• ÚLTIMAS...

    10 FILMES CLÁSSICOS SOBRE DISTOPIA QUE PRECISAM CONHECER


    Distopia ou antiutopia é o pensamento, a filosofia ou o processo discursivo baseado numa ficção cujo valor representa a antítese da utopia ou promove a vivência em uma “utopia negativa” . As distopias são geralmente caracterizadas pelo totalitarismo, autoritarismo, por opressivo controle da sociedade.
    A maioria das distopias tem alguma conexão com o nosso mundo, mas frequentemente se refere a um futuro imaginado ou a um mundo paralelo no qual a distopia foi engendrada pela ação ou falta de ação humana, por um mau comportamento ou por ignorância.

    A literatura distópica costuma apresentar pelo menos alguns dos seguintes traços:
    Tem conteúdo moral, projetando o modo como os nossos dilemas morais presentes figurariam no futuro; Oferecem crítica social e apresentam as simpatias políticas do autor; Exploram a estupidez coletiva; O poder é mantido por uma elite, mediante a somatização e consequente alívio de certas carências e privações do indivíduo; Discurso pessimista, raramente "flertando" com a esperança; Violência banalizada e generalizada.



    Paralelo a isto, outras características são bem presentes no cinema: Homem vs Máquina; Sociedade em colapso, Tirania; Opressão; Alta Tecnologia não resultante em avanço social;  Escassez de Recursos Naturais;  Devastação Global; Luta por Sobrevivência (geralmente resultando num conflito Homem vs Homem); Paranoia Tecnológica (tecnologia alienadora/controladora/ simulacro de realidade/ virtualização total do homem);  Ciência Antiética (experiências com cobaias humanas, experiências genéticas, armas biológicas, mutações, clonagem).

    Listei abaixo 10 filmes essenciais. Mas não são os únicos. Há outros igualmente importantes. Mas segui uma linha de raciocínio, priorizando algumas características da distopia. E são ótimos filmes, para duas gerações diferentes curtirem.
    Semana que vem, sai a segunda parte com filmes Distópicos mais atuais.
    Confiram:


    O futuro é distante e o mundo está sob o comando dos poderosos, que isolaram os mais pobres no subsolo como se fossem seus escravos, para que trabalhassem em prol dos mesmos. Comandados por Freder Fredersen (Gustav Fröhlich), os operários são obrigados a trabalharem sem parar para que a cidade não pare. Obra-prima de Fritz Lang, reconhecido como um dos filmes-mudos mais importantes já lançados no cinema, continuando atual ainda hoje.


    Baseado no livro homônimo de George Orwell, em uma sociedade futurística totalitária, controlada pelo "Big Brother", o amor é proibido. Winston Smith (Edmond O'Brien) é um funcionários do Estado, ele é responsável por reescrever a história e, ao se apaixonar por Julia (Jan Sterling), é visto como rebelde, sofrendo tortura e lavagem cerebral pelo seu crime.


    A cidade de Alphaville é comandada pelo computador Alpha 60, que aboliu os sentimentos em seus habitantes. Lemmy Caution (Eddie Constantine) é um agente enviado ao local, com a missão de encontrar o professor von Braun, criador de Alpha 60. Seu objetivo é convence-lo a destruir a máquina. o percurso Natacha (Anna Karina), a filha do professor, lhe ajuda como guia.


    Em um Estado totalitário em um futuro próximo, os "bombeiros" têm como função principal queimar qualquer tipo de material impresso, pois foi convencionado que literatura um propagador da infelicidade. Mas Montag (Oskar Werner), um bombeiro, começa a questionar tal linha de raciocínio quando vê uma mulher preferir ser queimada com sua vasta biblioteca ao invés de permanecer viva.


    Em uma desolada Inglaterra do futuro, a violência das gangues juvenis impera, provocando um clima de terror.Alex (Malcolm McDowell) lidera uma das gangues e, após praticar vários crimes, é preso e submetido à reeducação pelo Estado, com base em uma técnica de reflexos condicionados.Quando ele volta à sua vida em liberdade, é perseguido por aqueles que foram suas vítimas, Mr. Alexander (Patrick Magee) e sua esposa.


    Uma obra psicodélica sobre um futuro distópico onde a população é forçada a viver em grandes cidades subterrâneas controladas por computadores. Coisas como o livre arbítrio, religião, desejos e sexo são proibidos. Todos são controlados por drogas que reprimem seus pensamentos e os deixam "dóceis" para fazerem suas funções na sociedade de maneira que não interfira no "equilíbrio" das coisas. Até que o humano THX-1138 (Robert Duvall) com sua parceira desafiam o sistema não apenas para defender seu romance (que é proibido), mas para tentar escapar da cidade subterrânea e viver livres no "mundo de cima"


    Em 2022 a face da Terra está bem modificada. Em Nova York há 40 milhões de habitantes e o efeito estufa aumentou muito a temperatura, deixando o calor ficar quase insuportável. No entanto os ricos vivem em condomínios de luxo, onde belas mulheres são parte da mobília. Mas a comida está escassa para todos, tanto que um vidro de geleia de morango custa 150 dólares. Neste contexto é assassinado um milionário, William R. Simonson (Joseph Cotten), que quando viu que seria morto não esboçou gesto nenhum para se defender. O detetive Robert Thorn (Charlton Heston) é designado para investigar o caso e constata algo realmente estarrecedor.


    No mundo de 2293, após descobrir o segredo da imortalidade, um grupo de intelectuais resolve se isolar num mundo paralelo chamado Vortex. Lá, eles vivem longe da violência e do egoísmo humano. Para preservar essa condição, eles criam o mito de 'Zardoz', um espécie de deus simbolizado numa cabeça de pedra, que mantém uma legião de exterminadores, doutrinados a matar as pessoas, de forma a evitar a procriação. A estabilidade deste mundo será perturbada quando um dos exterminadores, Zed (Sean Connery), consegue ultrapassar a barreira do Vortex e se relacionar com os seus habitantes.


    A vida não poderia ser mais perfeita no século 23. Todos tem direito ao bom e o melhor. Porém, não podem ultrapassar a idade de 30 anos. Logan (Michael York) é a pessoa responsável por repreender os que não cumprem a regra. Até o dia em que ele atinge a idade permitida, decidindo por fugir.


    Sam Lowry (Jonathan Pryce) vive num Estado totalitário, controlado pelos computadores e pela burocracia. Neste Estado futurista, todos são governados por fichas e cartões de crédito e ainda precisam pagar por tudo, até mesmo pela permanência na prisão. Em meio à opressão, Sam acaba se apaixonando por Jill Layton (Kim Greist), uma terrorista.




    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top