• ÚLTIMAS...

    quarta-feira, 28 de junho de 2017

    10 FILMES SOBRE MÚSICOS E COMPOSITORES FAMOSOS LANÇADOS PELA CLASSICLINE


    As postagens "X Vezes" são  dedicadas aos lançamentos da Classic Line, reunindo sempre, no mesmo post, indicações de lançamentos da distribuidora de um mesmo ator ou atriz, ou filmes similares por temática.
    A postagem tem por finalidade, orientar público alvo quanto aos filmes de suas preferências lançados pela empresa.
    Hoje listaremos 10 filmes sobre músicos e compositores que a empresa lançou. Além disto, há uma breve biografia de cada um bem como o link para adquirir os filmes..
    Boa leitura:


    Clara (Katharine Hepburn) é uma esposa e mãe devotada que abdica da carreira como pianista para dedicar-se ao marido, Robert Schumann (Robert Henreid), compositor e pai de seus sete filhos. Ele é também professor de música e, entre seus alunos, Johannes Brahms (Robert Walker) se destaca pelo comprometimento e talento. Enquanto o jovem estudante cresce na carreira musical, seu experiente tutor entra em uma crise psicológica.




    Prodígio como pianista, Robert Alexander Schumann também adquiriu notável cultura literária. Foi aluno, a partir de 1828, do famoso pedagogo Friedrich Wieck, em Liepzig. Tornou-se um ótimo pianista, até que em 1832 uma deformação incurável de um dedo encerrou sua carreira. Em 1834 fundou a Nova revista de música, que se tornou porta-voz de todos os esforços musicais sérios na Alemanha. Em 1839, casou-se com Clara Wieck, filha de seu professor. Apesar da relação feliz, os primeiros sintomas da perturbação mental de Schumann começaram a surgir. Em 1850 Schumann foi nomeado regente de orquestra em Düsseldorf. Porém em 1854 comete uma tentativa de suicídio. Logo a seguir, a seu pedido, é internado numa casa de saúde mental, onde morre dois anos depois.


    No início do século XIX em Varsóvia, Polônia, o professor de música Joseph Elsner recebe uma carta de Louis Pleyel, um célebre editor de música parisiense e empresário, oferecendo uma audição ao aluno do professor, o menino Frédéric Chopin. A família de Chopin é pobre e, por consequência, não pode pagar a passagem do seu filho para Paris. Quando Chopin, aos onze anos de idade, torna-se preocupado com a luta do seu país pela liberdade contra os russos, o professor o inspira ao dizer-lhe que sua fama como pianista irá preparar o terreno para a liberdade polonesa.



    Frédéric Chopin, (1810-1849) foi um importante pianista e compositor polonês, que deixou obras-primas que hoje figuram entre as manifestações mais autênticas do espírito de sua época, entre elas, a “Valsa nº 9 em La Bemol Maior” – hoje conhecida como “Valsa do Adeus”. Frédéric  nasceu em Zelazowa Wola, na Polônia. Ainda criança, Chopin teve aulas de piano com sua irmã Ludwika. Em 1816, começou a estudar com o professor Adabert Zywny. Em 1817, com sete anos, viu sua primeira obra a “Polonaise em Sol Menor” ser publicada em uma revista. Em 1818, fez sua primeira apresentação – um recital realizado no Palácio Radziwill.
    Em 1835 adoeceu vítima da tuberculose. Doente, Chopin fez tratamento em Barcelona, Marselha e numa casa de campo em Nohant. Em fevereiro de 1848, já em Paris, realiza seu último concerto, na Sala Pleyel. Em abril, parte para a Inglaterra, onde realiza diversos concertos, um deles, em benefício dos exilados poloneses. De volta a Paris, debilitado, precisando de cuidados, recebe ajuda dos amigos, que se cotizavam para pagar as despesas, durante longos meses.  Frédéric Chopin faleceu em Paris, França, no dia 17 de outubro de 1849. 


