• ÚLTIMAS...

    25 FILMES SOBRE RELACIONAMENTOS HOMOAFETIVOS QUE PRECISAM CONHECER - PARTE 2


    Na segunda parte do post sobre os filmes cujo tema é relacionamento homoafetivo (a primeira você pode conferir aqui !!!), fizemos algo diferente. A lista é composta, basicamente,  por indicações de leitores. Só que uma delas, a Clarissa Kuschnir,  se empolgou e indicou a maioria dos filmes a seguir. Ela fez uma consulta no seu arquivo e relembrou também os que ela ajudou a divulgar nos cinemas como assessora de imprensa.

    Alguns filmes saíram recentemente, como Boys (A2 Flashstar), A criada (A2 / Mares filmes), Stonewall (A2 Flashstar). Vejam as edições nas fotos abaixo.


    E confiram nossas 25 indicações:


    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Laurent (Alain Chabat) e Loli (Victoria Abril) formam um casal feliz, que leva uma vida confortável em uma cidade ao sul da França. Entretanto a vida deles é alterada quando em frente à sua casa quebra o trailer de Marijo (Josiane Balasko), uma mulher lésbica que vive viajando. Aos poucos Loli e Marijo se aproximam, iniciando um relacionamento sem que Laurent saiba.

    O final original de Uma Cama Para Três foi editado e alterado para o lançamento do filme nos Estados Unidos.


    Em tom de documentário é narrada a vida de Gia Maria Carangi (Angelina Jolie), uma jovem da Filadélfia que tenta a sorte em Nova York e logo se torna uma das top models mais requisitadas do mundo, sendo inclusive capa da Vogue e da Cosmopolitan. Mas sua fama meteórica vem acompanhada de uma paixão homossexual por Linda (Elizabeth Mitchell), que se tornaria o grande amor da sua vida mas era um relacionamento instável. Esta insegurança no amor, na família e em diversos momentos da sua vida a transformam em uma viciada em heroína, sendo que esta dependência às drogas cada vez mais incontrolável provocaria sua decadência.


    Sugestão de Flávia Telles

    Saiba como Teena Brandon se tornou Brandon Teena e passou a reivindicar uma nova identidade, masculina, numa cidade rural de Falls City, Nebraska. Brandon inicialmente consegue criar uma imagem masculinizada de si mesma, se apaixonando pela garota com quem sai, Lana, e se tornando amigo de John e Tom. Entretanto, quando a identidade sexual de Brandon vem público, a revelação ativa uma espiral crescente de violência na cidade.


    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Três histórias sobre lesbianismo, que acontecem na mesma casa. No segmento de 1961, Abby morre de derrame e Edith, que foi sua companheira por 50 anos, tem de silenciosamente enfrentar a perda e também o fato de não ser considerada da família, tanto pelo hospital quanto pelos herdeiros de Abby. No segmento de 1972, Linda, uma feminista, é expulsa juntamente com outras três amigas de um grupo de mulheres da faculdade, pelo fato das quatro serem lésbicas. Tentando esquecer o problema, as amigas vão para o único bar de lésbicas na cidade, onde Linda conhece Amy e, apesar da desaprovação das suas amigas, acaba se apaixonando por ela. No segmento de 2000, Fran e Kal são duas lésbicas que querem ter um bebê, mas querem que o filho seja só delas. Assim, vão ao banco de esperma na esperança de encontrar um doador e enfrentam uma maratona para ver seu sonho realizado.



    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Angel e Nene são dois matadores inseparáveis conhecidos no meio como "os gêmeos". Até que Fontana lhes propõe um novo golpe: assaltar o caminhão que transporta os pagamentos da cidade de San Fernando, que transporta 7 milhões. Tanto Angel quanto Nene aceitam a proposta, para fugir do tédio e superar a crise que existe entre eles naquele momento. Porém, o que parecia ser um trabalho fácil acaba se tornando um verdadeiro massacre. Fontana, Angel e Nene decidem fugir para o Uruguai, para evitar que sejam mortos pelos policiais argentinos, que estão sedentos por vingança. Lá eles se escondem em um apartamento emprestado por Losardo, um mafioso local, onde esperam a chegada de novos documentos fraudados que permitam que eles viajem para o Brasil. Mas quanto mais os documentos demoram a chegar mais a tensão entre os três cresce, chegando a níveis insuportáveis.




    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    A produção mostra a vida de Kahlo desde a sua adolescência até a morte. Frida Kahlo foi um dos principais nomes da história artística do México. Conceituada e aclamada como pintora, ela teve também um casamento aberto com Diego Rivera, seu companheiro também nas artes, e ainda um controverso caso com o político Leon Trostky e com várias outras mulheres.

