• ÚLTIMAS...

    NICOLE PUZZI - RESPONDE A 7 PERGUNTAS CAPITAIS


    Tereza Nicole Puzzi Ferreira  é uma atriz, apresentadora e escritora brasileira. Filha de fazendeiros no Paraná, passou a morar em São Paulo no ano de 1970. Apos tentar trabalhos na TV Tupi, conheceu Jean Garret que a levou para a "Boca do Lixo" e iniciou carreira no cinema em 1975, trabalhando em "Possuídas pelo Pecado", e assim, ficou conhecida pelas participações no cinema brasileiro  nas décadas de 1970 e 1980. Na TV teve destaque como a médica Luísa na telenovela Barriga de Aluguel de Glória Perez . É autora do livro A Boca de São Paulo, sobre os bastidores das pornochanchadas e da Boca do Lixo paulistana e apresentadora do programa "Pornolândia" no Canal Brasil. Em 2014, escreveu a peça "A Pornochanchada que Nos Pariu". 

    Atriz inesquecível e marcou a vida de muitos (como a minha) no filme Ariella. Entre seus marcantes trabalhos está "As sete vampiras", roteirizado pelo meu primeiro entrevistado, Rubens F. Lucchetti.

    Vamos às perguntas e respostas...

    1-Como começou a trabalhar na indústria do cinema? Quando surgiu a primeira oportunidade de atuar?

    N.P.: Em 1975, aos 17 anos fui convidada para atuar no filme "Possuídas pelo pecado" pelo David Cardoso.  Um ótimo filme, ao estilo Buñuel,  sob a direção do excelente diretor Jean Garrett. 




    2 - "Éramos musas do sexo em uma época reprimida, moralista e desinformada", disse você numa entrevista. Como foi ser uma musa? No que isto impactou sua vida?

    N.P.: É difícil ser a frente de seu tempo e nós éramos.  Impactava, fortemente, a cabeça despreparada de um povo machista e reprimido e, por isso, sofríamos as consequências sendo alvos de preconceito e inveja.

    Eu sofri um pouco, na época,  pois, sempre, fui uma pessoa amorosa e de mente aberta. Hoje,  por mais que eu tenha sofrido, percebo, com alegria, que eu estava do lado certo da História. 
    3 - Escreveu um livro "A Boca de São Paulo". Nele conta os bastidores das pornochanchadas. Há alguma história interessante que poderia nos contar desta época?

    N.P.: O mais interessante a ser contado sobre os bastidores  da pornochanchada é o fato de ter feito parte da cambada da Rua do Triumpho.  Eu me surpreendo todas as vezes em que me lembro do fato de ter sido personagem vivo desse mundo singular e impressionante dos anos 70.





    4 - Qual filme considera o melhor trabalho de sua carreira? E porque? Aliás, gosta de filmes em geral ? Costuma assistir regularmente? Pergunto pois nem sempre quem atua no cinema/tv tem hábito de assistir filmes.

    N.P.: Amei ter feito Ariella, Prisioneiro do sexo, "Eu" e todos os outros. Amo tudo que fiz em meu passado.

    Assisto,  pelo menos,  um filme por semana, de Quentin Tarantino, Eli Roth, Almodovar, italianos, em geral. Em relação à cinema nacional,  vejo muitos curtas. Sou apaixonada por curtas brasileiros,  refletem um pouco do cinema feito na raça,  na atitude de liberdade criativa de novos cineastas.







    5 - Existe uma lista (pelo menos uns 10 filmes) que marcaram sua vida? 

    N.P.: O filme que mais marcou minha vida foi TOP HAT com Fred Astaire.  Mais especificamente a cena em que ele canta "Cheek to Cheek" com a Ginger Rogers.  

    NIAGARA de Henry Hathaway, com Marilyn Monroe e Joseph Cotten
    RISATE DI GIOIA,  de Mário Monicelli,  com Anna Magnani e Totó. 
    BELISSIMA de Luchinno Visconti, com Anna magnani
    LA DOLCE VITA, de Frederico Fellini, com Anita Eckberg e Marcello Mastroianni
    NOITE VAZIA, de Walter Hugo Khoury,  com Norma Benguel e Odete Lara. 
    FILME DEMÊNCIA,  de Carlos Riechenbach, com Ênio Gonçalves e Imara Reis.
    SIN CITY de Frank Miller, Robert Rodriguez e Quentin Tarantino,  com Mickey Rourke
    PULP FICTION,  de Quentin Tarantino,  com Samuel L. Jackson e John Travolta
    OS OITOS ODIADOS, de Quentin Tarantino,  com Samuel L. Jackson e Jennifer Jason Leigh




    6 - Fale um pouco dos seus próximos projetos. Tanto os que estão acontecendo quanto os previstos para começar.

    N.P.:  Atualmente, apresento o programa Pornolândia, toda quarta feira, meia noite , no Canal Brasil. 
    Faço show de stand up. Não comento sobre projetos que ainda não estão prontos





    - E se pudesse deixar uma lição de sua vida dedicada ao cinema e TV, qual seria?

    N.P.: Não sei. Não sou exemplo de nada.  A vida foi boa comigo e eu amei tudo que fiz, amei todas as alegrias e respeitei os sofrimentos pelos quais passei. 
    M.V.: Obrigado e sucesso em tudo.



    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top