    O filme é um musical inspirado na vida do compositor austríaco Johann Strauss. Strauss mantém um longo romance com a vocalista de ópera Carla Donner, enquanto sua esposa, Poldi Vogelhuber, passa por grande sofrimento em casa. Suas composições começam a ficar famosas e a relação com sua mulher cada vez mais desgastada. Mas o conde Hohenfried intervém na história e conclama Poldi a lutar pela pessoa que ama.


    https://www.classicline.com.br/dvd/a-grande-valsa.html


    Johann Strauss (filho) foi um importante músico, compositor e regente austríaco. É o autor da famosa obra clássica, a valsa “Danúbio Azul”. Recebeu a glorificação popular com o título de “O Rei da Valsa”.
    Strauss nasceu em Viena, na Áustria, no dia 25 de outubro de 1825. Filho de Johann Strauss, compositor e regente, um dos maiores divulgadores da valsa na Europa, Johann Strauss Jr. teve que lutar contra as determinações do pai de que nenhum filho deveria seguir a carreira de músico. Com a separação dos pais e o apoio da mãe, ele iniciou os estudos e com 16 anos já tinha composto algumas valsas. Em 1843, na capela da corte de Viena, executou durante uma missa, sua primeira composição sacra.  
    Johann Strauss Jr. deixou mais de 479 obras com destaque para “Danúbio Azul” (1867), “Tritsch Tratsch” (1858), “Valsa do Imperador” (1860) e “Vozes da Primavera” (1883). De sua terra natal recebeu o título de “Cidadão de Viena”. A França lhe conferiu a comenda de “Cavaleiro da Legião de Honra”. Johann Strauss (filho) faleceu em Viena, na Áustria, no dia 3 de junho de 1899.


    O melhor pianista virtuoso de seu tempo, Liszt é festejado por toda a Europa, lotando salas de concerto de Paris a Viena e sendo disputado pelas cortes para apresentações privadas. Suas interpretações dos grandes compositores são insuperáveis, mas seu maior desejo é que um dia suas próprias composições encantem multidões. À medida que sua fama se espalha, sua vida pessoal se desmancha. Já envolvido num caso escandaloso com uma condessa francesa, agora ele suspira por uma princesa russa, cujo amor é absolutamente transgressor.

     - 

    Franz Liszt foi músico húngaro. Considerado o maior pianista de sua época. Compositor de "Poemas Sinfônicos", "Sonata em Si Menor", "Fausto-Sinfonia", "As Lieder", entre outras. Descobre o Romantismo, no qual todas as correntes, francesa, inglesa, alemã e italiana influenciam nas suas composições.
    Franz nasceu na vila de Raiding, Doborján, na região da Hungria, no dia 22 de outubro de 1811. Seu pai Adam Liszt era administrador das propriedades do Príncipe Nicolas Eszterházy, candidato napoleônico ao trono húngaro, o príncipe foi protetor de Joseph Haydn e de Ludwig van Beethoven. Seu pai tocava violino e cantava no coro da igreja. Franz recebia aulas do pai e assimilava tudo com extrema facilidade.
    Com nove anos de idade já se apresentava em Oldenburgo, Eisenstadt e em Presburgo. Pensando no futuro do filho a família vai morar em Viena, quando Franz estava com dez anos. Na capital austríaca, Franz estuda piano gratuitamente, com o professor Czerny, que foi aluno de Beethoven, enquanto Salieri, mestre da capela da corte, lhe ensina teoria musical. Depois de dois anos de estudos, sua primeira apresentação foi brilhante. O programa constava de músicas que exploravam o efeito do virtuosismo do jovem. Os jornais o acolheram como um fenômeno. Franz Liszt, a partir de 1960, se recolhe a vida religiosa, onde continua compondo e lecionando. No dia 31 de julho de 1886, morre pobre e solitário.


    O famoso artista Glenn Miller (James Stewart) começa cedo a escrever sua história. Nos anos 30, ele entra nos negócios musicais e enfrenta algumas dificuldades iniciais como o fracasso de sua primeira banda de estrada. No entanto, ele não desiste e mais tarde casa-se com Helen Burger (June Allyson), que o acompanhará na sua trilha para o sucesso.
    Entre as pessoas que assistiram ao lançamento do filme, estava a mãe do homenageado Glenn Miller, que achou o filme bom o suficiente mas declarou que seu filho era mais bonito do que seu intérprete no longa, o ator James Stewart..