    No filme, o esposo Diego Rivera representa um cara muito mulherengo, e Frida aceita-o pedindo-lhe apenas lealdade, o que não acontece, pois Frida encontra Diego com sua irmã, e então ela pede o divórcio. Este é o 2º filme baseado na pintora Frida Kahlo. O anterior foi Frida, Natureza Viva (1983).



    Em três períodos diferentes vivem três mulheres ligadas ao livro "Mrs. Dalloway". Em 1923 vive Virginia Woolf (Nicole Kidman), autora do livro, que enfrenta uma crise de depressão e idéias de suicídio. Em 1949 vive Laura Brown (Julianne Moore), uma dona de casa grávida que mora em Los Angeles, planeja uma festa de aniversário para o marido e não consegue parar de ler o livro. Nos dias atuais vive Clarissa Vaughn (Meryl Streep), uma editora de livros que vive em Nova York e dá uma festa para Richard (Ed Harris), escritor que fora seu amante no passado e hoje está com Aids e morrendo.

    Antes de definir o título de seu livro como "Mrs. Dalloway", a escritora Virginia Woolf cogitou intitulá-lo como "The Hours"


    Wil Pang (Michelle Krusiec) é uma jovem cirurgiã com uma promissora carreira e um imenso problema. Solteira, aos 28 anos, ela descobre ser lésbica ao se apaixonar pela bailarina Vivian (Lynn Chen). Enquanto se encontra às escondidas com a namorada, Wil pensa em um jeito de contar a novidade a sua mãe, a viúva Ma (Joan Chen).

     Sua vida toma um rumo inesperado numa noite em que Wil encontra a mãe na porta de sua casa. Grávida, Ma foi expulsa da conservadora comunidade chinesa de onde elas vieram por se negar a revelar o nome do pai da criança. Agora as duas precisam se entender.



    Vítima de abusos durante a infância, Aileen Wuornos (Charlize Theron) tornou-se prostituta ainda na adolescência. Ela está prestes a acabar com a própria vida quando conhece Selby (Christina Ricci), uma jovem lésbica com quem acaba se envolvendo. Certa noite, depois de ser agredida por um cliente, Aileen acaba matando o sujeito. O incidente desencadeia uma série de outros assassinatos, que faz com que ela fique conhecida como sendo a primeira serial killer dos Estados Unidos.

    Ao contrário do imaginado, a verdadeira Aileen Wuornos cooperou com o projeto, fornecendo centenas de cartas que ajudaram na composição da personagem. Charlize Theron ganhou 13 quilos para interpretar sua personagem, enquanto que Christina Ricci ganhou 4 quilos.



    O filme inicia com o casamento de Rachel (Piper Perabo) e Heck (Matthew Goode). Quando Rachel entra na igreja vê por momentos Luce (Lena Headey), a florista do seu casamento contratada por Heck, uma lésbica assumida. Este é o momento em que Rachel se apaixona, mas não pelo seu noivo. Luce desenvolve uma amizade com a pequena H, irmã de Rachel, o que leva à proximidade de Luce à família e a Rachel.

    A partir daí instala-se a confusão de sentimentos e incertezas em Rachel em relação ao amor.O executivo Heck e a bela Rachel formam um jovem casal prestes a dizer sim, quando um encontro inesperado vira o mundo dela de cabeça para baixo.



    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Bree Osbourne (Felicity Huffman) é uma orgulhosa transexual de Los Angeles, que economiza o quanto pode para fazer a última operação que a transformará definitivamente numa mulher. Um dia ela recebe um telefonema de Toby (Kevin Zegers), um jovem preso em Nova York que está à procura do pai. Bree se dá conta de que ele deve ter sido fruto de um relacionamento seu, quando ainda era homem. Ela, então, vai até Nova York e o tira da prisão. Toby, a princípio, imagina que ela seja uma missionária cristã tentando convertê-lo. Bree não desfaz o mal-entendido, mas o convence a acompanhá-la de volta para Los Angeles.

    A ideia do roteiro de Transamerica surgiu após uma conversa entre o diretor e roteirista Duncan Tucker e a atriz transexual Katherine Connella. Enquanto conversavam sobre a percepção feminina e masculina, Connella surpreendeu Tucker ao lhe contar que havia nascido como homem. Os dois já haviam dividido a mesma casa por 4 meses, sem que o diretor desconfiasse que ela fosse transexual.



