• ÚLTIMAS...

    segunda-feira, 19 de setembro de 2016

    HANA-BI, FOGOS DE ARTIFÍCIO - LANÇAMENTO PELA VERSÁTIL


    Hana-bi, fogos de artifício.


    Policial (Takeshi Kitano) descobre que sua mulher está prestes a morrer, ao mesmo tempo em que seu parceiro baleado por mafiosos. Ele deixa a polícia e parte em busca de vingança, ao mesmo tempo em que se decide a cuidar da esposa.


    Um dos filmes mais cultuados dos anos 90. Lançado pela extinta CULT FILMES em VHS no Brasil, como podem ver a capa abaixo.




    O SAMURAI CONTESTADOR

    Takeshi disse numa entrevista que sua ideia com o filme era contestar a ideia da família tradicional japonesa, que considera fundamental, vivendo sempre bem. Mas a realidade é diferente. Ele diz que isto é uma fantasia e sua meta era se opor a esta ideia de que a família anda noutra sintonia em relação às dificuldades. Por exemplo, se um marido machuca-se e é forçado a parar de trabalhar - como acontece com Horibe no filme,  sua família pode ter muitos problemas com isto.

    Mas em contrapartida, Yoshitaka sente-se responsável pela sua mulher e amigos, seguindo o padrão cultural clássico japonês, mas com isto, entra num caminho sem retorno, transformando-se num perseguido por todos.

    Pode-se traçar um paralelo com os samurais, pois eles seguem um código de honra, e que dentro de sua justiça, há muita violência. Sendo assim, sua missão é vingar o amigo (como um Ronin), ajudar a família dele e sua própria mulher. 


    Na mesma entrevista, Kitano diz :-"Eu quis mostrar como um homem japonês tenta lidar com suas próprias responsabilidades. O jeito que Nishi faz isso pode ser bem diferente do jeito que um homem em outro país faria. Na verdade, muitos japoneses nos dias de hoje verão possivelmente o comportamento de Nishi como demasiado romântico ou sentimental, ou no mínimo fora de moda. Mas o jeito que ele cumpre o que ele entende ser suas responsabilidades ajusta-se com um ideal que existe na sociedade japonesa desde o período Edo, no mínimo ..."

    Genial e imperdível, o filme tem seu ponto alto chamado Takeshi Kitano. O diretor Versátil (com trocadilho, claro), realizou filmes sensacionais, roteirizou e ainda atuou em mais um tanto (61 para ser preciso, até 2016). Ahh...também editou alguns.  É um diretor completo.

    Ficha Técnica:

    Título Original: Hana-bi
    Gênero: Drama
    Tempo de Duração: 103 minutos
    Ano de Lançamento (Japão): 1997
    Direção: Takeshi Kitano
    Roteiro: Takeshi Kitano
    Produção: Masayuki Mori, Yasushi Tsuge e Takio Yoshida
    Música: Jô Hisaishi
    Direção de Fotografia: Hideo Yamamoto
    Direção de Arte: Norishiro Ysoda
    Figurino: Masami Saito
    Edição: Takeshi Kitano e Yoshinori Oota

    Elenco

    Takeshi Kitano (Yoshitaka Nishi)
    Kayoko Kishimoto (Miyuki)
    Ren Osugi (Horibe)
    Susumu Terajima (Nakamura)
    Tetsu Watanabe (Tesuka)
    Hakuryu (Matador da Yakusa)
    Taro Istumi (Kudo)
    Kenichi Yajima (Médico)
    Makoto Ashikawa (Tanaka)

    Principais prêmios:

    - Ganhou o Leão de Ouro, no Festival de Veneza.
    - Recebeu uma indicação ao César, como Melhor Filme Estrangeiro. 
    - Recebeu uma indicação no Independent Spirit Awards, como Melhor Filme Estrangeiro.
    - Recebeu uma indicação no Grande Prêmio Cinema Brasil, como Melhor Filme Estrangeiro.
    - Ganhou o Prêmio da Crítica, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.


    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top