    https://www.classicline.com.br/musica-e-lagrimas.html


    Trombonista e compositor norte-americano, Alton Glenn Miller nasceu em 1 de março de 1904, em Clarinda, no estado norte-americano do Iowa. Na infância estudou trombone. A sua educação formal terminou depois de um período de insucesso na Universidade do Colorado, para a qual entrara em 1923. Depois de tocar em algumas pequenas orquestras e seguindo a ambição de se tornar músico profissional, juntou-se, em 1924, à orquestra de Ben Pollack. Durante a década seguinte tocou trombone e contribuiu com os seus arranjos para um conjunto de orquestras onde pontificavam nomes como Tommy e Jimmy Dorsey, Gene Krupa, Eddie Condon e Coleman Hawkins. 
    Em 1934 assumiu as funções de diretor musical da Dorsey Band e, mais tarde, passou a trabalhar como contratante para a Ray Noble Orchestra, sem que as suas ambições se limitassem apenas a esta função.  A visibilidade da orquestra, abriu a Glenn Miller outras oportunidades profissionais. Tornou-se estrela de programas radiofônicos, em 1939, e no ano seguinte, conseguiu um contrato para atuar no Café Rouge, no Hotel Pennsylvania, em Nova Iorque. Ainda teve oportunidade de aparecer ocasionalmente no Paramount Theatre. 
    A partir de 1942, Miller foi para a Segunda Guerra Mundial, onde liderava a banda militar. Ele estava viajando de Londres para Paris, em 16 de dezembro de 1944 quando seu avião desapareceu e nunca mais foi encontrado. Alguns de seus clássicos da época são “Moonlight Sonata”, “Chattanooga Choo-Choo”, “In the Mood” e “String of Pearls”.


    Um retrato da vida de Cole Porter (Cary Grant) cobrindo os anos de 1912 a 1946. A história se inicia quando Porter era um estudante na Universidade de Yale, onde participou de teatro amador sob a tutela do rabugento professor Monty Woolley (Monty Woolley). Em razão da fortuna que herdou Porter poderia ter ficado de fora da 1ª Guerra Mundial, mas ele insistiu em se alistar e foi um motorista de ambulância. Nos anos pós-guerra escreve várias canções, que são um enorme sucesso em musicais da Broadway e em Londres. Mas nem só de bons momentos seria sua vida, pois uma fatalidade afeta sua vida para sempre.



    Cole Albert Porter nasceu em 1891, no Peru, Indiana. Aos seis anos de idade começou a estudar piano e violino e já mostrava muito talento para a música. Logo ele decidiu estudar apenas piano e dedicou toda a sua energia a isso. Estudava todos os dias e freqüentemente sua mãe Kate Cole juntava-se a ele no piano e juntos compunham paródias perversas para as canções populares da época.  
    Kate sabia que seu filho tinha talento, e fez tudo o que podia para pavimentar o caminho dele para a fama musical. Logo no início, ela subsidiou a orquestra de estudantes na escola de música local, certificando-se de que seu filho fosse o solista de violino. Havia rumores de que ela também tomou medidas para assegurar que os jornais locais dessem a seu filho as opiniões corretas. Quando Cole tinha dez anos de idade, ele começou a compor músicas, e sua mãe pagou para ter suas composições publicadas e cópias enviadas a família e amigos.
    Em seguida foi para Yale, e os anos de graduação de Cole em Yale foram um dos períodos mais ricos da sua vida. Ele foi um enorme sucesso social, famoso no campus pelas músicas que ele estava constantemente escrevendo e cantando.  Em julho de 1917, Cole se mudou para Paris, onde viveu uma época de badalações bem intensa.
    No verão de 1937, Cole sofreu um acidente e praticamente perdeu o movimento das pernas. Para o resto de sua vida, ele estaria em grave dor, com osteomielite crônica e passando por mais de trinta operações ao longo dos próximos 20 anos. 
    Sua consagração, porém, chegou muito mais tarde, com o musical Kiss me, Kate, estreado em 1948, em Nova York, que foi representado várias vezes. No ano de 1953, obteve outro grande sucesso com o musical Cancan. Também compôs a música do filme Alta Sociedade (1956), com Bing Crosby, Grace Kelly, Frank Sinatra e Louis Armstrong. Muitos de seus musicais foram adaptados para o cinema e algumas de suas canções continuam a desfrutar de grande popularidade, destacando-se as célebres I've Got You Under my Skin e Anything Goes, interpretadas por Frank Sinatra. 
    Cole escapava da sua agonia física no trabalho e continuou compondo. Compôs muitos outros sucessos ao longo de sua vida. Cole Porter morreu em 15 de outubro de 1964, em Santa Monica, Califórnia após a cirurgia renal. 


    O filme  mostra a vida e a obra do genial compositor Giuseppe Verdi. Este drama conta com trechos de suas mais famosas óperas, como Rigoletto, La Traviatta, Otello, Ainda, II Trovatora, Nabuco, e muitas outras composições inesquecíveis interpretadas pelos astros internacionais Tito Gobbi, Mario Del Monaco e Orietta Moscucci acompanhados pela orquestra da Ópera de Roma. Um filme certamente emocionante!



