• ÚLTIMAS...

    segunda-feira, 10 de julho de 2017

    DANIEL DAY LEWIS - 10 FILMES ESSENCIAIS


    Um dos atores mais aclamados de sua geração, Day-Lewis ganhou vários prêmios, incluindo três prêmios Óscar de Melhor Ator.
    Fiquei conhecendo o ator no cinema, quando interpretou Meu pé esquerdo. Sua performance soberba é de assustar.
    Seus trabalhos eram sempre brilhantemente pesquisados. Por exemplo, para viver um índio que protege a filha de um coronel britânico em meio à guerra franco-indígena, Day-Lewis malhou por mais de um ano e ganhou um corpo invejável. Aos que duvidavam que um inglês pudesse encarnar um nativo americano, Day-Lewis respondeu com seu típico processo de imersão: ao longo dos meses de gravação, recusou cigarro industrializado, por exemplo. Fazia questão de enrolar seu próprio fumo, como os índios moicanos no século XVIII.


    Porém, foi em Sangue Negro que eu, particularmente, olhei para ele e pensei: estou diante de um dos maiores da história. Ainda venceu o Oscar daquele ano e poucos anos depois com Lincoln, de Steven Spielberg.
    Em junho de 2017, a sua porta-voz anunciou que Day-Lewis vai deixar a representação. Assim “Phatom Thread”, realizado por Paul Thomas Anderson, com estreia marcada para dezembro de 2017, será o seu último filme.
    Confiram seu top 10 (e duvido muito que seu derradeiro filme não entre, em dezembro próximo. Só não sei no lugar de qual!!).


    Baseado no livro “Team of Rivals: The Genius of Abraham Lincoln”, de Doris Kearns Goodwin, o filme se passa durante a Guerra Civil norte-americana, que acabou com a vitória do Norte. Ao mesmo tempo em que se preocupava com o conflito, o o 16º presidente norte-americano, Abraham Lincoln (Daniel Day-Lewis), travava uma batalha ainda mais difícil em Washington. Ao lado de seus colegas de partido, ele tentava passar uma emenda à Constituição dos Estados Unidos que acabava com a escravidão.
    Liam Neeson chegou a assinar contrato para interpretar Abraham Lincoln, mas os atrasos na produção fizeram com que desistisse do projeto.


    Virada do século XIX para o século XX, na fronteira da Califórnia. Daniel Plainview (Daniel Day-Lewis) é um mineiro de minas de prata derrotado, que divide seu tempo com a tarefa de ser pai solteiro. Um dia ele descobre a existência de uma pequena cidade no oeste onde um mar de petróleo está transbordando do solo. Daniel decide partir para o local com seu filho, H.W. (Dillon Freasier). O nome da cidade é Little Boston, sendo que a única diversão do local é a igreja do carismático pastor Eli Sunday (Paul Dano). Daniel e H.W. se arriscam e logo encontram um poço de petróleo, que lhes traz riqueza mas também uma série de conflitos.
    Daniel Day-Lewis aceitou o convite para atuar em Sangue Negro por ter se tornado fã de Paul Thomas Anderson ao assistir seu filme anterior, Embriagado de Amor (2002). Segundo a produtora Joanne Sellar, caso Day-Lewis tivesse recusado o papel o filme não seria feito.


    Em plena Nova York de 1840, o jovem Amsterdam (Leonardo DiCaprio) busca se vingar de William "The Butcher" Cutting (Daniel Day-Lewis), o assassino de seu pai (Liam Neeson), que era o líder da gangue Dead Rabbits. Em sua jornada Amsterdam acaba se tornando amigo e homem de confiança de William, apaixonando-se também por Jenny Everdane (Cameron Diaz), uma bela jovem que é integrante de uma gangue rival.
    O diretor Martin Scorsese tentou levar às telas o livro de Herbert Asbury pela primeira vez em 1978, quando pretendia escalar no elenco a banda punk britânica The Clash. Esta é a 2ª vez em que o ator Daniel Day-Lewis e o diretor Martin Scorsese trabalham juntos. A anterior fora em A Época da Inocência (1993).