    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Quando o diretor de cinema François está selecionando o elenco para seu novo filme, um policial, o teste para uma das cenas lhe revela novas possibilidades. Como a cena requer nudez feminina, a audição acaba revelando algo de erótico e inesperado que faz com que o voyeur cineasta desista do projeto inicial e parta para um novo filme em que explorará os desejos secretos femininos.

    Ao contrário de como leva a relação com sua mulher, François sente-se inspirado por Anjos Exterminadores à levar três atrizes aos limites dos prazeres femininos solitários e entre elas. Tudo devidamente registrado para um filme misto de ficção e de realidade. Porém, os anjos que o inspiraram têm planos terríveis para o diretor que, à medida que vai se arriscando neste projeto, vai chegando mais próximo à perdição.


    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Peyton e Elena são, por fora, diametralmente opostas - uma, famosa escritora lésbica, a outra, mãe e esposa de um pastor - mas quando seus caminhos se cruzam várias vezes, elas se sentem compelidas a se conectarem. O que começa como uma amizade floresce rapidamente como algo mais profundo. Peyton tenta se libertar antes que seu coração queira algo que não possa ter. Elena não consegue imaginar sua vida sem Peyton. E apesar do fato de ela nunca nem mesmo ter considerado beijar uma mulher, Elena está oprimida pelo o desejo de fazer exatamente isso. Apesar da reserva de Peyton, Elena empurra o relacionamento para um romance maduro. As duas mulheres se apaixonam profundamente, ambas cientes que um futuro juntas possa ser um pouco mais que um sonho.



    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Júlia (Ana Paula Arósio) é uma professora de literatura inglesa que é abandonada pela namorada depois de um relacionamento que durou mais de dez anos. Por causa da separação, Júlia vai morar no Rio de Janeiro com seu melhor amigo, Hugo (Murilo Rosa), que é gay, e Lisa (Natália Lage). No novo trabalho, Júlia acaba despertando o interesse de duas alunas, mas é Helena (Arieta Corrêa) que mexerá com a professora, apesar de ela não se sentir preparada para novos relacionamentos.


    Antônia e Pedro formam um jovem casal que vive em união estável. O casal vê sua relação fragmentar com a chegada da bela Luana (Leandra Leal) por quem Antônia se apaixona. As duas vivem uma intensa paixão.  Romance, sedução, angústias e medo do futuro se instauram.

    "O Uivo da Gaita" faz parte do projeto Operação Sonia Silk, série de três filmes de longa-metragem para salas de cinema, produzidos de forma cooperativa, com equipe e elenco comuns.


    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    1951, Nova York. Elizabeth Bishop (Miranda Otto) é uma poetisa insegura e tímida, que apenas se sente à vontade ao narrar seus versos para o amigo Robert Lowell (Treat Williams). Em busca de algo que a motive, ela resolve partir para o Rio de Janeiro e passar uns dias na casa de uma colega de faculdade, Mary (Tracy Middendorf), que vive com a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares (Glória Pires). A princípio Elizabeth e Lota não se dão bem, mas logo se apaixonam uma pela outra. É o início de um romance acompanhado bem de perto por Mary, já que ela aceita a proposta de Lota para que adotem uma filha.



    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Recife, 1978. Clécio Wanderley (Irandhir Santos) é o líder da trupe teatral Chão de Estrelas, que realiza shows repletos de deboche e com cenas de nudez. A principal estrela da equipe é Paulete (Rodrigo Garcia), com quem Clécio mantém um relacionamento. Um dia, Paulete recebe a visita de seu cunhado, o jovem Fininha (Jesuíta Barbosa), que é militar. Encantado com o universo criado pelo Chão de Estrelas, ele logo é seduzido por Clécio. Não demora muito para que eles engatem um tórrido relacionamento, que o coloca em uma situação dúbia: ao mesmo tempo em que convive cada vez mais com os integrantes da trupe, ele precisa lidar com a repressão existente no meio militar em plena ditadura.




    1944. Allen Ginsberg (Daniel Radcliffe) sai da casa dos pais rumo à universidade, precisando lidar com o sentimento de culpa por ter deixado sua mãe (Jennifer Jason Leigh). Seu sonho é tornar-se um escritor, mas logo sente-se incomodado pelo modelo "certinho" de poesia que o curso ensina.

    Não demora muito para que ele conheça Lucien Carr (Dane DeHaan), um jovem provocador que apresenta Allen ao mundo da contracultura. Logo nasce uma grande amizade entre os dois, que se torna algo mais quando Allen passa a sentir atração por Lucien.




