• ÚLTIMAS...

    ARMAND MASTROIANNI - RESPONDE ÀS 7 PERGUNTAS CAPITAIS


    Porque Armand Mastroianni ?

    Começando pelo sobre nome famoso (que nada tem a ver com Marcelo) este diretor norte americano é conhecido por dirigir episódios de séries de tv e filmes para a telinha. Fez muitos aliás. Mas ele é mais conhecido por um dos bons filmes de horror do anos 80 "O armário do diabo" e "Dupla Vingança" um bom filme policial da época do VHS (lembro que meu pai vibrou quando viu...). Aliás, lembro até hoje dos trailers dos dois filmes.

    Conversei com o diretor no dia do aniversário de sua mãe, fazendo 99 anos exatamente no dia da entrevista, e vendendo saúde.

    Simpático e disposto a dar respostas longas, ele escreveu tanto que não traduzi. Mas quem não sacar inglês, joga no tradutor, ou aguardem futuramente, quando ela será traduzida.

    Vamos a elas:

    1)Como você começou a trabalhar na indústria do cinema?

    A.M: Eu comecei quando eu estava na escola primária fazendo filmes super oito. Eu usava amigos da vizinhança para atuar com eles. Eu queria escrever,  produzir e dirigir filmes de  curta-metragem e em seguida, mostrá-los aos meus amigos e à vizinhança. Eu continuei fazendo isso quando estava no ensino médio e na faculdade. Alguns dos filmes que fiz na faculdade ganharam prêmios em festivais. Então eu escrevi um roteiro com um amigo e o vendi para uma produtora. Eu nunca fui a uma escola de cinema e amava fazer filmes quando era muito jovem. Eu tive a oportunidade de fazer meu primeiro filme com um amigo que era um produtor e procurava fazer filmes de terror de baixo orçamento. Eu criei uma ideia para um filme que eventualmente tornou-se meu primeiro, que se chamou "Trilha de Corpos (1980)". Ele foi vendido para a MGM e depois disso, minha carreira começou. Fui apresentado a muitas pessoas importantes em Hollywood e eles queriam que eu continuasse fazendo filmes como esse.



    2)Qual experiência em sua vida dedicada à arte que foi mais marcante?

    A.M: Lembro-me quando eu estava indo ao cinema pela primeira vez com meu tio para ver o filme "O Rei e eu". Fiquei espantado como toda espetacular "mise-en-scène", que ajudaram a criar uma ilusão que eu nunca esqueci. Eu queria fazer o mesmo. Dizer histórias para pessoas através de imagens. Isso começou minha carreira explorando filmes super oito  com meus amigos como disse acima.


    3)Qual trabalho da sua carreira você considera o melhor?

    A.M: Eu fui abençoado por poder fazer muitos filmes de diferentes gêneros. Drama, horror, ação, suspense, comédia e até espirituais. Mas para mim, o melhor foi filmado no leste da Europa, Londres e Nova York e é chamado The Ring (1996), estrelado por Nastassja Kinski. Era uma épica história sobre a Segunda Guerra Mundial e uma família que fugia da Alemanha antes da queda do muro de Berlim. Era uma minissérie de quatro horas e eu gostei muito da minha experiência em fazer esse filme. Gosto também de me envolver com o escritor na conceitualização e planejamento da produção. Eu acredito que quando o escritor e o diretor tem uma colaboração próxima, todas as perguntas não respondidas serão consequentemente respondidas. Eu gosto muito desse processo.



    4)O filme "Armário do diabo (1988)" é um cult movie. Foi um dos melhores filmes de terror dos anos 80 na minha opinião. Há algo que possa falar sobre produção e os bastidores?