    Depois de passar 14 anos na prisão, Danny Flynn (Daniel Day-Lewis) quer reconstruir sua vida no seu antigo bairro. Ele quer viver em paz, retomar à carreira de lutador e reencontrar a mulher de quem nunca se esqueceu. Entretanto, quando tenta reatar o romance, barreiras aparecem em decorrência de sua vida profissional.
    Um detalhe interessante é que Chris Menges, depois de dirigir Um Mundo à Parte, de 1988, um belo filme sobre o apartheid com a Barbara Hershey, de novo está trabalhando como diretor de fotografia. 
    Daniel Day Lewis anunciou a primeira aposentadoria, mas acabou voltando atrás 


    Em Salem, Massachusetts, 1692, algumas jovens fazem "feitiços". Uma delas, Abigail Williams (Winona Ryder), tinha se envolvido com John Proctor (Daniel Day-Lewis), um fazendeiro casado, quando trabalhou para ele, mas após o fim do caso foi despedida. Assim, desejava a morte de Elizabeth Proctor (Joan Allen), a esposa deste. Elas são descobertas no seu "ritual" e, acusadas de bruxaria, provocam uma histeria coletiva que atinge várias pessoas, sendo que Abby, a jovem desprezada por John, faz várias acusações até ver Elizabeth ser atingida.
    Esta é a 2ª vez que os atores Daniel Day-Lewis e Winona Ryder contracenam juntos em um filme. A anterior fora A Época da Inocência (1993).


    Na década de 70, um atentado do IRA mata cinco pessoas num pub de Guildford, cidade próxima à Londres. Gerry Conlon (Daniel Day-Lewis) é um jovem rebelde irlândes que acaba sendo injustamente acusado pelo crime, e pega prisão perpétua junto com outros três amigos. Giuseppe Conlon (Pete Postlethwaite), seu pai, tenta ajudá-lo, mas é condenado também. Enquanto Gerry tem que desenterrar suas forças mais profundas para lidar com a injustiça de estar preso, ele consegue a ajuda da advogada Gareth Peirce (Emma Thompson), que passa a investigar as irregularidades do caso.
    O ator Gabriel Byrne, na época, comprou os direitos do livro e pretendia interpretar o próprio Conlon, mas preferiu atuar como produtor executivo e deixar o papel para Daniel Day-Lewis.


    No período colonial, durante a guerra entre Inglaterra e França, o homem criado por índios Hawkeye (Daniel Day-Lewis) luta pela justiça e segue os valores moicanos. Ele se apaixona por Cora Munro (Madeleine Stowe), a filha de um oficial britânico e deve enfrentar o desacordo deste.
    O ator Daniel Day-Lewis é famoso por ir ao extremo na preparação para os seus papéis. Para este filme, ele viveu durante um tempo em um lugar selvagem que poderia ter sido o local onde seu personagem vivia, caçando, pescando e vivendo fora de lugares urbanos alguns meses antes das gravações.


    Christy Brown (Daniel Day-Lewis), filho de uma humilde família irlandesa, nasce com uma paralisia cerebral que lhe tira todos os movimentos do corpo, com a exceção do pé esquerdo. Com o controle deste único membro ele torna-se escritor e pintor.
    Na trama, baseada em fatos, Christy Brown nasceu com uma deficiência física e mental. A família dele era enorme e sua mãe não parava de dar a luz. Foram catorze filhos. Todos moravam numa casa pequena, onde dormiam amontoados em um único quarto e passavam as maiores privações. Brown era visto como um estorvo na vida do pai e como uma cruz na vida da mãe pelos vizinhos. 
    Imerso no personagem, Daniel Day-Lewis permanecia na cadeira de rodas mesmo durante os intervalos das filmagens. O esforço excessivo o fez quebrar duas costelas. Foi votado o segundo melhor filme Irlandês de todos os tempos, o primeiro foi The Commitments.


    Nos anos 60 em Praga, Tchecoslováquia, Tomas (Daniel Day-Lewis), um médico totalmente apolítico, tem como hobby ter diversas parceiras sexuais, mas evitando sempre um maior envolvimento. Mas duas mulheres: Sabina (Lena Olin), uma artista plástica, e Tereza (Juliette Binoche), uma garçonete que sonha em ser fotógrafa, vão estar muito presentes na vida dele. Mas ao serem atingidos pelos acontecimentos de 1968, conhecido como "A Primavera de Praga", quando tanques soviéticos invadiram a capital tcheca para pôr fim a uma série de protestos, a vida deste triângulo amoroso afetada, pois seus sonhos foram destruídos e suas vidas mudariam para sempre.


    Na Inglaterra de Margaret Thatcher, vive uma família paquistanesa que migrou para Londres em busca de melhores condições de trabalho. Nasser Hussein tem algumas empresas. Ele e seu ajudante, Salim, fazem de tudo para obter lucros maiores. Assim, a família Hussein vive muito bem e, inclusive, ostenta seu estilo de vida. Ali é o irmão do Hussein - um jornalista alcoólatra outrora bem sucedido que tem uma posição política de esquerda e que não concorda com o thatcherismo. O filho de Ali, Omar, começa a gerenciar a lavanderia do tio Nasser. Ele tem grandes planos para se dar bem nos negócios.



    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top