    Giuseppe Verdi foi músico italiano. Autor das óperas, "Otello", "La Traviata", "Rigoletto", "Il Travatore", "Aída", entre outras. Foi o maior músico italiano do século XIX. Nasceu em Roncole, hoje Roncole Verdi, ducado de Parma, Itália, no ano de 1813. Quando nasceu a cidade estava ocupada pelos franceses e Giuseppe Fortunino Francesco foi obrigatoriamente registrado como Joseph Fortunin François. Estudou música com Ferdinando Povesi, regente da orquestra de Roncole.
    Verdi não foi aceito pelo Conservatório de Milão. Quando atingiu a fama, o diretor do Conservatório foi criticado pela falta de visão, que teria fechado as portas para o maior músico italiano do século XIX. Foi casado com Margherita, juntos tiveram dois filhos. O lançamento de sua primeira ópera, "Oberto, conde de San Bonifácio", veio acompanhado de seguidas tragédias. Em 1838, morre a filha Virgínia, em 1839, morre o filho Icílio e em 1840, morre sua esposa.
    Sua óperas eram inspiradas no patriotismo, "A Batalha de Legnano", teve origem na batalha travada quando os germanos do norte atacaram a península italiana, em 1176. A ópera "Os Lombardos na Primeira Cruzada" surgiu como incentivo à luta contra a ocupação dos austríacos em toda parte lombarda da Itália. A ópera "Nabucodonosor" narrava a escravidão do povo judeu e sua libertação, e "Joana d'Arc" lembrava aos italianos a luta dos franceses contra a ocupação inglesa no século XIV.
    Em 1848, abandonou o gênero patriótico em suas óperas e escreveu "Rigoletto", "Il Trovatore", "La Traviata" e "Um Ballo in Maschera". Em 1859, foi eleito deputado de uma Itália que ressurgia, unificada, no cenário político europeu. Nesse mesmo ano casa-se com a soprano e companheira Giuseppina Streboni.
    Giuseppe Verdi influenciado por temas shakespearianos compôs as óperas "Otello" e "Falstaff". Em 1871 levado pela inauguração do Canal de Suez, escreveu "Aída", atingindo o auge de sua carreira. Em 1879, após 20 anos de convívio, perde sua esposa e em 27 de janeiro de 1901, em Milão, morre cercado de respeito de toda a Itália.


    Inseguro emocionalmente e depressivo, o professor de piano Peter Ilych Tchaikovsky (Richard Chamberlain) batalha para que sua música seja aceita e tenta superar os seus impulsos homossexuais. O apoio de uma rica viúva lhe dá o suporte artístico que ele precisa, porém, ao escolher se casar, ele tem uma noiva uma ninfomaníaca, a quem não consegue satisfazer sexualmente.


    Tchaikovsky foi músico russo que nasceu em Votkinsk, na Rússia, no dia 7 de maio de 1840. Filho de Ilia Petrovitch, engenheiro, e de Alexandra d'Assier, de origem francesa. Com cinco anos já dedilhava o piano e aos sete já compunha. Em 1850, a família vai morar em São Petersburgo onde o jovem se encantou com o teatro e os concertos. Em 1854, perde sua mãe, contaminada pela cólera.
    Em 1859, formado em Direito, ingressa no Ministério da Justiça, como escriturário. O trabalho lhe deixava irritado, vivia entre a euforia e a depressão, sentia-se rejeitado por sua orientação sexual. Pede licença do Ministério e como tradutor, acompanha um negociante em viagem para o Ocidente. De volta, pede demissão e ingressa no Conservatório de São Petersburgo. Entra em contato com as escolas musicais de Berlim e Viena.
    Tchaikovsky apresenta, em 1875, sua "Terceira Sinfonia", a "Polonesca" e a pedido do Teatro de Moscou, compõe "O Lago dos Cisnes". Em 1877, casa-se com Ivanovna Milyukova, mas a união só durou 15 dias. Entre 1877 e 1879, compõe "A Quarta Sinfonia", as óperas "Eugene Onegin" e "Joana D'Arc" também chamada "Donzela D'Orléans".
    Compõe a sinfonia "Sonho de Inverno", a abertura sinfônica "A Tempestade" e danças para a ópera "Voievoda". Conclui seus estudos no conservatório, com a cantata para solo, coro e orquestra "Ode ao Júbilo". Em 1866, é nomeado professor de Harmonia do Conservatório de Moscou.
    Pyotr Ilitch Tchaikovsky morre no dia 6 de novembro de 1893, de cólera, em São Petersburgo.