    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Sieger (Gijs Blom) é um atleta de 15 anos de idade, em fase de treinamento para uma competição de revezamento. A rotina é alterada pela chegada de um novo membro da equipe, Marc (Ko Zandvliet). Os dois descobrem interesses em comum e se tornam amigos próximos, até perceberem que possuem sentimentos um pelo outro. Sieger tenta esconder a sua atração, mas logo descobre que seu amor é grande demais para ficar em segredo.




    Sugestão de Raul Dias

    Leonardo (Ghilherme Lobo), um adolescente cego, tenta lidar com a mãe super protetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel (Fabio Audi) chega na cidade, novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sua sexualidade.

    O filme é um desdobramento do curta Eu Não Quero Voltar Sozinho, também de Daniel Ribeiro, lançado em 2010. O título original provisório deste filme era "Todas as coisas mais simples", mas foi considerado muito genérico e desconectado da história do curta metragem que o originou. Depois de muita discussão em torno do novo nome, o diretor Daniel Ribeiro e a produção chegaram a um título que reflete tanto as mudanças ocorridas no filme quanto os conflitos do personagem Leonardo: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho.


    Sugestão de Leandra Marinho

    Baseado na história real do ex-ativista gay Michael Glatze que se converteu ao cristianismo e hoje em dia ataca o homossexualismo, "Eu sou Michael" é um filme bastante controverso. James Franco interpreta Michael Glatze, que no inicio dos anos 2000, casado com Bennet (Zachary Quinto), criou a Revista "Young gay America". Um ativista combatente da causa gay e defensor das minorias, Michael começou a sentir síndrome do pânico e medo de morrer ( seus pais morreram jovens). Durante o tratamento, Michael começou a ter visões, e passou a frequentar a Igreja e ler a Bíblia. Logo, foi se afastando da sua vida ativa na homossexualidade (pelo filme, ele e Bennet eram bastante promiscuo, mantendo relações a 3 e Michael caçava jovens gays em boates). Para espanto de todos, Michael começou a combater a sua vida anterior e a abraçar a religião, até se casar com cristã Rebekah (Emma Roberts).



    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    O roteiro de Jon Robin Baitz acompanha Danny (Jeremy Irvine, de Cavalo de Guerra), um jovem expulso de casa que encontra aceitação na cena gay de Nova York. Por lá, ele conhece pessoas como o gentil Trevor (Jonathan Rhys Meyers) e o explorador (Ron Perlman), em uma série de acontecimentos que levarão ao levante de 28 de junho de 1969. A invasão da polícia ao bar gay Stonewall Inn, no Greenwich Village, gerou uma série de protestos e se tornou um dos eventos que levaram a criação dos movimentos modernos pelos direitos civis LGBT. A data marca hoje o Dia Mundial do Orgulho Gay.



    Sugestão de Leandra Marinho

    Brent Corrigan (Garrett Clayton), também conhecido como Sean Paul Lockhart, é uma estrela do mundo pornô gay. Apesar da ascensão rápida, as coisas começam a mudar quando o ator decide trabalhar por conta própria. A partir daí, uma dupla de produtores vê em Corrigan uma oportunidade de lucrar e alavancar a carreira na indústria pornográfica, e faz de tudo para não perder esta chance.



    Sugestão de Clarissa Kuschnir

    Três amigos, Júlia (Maria Laura Nogueira), Diego (Thiago Pethit), e Micaela (Renata Gaspar) estão com 30 e poucos anos e ainda lidando com as incertezas da vida. Desilusões amorosas, dúvidas na vida profissional e os eternos problemas com pais. Eles moram no mesmo prédio em São Paulo, aliviam a tensão bebendo e se jogando em festas ao mesmo tempo que dividem experiências, fracassos e conquistas. Rindo ou chorando, a amizade deles permanece.



    Baseado no romance Fingersmith de Sarah Waters. Coreia do Sul, anos 1930. Durante a ocupação japonesa, a jovem Sookee (Kim Tae-ri) é contratada para trabalhar para uma herdeira nipônica, Hideko (Kim Min-Hee), que leva uma vida isolada ao lado do tio autoritário. Só que Sookee guarda um segredo: ela e um vigarista planejam desposar a herdeira, roubar sua fortuna e trancafiá-la em um sanatório. Tudo corre bem com o plano, até que Sookee aos poucos começa a compreender as motivações de Hideko.

    O título do filme em coreano "Ah-ga-ssi" significa "A Dama", se referindo a Lady Hideko, enquanto o título inglês é "The Handmaiden" fazendo assim referência a Sook-hee (Kim Tae-ri).


    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top