagando no local do crime?


    Reeve, Christopher Reeve.

    Na mesma década do falecimento de Reeves, nascia em Nova York, Christopher D'Olier Reeve.  

    Christopher começou a atuar com dez anos de idade, em uma produção teatral de Gilbert e Sullivan, intitulada "The Yeoman of the Guard" no McCarter Theater em Princeton, e juntou-se ao sindicato dos atores, quando tinha dezesseis anos. Depois de terminar o colegial, Reeve estudou na Universidade de Cornell, enquanto ao mesmo tempo trabalhava como ator profissional. Em seu último ano de Cornell, ele foi um dos dois alunos selecionados (Robin Williams foi o outro) para estudar na famosa Escola de Nova York, chamada Juilliard School of Performing Arts", sob a supervisão do renomado John Houseman. 


    Williams alegou na época que Reeve foi responsável por alimentá-lo em momentos difíceis. "Eu não tinha dinheiro para comprar comida e meu empréstimo de estudante não havia saído ainda", disse Williams. E olha que coisa...Robin Williams também teve um fim trágico...Mas ambos se tornam bem sucedidos em suas carreiras, e continuaram amigos ao longo dos anos. 

    Em 1978,  fez uma ponta no filme S.O.S. - Submarino Nuclear, com atores como Charlton Heston e David Carradine.  No mesmo ano veio Superman, papel que marcaria Reeves da mesma forma que George. E pelos mesmos motivos.

    Reeves parece que nasceu para o papel e jamais foi superado. Até hoje é considerado o melhor filme de herói já feito. Porém, ao contrário de George, Reeves fez vários papéis de destaque, como Em Algum Lugar do Passado, Armadilha Mortal , Monsenhor, Fugindo do inferno 2, Vestígios do Dia , Cidade dos amaldiçoados, além de um bom número de filmes feitos para a tv.

    Do acidente à morte

    Em maio de 1995, participando de um concurso de equitação com salto de obstáculos,  Christopher Reeve caiu de seu cavalo de cabeça  violentamente, fraturando duas vértebras próximas ao seu pescoço e sua ficou com sua medula espinhal danificada.

    Então, em um momento especialmente sombrio (momentos antes da cirurgia que Reeve tinha poucas chances de sobreviver), a porta do quarto se abriu e entrou um sujeito esquisito, com um chapéu azul e um vestido amarelo e óculos, falando com um sotaque russo. “O homem anunciou que ele era um proctologista e estava indo para realizar um exame retal. Foi Robin Williams, reprisando seu personagem do filme "Nove meses". Reeve escreveu: “Pela primeira vez desde o acidente, eu ri!”


    Depois de ser submetido a uma perigosa operação, que somente recuperou o movimento dos dedos de sua mão esquerda, que conseguiu articular com muito esforço. Os médicos salvaram a vida de Reeve, mas anunciaram que a lesão era irreversível, ficando assim, tetraplégico.

    Christopher passou 6 meses no Instituto de Reabilitação Kessler em New Jersey, enquanto sua esposa Dana transformou sua casa para adequá-la a situação.  Depois de passar pelos tratamentos e fisioterapias, ele foi capaz de respirar sem ajuda de aparelhos,  bem como recuperou as sensações em outras partes de seu corpo.

    Reeves voltou a atuar, trabalhando inclusive no remake de Janela Indiscreta em 1998, protagonizando uma cena bastante tensa envolvendo as funções que o ator ainda era capaz de fazer. Ganhou inclusive o Screen Actor Guild pelo papel. Após seu acidente, Christopher Reeve se tornou um grande defensor da pesquisa com células-tronco. Ele também é autor de dois livros, "Still Me" e "Anything is Possible".

    Acima, momentos com Reeve, a esposa, e os filhos já crescidos.

    Pouco antes de sua morte, ele fez participação na série de televisão "Smallville". Ele partiu em 10 de outubro de 2004 aos 52 anos, vítima de um infarto causado por uma infecção. Era casado desde 11 de abril de 1992 com a atriz Dana Reeve, que conhecera em 30 de junho de 1987 em Williamstown. Dana, desde o acidente de Christopher, dedicou-se exclusivamente a cuidar do esposo, uma tarefa que se provou complicada devido à gravidade de sua condição física.

    Ela também veio a falecer, 6 de março de 2006, vítima de um câncer pulmonar. Um dos filhos de Reeve, William foi custeado por Robin Williams, criando ele por um tempo como seu próprio filho. 

    E assim foi a morte dos Supermans na vida real.


    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top