    A.M: Trabalhei no roteiro com Gary Brandner, que escreveu também o romance. Ele foi maravilhoso de se trabalhar e muito aberto às minhas sugestões, que se afastaram um pouco do seu romance. Eu queria que o demônio fosse um produto da mente de Cameron até que ele finalmente, se tornasse real. Senti que poderia tomar mais liberdades cinematográficas tanto na representação da criatura como no que realmente estava acontecendo na mente de Cameron. Os produtores foram muito complacentes. No último momento, permitiram que eu filmasse a cena que Cameron lentamente levitava de sua cama até o ventilador de teto. Para fazer isso, o set designer teve que construir toda a sala de Cameron dentro de um tambor giratório. Todos os móveis tinham que ser amarrados e, quando a câmera girou com o tambor, deu a impressão de que Cameron estava sendo puxado para cima. Foi um feito muito difícil, mas o resultado final foi ótimo!

    Outro cena envolveu o novo namorado da mãe de Cameron sendo levado para fora da janela e esmagando seu carro. Esta seqüência foi feita em uma série de tomadas usando um coordenador de dublês muito conhecido chamado Spiro Rosatos, Ele foi "jogado" para fora da janela em um arnês voando em cima do carro. Então, o ator da cena foi jogado no teto do carro apenas alguns centímetros acima dele num dos cortes da cena. E no final, tudo é montado.


    Tive uma ideia com relação ao tenente de polícia que foi morto no armário quando ele foi descoberto por seu amigo, que olhava para ele e sorria com uma máscara grotesca. Carlo Rambaldi, que projetou os efeitos da criatura no filme, fez uma máscara de borracha dos atores encarcerados e controlados com fios a fim de criar o sorriso grotesco para que ele se esticasse cada vez mais. Ficou demais !!!

    Encontrar o ator para interpretar Cameron também foi uma tarefa interessante, pois precisávamos encontrar um menino pequeno que pudesse ser vulnerável e ao mesmo tempo ter a força para destruir o demônio que ele criou. Scott Curtis foi escolhido e embora ele não tenha tido muita experiência como ator, ele mostrou todas as emoções necessárias que eu precisava. E nessa base, ele foi escolhido ao invés de outros atores que tiveram mais experiência.

    Fazer o "Armário do diabo"  foi muito divertido para mim, pois experimentei visualmente e tentei novas idéias na narrativa. Ainda recebo cartas de pessoas que dizem que esse era um dos filmes favoritos de suas juventudes. Eu estou feliz por ouvir isso .

    M.V: Eu mesmo adoro o filme. Me marcou muito. Eu assisti com uns 13 anos. E foi aterrorizante. Outro filme que me marcou muito foi aquele "Dupla vingança". Lembro até da ocasião que meu pai locou o filme numa locadora perto da minha casa.



    5)Com relação às suas preferências cinematográficas, há uma lista dos filmes de sua vida?

    A.M: Eu realmente nunca respondi uma pergunta sobre os meus 10 filmes favoritos, porque eu amo tantos. Os filmes que eu amo me tocam de maneiras diferentes, seja  emocionando, aterrorizando ou divertindo (dependendo do gênero). Acho que eles têm sempre algo para oferecer. Então, quando sou solicitado a criar uma lista, há muitos que eu gosto para selecionar alguns apenas.


    6)Agora vamos falar de futuro. Você tem projetos por vir?

    A.M: Espero produzir e dirigir uma série em que trabalhei muito na pré concepção. Eu também desenvolvi um roteiro que eu gostaria de filmar sobre dois irmãos numa matança em plena guerra. E para variar, é um filme de terror.
    Me foram oferecidos outros projetos e estou em discussão com o produtor para produzir um filme na Itália. Vamos ver o quanto realmente se tornará realidade. Os dedos cruzaram aqui!


    7)Se você pudesse nos deixar uma lição do tempo que se dedica à arte, qual seria?

    A.M: Sinto-me abençoado por ter tido a oportunidade de fazer o que mais amo: criar visualmente e contar histórias. A primeira coisa que o cineasta deve saber é como ser um contador de histórias, e não apenas como fazer grandes filmes. Um grande filme começa com uma grande história bem contada.
    Tirar uma boa história e fazer um ótimo filme deve ser o objetivo de qualquer cineasta!

    M.V: Obrigado pelo grande bate papo.

    A.M: Obrigado!


    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top