• ÚLTIMAS...

    CORAÇÕES E MENTES (1974) LANÇAMENTO "OBRAS PRIMAS DO CINEMA"


    Sinopse:

    Uma investigação sobre a Guerra do Vietnã, através de imagens da guerra e entrevistas com ex-combatentes americanos e sobreviventes vietnamitas, analisando assuntos como a duração do conflito, o militarismo e o racismo entranhado na cultura dos Estados Unidos.

    Ficha técnica:

    Título Original: Hearts and Minds
    País de Produção: Estados Unidos
    Ano de Produção: 1974
    Gênero: Documentário
    Direção: Peter Davis
    Elenco: Documentário. 
    Idiomas: Inglês.  
    Legendas: Português – Inglês.
    Duração Aproximada: 112 Minutos 
    Região: Aberto para todas as zonas (Livre)
    Áudio: Dolby Digital 2.0
    Formato de Tela: 1.85:1
    Cor: Colorido 

    Extras: 

    Mais de duas horas de material não utilizado por Peter Davis: com trechos de entrevistas com “George Ball”, “David Brinkley”, “Philippe Devillers”, com o ativista político “Tony Russo”, Cenas de um hospital militar no sul do Vietnã e muito mais!

    Foto do filme com o livreto:



    Observações de um cinéfilo:

    Primeiramente, confesso que fiquei meia hora no menu do filme escutando "five hundred miles". Amo esta música (fiz até um clip). E eu não lembrava que ela tocava numa cena do filme.

    Foi o 1º documentário a dar voz aos vietnamitas sobre a Guerra do Vietnã e a apurar os efeitos da guerra no país e é um dos melhores documentários de todos os tempo.

    A emblemática expressão aparece no início do filme, quando o então presidente dos EUA, Lyndon Johnson, afirmava que a vitória de seu país se daria quando conseguissem conquistar os corações e mentes dos vietnamitas. Não conseguiram. E com o passar do tempo na guerra do Vietnã, perderam até mesmo essa batalha entre parcelas significativas do próprio povo norte-americano.


    Um povo “franzino”, aparentemente fraco, inofensivo e passivo que derrotou a maior máquina de guerra do planeta. O pequeno-grande Ho Chi Minh, que aparece em cena cercado pelo carinho de crianças, foi a expressão maior da grandeza do povo vietnamita. Em dado momento do filme, um militar americano diz que se houvesse eleição, qualquer candidato apoiado pelos EUA perderia para Ho Chi Minh mesmo morto.


    O filme traz todo o impacto da guerra sobre um povo – a destruição e morte em massa de crianças, velhos e mulheres. A violência militar norte-americana é escancarada em cenas de invasão e nos discursos de alguns entrevistados. Um comandante gabava-se de seus homens: dizia, orgulhoso, que ali estava um “formidável bando de matadores”.

    Não há como não fazer um paralelo com a guerra do Iraque. O diretor do filme reconhece que há diferenças, mas “A mais terrível semelhança entre as duas guerras somos nós, americanos. A postura americana em invadir os dois países e espalhar mentiras sobre o motivo das guerras. O fato do nosso governo não se importar em nada com a vida das pessoas, os reais interesses comerciais e políticos por trás de tudo, sempre com a desculpa de preservar ou implantar a democracia.” (Peter Davis, em entrevista durante o Festival de Cinema do Rio, em 2004, onde foi apresentada a nova cópia de "Corações e Mentes”.

    No filme, de um lado, a dor e a resistência dos vietnamitas. Um deles garantia que lutariam até o fim, enquanto tivessem arroz e, quando o arroz acabasse, plantariam novamente para continuar a lutar. De outro, a prepotência, o racismo dos militares norte-americanos. Um chegou a afirmar que os orientais não tinham muito apego à vida. A entrevista é precedida pelo enterro de um vietnamita, onde a dor de seus parentes, filhos, é captada em toda sua dimensão pela câmera de Davis. Tocante...

    TRAILER ABAIXO

    COMENTE USANDO SEU FACEBOOK:

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário

    Scroll to Top