    A música de Benny Goodman vem à vida nesta maravilhosa biografia musical do famoso rei do swing. Apresentando todas as músicas fantásticas e instrumentos que ficaram famosas pelo clarinista imortal. A história segue o músico inovador desde a sua infância em chicago até seu show no Carnegie Hall, em 1938. Steve Allen, Donna Reed e Sammy Davis Sr estrelam esta homangem inesquecível e Goodman e sua banda original: Benny Goodman Quartet, composta por Harry James, Martha Tilton e Ziggy Elman.


    https://www.classicline.com.br/a-musica-irresistivel-de-benny-goodman.html


    Benjamin David Goodman, mais conhecido como Benny Goodman nasceu em 30 de maio de 1909 e foi um famoso clarinetista de jazz. Goodman nasceu em Chicago, filho de imigrantes judeus. Aprendeu a tocar clarineta na infância e começou a tocar profissionalmente cedo. Foi influenciado por clarinetistas de Nova Orleans que tocavam em Chicago como: Johnny Dodds, Leon Roppolo e Jimmy Noone.
    Goodman foi responsável pela difusão do swing entre jovens brancos. Porém, ele foi responsável também por um passo importante na integração racial nos Estados Unidos, ao quebrar a regra de músicos brancos e negros não tocarem juntos no início da década de 1930.
    No dia 16 de janeiro de 1938, Benny Goodman e sua orquestra foram consagrados no histórico concerto realizado e gravado no Carnegie Hall de Nova York. Nos anos 1930 e 1940, Goodman ajudou a projetar, além dos já citados, solistas como Harry James (trompete), Georgie Auld (sax tenor) e Jess Stacy (piano).
    Sua orquestra tornou-se, em 1962, a primeira jazz band norte-americana a visitar a União Soviética. Como não podia deixar de acontecer, sua clarineta e sua orquestra seriam requisitadas pelo cinema, em vários filmes.
    Por motivo de doença, de 1970 a 1985 faz um intervalo em sua atividade artística. Sua volta se deu no Kool Jazz Festival de Nova York, vindo a falecer pouco depois, em 13 de junho de 1986.


    A vida do compositor Giacomo Puccini é retratada nesta belíssima produção cine biográfica, com Gabriele Ferzetti interpretando Puccini desde seus tempos estudantis até seus últimos dias. Vamos acompanhar seus tempos de luta por reconhecimento, a péssima recepção de ''Madame Butterfly'', e todas as dificuldades pelas quais ele passou, até atingir o máximo de seu sucesso. O filme também conta a história das mulheres que mais afetaram a vida do compositor: a jovem Elvira (Marta Toren) , a diva da ópera Cesira Ferrari (Nadia Gray) e a trágica servente (Miriam Bru), contém amplas árias das mais belas óperas do mestre: M. Butterfly, Turandot, La Bohéme, Manon Lescaut.


    Compositor italiano, Giacomo Antonio Domenico Puccini nasceu a 22 de Dezembro de 1858, em Lucca, na Toscana, em Itália. É um dos maiores expoentes da ópera realista.
    Frequentou o Conservatório de Milão, tendo como professores Antonio Bazzini, um famoso violinista e compositor, e Amilcare Ponchielli, o compositor da ópera La Gioconda. Influenciado pelo trabalho de Richard Wagner, compôs a ópera Le Villi (1884), que revelou o seu poder dramático e a sua melodia. A ação nas suas óperas é tão marcante que, mesmo que as palavras não sejam entendidas, a história é facilmente compreendida. Esse fato surge, especialmente, nas suas óperas mais conhecidas, que incluem La Bohème (1896), Tosca (1900), Madama Butterfly (1904), La Fanciulla del West (1910) eTurandot, incompleta.
    Outras óperas célebres de Puccini, que também compôs música sacra para piano e órgão, são Turandot (a sua última ópera, incompleta e terminada em 1926 por Franco Alfano), que inclui uma das mais belas árias para tenor, "Nessun Dorma", e aquela que foi seu primeiro sucesso, Manon Lescaut (1893).
    A concepção de melodia diatônica de Puccini, composta por tons e por semitons, encontra-se enraizada na tradição da ópera italiana do século XIX. Contudo, o seu estilo harmônico e orquestral indica que conhecia a tendência contemporânea, especialmente o trabalho dos impressionistas.
    Faleceu em 29 de Novembro de 1924, em Bruxelas, na Bélgica. 





    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top