• ÚLTIMAS...

    HARDWARE: O DESTRUIDOR DO FUTURO - LANÇADO PELA DARKSIDE


    Um dos melhores filmes de terror/ficção dos anos 90. 

    Dirigido por Richard Stanley, num daqueles casos de realizadores que fazem uma uma pérola, que vira cult e depois desaparece do mapa (como Elias Merhige em "Sombra de um vampiro" ou Alejandro Brugués com Juan dos mortos - por acaso, entrevistei os dois !!!).

    O filme se passa num futuro pós-apocalíptico. A artista plástica Jill vive trancada em seu apartamento. Quando o namorado Mo retorna de uma missão trazendo o crânio de um robô como presente, ela resolve transformá-lo numa obra de arte. Mas o crânio cibernético tem nome e função: trata-se de Mark 13, arma secreta desenvolvida pelos militares para controlar a caótica situação do planeta. Durante a noite, Mark 13, que é capaz de se reconstruir, o faz e parte para o extermínio de seres humanos.


    A ideia básica do longa partiu de um sonho/pesadelo do diretor que concebeu o início do filme enquanto dormia (nômade - deserto - tons avermelhados - crânio de robô assassino). Mas esta história do sonho pode ser história contada para maquiar um plágio de uma revista em quadrinhos inglesa chamada “2000AD“, da Fleetway Comics. Steve MacManus e Kevin O’Neill disseram que “Shok!“, escrita e desenhada por eles, era idêntica ao filme. Se derem uma olhada no IMDB, verão que eles estão creditados como autores, o que dá a entender que tinham mesmo razão.

    Para tomar forma,  Hardware foi influenciado pela obra de Phillip K. Dick e filmes como "No mundo de 2020" de Richard Fleischer e "Herança Nuclear" de Jack Smight, além de ecos de Blade Runner em alguns pontos.  O filme também se assemelha bastante aos filmes de Terry Gilliam, principalmente nos cenários in door, com sujeira e equipamentos misturados a fios e computadores.


    A bela cena inicial foi filmada em Marrocos. A produção tem ótimos efeitos e fotografia, fazendo uso de imagens que lembram "O predador", além de uma magnífica trilha sonora, que está contida na edição lançada pela Vinyx mídia. A faixa "The Order of Death", que tem como refrão "This Is What You Want... This Is What You Get"  é tão perfeitamente inserida na cena que o voyeur Mark 13 acorda e observa o sexo entre o casal, que mesmo depois de quase 30 anos, a cena continuava viva na minha memória (tinha visto somente em vhs). Interessante é que a cena toda é acompanhada por outro vizinho, também praticante intenso do voyeurismo com Jill, como mostrado em seu apartamento. Seria Stanley tentando se aproximar de Hitchcock? Observem que várias cenas se aproxima dos olhos, que é uma característica comum dos filmes do mestre Alfred.


    Para se ter uma ideia, Paul Catlin é o diretor de segunda unidade dos efeitos especiais e designer da criatura. O cara trabalhou no departamento de arte de filmes como os Harry Potter, Capitão América, Thor, Vingadores, Dr. Estranho, Malévola e o próximo Star Wars - Últimos Jedi. Outro que também era da equipe de efeitos e mudou seus ares foi Stephen Norrington. Ele partiu para direção, fazendo filmes como Blade e Liga extraordinária (ele havia trabalhado nos efeitos de filmes como "O Enigma da Pirâmide" de  Barry Levinson e "Aliens - o resgate" de James Cameron).

    Curiosamente, Mark 13 remete à bíblia, pois em Marcos, capítulo 13, ele fala sobre o Apocalipse.
    O filme venceu festivais como  Avoriaz de 1991 (efeitos), Fantasporto (Diretor) além de concorrer em outras categorias nestes e em outros festivais. 

    A edição lançada pela Vinyx é um deleite para os fãs. Primeiramente a imagem. Sem exageros, depois de começar a ver o filme, retirei a mídia do aparelho para ver se era mesmo dvd. O sim 5.1 é tão bom, que causa estranheza ao mais desavisado. A trilha, magnifica, vem separada, para fazer a alegria dos colecionadores. O filme ainda vem num lindo box (fechado). São 3 discos, um deles, o filme, o outro o cd e o terceiro de extras. E que extras...


    Primeiro, você tem oportunidade de ver uma outra versão do filme, do mesmo diretor, em super 8, chamada "Incidents in an Expanding Universe". O filme mostra alguns fatos também mostrados em Hardware, mas também outros, que não foram para a versão final ou a continuação por dificuldades orçamentárias.

    Também vemos uma entrevista com Richard Stanley sobre Hardware 2, explicando porque ele não deu sinal de vida e um longo Making of, que detalha por menores da produção.


    Há também dois curtas raros do diretor, 25 minutos de cenas deletadas ou estendidas e comentários de áudio do diretor.

    Edição especialíssima que não pode faltar na sua coleção.




    “Nenhuma carne será poupada“


    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top